É muito difícil não resistir aos encantos de um filhote de gato. Pequenos e fofos, esses bichanos viram a alegria de qualquer lugar e deixam o coração muito mais quentinho. A questão é que para ter um gato filhote , é importante saber tudo o que um gato precisa para ter uma boa qualidade de vida - especialmente nessa fase inicial, em que eles são ainda mais frágeis e necessitam de vários cuidados com a sua rotina. A adaptação do espaço, bem como a compra dos acessórios certos, faz toda a diferença para quem deseja aprender como cuidar de um filhote de gato.

Seu gato fica mais feliz com petiscos ou sachê?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

Se você está pensando em aumentar a família e trazer um novo integrante felino para casa, não se preocupe: a gente te ajuda nessa missão. Descubra tudo sobre gatos filhotes abaixo, desde os principais cuidados para gatos pequenos até como criar um gato filhote em segurança e com tudo que ele precisa.

Até quando o gato é filhote e qual a hora certa de separá-lo da mãe?

Uma dúvida muito comum entre os pais de pet de primeira viagem é até quando um gato é filhote. Entender os sinais que indicam a transição para a fase adulta é realmente muito importante para acompanhar a idade dos felinos.

Os filhotinhos de gato deixam de ser filhotes ao completarem 1 ano de vida. Depois disso, ele já é considerado adulto e, portanto, não requer mais tantos cuidados. Filhote, o gato ainda é muito vulnerável e precisa de atenção para não se machucar no dia a dia, mas quando atinge a fase adulta, seu organismo fica mais fortalecido e ele já tem toda a perspicácia para não se meter em perigo.

Além disso, quando se trata de um gato novinho, o tutor deve saber qual é o momento certo de separá-lo da mãe. O recomendado é que isso aconteça após o bichano completar 2 meses de vida. Até então, o filhote de gato é muito dependente da mãe, principalmente por conta da amamentação.

Com o desmame, que deve acontecer naturalmente por volta dos 45 dias de vida, fica mais fácil separá-los. A socialização com os irmãos é outro ponto importante para os filhotes de gato (2 meses muitas vezes é suficiente para isso acontecer sem causar uma grande dependência dos irmãos).

Como identificar se gato é macho ou fêmea?

Todo mundo sabe que quando se trata de gatos bebês, cuidados são importantes. Mas será que você sabe como identificar o sexo do gato filhote? Se você se apaixonou por um bichano, mas ainda não sabe se é macho ou fêmea, é muito fácil identificar isso.

O filhote de gato macho possui ânus, pênis e, entre eles, a bolsa escrotal - que é onde se encontra o testículo -, mas como normalmente é uma região coberta por pelos, é necessário apalpar para sentir. Além disso, os machos possuem uma distância maior entre o ânus e o órgão genital; enquanto nas fêmeas essa distância é bem pequenininha.

O formato dos órgãos genitais também é outra diferença: enquanto o gato filhote macho tem um pênis arredondado, as gatinhas possuem a vagina em formato alongado.

Gato filhote: cuidados com a segurança em apartamentos e casas é fundamental

Um dos principais cuidados com gato filhote é se certificar de que ele vive em um ambiente seguro e que não ofereça risco para ele. Por isso, a primeira coisa que qualquer dono de gato - filhote ou não - precisa fazer antes de levá-lo para casa é colocar tela de proteção em todas as janelas e basculantes. Todas mesmo! Da sala, cozinha, banheiro, área de serviço e varandas.

Como a maioria já sabe, os felinos gostam de subir em todos os móveis e nos parapeitos das janelas para descansar, e por isso uma forma de cuidar de gato filhote é telando esses espaços. Isso evita que o gatinho fuja e se perca ou até mesmo sofra uma queda, por exemplo.

Além das telas, também existem outras formas de como cuidar de gato bebê que são indispensáveis para o conforto do pet. Os filhotes de gato gostam de procurar cantinhos para se esconder, e uma boa estratégia é disponibilizar esses esconderijos para ele, como uma tenda para gatos. Assim você garante que ele não vai entrar em nenhum lugar que possa machucá-lo, e não precisará se preocupar quando ele “sumir”, porque você vai saber justamente onde ele está.

