Vacina

Vacina para cachorro: quando o filhote pode tomar, quais as primeiras doses... Tudo sobre a prevenção!

Veja como a vacinação em dia é essencial para a saúde do seu cachorro
Veja como a vacinação em dia é essencial para a saúde do seu cachorro

Assim que adotamos ou compramos um filhote de cachorro - ou até mesmo um animal mais velho -, precisamos saber o histórico de vacinas. Os pequeninos podem ainda não ter recebido a primeira vacina do cachorro. Já os maiores podem ter tomado algumas doses. “A partir dos 45 dias de vida, após a vermifugação, os filhotes de cães devem ser vacinados. Normalmente são feitas a Óctupla ou Déctupla Canina”, explica a veterinária Jackeline Moraes Ribeiro, do Rio de Janeiro.

Seja qual for o caso do seu pet, é importante iniciar a vacinação do cachorro assim que possível, dar as doses seguintes ou o reforço e tomar o máximo de cuidado com as datas indicadas pelo veterinário. Muitos donos não sabem mas, apesar de não ser muito grave, tem problema - sim - em atrasar a vacina do cachorro.

Diversas doenças graves e que podem causar a morte do seu cachorro podem ser evitadas seguindo o cronograma de profilaxia correto. Os exemplos mais comuns são as vacinas de cinomose e de raiva. Vacina de Leishmaniose, apesar de não ser muito comum, também pode ser dada ao seu cachorro caso seja indicada pelo veterinário.

Assim como acontece com os bebês, os cachorros recebem uma carteira de vacinação para controle do veterinário e dos próprios donos. Abaixo, a veterinária também vai esclarecer algumas dúvidas sobre os principais tipos de vacina e para que servem, o que previnem, quais os riscos de não vacinar o cachorro, etc.

Patas da Casa: Qual é a primeira vacina do cachorro?

Jackeline: A partir dos 45 dias de vida, após a vermifugação, os filhotes de cães devem receber as primeiras vacinas. Normalmente são feitas a Óctupla ou Déctupla Canina. No período de 21 a 30 dias após é feita a segunda dose da mesma e 21 a 30 dias após a segunda dose é feita a terceira dose de reforço. Com 4 meses é feita a vacina contra Raiva.

Um ano após a fase inicial das vacinas, quando animal já completou um ano de idade, iniciando assim a fase adulta, é importante que as vacinas sejam feitas anualmente. Sempre uma dose da vacina Óctupla ou Déctupla Canina e uma dose da vacina contra Raiva.

PC: Quais doenças as vacinas para cães previnem?

Jackeline: A Óctupla Canina previne o cão contra 8 doenças: Cinomose, Parvovirose, Leptospirose (2 subtipos: Leptospira canicola e Leptospira icterohaemorrhagiae), Hepatite infecciosa, Coronavírus, Parainfluenza e adenovírus tipo 2.

Déctupla Canina previne Cinomose, Parvovirose, Coronavirose, Hepatite Infecciosa Canina, Adenovirose, Parainfluenza Canina, Leptospirose 4 subtipos: Leptospira canicola, Leptospira icterohaemorrhagiae, Leptospira grippotyphosa e Leptospira pomona, que não são muito comuns no Brasil.

Já a Raiva é uma das doenças mais conhecidas e, como não tem cura, a vacinação é extremamente importante. É uma doença viral aguda que acomete os mamíferos, inclusive o homem, caracterizando-se por uma encefalite progressiva. É de extrema importância devido sua letalidade é de contaminação dentro do ciclo urbano, sendo uma zoonose. Alterações de comportamento, falta de apetite, incômodo com luz forte e automutilação são alguns sintomas mais comuns. Além de ser transmissível para o ser humano, ela pode levar seu animal a ser sacrificado. A primeira dose é dada a partir dos 4 meses e deve ser reforçada anualmente.

PC: A cinomose também é uma doença que gera muitas dúvidas. Pode nos falar um pouco sobre ela?

Faça o quiz e descubra se você tem alergia a gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

question quiz stamp

Como você fica ao chegar na casa de um amigo que tem um gato?

