Gato

Vacinas para gatos: a partir de que idade pode tomar, quais são as principais... Tudo sobre imunização!

Publicado - 21 Dezembro 2023 - 18h38

Atualizado - 18 Abril 2024 - 12h26

Assim que adotamos ou compramos um filhote temos que checar se as primeiras doses das vacinas para gatos já foram dadas, saber quando são as próximas ou começar assim que possível. Assim como para humanos, as vacinas para gatos filhotes são essenciais para prevenir doenças transmissíveis, que podem causar sequelas e até mesmo a morte do animal.

Além da famosa vacina contra raiva - ou antirrábica -, há outras que protegem seu gato de diversas doenças. Rinotraqueíte, calicevirose, clamidiose, panleucopenia e FeLV (leucemia felina) são outras enfermidades graves que podem ser evitadas seguindo corretamente o cronograma de vacinação.

Para tirar as dúvidas sobre as principais doenças e suas respectivas vacinas para gatos, quando dar e quantidade de doses recomendadas, conversamos com a veterinária Jackeline Moraes Ribeiro, do Rio de Janeiro. Siga as dicas!

Imagem Quiz:Teste seus conhecimentos sobre a saúde de gato!

Teste seus conhecimentos sobre a saúde de gato!

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

A importância das vacinas para gatos

Se não tomar as primeiras vacinas, gato fica vulnerável e exposto a várias doenças perigosas. Os imunizantes são responsáveis pela produção de anticorpos no organismo felino, criando uma memória imunológica que evita que o animal adoeça. Além disso, quando o gato toma vacina, isso também previne zoonoses. Ou seja, aquelas doenças que podem ser transmitidas do animal para o tutor e colocar em risco a convivência com o pet.

Quantas vacinas existem para gatos?

Existem três tipos de vacinas para os gatos que são polivalentes e ajudam a prevenir mais de uma doença ao mesmo tempo. São elas: V3, V4 e V5. Outro imunizante obrigatório é o da raiva. Também existem vacinas para gatos filhotes e adultos que não são obrigatórias, como as vacinas da FIV e da bordetelose.

Vacinas para gatos filhotes: saiba quais são as primeiras vacinas do gato

Logo nos primeiros dias com o filhote é importante levar para consulta com veterinário. Ele é quem vai te orientar com os cuidados iniciais e indicar a primeira vacina. Gato já pode começar a ser imunizado depois de completar dois meses de idade.

“A partir dos 60 dias de vida, quando diminuem os anticorpos maternos, os felinos devem ser vacinados com a primeira dose da vacina quádrupla felina (V4) ou quíntupla felina (V5). Depois de 21 a 30 dias, aplicamos a segunda dose de reforço e, após 21 a 30 dias novamente, aplica-se a terceira dose. A partir do 4° mês, é feita a vacina contra raiva”, explica a veterinária Jackeline Moraes Ribeiro.

Para controle, os gatos também têm uma carteira de vacinação veterinária que precisa estar sempre atualizada. Ou seja, mesmo após após a primeira vacina do gato, os reforços não podem ser deixados de lado. Confira abaixo o cronograma das principais vacinas, quando devem ser dadas e quais doenças elas evitam.

V4 ou V5: a primeira vacina de gato para tomar a partir do 60º dia de vida

A famosa V4 inclui proteção contra as seguintes doenças:

Também existe a quíntupla (V5) que, além da V4, inclui a leucemia felina (FeLV). Saiba mais sobre a proteção contra cada uma dessas doenças abaixo:

  • Vacina para panleucopenia: doença altamente contagiosa pode provocar febre, vômitos, perda de apetite e diarreia. Nos casos mais graves pode comprometer a coordenação motora dos filhotes. “A cinomose (doença canina) em gatos é a panleucopenia, que é a uma doença viral grave, muito contagiosa e fatal para os felinos jovens. Tem evolução rápida e pode levar à morte por falta de vacinação, pois esse vírus leva à queda dos glóbulos brancos, causando a diminuição das defesas imunológicas do animal contra a doença”, explica Jackeline. 

  • Vacina para rinotrqueíte: causada pelo herpesvírus, a rinotraqueíte pode causar conjuntivite, febre, diminuição do apetite e, em casos mais avançados, pode levar o filhote a óbito. 


  • Vacina para calicivirose: é uma infecção que atinge o sistema respiratório e seus sintomas podem ser confundidos com a rinotraqueíte. Tão grave quanto, a doença pode causar úlceras na boca do gato e levar a óbito caso não seja tratada nos estágios iniciais.


  • Vacina para clamidiose: causada por uma bactéria, a clamidiose é uma doença que atinge a parte frontal do globo ocular e pode atingir o sistema respiratório. Os sintomas mais comuns são conjuntivite, corrimento nasal, secreção persistente nos olhos, dificuldade de respiração, febre, pneumonia e falta de apetite. 


