Uma das doenças virais de cachorro mais sérias e comuns que existem, a parvovirose atinge, principalmente, animais que não foram imunizados contra este e outros vírus. Entre os principais sintomas da parvovirose, o vômito, a diarreia com sangue, e a desidratação podem ser destacados, ou seja: mesmo que o diagnóstico chegue bem cedo, o tratamento deve começar o quanto antes, já que a parvovirose pode ser fatal. Para esclarecer todas dúvidas sobre a parvovirose canina, nós conversamos com a veterinária Jackeline Ribeiro. Dá uma olhada no que ela contou! 

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

Patas da Casa: O que é a parvovirose canina?

Jackeline Ribeiro: “A parvovirose canina é uma doença causada por um vírus chamado parvovírus canino. Ela é altamente contagiosa e o vírus é muito resistente. Por isso, uma vez que o animal é contaminado e libera o vírus no ambiente, o parvovírus consegue ficar até anos por ali sem sofrer nenhuma alteração”. 

PC: Quais são os principais sintomas da parvovirose?

JR: “A doença vai envolver, em grande parte, sintomas gastrointestinais. A diarreia escura, com sangue, vômito e a desidratação são os principais deles. Quando não tratadas, a desidratação com a diarreia podem causar, até mesmo, a morte do animal”.

Além desses sintomas principais, o cachorro com parvovirose também pode ter febre, taquicardia, perda de apetite, apatia e palidez na gengiva e na parte interna das pálpebras. 

PC: Como a parvovirose é diagnosticada?

JR: “Pra realizar o diagnóstico de parvovirose, na maioria das vezes, basta a sintomatologia clínica: um filhotinho que não foi vacinado ou ainda não recebeu as três doses, teve contato com outros cachorros e está com diarreia e vômito geralmente está com parvovirose. Além disso, o veterinário também pode pedir exames de sangue para confirmar”.

 

 

A vacinação é a principal forma de prevenir a parvovirose

A vacinação é a principal forma de prevenir a parvovirose

 

 

PC: Depois do diagnóstico, como funciona o tratamento da parvovirose canina?

 

JR: “Dependendo do estado do animal, o melhor é deixar ele internado para tomar soro na veia e medicações intravenosas. Como ele vai estar vomitando, o tratamento na veia acaba sendo mais eficaz. O tempo de internação varia de animal para animal, mas geralmente o mínimo é de 72 horas ou até o animal estar se alimentando e bebendo água sozinho. Existem outras formas de ajudar o animal com parvovirose: tratamento com fluidoterapia, antibióticos, protetores gástricos e analgésicos, por exemplo, servem de suporte à internação. Depois que ele vai pra casa, o tratamento é continuado com remédios via oral”.  

PC: A parvovirose tem cura?

JR: “Os sintomas da parvovirose são tratados e podem ser controlados durante o período de internação e, depois, com os medicamentos em casa. Contra o vírus em si não existe cura, então você nunca tem como garantir que o animal que já adquiriu a doença vai se recuperar completamente”.

PC: Qual é a melhor forma de prevenir a parvovirose? 

JR: “A melhor forma de prevenir a parvovirose é a vacinação. Quando o cachorro ainda é filhote, ele tem que tomar as três doses da V8 ou V10 (a primeira aos 45 dias de vida e as outras com um intervalo de um mês entre cada) e, depois disso, repetir a vacinação anualmente”.

As vantagens da vacina: “Parvovirose não é a única doença que a vacina vai prevenir. Além dela, a cinomose, a coronovirose e a leptospirose também são evitadas. A vacinação é importante porque você impede que o cachorro pegue doenças que, às vezes, não têm cura e causam sequelas graves. Além da V8 e da V10, existe a vacinação contra raiva, que é uma zoonose, então é obrigatória e existem, também, vacinas coadjuvantes, que são importantes, mesmo que não obrigatórias, como a da giárdia e a da gripe canina”. 

Redação: Ariel Cristina Borges