Outro ponto importante é que o gato bebê é muito curioso - muito mesmo! -, afinal, é o momento em que ele está conhecendo o mundo. Então o ideal é retirar do ambiente qualquer objeto que represente algum perigo para ele, como objetos perfurantes (tesouras e facas) ou que possam quebrar facilmente, como vidro.

Gato filhote enrolado no cobertorGato filhote com a mãe do ladoFilhotes de gato se abraçandoGatinho bebê laranja dormindoFilhote de gato deitadoGato filhote abraçado com pelúcia vermelha

Coisas para gatos filhotes: veja quais são os acessórios essenciais para a chegada do felino

Não tem jeito, se você quer saber como criar gato filhote da melhor forma possível, precisará comprar alguns acessórios que são indispensáveis para o bem-estar felino. Desde caixa de areia para gatos, até uma caminha, bebedouro e comedouro: tudo isso deve ser pensado para receber o novo integrante da família. Veja quais coisas para gato filhote o tutor deve providenciar:

  • Comedouro para gatos: 

O filhote de gato precisa de um lugar adequado para comer, certo? Por isso, investir em um comedouro para gatos é fundamental. Prefira os potes mais rasos e com o formato côncavo para que a ração fique sempre no centro. Os felinos - filhotes ou não - não gostam quando seus bigodes encostam na lateral do acessório e é por isso que muitos acabam espalhando ração pelo chão. Garanta que o filhote de gato tenha espaço para pegar a comida sem se preocupar com os bigodinhos.

  • Bebedouro para gatos: 

Ainda que sejam fofos, gatos filhotes e adultos têm uma certa dificuldade na ingestão de água e acabam tendo maior propensão a problemas renais por isso. Portanto, a escolha de um bom bebedouro faz toda a diferença para incentivar a hidratação desses pets. O ideal é investir em fontes de água para gatos, pois esses animais amam água corrente. Uma outra dica é colocar o bebedouro longe do pote da ração e da caixa de areia.

  • Caixa de areia para gatos: 

Quando se trata de um filhote de gato, cuidados com a higiene também fazem parte disso - especialmente quando se trata das necessidades fisiológicas do pet. Os felinos possuem alguns instintos selvagens e sempre que fazem xixi ou cocô, precisam enterrar seus resíduos. Por isso a caixa de areia é tão importante para a rotina do filhote de gato! Ah, os bichanos são super higiênicos, então independentemente do tipo de areia que escolher, mantenha a caixa sempre limpa! Para aprender como cuidar de gatos, a rotina de higiene com o acessório é muito importante.

  • Caixa de transporte para gatos:

É preciso pensar que mais cedo ou mais tarde o filhote de gato precisará sair de casa para uma consulta veterinária. Nessa horas, a caixa de transporte para gatos é um acessório que facilita bastante a vida do tutor e do gatinho. Existem diferentes modelos, basta encontrar aquele que se adequa melhor ao pet. Não se esqueça também de fazer um treinamento para que o gato bebê consiga se adaptar à caixinha sem problemas.

  • Coleira de identificação para gatos:

Mesmo com toda a segurança do lar, saber como cuidar do seu gato filhote inclui ter uma coleira de identificação para o bichano. Imprevistos acontecem, e às vezes esquecer uma porta aberta é suficiente para que o gatinho decida explorar o mundo fora de casa. Por isso, para evitar situações como “meu gato sumiu”, é recomendável colocar uma coleira contendo algumas informações sobre o bichano, como o nome e telefone para contato.

  • Caminha para gatos:

Uma coisa que o gato precisa, independentemente da idade, é uma boa cama para relaxar e descansar. Todo mundo sabe que os felinos passam longas horas do dia dormindo ou cochilando, e quando se trata de um gato filhote, o tempo de sono é ainda maior. Por isso, nada mais justo do que providenciar uma boa cama para gatos dormirem confortavelmente, não é mesmo? Além de ser uma questão de bem-estar, isso também deixa o pet se sentindo mais à vontade em casa.