  • Vacina para FeLV ou leucemia felina: essa doença é transmitida aos animais saudáveis através dos animais infectados e compromete a imunidade dos gatos. Dessa maneira, eles ficam mais vulneráveis a doenças infecciosas, desnutrição e problemas reprodutivos. Apesar de ser uma doença que tem controle, é importante que os donos que estejam pensando em adotar um novo gatinho façam o teste de FIV e FeLV, já que apenas dividir a mesma vasilha de água pode contaminar o gato saudável. 

Qual é o intervalo entre as doses das vacinas para gatos?

Depois de dar a dose inicial da primeira vacina, gato precisa seguir um cronograma certinho para completar o ciclo vacinal do animal. As vacinas V3, V4 e V5 são feitas em três doses, enquanto a antirrábica é dose única. Se houver qualquer atraso, é necessário reiniciar o processo de vacinação.

Veja abaixo como a tabela de vacinas para gatos:

 1ª dose2ª dose3ª doseReforço
V32 meses21 a 30 dias após a 1ª dose21 a 30 dias após a 2ª doseAnual
V42 meses21 a 30 dias após a 1ª dose21 a 30 dias após a 2ª doseAnual
V52 meses21 a 30 dias após a 1ª dose21 a 30 dias após a 2ª doseAnual
Antirrábica4 meses--Anual

 

É muito importante manter a caderneta de vacinação do gato atualizadaÉ muito importante manter a caderneta de vacinação do gato atualizada
Veterinária aplicando vacina em gato preto e branco em seu consultório
É muito importante manter a caderneta de vacinação do gato atualizada

 

Vacina para raiva e leishmaniose: duas importantes defesas para o organismo dos gatos

 

Uma das doenças mais conhecidas, a raiva não tem cura e, por isso, a vacinação é extremamente importante. “A Raiva é uma doença viral aguda que atinge os mamíferos como uma encefalite progressiva. A vacinação é de extrema importância devido sua letalidade e, por ter alta contaminação dentro do ciclo urbano, é considerada uma zoonose”, explica Jackeline. 

Os sintomas mais comuns da doença são: alterações de comportamento, falta de apetite, incômodo com luz forte e automutilação. Além de ser transmissível para o ser humano, ela pode levar seu animal a ser sacrificado. A primeira dose é dada a partir dos 4 meses e deve ser reforçada anualmente. Por ser uma questão de saúde pública, há mutirões de vacinação gratuita em algumas capitais do Brasil. Vale se informar!

Além das já citadas, a vacina de leishmaniose também é muito importante. “A mais frequente nos felinos é a leishmaniose cutânea. Os sinais não são específicos e se assemelham a outras doenças dermatológicas. Os sintomas mais comuns são lesões nodulares, ulceradas, com crostas, que podem ser no nariz, orelhas, pálpebras e queda de pelos. A leishmaniose visceral não é comum, relata-se que esse tipo tem alto grau de resistência natural e os animais que são afetados já possuem outras doenças que os comprometem imunologicamente como FIV (AIDS felina) e FeLV (leucemia felina)”, esclarece  a veterinária.

O tratamento não permite a cura completa. “Em geral, conseguimos a remissão dos sinais clínicos, porém o animal pode continuar portador do parasita, se tornando reservatório da doença. Dessa maneira, pode transmitir a novos mosquitos quando picados e novamente veicular em outros animais. Por isso o tratamento é muitas vezes contestado”, completa. 

Vacina para cio de gato é indicada?

Uma gata não castrada entra no cio várias vezes ao ano e isso pode gerar um efeito dominó de crias indesejadas, animais abandonados, dificuldade em vacinar os animais de rua, aumento dos números de gatos infectados com diversas doenças.

Por isso, donos que não têm conhecimento sobre o assunto substituem a castração do animal por um anticoncepcional injetável, também conhecido como “vacina de cio”. Apesar de resolver o problema das crias indesejadas, a vacina de cio oferece inúmeros riscos graves à saúde do seu animal. A longo prazo, a vacina pode causar infecções uterinas, tumores mamários e ovarianos, hiperplasia mamária benigna e desequilíbrio hormonal. 

Muitos donos ainda acreditam que a castração oferece riscos e é uma agressão ao animal, quando na verdade é um ato de amor e responsabilidade. Além de evitar crias indesejadas, a castração de gato diminui drasticamente os riscos de tumores e infecções nos órgãos reprodutivos e nas mamas. Lembramos que a indicação de castração ou qualquer outro procedimento cirúrgico com seu animal deve ser feito por veterinários confiáveis. 