Question Header Background
question quiz stamp

O que acontece quando se aproxima de gatinhos na rua ou em feiras de adoção?

Question Header Background
question quiz stamp

As crises alérgicas costumam acontecer:

Question Header Background
question quiz stamp

O que acontece quando você fica perto de alguém que está com a roupa cheia de pelos de gato?

Question Header Background
question quiz stamp

Como seu corpo reage ao entrar em contato com um filhotinho de gato na rua?

Question Header Background
question quiz stamp

Quais são os seus sintomas mais comuns durante uma crise alérgica?

Question Header Background
question quiz stamp

O que você faz para melhorar um quadro de alergia?

Question Header Background

É bem provável que você tenha alergia a gatos e precise consultar um especialista As crises alérgicas fazem parte da sua rotina, mas será que é por causa dos gatos? Passe livre para ter um gatinho: você não tem alergia aos bichanos!
    Saiba tudo sobre a rotina de vacinação de um filhote de cachorro
    Saiba tudo sobre a rotina de vacinação de um filhote de cachorro

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    Jackeline: a cinomose é uma doença infectocontagiosa, que afeta só os cães entre os animais domésticos e os canídeos silvestres. É causada pelo vírus Cinegaglia Lentz  ou Corpúsculo de Lentz que sobrevive por muito tempo em ambiente seco e frio, e menos de um mês em local quente e úmido; muito sensível ao calor, luz solar e desinfetantes comuns. Não tem predisposição entre sexo, raça, idade, nem época do ano. É mais comum em animais jovens, mas os idosos também podem ser infectados caso não sejam vacinados. A  principal fonte de infecção e transmissão é a direta, por secreções do nariz e boca de animais infectados, tosse e espirros. 

    A contaminação também pode acontecer pela água, alimentos e objetos contaminados por secreções de cães doentes. Após o animal ser infectado, ocorre o período de incubação do vírus - período em que o vírus entra no corpo e o corpo começa a manifestar os sintomas da doença - que pode durar entre 3 a 6 dias , ou até 15 dias. O cachorro pode apresentar febre de até 41ºC, perder o apetite, apresentar corrimento ocular e nasal, conjuntivites, dificuldade respiratória e pneumonia. Também pode haver sintomas digestivos, como diarréia e vômito, ou neurológicos como convulsões, ataxia, paralisia de posteriores, etc. 

    É uma doença de difícil tratamento, dependendo quase exclusivamente do cão, e de sua capacidade de ter uma resposta imunológica que consiga derrotar o vírus. Nós, veterinários, podemos ajudar receitando medicamentos que eliminem os sintomas e aumentem a imunidade do cachorro para superar o vírus. 

    A evolução da doença é imprevisível e não podemos garantir que o animal sobreviva. O quadro da doença depende do sistema imune do cão e da resposta às medicações. A melhor solução é a prevenção, vacinando o animal corretamente, uma vez ao ano. Lembro que não é aconselhável vacinar um animal suspeito de ter a doença. Nesses casos, a vacina pode baixar a imunidade do animal e ele vir a desenvolver a doença. 

    PC: Existem vacinas que não são obrigatórias como a de Leishmaniose, Giardíase e Traqueobronquite infecciosa Canina. Como elas podem ajudar na saúde do cão? 

    Jackeline: Sim, existem a vacina contra Leishmaniose, Giardíase e Traqueobronquite infecciosa Canina. A giardíase é uma doença causada pelo protozoário Giardia lamblia, é uma doença entérica que acomete animais domésticos, silvestres e humanos sendo considerada uma zoonose. Os animais são infectados através da ingestão de cistos de Giardia, eliminados pelas fezes de animais que apresentam o protozoário, e que contaminam o ambiente, a água e alimentos. Estes cistos são resistentes no ambiente e a maioria dos desinfetantes, fazendo com que estabeleça uma alta taxa de reinfecção. 

    A infecção por Giardia é oriunda dos grandes centros urbanos e apresenta altos índices de contaminação em todo o mundo. Pode causar sinais clínicos desde moderado a severo em animais imunossuprimidos, jovens e desnutridos. Pode também se apresentar de forma assintomática em animais adultos, o que acaba sendo perigoso para os outros animais que moram no mesmo ambiente. 

