Vacinas

Vacinas para gatos: a partir de que idade pode tomar, quais são as principais... Tudo sobre imunização!

Saiba tudo sobre vacinação de gatos
Saiba tudo sobre vacinação de gatos

Assim que adotamos ou compramos um filhote temos que checar se as primeiras doses das vacinas para gatos já foram dadas, saber quando são as próximas ou começar assim que possível. Assim como para humanos, as vacinas para gatos filhotes são essenciais para prevenir doenças transmissíveis, que podem causar sequelas e até mesmo a morte do seu animal.

Além da famosa vacina contra raiva - ou antirrábica -, há outras que protegem seu gato de diversas doenças. Rinotraqueíte, Calicevirose, Clamidiose, Panleucopenia e FeLV (Leucemia Felina) são outras enfermidades graves que podem ser evitadas seguindo corretamente o cronograma de vacinação. Para tirar as dúvidas sobre as principais doenças e suas respectivas vacinas, convidamos a veterinária Jackeline Moraes Ribeiro, do Rio de Janeiro. Siga as dicas!

Vacinas para gatos filhotes: saiba quais são as primeiras vacinas do gato

Logo nos primeiros dias com o filhote é importante levar para consulta com veterinário. Ele é quem vai te orientar com as vacinas e os cuidados iniciais. “A partir dos 60 dias de vida, quando diminuem os anticorpos maternos, os felinos devem ser vacinados com a primeira dose da Vacina Quádrupla (V4) ou Quíntupla (V5) Felina. 21 a 30 dias após, aplicamos a segunda dose de reforço das mesmas e a partir do 4° mês é feita a vacina contra Raiva”, explica a veterinária Jackeline Moraes Ribeiro. Para controle, os gatos também têm uma carteira de vacinação veterinária e precisa estar atualizada. Confira abaixo o cronograma das principais vacinas, quando devem ser dadas e quais doenças elas evitam.

V4 ou V5: a vacina básica que todo gatinho deve tomar a partir do 60º dia de vida

A famosa V4 inclui proteção contra as seguintes doenças: Rinotraqueíte, Calicevirose, Clamidiose e Panleucopenia. Também existe a Quíntupla (V5) que, além da V4, inclui a Leucemia Felina/FeLV. Saiba mais sobre a proteção contra cada uma dessas doenças abaixo:

Vacina para panleucopenia: doença altamente contagiosa pode provocar febre, vômitos, perda de apetite e diarreia. Nos casos mais graves pode comprometer a coordenação motora dos filhotes. “A cinomose (doença canina) em gatos é a Panleucopenia, que é a uma doença viral grave, muito contagiosa e fatal para os felinos jovens. Tem evolução rápida e pode levar à morte por falta de vacinação, pois esse vírus leva à queda dos glóbulos brancos, causando a diminuição das defesas imunológicas do animal contra a doença”, explica Jackeline. 

Vacina para rinotraqueíte: causada pelo herpesvírus, a rinotraqueíte pode causar conjuntivite, febre, diminuição do apetite e, em casos mais avançados, pode levar o filhote a óbito. 

Vacina para calicivirose: é uma infecção que atinge o sistema respiratório e seus sintomas podem ser confundidos com a rinotraqueíte. Tão grave quanto, a doença pode causar úlceras na boca do gato e levar a óbito caso não seja tratada nos estágios iniciais.

Vacina para clamidiose: causada por uma bactéria, a clamidiose é uma doença que atinge a parte frontal do globo ocular e pode atingir o sistema respiratório. Os sintomas mais comuns são conjuntivite, corrimento nasal, secreção persistente nos olhos, dificuldade de respiração, febre, pneumonia e falta de apetite. 

Vacina para FeLV  ou leucemia felina: essa doença é transmitida aos animais saudáveis através dos animais infectados e compromete a imunidade dos gatos. Dessa maneira, eles ficam mais vulneráveis a doenças infecciosas, desnutrição e problemas reprodutivos. Apesar de ser uma doença que tem controle, é importante que os donos que estejam pensando em adotar um novo gatinho saibam se o novo membro da família é contaminado, já que apenas dividir a mesma vasilha de água pode contaminar o gato saudável. 