Vacina para gatos: preços e demais custos 

O valor da vacina deve ser incluído nos custos fixos do gato, junto com a alimentação. Geralmente, o preço das vacinas para gatos filhotes e adultos é o seguinte:

V3R$ 85 a R$ 120
V4R$ 85 a R$ 120
V5R$ 95 a R$ 200
AntirrábicaR$ 50 a R$ 150

Os valores podem variar de acordo com a sua região e com os custos de aplicação pelo veterinário.  Pode parecer um valor alto, mas na verdade é um investimento com a saúde do seu animal. Já para quem quer economizar, pesquise se na sua cidade existem campanhas de vacinação. As mais comuns são as campanhas com vacinação gratuita antirrábica. 

Quais os riscos de atrasar as vacinas do gato 

Jackeline Ribeiro lembra que após a fase inicial das vacinas, é importante que as mesmas sejam reforçadas uma vez ao ano, apenas uma dose de cada, ou seja, uma dose da quádrupla ou quíntupla felina e uma dose de raiva. A profissional lembrou também que “não se deve atrasar as vacinas dos animais, para que eles estejam sempre imunizados contra as doenças infecciosas, virais e bacterianas”. 

Deve-se respeitar sempre o período recomendado pelo veterinário, para que o animal não fique vulnerável e exposto a riscos que muitas vezes são fatais. 

Perguntas frequentes sobre as vacinas para gatos filhotes e adultos

Qual a primeira vacina que o gato tem que tomar?

As primeiras vacinas para gatos devem ser a V4 ou V5. Só depois de tomar uma delas é que o animal pode, enfim, tomar a vacina antirrábica. 

Qual a diferença entre V4 e V5?

Além de saber qual a primeira vacina do gato, é comum haver dúvidas sobre as diferenças entre a vacina V4 e V5. Nesse sentido, a V4 protege contra quatro doenças (panleucopenia, calicivirose, rinotraqueíte e clamidiose), enquanto a vacina V5 para gatos protege contra esses mesmas doenças e também a leucemia felina (FeLV).

Qual a idade para vacinar gatos?

A vacina para gato filhote do tipo V4 ou V5 pode ter a primeira dose aplicada a partir de 60 dias de vida. Já com quantos meses o gato pode tomar vacina contra raiva é a partir de quatro meses de idade do animal. 

Tem que vacinar os gatos todo ano?

Além das primeiras vacinas para gatos, é importante reforçar os imunizantes anualmente. Essa prática é fundamental para manter o animal saudável e livre de doenças perigosas. Ah, e não pode atrasar os intervalos, hein!

É normal o gato ficar triste depois da vacina?

Quando o gato toma vacina, ele pode ter reações leves ao imunizante, como febre e apatia. Não é nada para se preocupar, pois o próprio organismo do animal se recupera prontamente, os sintomas desaparecem sozinhos e esse "desânimo felino" dura pouco tempo. Se tiver dúvidas, consulte um profissional. 

Publicado originalmente em: 29/08/2019
Atualizado em: 21/12/2023

Comportamento

Aprenda a interpretar cada miado de gato: foi com essas dicas que consegui me aproximar mais ainda do meu pet

Mesmo que os gatos não saibam falar, a linguagem felina é muito rica e expressiva. Além da postura corporal, o miado de gato tem uma...

Saúde

O que acontece no corpo da gata no cio? Dos miados estridentes aos picos hormonais, veja todas as mudanças que ela enfrenta

Não precisa ser expert no universo felino para conseguir identificar uma gata no cio. Dos miados estridentes aos picos hormonais, o ...

Comportamento

"Amor de gato": foi assim que aprendi a interpretar as emoções do meu gatinho e percebi que sou o amor da vida dele

O amor de gato é um sentimento especial e gratificante que os bichanos demonstram por seus donos. Mas ao contrário dos cães, eles ex...

Comportamento

Meu gato está intimidando meu cachorro: 7 dicas aprovadas por um vet para lidar com a situação

Ter um cachorro e gato convivendo em harmonia em casa é o sonho de qualquer tutor - mas a realidade pode ser bem diferente. Por sere...

Comportamento

Aprenda a interpretar cada miado de gato: foi com essas dicas que consegui me aproximar mais ainda do meu pet

Mesmo que os gatos não saibam falar, a linguagem felina é muito rica e expressiva. Além da postura corporal, o miado de gato tem uma...

Saúde

O que acontece no corpo da gata no cio? Dos miados estridentes aos picos hormonais, veja todas as mudanças que ela enfrenta

Não precisa ser expert no universo felino para conseguir identificar uma gata no cio. Dos miados estridentes aos picos hormonais, o ...

Cachorro

Com ajuda do ChatGPT, mulher cria site para mostrar como os cachorros enxergam de verdade: testamos por aqui!

Você já se perguntou como os cachorros enxergam? Essa é uma dúvida comum entre muitas pessoas, sejam elas tutoras de um pet ou não. ...

Comportamento

"Amor de gato": foi assim que aprendi a interpretar as emoções do meu gatinho e percebi que sou o amor da vida dele

O amor de gato é um sentimento especial e gratificante que os bichanos demonstram por seus donos. Mas ao contrário dos cães, eles ex...

Ver todas