  • Escova ou luva para tirar pelo de gato:

Uma das formas de como cuidar de gatos filhotes ou adultos é mantendo uma rotina de escovação com seus pelos. Além de evitar as bolas de pelos nos pets, isso também ajuda a evitar aquele acúmulo de sujeira pela casa. Então ao abrir as portas para um filhote, tenha em mente que você precisará comprar uma boa escova ou luva para tirar pelo de gato.

Como fazer o filhote de gato dormir a noite toda?

Os gatinhos bebês são acostumados a dormir e ficar perto da mãe e dos irmãos nos dois primeiros meses de vida. Ao serem separados, os gatos filhotes sentem falta desse contato e podem ter dificuldades para se acostumar na casa nova. Uma maneira de fazer o gatinho filhote dormir é arrumando uma caminha aconchegante para o pet com mantas, cobertos e bichinhos de pelúcia. O tutor também pode deixar uma peça de roupa junto para que o animal comece a se familiarizar com o cheiro.

Vale lembrar que quem não sabe quantas horas um gato dorme por dia, a resposta é até 20 horas quando ele ainda é filhote. Gato adulto, por outro lado, pode dormir de 12 a 16 horas.

Pode deixar o gato filhote sozinho?

O ideal é não deixar o gatinho filhote sozinho nos primeiros meses de vida. Até completarem dois ou três meses, eles são muito frágeis e precisam de atenção especial por isso. Conforme vão crescendo e se tornando mais independentes, eles podem começar a ficar períodos curtos sem companhia.

O que não pode fazer com gato filhote?

Saber como cuidar de gato filhote é saber também o que não se deve fazer com os bichanos nessa fase inicial. Alguns cuidados importantes nesse sentido são:

  • Não pode pegar filhote de gato no colo. Antes de um mês eles ainda são muito frágeis;
  • Não pode punir ou castigar o animal. Isso é uma das coisas que podem traumatizar o gato filhote;
  • Não pode deixar o filhote sozinho. Ele precisa estar sempre acompanhado nos primeiros meses;
  • Não pode ignorar as necessidades do pet. Deve-se ter uma atenção especial com a alimentação e higiene do bichano;
  • Não pode deixar de brincar com o gatinho bebê. Os filhotes precisam de estímulos físicos e mentais;
  • Não pode ser negligente com a saúde do animal. As consultas veterinárias são essenciais em todas as fases do pet;
  • Não pode desrespeitar o espaço e os limites do gato filhote. Conheça muito bem os gostos e vontades dele!

Seguindo essas dicas, você tem tudo para ter uma relação amistosa com gatinhos filhotes fofos!

Como cuidar de gato filhote: a alimentação do pet precisa de atenção especial

A alimentação adequada é super importante para a saúde e desenvolvimento dos gatinhos filhotes. O que poucas pessoas sabem é que esse é um processo que passa por diferentes etapas antes de chegar no alimento sólido, que é a ração. Um gato de 2 meses, por exemplo, precisa de uma alimentação diferente de um gato recém-nascido ou mais velho. Por isso, para entender melhor como funciona a alimentação do filhote de gato, é preciso seguir essa cronologia: 

  • Amamentação

Nos primeiros 30 dias de vida, o filhote de gato deve ter uma alimentação pautada exclusivamente no aleitamento materno, que contém todos os nutrientes necessários para o seu desenvolvimento. Se isso não for possível, existem também os chamados leites artificiais, que são formulados para substituir o leite materno em casos especiais. Já o leite de vaca e derivados estão totalmente fora de cogitação, assim como a ração.

  • Desmame com papinha

Como cuidar de filhotes de gatos de 2 meses? Essa é uma pergunta muito comum, principalmente porque essa é a fase em que o gatinho normalmente se despede da mãe e está pronto para conhecer sua família. Como o pet está deixando a amamentação de lado, o desmame com a papinha é a melhor maneira de introduzir novas texturas no paladar felino.  Então se você pegou um gato de 2 meses, cuidados com a alimentação devem acompanhar o processo de desmame antes de introduzir a ração na dieta dele.