Descubra se você é um cachorro ou um gato!

No fim de semana, você é o amigo que...?

As férias estão chegando! Vai viajar?

Chegou a hora de escolher a comida! Quem é você?

Que música você escolhe para arrasar no karaokê?

E sobre seus cuidados de beleza?

Vai ficar em casa com o mozão? Você prefere:

Ihhh, você recebeu uma crítica no trabalho… Como reage?

Você é um cachorro! Você é um gato! Você é um gatorro!
    É muito importante manter a caderneta de vacinação do gato atualizada
    É muito importante manter a caderneta de vacinação do gato atualizada

    Mais Lidas

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Vermífugo para cachorro: veterinária tira todas as dúvidas sobre o intervalo de uso do remédio
    Saúde animal

    Vermífugo para cachorro: veterinária tira todas as dúvidas sobre o intervalo de uso do remédio

    Você certamente já ouviu falar em vermífugo para cães. Mas sabe, exatamente, para que ele serve? Quem tem animal de estimação precisa estar atento a uma série de cuidados para manter a saúde do bichinho em dia - e usar esse remédio no período certo é uma dessas medidas indispensáveis para a proteção do pet. Como o nome já indica, o medicamento previne doenças causadas por vermes, como a Dirofilaria immitis, Toxocara canis e Giárdia sp.

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?
    Saúde animal

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?

    Encontrar o cachorro ofegante não é uma questão incomum na vida dos tutores. Normalmente, os peludos ficam mais cansados depois de um longo passeio ou brincadeiras, mas quando não houve nenhum estímulo é preciso ficar atento. Observe alguns sinais do cachorro ofegante: língua pra fora pode indicar calor ou cansaço, agora se o sintoma estiver acompanhado de tremores ou cachorro com dificuldade de respirar, o ideal é levá-lo imediatamente ao veterinário. Para saber como diferenciar e se há necessidade de buscar ajuda médica, nós conversamos com Ricardo Duarte, que é docente do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário FMU, de São Paulo.

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Vacina para raiva e leishmaniose: duas importantes defesas para o organismo dos gatos

    Uma das doenças mais conhecidas, a raiva não tem cura e, por isso, a vacinação é extremamente importante. “A Raiva é uma doença viral aguda que atinge os mamíferos como uma encefalite progressiva. A vacinação é de extrema importância devido sua letalidade e, por ter alta contaminação dentro do ciclo urbano, é considerada uma zoonose”, explica Jackeline. 

    Os sintomas mais comuns da doença são: alterações de comportamento, falta de apetite, incômodo com luz forte e automutilação. Além de ser transmissível para o ser humano, ela pode levar seu animal a ser sacrificado. A primeira dose é dada a partir dos 4 meses e deve ser reforçada anualmente. Por ser uma questão de saúde pública, há mutirões de vacinação gratuita em algumas capitais do Brasil. Vale se informar!

    Além das já citadas, a vacina de leishmaniose também é muito importante. “A mais frequente nos felinos é a Leishmaniose cutânea. Os sinais não são específicos e se assemelham a outras doenças dermatológicas. Os sintomas mais comuns são lesões nodulares, ulceradas, com crostas, que podem ser no nariz, orelhas, pálpebras e queda de pelos. A Leishmaniose visceral não é comum, relata-se que esse tipo tem alto grau de resistência natural e os animais que são afetados já possuem outras doenças que os comprometem imunologicamente como FiV (Aids felina) e FeLV (leucemia felina)”, esclarece  a veterinária. O tratamento não permite a cura completa. “Em geral, conseguimos a remissão dos sinais clínicos, porém o animal pode continuar portador do parasita, se tornando reservatório da doença. Dessa maneira, pode transmitir a novos mosquitos quando picados e novamente veicular em outros animais. Por isso o tratamento é muitas vezes contestado”, completa. 

    Vacina para cio de gato é indicada?

