Prevenção e tratamentos

O que é erliquiose? Saiba tudo sobre esse tipo de doença do carrapato

Publicado - 30 Abril 2021 - 17h58

Atualizado - 10 Maio 2024 - 15h09

Fabio Ramires / Médico veterinário

CRMV CRMV - RJ 14959

Formado em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Clínico geral de pequenos animais domésticos.

Juliana Melo / Repórter

Jornalista formada pela Facha (Faculdades Integradas Hélio Alonso). Sempre amei o universo pet e meu sonho sempre foi ter um cachorro ou gato, mas essa ainda é uma realidade um pouco distante pra mim. Me sinto um pouco Felícia perto dos bichinhos, e acho fantástico poder entender um pouco melhor o comportamento deles e ajudar tantos tutores por aí!

A oportunidade de entrar na equipe do Patas da Casa foi incrível, porque apesar de não ter um pet, sempre tive muita vontade de conhecer e compreender melhor esse universo. Hoje me sinto praticamente uma ‘expert’ em comportamento de cães e gatos e uma das maiores incentivadoras da adoção animal.

• Filme com animal preferido: “Sempre ao Seu Lado”
• Uma raça de cachorro: Dachshund
• Uma raça de gato: Maine Coon
• A curiosidade favorita sobre cachorros: A maneira como um cão se comporta depende principalmente da criação que ele recebe
• A curiosidade favorita sobre gatos: Os gatos enxergam os humanos como seus semelhantes (basicamente como se fôssemos gatos gigantes)
• Sobre o que mais gosta de escrever no universo pet: Comportamento animal
• Um aprendizado: Adotar um cachorro ou gato é uma das decisões mais bonitas que alguém pode tomar, mas que precisa ser feita com muita responsabilidade
• Nome de pet favorito: Bilbo

É praticamente impossível não se preocupar com a saúde do cachorro, principalmente quando eles ficam doentes. A erliquiose canina, que se enquadra na chamada doença do carrapato, é um problema mais comum do que se imagina e que pode afetar gravemente o organismo do animal. Embora seja mais frequente durante as estações mais quentes do ano, é importante redobrar a atenção com o cãozinho sempre que surgirem mudanças no seu comportamento que sejam indicativos da doença. Para tirar todas as dúvidas sobre a erliquiose ou erlichiose (sintomas, causas, tratamento e prevenção), entrevistamos o médico veterinário Fabio Ramires Veloso, de Nova Friburgo (RJ). Veja tudo que você precisa saber sobre o assunto abaixo!

A erliquiose é uma doença séria que precisa de atenção

Por trás da fofura de um cachorro existe um bichinho vulnerável a várias doenças perigosas, como a erliquiose. Mas do que se trata essa doença e quais são as causas desse quadro? O especialista explica: “A erliquiose monocítica canina (EMC), ou doença do carrapato, é uma patologia causada pela bactéria gram-negativa Erlichia canis da ordem Rickettsiales, que afeta os cães e outros membros da família Canidae, como lobos e raposas”.

Na prática, a doença tem o carrapato marrom como vetor, e a transmissão ocorre por meio de picadas que invadem a corrente sanguínea dos cães e parasitam diferentes células no corpo destes animais. No caso da erliquiose, as bactérias são as responsáveis pelo desenvolvimento do problema. Vale destacar ainda que o quadro pode afetar todos os cachorros, independentemente da raça, sexo e idade.

Imagem Quiz:Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

“Existem três estágios: assintomática (subclínica), aguda e crônica”, explica o médico veterinário. Cada um desses estágios, por sua vez, é caracterizado por diferentes sintomas (ou até a ausência deles, no caso da fase assintomática). Portanto, é importante ficar muito atento em como a doença se manifesta no organismo do seu amigo para entender em qual estágio ele se encontra.

Babésia e erlichiose: diferença entre os quadros vai além do nome

Para quem não sabe, a doença do carrapato pode se apresentar de diversas formas, sendo as mais comuns a erlichiose e a babesiose. Apesar da diferença entre os nomes, muitas pessoas ainda confundem os dois quadros, já que ambos são transmitidos pelo carrapato marrom. No entanto, o que realmente distingue uma da outra é a forma como cada uma age no organismo canino, que podem interferir, inclusive, nas manifestações clínicas das doenças. “A diferença principal é que a babésia é causada por um protozoário que infecta e destrói células vermelhas do sangue e a erliquiose é causada por uma bactéria que infecta e destrói as células brancas (monócitos e linfócitos)”, informa Fabio. 

 

Veterinário removendo carrapato da orelha de cão peludo amarelo com ferramenta
O vetor da erliquiose é o carrapato marrom

 

Erliquiose canina: sintomas variam de acordo com os estágios da doença

 

Quando se trata da erliquiose, sintomas são variáveis e vão depender do estágio em que o cãozinho se encontra. Para se ter uma ideia do panorama geral, o profissional esclarece: “A doença pode se manifestar de acordo com a fase da doença (subclínica, aguda ou crônica), com sintomas clássicos como febre, letargia, epistaxe (sangramento nasal) e petéquias (pequenas manchas vermelhas ou marrom espalhadas pelo corpo) até sintomas graves e inespecíficos como alterações articulares, uveíte e aqueles relacionados à hipoplasia medular, como mucosas pálidas e infecções secundárias recorrentes”.

Todo cuidado é pouco, e por isso é muito importante conhecer muito bem o seu amigo de quatro patas para identificar qualquer sinal de anormalidade. Quando o cachorro está na fase aguda da doença, o quadro clínico da erliquiose canina é caracterizado por letargia, perda de peso e anorexia.