    A traqueobronquite infecciosa Canina, também é conhecida como tosse dos cachorros. Esta é uma doença sazonal que ocorre com mais frequência nos meses frios e secos, mas pode afetar os cães durante o ano inteiro. A transmissão mais comum é através do contato direto entre os cães, seja pelo ar ou pelas secreções respiratórias. Também pode acontecer através do contato indireto, como permanecendo nos mesmos locais que animais infectados. Filhotes e animais com baixa imunidade têm maior predisposição para contrair a doença. A aglomeração de cães em contato direto e sem vacinação também é um risco para contrair a doença.

    Já a Leishmaniose é transmitida através do mosquito palha e o tipo mais comum é a leishmaniose cutânea. Os sintomas mais comuns são lesões nodulares, ulceradas e com crostas que podem atingir que podem ser no nariz, orelhas, pálpebras além de causar queda de pelos. Para o diagnóstico correto, é preciso realizar uma biópsia das lesões ou do fígado e/ou sorologia. A vacinação é muito importante porque o tratamento elimina os sinais clínicos, mas não cura a doença e o cachorro pode continuar como portador do parasita.  

     Vacina de Dirofilariose (ou verme do coração)

    O Patas da Casa lembra que também existe vacina para prevenir o verme do coração. Uma doença grave e, que se não for tratada a tempo, pode causar a morte do seu cachorro. É mais comum em cidades litorâneas e durante as épocas mais quentes do ano. Os sintomas são identificados conforme a doença avança e os mais comuns são: 

    •  Tosse crônica;
    • Apatia;

    • Fraqueza;

    • Respiração acelerada e curta;

    • Perda de peso.

    Como é uma doença transmitida através do mosquito, a prevenção, além da vacina, pode ser feita com o uso de repelentes específicos e até mesmo com remédios e coleira antipulgas. 

     PC: Tem problema atrasar a vacina do cachorro?

    Manter a caderneta de vacinação sempre atualizada é importante para a longevidade do cachorro
    Manter a caderneta de vacinação sempre atualizada é importante para a longevidade do cachorro

    Jackeline: Atrasar a vacina é, sim, um problema. A imunização completa deve ser sempre dentro do período recomendado, já que o atraso deixa o animal exposto e suscetível a contrair vírus e bactérias. Se por algum motivo atrasou, assim que puder, regularize essa vacinação. A prevenção é sempre fundamental e, se for possível, sempre tente vaciná-los na data correta.

    Vacina para cachorros: preço e outros custos 

    A vacinação de cachorro é um ato de amor ao seu animal por prevenir inúmeras doenças graves e fatais. Além disso, é um investimento já que os custos do tratamento podem ser bem mais altos do que os da vacinação. 

    As vacinas para cachorro custam a partir de R$60 a antirrábica e podem chegar a custar R$120 a V8, por exemplo. A diferença de preços acontece pelo tipo de vacina, região e custo de aplicação. 

    Para economizar, você pode procurar se na sua cidade existem mutirões de vacinação oferecidos pelos centros de zoonose ou pela Suipa. Dessa forma, você consegue vacinar gratuitamente seu animal contra raiva, por exemplo. 

     

    Bexiga do gato: tudo que você precisa saber sobre o trato urinário inferior dos felinos

    Próxima matéria

    Bexiga do gato: tudo que você precisa saber sobre o trato urinário inferior dos felinos

    Cane Corso: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro gigante de origem italiana
    Grandes

    Cane Corso: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro gigante de origem italiana

    Um dos cãezinhos mais surpreendentes é o Cane Corso. Embora ele não seja tão popular quanto outras raças de cachorro grande, como o Labrador e o Golden Retriever, o Cane Corso é dono de um enorme coração e tem uma personalidade incrível. Algumas pessoas podem até se intimidar com o tamanho e a postura imponente do doguinho, mas só quem convive com um Cane Corso sabe como estes cães são adoráveis e carinhosos.