    Uma gata não castrada entra no cio várias vezes ao ano e isso pode gerar um efeito dominó de crias indesejadas, animais abandonados, dificuldade em vacinar os animais de rua, aumento dos números de gatos infectados com diversas doenças. Por isso, donos que não têm conhecimento sobre o assunto substituem a castração do animal por um anticoncepcional injetável, também conhecido como “vacina de cio”. Apesar de resolver o problema das crias indesejadas, a vacina de cio oferece inúmeros riscos graves à saúde do seu animal. A longo prazo, a vacina pode causar infecções uterinas, tumores mamários e ovarianos, hiperplasia mamária benigna e desequilíbrio hormonal. 

    Muitos donos ainda acreditam que a castração oferece riscos e é uma agressão ao animal, quando na verdade é um ato de amor e responsabilidade. Além de evitar crias indesejadas, a castração diminui drasticamente os riscos de tumores e infecções nos órgãos reprodutivos e nas mamas. Lembramos que a indicação de castração ou qualquer outro procedimento cirúrgico com seu animal deve ser feito por veterinários confiáveis. 

    Vacina para gatos: preços e demais custos 

    O valor da vacina deve ser incluído nos custos fixos do gato, junto com a alimentação. O preço varia entre R$ 50 a vacina antirrábica, R$100 a vacina viral e R$ 120 a antifúngica. Os valores podem variar de acordo com a sua região e com os custos de aplicação pelo veterinário.  Pode parecer um valor alto, mas na verdade é um investimento com a saúde do seu animal. Já para quem quer economizar, pesquise se na sua cidade existem campanhas de vacinação. As mais comuns são as campanhas com vacinação gratuita antirrábica. 

    Quais os riscos de atrasar as vacinas do gato 

    Jackeline Ribeiro lembra que após a fase inicial das vacinas, é importante que as mesmas sejam reforçadas uma vez ao ano, apenas uma dose de cada, ou seja, uma dose da Quádrupla ou Quíntupla Felina e uma dose de Raiva. A profissional lembrou também que “não se deve atrasar as vacinas dos animais, para que eles estejam sempre imunizados contra as doenças infecciosas, virais e bacterianas”. 

    Deve-se respeitar sempre o período recomendado pelo veterinário, para que o animal não fique vulnerável e exposto a riscos que muitas vezes são fatais. 

    Redação: Mariana Almeida

    Cachorro com olho vermelho: 5 razões para o problema

    Próxima matéria

    Cachorro com olho vermelho: 5 razões para o problema

    Khao Manee: tudo o que você precisa saber sobre essa raça de gato tailandesa (e muito rara!)
    Raças

    Khao Manee: tudo o que você precisa saber sobre essa raça de gato tailandesa (e muito rara!)

    O Khao Manee tem um grande potencial para ser um dos grandes queridinhos entre os apaixonados por gatos. Com olhos de cores marcantes e pelo branquinho, o felino desta raça possui uma aparência rara que chama atenção e é uma ótima companhia para qualquer família. De origem tailandesa, esse gatinho é super amigável e ama estar ao lado dos seus humanos - e até mesmo de outros animais. Para conhecer mais a fundo o gato Khao Manee, o Patas da Casa separou as principais informações sobre esse bichano incrível. Dá uma olhada!

    Dogo Argentino: tudo o que você precisa saber sobre essa raça de cachorro grande
    Grandes

    Dogo Argentino: tudo o que você precisa saber sobre essa raça de cachorro grande

    Você já ouviu falar no Dogo Argentino? Essa é uma raça de cachorro que teve origem em um país vizinho ao nosso, a Argentina. Embora pareçam sérios, os cães desta raça são uns amores e têm tudo para te conquistar, principalmente se o que você procura é um amigo de quatro patas bem leal e parceiro. Mas antes de comprar ou adotar um cachorro desta raça, que tal conhecê-lo um pouco mais a fundo? 

    Vacina para cachorro: quando o filhote pode tomar, quais as primeiras doses... Tudo sobre a prevenção!
    Vacina

    Vacina para cachorro: quando o filhote pode tomar, quais as primeiras doses... Tudo sobre a prevenção!