“Já o quadro hemorrágico se manifesta na derme por petéquias, equimoses (manchas roxas) ou ambos. O sangramento mais frequente é a epistaxe, que é o sangramento nasal. Podem ocorrer ainda poliartrite e alterações neurológicas, como convulsões e ataxia (quando o paciente fica desorientado). Sinais oculares como uveíte e opacidade da córnea não são incomuns, podendo evoluir para cegueira”, alerta o especialista.

Como é feito o diagnóstico da erliquiose canina?

Embora alguns dos sintomas da erliquiose sejam comuns a outras doenças, não deixe de observar o comportamento do cachorro e procurar ajuda de um profissional assim que possível. Essa é a melhor forma de descobrir o que está acontecendo com o cãozinho e ajudá-lo a se recuperar, mas lembre-se de contar tudo direitinho para o veterinário. Quanto mais informação, melhor: “O diagnóstico da erliquiose canina constitui um desafio devido às diferentes fases de infecção e à variedade de manifestações clínicas. O conhecimento do comportamento do agente e da sensibilidade e especificidade de cada exame, bem como saber a fase de evolução clínica da doença, são importantes no momento de escolha do método diagnóstico”.

 

Pessoa buscando carrapato em pelo de cachorro grande, peludo e amarelo
Para evitar a erliquiose canina, é importante checar a pelagem do cachorro regularmente em busca de parasitas

 

Erliquiose canina: tratamento normalmente é feito com antibióticos

 

Com a confirmação do diagnóstico, chega a parte que mais preocupa os tutores, que é a hora do tratamento. Erlichiose canina, assim como outras doenças de cachorro, precisa ser tratada sempre com o auxílio de um profissional que seja qualificado para tal, e nunca por conta própria - ou isso pode acabar prejudicando ainda mais a saúde do animal. O médico veterinário vai analisar cada caso individualmente e indicar os medicamentos mais adequados, que normalmente são antibióticos e outros remédios que vão servir como terapia de suporte. A notícia boa é que, conforme o médico veterinário explica, é possível alcançar a cura com o tratamento correto, mas, em alguns casos, pode ocorrer a recidiva da doença. Por isso, fique sempre atento!

O controle de carrapatos é a melhor forma de prevenir a erliquiose

Infelizmente, não existe vacina contra a erliquiose, mas isso não quer dizer que não é possível adotar algumas medidas preventivas para cuidar da saúde do cachorro. Como a doença é transmitida pelo carrapato marrom, a recomendação é evitar áreas com infestações de carrapato e fazer o controle desses parasitas no ambiente em que o cãozinho vive, principalmente com o uso de inseticidas. “A melhor prevenção é o controle do seu vetor com uso de produtos carrapaticidas (como comprimidos ou coleiras antiparasitárias) e vale lembrar que é de suma importância o controle do ambiente visando a não infestação”, orienta o veterinário.

Além do mais, é sempre bom dar uma olhadinha nos pelos do cachorro para ter certeza de que não há pulgas nem carrapatos vivendo por ali (especialmente após os passeios ou viagens). Caso encontre alguma coisa, é importante remover os parasitas e observar se o seu cãozinho vai apresentar sintomas da doença.

Redação: Juliana Melo

Cachorro

Com ajuda do ChatGPT, mulher cria site para mostrar como os cachorros enxergam de verdade: testamos por aqui!

Você já se perguntou como os cachorros enxergam? Essa é uma dúvida comum entre muitas pessoas, sejam elas tutoras de um pet ou não. ...

Histórias reais

Vira-lata caramelo invade festa junina e faz participação especial na hora quadrilha

Não tem jeito: o vira-lata caramelo sempre dá um jeito de abrilhantar qualquer enredo. Se há algum tempo viralizaram histórias de ca...

Cachorro

Esses são os 6 sinais que seu cachorro te ama mais visíveis - e provam que você é a "casca de bala" dele e vice-versa

Frases para cachorro de amor podem revelar muito sobre os sentimentos humanos sobre os fortes vínculos que são criados com os pets. ...

Cuidados

Direitos dos animais em condomínios: advogada lista o que os condomínios podem proibir ou não sobre a presença de cães e gatos

Já ouviu falar nos direitos dos animais? Pois saiba que, assim como nós, os nossos pets também são protegidos pela lei. Existe a lei...

Comportamento

Aprenda a interpretar cada miado de gato: foi com essas dicas que consegui me aproximar mais ainda do meu pet

Mesmo que os gatos não saibam falar, a linguagem felina é muito rica e expressiva. Além da postura corporal, o miado de gato tem uma...

Saúde

O que acontece no corpo da gata no cio? Dos miados estridentes aos picos hormonais, veja todas as mudanças que ela enfrenta

Não precisa ser expert no universo felino para conseguir identificar uma gata no cio. Dos miados estridentes aos picos hormonais, o ...

Cachorro

Com ajuda do ChatGPT, mulher cria site para mostrar como os cachorros enxergam de verdade: testamos por aqui!

Você já se perguntou como os cachorros enxergam? Essa é uma dúvida comum entre muitas pessoas, sejam elas tutoras de um pet ou não. ...

Comportamento

"Amor de gato": foi assim que aprendi a interpretar as emoções do meu gatinho e percebi que sou o amor da vida dele

O amor de gato é um sentimento especial e gratificante que os bichanos demonstram por seus donos. Mas ao contrário dos cães, eles ex...

Ver todas