Se você está ligado nos temas de saúde animal, provavelmente já ouviu falar em doença do carrapato, né?  Quando se fala nessa patologia, é preciso ter em mente que não existe apenas uma doença provocada pelo carrapato, mas vários tipos, como a febre maculosa. As mais comuns, no entanto, são a erliquiose e a babesiose e podem atingir cães e gatos.  O Patas da Casa vai te mostrar a diferença entre os dois tipos de doenças do carrapato. 

Teste seus conhecimentos sobre a saúde de cachorro!

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

Diferença entre os dois tipos de doença do carrapato 

A principal diferença entre a erliquiose e a babiose, os tipos mais comuns de doença do carrapato, está nos agentes parasitas causadores. Enquanto a primeira é provocada por uma bactéria que ataca os glóbulos brancos, a segunda é causada por um protozoário que ataca os glóbulos vermelhos. 

Os leucócitos, presentes nos glóbulos brancos, são responsáveis por proteger o organismo e, por isso, o cachorro diagnosticado com a erliquiose tem seu sistema imunológico severamente atacado. Por esse motivo, é comum a prevalência de vários sintomas, já que a imunidade do cachorro se encontra baixa.

Já as hemácias são responsáveis pelo transporte de oxigênio no organismo e, ao serem atacadas, apresentam problemas diretos na coagulação sanguínea, provocando muita das vezes, quadros graves de anemia. 

Mesmo sendo provocadas por dois agentes diferentes, as duas são transmitidas por carrapatos. Afetam mais comumente cães do que gatos, e podem também acometer humanos que são picados por carrapatos infectados. 

O que é erliquiose?

A erliquiose é uma doença provocada por uma bactéria transmitida pelos carrapatos que destrói células sanguíneas, como os macrófagos, interferindo diretamente no funcionamento do sistema imunológico. Por mais que ela seja muito mais comum em cães, gatos também podem ser infectados.

Algumas raças de cachorros apresentam naturalmente uma imunidade mais baixa e são mais sensíveis à doença. Quando infectados, apresentam sinais clínicos mais graves, como é o caso do Pastor Alemão, Husky Siberiano, Pinscher e do Doberman

Veja abaixo os principais sintomas da doença do carrapato: 

  • Anorexia
  • Letargia (perda da consciência)
  • Perda de peso
  • Febre
  • Distúrbios hemorrágicos
  • Hematomas roxos 
  • Conjuntivite 
  • Convulsão 
  • Uveíte

Diagnóstico e tratamento da erliquiose canina e felina

Como os sinais são bastante diversos e parecidos com os de outras enfermidades, o diagnóstico pode ser um pouco mais complicado. Por isso, estar atento ao comportamento canino é essencial para descobrir a doença precocemente e começar a agir. Para o diagnóstico, os exames clínicos, como o hemograma e de urina, são insuficientes para o resultado. Por isso, a forma mais confiável de diagnosticar o seu animal é por sorologia, PCR e esfregaços sanguíneos. 

O tratamento padrão para a doença é feito por meio da administração de antibióticos recomendados pelo médico veterinário. Além disso, como a erliquiose é uma doença que afeta todo o sistema imunológico do animal, é essencial oferecer uma alimentação balanceada para aumentar a imunidade do cachorro. Para evitar que o seu pet contraia a erliquiose, a melhor maneira é evitar que ele entre em contato com o carrapato transmissor. Por isso, é indicado que o animal use coleira antipulgas e tome remédios para pulgas.

A apatia é um sintoma comum da erliquiose e babesiose

Babesiose: como é esse tipo de doença do carrapato?

A babesiose canina é causada por um protozoário transmitido por carrapato e, por isso, também pode ser considerada uma doença do carrapato. Muito pouco relatada em gatos, ela é bastante comum entre os cachorros, mas não pode ser subestimada pelos tutores, já que sua manifestação no organismo do animal pode ser bem grave.

Ao entrar em contato com a corrente sanguínea do pet, o protozoário provoca uma infecção dos glóbulos vermelhos, células responsáveis pelo transporte de oxigênio, que pode levar o cachorro a um grave quadro de anemia. Os principais sintomas da babesiose são:

  • Letargia (Perda de consciência) 
  • Vômito
  • Febre
  • Palidez
  • Perda de peso
  • Anemia
  • Taquicardia
  • Icterícia (coloração amarelada nos olhos e pele)
  • Insuficiência renal 
  • Distúrbios neurológicos

Diagnóstico e tratamento da babesiose

O período de incubação, nome dado para o intervalo do primeiro contato com a doença até o início dos primeiros sintomas, pode ser de dias a semanas e, em alguns casos, podem demorar anos para aparecer. Como os sinais se assemelham bastante a outros problemas de saúde, é importante que o cachorro realize o diagnóstico diferencial para babesiose para alcançar o diagnóstico correto.  Há também outros  exames clínicos e testes de laboratório que detectam o antígeno, como o esfregaço sanguíneo. 

Se você está se perguntando como tratar a doença do carrapato do tipo babesiose, o uso de antibióticos é mais comum, mas pode ser que não seja suficiente. Isso porque como a doença pode evoluir para um quadro mais severo, em que será necessário a fluidoterapia e a transfusão sanguínea. Assim como a erliquiose, a melhor forma de prevenir essa doença é evitando o contato do animal com o carrapato, por meio de coleira e remédios para pulgas. Também é importante que o tutor saiba como limpar o ambiente em que seu pet vive.