    Assim que adotamos ou compramos um filhote de cachorro - ou até mesmo um animal mais velho -, precisamos saber o histórico de vacinas. Os pequeninos podem ainda não ter recebido a primeira vacina do cachorro. Já os maiores podem ter tomado algumas doses. “A partir dos 45 dias de vida, após a vermifugação, os filhotes de cães devem ser vacinados. Normalmente são feitas a Óctupla ou Déctupla Canina”, explica a veterinária Jackeline Moraes Ribeiro, do Rio de Janeiro.

    Vacina quádrupla felina: saiba tudo sobre essa imunização que os gatos precisam tomar
    Vacinas

    Vacina quádrupla felina: saiba tudo sobre essa imunização que os gatos precisam tomar

    As vacinas para gatos são essenciais para manter o animal protegido de doenças comuns. Há quem diga que os felinos têm sete vidas, mas com saúde não se brinca! A imunização garante o bem-estar e a longevidade do seu gatinho, que ficará livre de muitas enfermidades graves. Assim como a vermifugação e o controle de parasitas, como as pulgas, as vacinas precisam ser dadas regularmente. Uma delas é a vacina quádrupla felina (também conhecida como polivalente V4), que combate quatro tipos de doenças virais. Para te ajudar, preparamos um material com todas as informações que você precisa saber sobre essa imunização. Chega mais!

    Ver Todas >

    Depressão em cachorro: quais as causas, sinais mais comuns e como é feito o tratamento?
    Saúde animal

    Depressão em cachorro: quais as causas, sinais mais comuns e como é feito o tratamento?

    Assim como os humanos, os cães não estão livres de problemas de caráter psicológico e emocional. A depressão em cachorro, por exemplo, é uma doença mais comum do que se imagina. Nesse caso, existe uma série de motivos que podem estar por trás de um cachorro depressivo, como mudanças de lar, a chegada de novos membros na família ou até mesmo a perda de entes queridos. A depressão canina pode se tornar grave se não receber o devido cuidado.

    O gato estressado tem mais chances de ficar doente?
    Saúde animal

    O gato estressado tem mais chances de ficar doente?

    Não é difícil deixar um gato estressado. Com um temperamento sensível, até mesmo as pequenas mudanças no cotidiano influenciam o comportamento do gato. Isso se reflete na forma como ele se alimenta, brinca, interage com os humanos e até no uso da caixa de areia. Mas você sabia que o aumento do nível de estresse podem deixar o gato doente? Isso mesmo! Os hormônios do estresse são capazes de desestabilizar o organismo do animal, revelando doenças que podem ser bem incômodas.

    Queda de pelo em gatos: quando o problema deixa de ser normal?
    Saúde animal

    Queda de pelo em gatos: quando o problema deixa de ser normal?

    Encontrar pelo de gato caídos pela casa - seja em cima do sofá, da cama ou até mesmo presos às roupas - é uma situação bastante comum para quem tem um felino em casa. Mas quando isso começa a acontecer com uma frequência e quantidade maior do que o normal, é importante ficar atento. A queda de pelo em gatos pode ter diferentes causas, mas nem sempre é motivo de preocupação. Então, como saber diferenciar uma queda de pelos em gatos normal de um quadro mais grave? Quando se trata da queda de pelos em gatos, o que pode ser?

    Refluxo em cachorro: veja algumas dicas para evitar o incômodo
    Saúde animal

    Refluxo em cachorro: veja algumas dicas para evitar o incômodo

    Assim como os humanos, o cachorro tem refluxo e pode precisar de algumas adaptações para aliviar o incômodo. Várias causas estão ligadas ao problema: uso de medicamentos, comer muito rápido, alterações na alimentação, obstrução e até mesmo fatores hereditários - como é o caso de algumas raças com predisposição. O refluxo em cães ocorre quando o conteúdo do estômago volta para a boca por meio do esôfago e de forma totalmente involuntária.

    Ver Todas >