    Bichon Frisé: tudo sobre a raça de cachorro pequeno (+ galeria com 50 fotos)
    Pequenos

    Bichon Frisé: tudo sobre a raça de cachorro pequeno (+ galeria com 50 fotos)

    Dentre tantas raças de cachorro que existem pelo mundo, uma que certamente merece destaque é o Bichon Frisé. Esse pequeno cãozinho já é capaz de conquistar vários admiradores só por causa da sua aparência fofinha e felpuda, mas não é só isso que chama a atenção na raça: o cachorro Bichon Frisé também é super carismático e afetuoso. Por isso, é bem difícil não se apaixonar por ele. 

    Tudo sobre o cachorro Boxer: origem, personalidade, saúde, características físicas e cuidados
    Grandes

    Tudo sobre o cachorro Boxer: origem, personalidade, saúde, características físicas e cuidados

    Se você sempre sonhou em ter um cachorro grande dentro de casa, a raça Boxer certamente é uma opção que não vai te decepcionar. Por trás da aparência robusta e que pode ser considerada até um pouco intimidante para alguns, existe um cãozinho companheiro e com muito amor para oferecer aos seus humanos. Conheça um pouco mais sobre o comportamento da raça, cuidados com a saúde e quanto custa um cachorro Boxer.

    Saúde do filhote de cachorro: tudo sobre as primeiras consultas no veterinário, vacinas e cuidados
    Vacina

    Saúde do filhote de cachorro: tudo sobre as primeiras consultas no veterinário, vacinas e cuidados

    Uma das principais tarefas que todo pai de pet precisa fazer é se tornar quase especialista em saúde animal. Vacinas, doenças mais comuns, alimentação e outros cuidados preventivos devem estar na ponta da língua para evitar que o cãozinho (ou gato) fique doente. Esse cuidado precisa ser redobrado com os filhotes de cachorro. Os cãezinhos precisam ser acompanhados de perto, já que ainda estão em desenvolvimento e são mais frágeis. 

    Ver Todas >

    Síndrome de Wobbler: entenda mais sobre a doença que afeta raças de cachorros grandes
    Saúde animal

    Síndrome de Wobbler: entenda mais sobre a doença que afeta raças de cachorros grandes

    A síndrome de wobbler é uma doença que afeta principalmente raças de cachorro de grande porte. Ela atinge as vértebras e a medula espinhal do cachorro, desencadeando problemas neurológicos e de locomoção. O tratamento precisa ser o mais rápido possível, pois a síndrome de wobbler pode avançar para estágios mais graves e trazer consequências sérias ao animal. .

    Veja 5 fatos sobre a cadela no cio que você precisa saber
    Saúde animal

    Veja 5 fatos sobre a cadela no cio que você precisa saber

    A cadela no cio pode ser um momento delicado tanto para o tutor como para o pet. O período acaba gerando muitas curiosidades e dúvidas como: “com quantos meses a cadela entra no cio?” ou “de quanto em quanto tempo a cadela entra no cio?”. Saber as respostas para todos esses questionamentos vai ajudar o tutor do cachorro a lidar com o período. 

    Tumor venéreo transmissível: 5 coisas que você precisa entender sobre o TVT
    Saúde animal

    Tumor venéreo transmissível: 5 coisas que você precisa entender sobre o TVT

    O tumor venéreo transmissível, que também é chamado de TVT, tumor de Sticker ou sarcoma infeccioso, é uma neoplasia pouco conhecida pelos pais de pets. Esse problema de saúde costuma ser mais comum em animais abandonados, mas nada impede que cachorros que vivam em apartamento sejam infectados pela doença venérea. O TVT em cães é grave e fácil de ser transmitido.

    Bronquite em gatos: 5 sinais da doença respiratória que atinge os felinos
    Saúde animal

    Bronquite em gatos: 5 sinais da doença respiratória que atinge os felinos

    Muitas podem ser as causas de um gato tossindo, desde uma bola de pelo presa na garganta até uma alergia a alguma substância que ele teve contato. Porém, na maioria dos casos, o gato com tosse é sinal de problema respiratório - que pode ser leve, como uma gripe simples, ou grave, como uma pneumonia. Dentre as doenças respiratórias que mais acometem os bichanos, a bronquite felina é uma das que precisam de mais atenção. 

    Ver Todas >