Para isso, basta misturar um pouco de leite artificial específico para animais com a ração para filhote de gato, amassando bem até que ela adquira a forma de uma pastinha. Outra opção é bater esses ingredientes no liquidificador e oferecê-la para o pet. 

  • Ração para filhotes de gato

Se o gato com 2 meses já tiver passado pelo desmame, não tem problema nenhum em começar uma dieta exclusiva com ração. Nesse caso, existem duas opções de ração para filhotes de gato, que é a seca ou úmida. Saiba mais sobre as diferenças sobre elas:

Ração seca: justamente por ser seca, ela tem maior durabilidade enquanto exposta. Por isso, donos que passam o dia fora podem deixar a ração no potinho do gato filhote sem se preocupar se vai estragar. No entanto, o mais recomendado é evitar essa exposição, pois os felinos têm um paladar rigoroso e quando o alimento fica exposto muito tempo, acaba perdendo o sabor.

Ração úmida: gatos são animais que não têm o hábito de beber muita água e a ração úmida - também chamada de sachê para gatos - é ideal para aumentar a hidratação dos felinos. O cuidado que os donos precisam ter com esse tipo de ração é garantir que eles vão comer na hora em que for colocado no pote. Caso não comam, a ração deve ser guardada na geladeira por até 24 horas.

Gato filhote com varinha na bocaFilhote de gato escondido nas almofadasGatinho bebê em cima da camaGato filhote com pote de raçãoFilhote de gato laranjaGato filhote olhando para frente

Gato filhote: como cuidar? Vermífugo é indispensável nessa fase!

Um dos cuidados para gatos mais importantes é a vermifugação. Essa é a maneira mais comum e segura de evitar um gato com verme, principalmente quando ele ainda é filhote. No geral, os animais são doados pelo menos com a primeira dose de vermífugo para gatos, que já pode ser aplicada após 30 dias de vida, mas é importante se certificar disso antes de ter um bichano. Para saber como cuidar de um gato bebê e aplicar os vermífugos, a recomendação é a seguinte:

  • 1ª dose de vermífugo: é indicada após o filhote de gato completar 30 dias

  • 2ª dose de vermífugo: é indicada após 15 dias da primeira dose

  • 3ª dose de vermífugo: é indicada após 15 dias da segunda dose

  • Doses de reforço: entre a 3ª dose e o 6º mês do felino, deve-se dar o remédio pelo menos uma vez por mês. Depois do sexto mês, os reforços podem acontecer a cada 6 meses.

As vacinas para gatos filhotes são indicadas a partir de 2 meses

Outro ponto importante na hora de como cuidar de filhote de gato é prestar atenção ao calendário vacinal. A partir dos 60 dias, os anticorpos transmitidos das mães para os filhotes de gatos começam a diminuir e eles precisam tomar a primeira dose da vacina para gatos, que pode ser a V4 (quádrupla) ou V5 (quíntupla). A V4 inclui proteção contra Rinotraqueíte, Calicivirose, Clamidiose e Panleucopenia; e a quíntupla é mais completa com a proteção contra todas essas e mais a Leucemia Felina/FeLV. Já no caso da vacina contra raiva, a primeira dose é dada a partir do 4º mês de vida. Conheça melhor as doenças de gatos filhotes mais perigosas:

  • Vacina para panleucopenia: é uma doença viral que tem alto índice de contágio e pode ser fatal para um gato novinho. Animais que não são vacinados e contraem o vírus têm uma brusca queda na defesa imunológica causada pela diminuição dos dos glóbulos brancos. 

  • Vacina para rinotraqueíte: essa doença é causada pelo herpes vírus e pode causar conjuntivite, febre, diminuição do apetite e em casos mais avançados e que não foram tratados a tempo pode levar o filhote de gato a óbito. 

  • Vacina para calicivirose: essa doença atinge o sistema respiratório e pode ter seus sintomas confundidos com a rinotraqueíte. A diferença é que a calicivirose pode causar úlceras na boca do gato filhote. Os casos que não são tratados na fase inicial podem causar a morte do animal. 

  • Vacina para clamidiose: a clamidiose é causada por uma bactéria que atinge a parte frontal do globo ocular e, caso não seja tratada na fase inicial, pode atingir o sistema respiratório. Os sintomas mais comuns são conjuntivite, secreção persistente nos olhos, corrimento nasal, dificuldade de respiração, febre, pneumonia e falta de apetite. 

  • Vacina para FeLV: gatos infectados podem transmitir para os animais saudáveis de forma direta ou indireta. Um animal saudável pode contrair a doença apenas dividindo o pote de água ou ração com um animal infectado. Apesar de ter controle, os donos que estejam pensando em adotar um novo gatinho precisam saber se ele tem a doença. Os gatos - filhotes ou não - que possuem a doença ficam mais vulneráveis a doenças infecciosas, desnutrição e problemas reprodutivos.

  • Vacina contra raiva: a raiva é uma doença considerada zoonose (alta fatalidade e contaminação) que não tem cura e é transmissível a humanos. Os principais sintomas são: alterações de comportamento, falta de apetite, fotofobia (incômodo com luz forte) e automutilação. Além de ser transmissível para o ser humano, ela pode levar seu animal a ser sacrificado. A primeira dose é dada a partir dos 4 meses e deve ser reforçada anualmente.

Castração de gato filhote: a partir de quantos meses é indicada?

Filhotes de gatos, fofos que só, já estão preparados para cruzar no final do primeiro ano de vida. Isso quer dizer que, ainda que sejam novinhos, uma gata costuma ter o primeiro cio entre 8 e 10 meses de idade, que é quando atingem a maturidade sexual. No entanto, para evitar crias indesejadas ou até mesmo problemas de saúde - como câncer de mama -, o ideal é optar pela castração de gato o quanto antes. Ou seja, esse acaba sendo um dos cuidados com filhotes de gato mais importantes, já que preza pelo bem-estar e saúde do bichano a longo prazo. A idade indicada para a castração é entre 6 e 8 meses de vida, pouco antes do primeiro cio. 

5 dicas de adaptação do filhote de gato com outros animais

É muito comum querer um novo animal para fazer companhia ao outro, mas o período de adaptação precisa de alguns cuidados específicos com o mais velho e o filhote de gato que vai chegar. Como são territorialistas, os gatos mais velhos podem demorar a aceitar o gatinho novo. Como cuidar disso, então? Nos casos em que o gato já é idoso, a chegada de um filhote pode deixá-lo irritado, já que costumam querer brincar o tempo inteiro. Veja as dicas abaixo para a adaptação ser a mais tranquila. 

1) Nas primeiras semanas, o ideal é que não fiquem no mesmo ambiente sem a supervisão do humano responsável;

2) Não force o contato;

3) Premie o gato mais velho sempre que ele chegar perto e não rosnar para o filhote;

4) Brinque com os dois ao mesmo tempo; 

5) Caso o gato mais velho se esconda sempre que o filhote se aproximar, chame ele para ficar perto de você e não dê muito atenção ao mais novo;

Descubra quais são os melhores brinquedos para gatos filhotes 

Saber como cuidar de um gato filhote é muito simples, desde que você tenha os acessórios certos para isso. Os brinquedos, inclusive, fazem parte dessa lista. É preciso ter em mente que os filhotes de gato são muito agitados e precisam gastar energia. Como não têm o costume de passear na rua, as brincadeiras com seus donos - ou até mesmo sozinhos - são as soluções perfeitas. Veja abaixo quais são os brinquedos para gatos filhotes mais apropriados para o seu bichano: 

  • Varinha para gatos: como os gatos têm o instinto de caça bem aguçado, o jeito  certo de brincar é fazendo movimentos leves e delicados como se fosse uma presa na natureza. 

  • Guizo para gatos: filhotes costumam amar o barulho emitido pelo guizo dentro das bolinhas. Como a bolinha precisa estar em movimento para fazer o barulho, os gatinhos costumam correr bastante enquanto empurram.

  • Brinquedo de corda para gatos: os brinquedos de corda atiçam o instinto selvagem dos gatos. Eles veem o brinquedo como uma presa - principalmente quando têm formato de rato - e correm atrás para capturá-lo.

  • Arranhador para gatos: um dos brinquedos obrigatórios para quem tem gato é o arranhador. É um ótimo desestressante e pode evitar que eles arranhem os sofás de casa.

5 curiosidades sobre filhotes de gato

1) O filhote de gato demora cerca de 10 a 15 dias para conseguir abrir os olhos após seu nascimento.

2) Os primeiros passos costumam acontecer por volta dos 20 dias de vida dos gatos filhotes. 

3) Os gatos filhotes dormem mais do que os adultos. Entre cochilos, eles podem dormir até 20 horas por dia nos primeiros meses.

4) A fêmea pode dar à luz, em média, a 9 filhotes de cada vez. Ou seja, o filhote de gato normalmente tem muitos irmãozinhos!

5) O miado de gato filhote costuma ser bem suave e pode acontecer por vários motivos. Desde frio e fome, até indicativo de que o pet não se sente bem. A melhor maneira de como cuidar de um gato filhote nessas circunstâncias é levá-lo ao veterinário se os miados não cessarem.

Perguntas frequentes sobre gatinhos filhotes

Quais cuidados ter com um gato filhote?

  • Colocar telas de proteção na casa;
  • Vacinar e vermifugar o animal;
  • Comprar uma ração para gatos filhotes;
  • Espalhar esconderijos pela casa;
  • Gatificar o ambiente;
  • Fazer a castração do gato;
  • Brincar bastante com gato bebê.

Quanto tempo o gato é considerado filhote?

A maioria dos filhotes de gato são considerados filhotes até completarem um ano de vida. Depois desse período, o animal já pode ser considerado adulto. Porém, algumas raças de gatos gigantes - como o Maine Coon - têm um desenvolvimento mais lento. Nesses casos, o gatinho bebê leva até três anos para virar adulto.

Pode dar ração para gato de 1 mês?

Quando filhotes, gato precisa se alimentar exclusivamente do leite materno durante os 30 primeiros dias de vida. Depois, deve-se fazer a transição com a papinha e somente por volta de 45 dias é que o filhotinho de gato deve começar a alimentação com a ração.

Pode dar banho em gato de 1 mês?

Não pode dar banho em gato filhote de 1 mês! Na verdade, não se recomenda dar banho em gato, no geral. Os felinos que cuidam da própria limpeza, e os banhos podem ser muito estressantes para eles. Caso os gatinhos bebês fiquem muito sujos, a higiene com água só deve ser feita a partir de um gato de 2 meses.

Quantas vezes o filhote de gato come?

O gato com 2 meses de vida até 4 meses deve comer até quatro vezes por dia. Já de 4 a 6 meses, deve comer três vezes por dia. De 6 meses em diante, o filhote de gato deve comer apenas duas vezes por dia.

Pode dar leite para gato de 2 meses?

Um dos cuidados com gatos filhotes é que eles só podem tomar o leite materno ou artificial específico para a espécie. Não pode dar leite de vaca para gato nem derivados, pois isso pode prejudicar o desenvolvimento do animal e até causar um quadro de intolerância à lactose.

Qual a primeira vacina que o gato tem que tomar?

Os gatos bebês devem tomar a primeira vacina ao completar 60 dias de vida. As vacinas de gato mais indicadas são a vacina quádrupla (V4) ou quíntupla (V5). A primeira protege contra rinotraqueíte, calicivirose, panleucopenia e clamidiose; e a segunda protege também contra a leucemia felina (FeLV). Outro cuidado com gatos: filhote deve ser vacinado contra a raiva.

Com quantos dias posso pegar um filhote de gato?

Geralmente, um gato com 2 meses já pode ir para a nova casa. No entanto, por motivos de segurança, a maioria dos lugares só libera os gatos de raça filhotes para a nova família por volta de 3 meses. Nessa fase, os bichanos já passaram pelo processo completo de desmame.

Publicado originalmente em: 01/07/2019

Atualizado em: 18/10/2023