A saúde do cachorro depende de muitos cuidados com o corpo do animal - inclusive com as suas patinhas! São elas que dão todo o suporte necessário para que o cãozinho possa correr, brincar e pular, do jeitinho que eles gostam. Muitos tutores não dão a devida atenção à pata de cachorro, e isso pode acabar desencadeando uma série de problemas na região, que trazem muito desconforto para o animal.

Quem seria o seu cachorro se ele participasse de um filme de super-heróis?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

Quer saber mais sobre anatomia, pata, cachorro? Reunimos aqui tudo o que você precisa saber sobre essa parte do corpo dos cães: desde cuidados e doenças que podem atingir o local, até curiosidades e truques básicos (como ensinar o cachorro a dar a pata, por exemplo). Confira!

Entenda como é a anatomia da pata de cachorro

  • Unhas: a unha de cachorro funciona como um espécie de “garra” do animal, já que ele também pode utilizar essa região do corpo como mecanismo de defesa e/ou ataque. É uma área que precisa ser muito bem cuidada e que deve ser cortada regularmente para evitar que o animal fira a si mesmo ou outras pessoas sem querer.

  • Almofadas (coxins) digitais: essa parte corresponde aos “dedos” dos cachorros, sendo a parte mais macia localizada nas extremidades da pata. Os coxins ajudam a reduzir o impacto e funcionam como uma espécie de amortecedor.


  • Almofada (coxins) do metacarpo: composta basicamente de gordura, é a região que corresponde à palma da mão. Devido a grande quantidade de gordura presente, o cãozinho consegue pisar em terrenos frios sem nenhum problema, mas é preciso ficar atento a solos com a temperatura muito quente, pois isso pode acabar causando desconforto ao animal.


  • Almofadas (coxins) do carpo: essas almofadinhas ficam localizadas nas patas de cachorro dianteiras, atuando como uma espécie de “freio” e evitando que o bichinho escorregue.


  • Ergôs: conhecido também como o “quinto dedo” do cachorro, o ergô é considerado um dedo interno e que possui uma função semelhante ao do polegar humano. Ou seja, é com ele que o cãozinho consegue segurar a comida e outros objetos.

Pata: cachorro precisa de cuidados especiais com essa parte do corpo

A pata de cachorro é naturalmente mais resistente, já que as almofadinhas são mais ásperas e grossas. Ainda assim, é de extrema importância ter bastante cuidado com essa região do corpo do animal para evitar problemas e doenças. Por isso, o tutor deve sempre se atentar a questões como a higiene e a tosa dos pelos que ficam próximos das almofadinhas na pata do cão.

Os pelos precisam ser cortados nessa região para evitar o surgimento de parasitas (como os carrapatos) e bactérias, que podem desencadear problemas na pata do seu amigo. Além disso, a pelagem longa nessa área pode deixar as patas mais escorregadias. 

Outro cuidado muito importante é não passear com cachorro quando o sol estiver muito forte, pois a alta temperatura do asfalto pode acabar queimando e machucando a pata. Cachorro pode não demonstrar, mas é muito incômodo. Prefira sempre o início da manhã, entre 6h e 10h, ou no final da tarde, após 16h, quando o sol está menos agressivo. Depois do passeio, não esqueça de limpar a patinha de cachorro com um pano limpo e úmido ou com lenços umedecidos indicados para pets.

Unha de cachorro: como fazer a higiene do local?

Assim como os humanos, é indicado cortar as unhas do cachorro e o pet pode sofrer com a unha encravada. Além disso, se elas ficarem muito compridas podem acabar ferindo o animal ou arranhando outras pessoas sem querer. O tamanho da unha de cachorro também é um fator que influencia  na maneira como o animal anda, já que elas podem acabar atrapalhando-o.

Mas afinal, como saber qual é a quantidade de unha que precisa ser cortada? Nos cãezinhos que tem a unha mais clara, o ideal é cortar somente a área mais transparente da unha. Já para cortar a unha preta de cachorro, o tutor deve aparar a região aos poucos até chegar a curvatura.

Vale lembrar que em hipótese nenhuma deve-se cortar o sabugo. Isso pode trazer muita dor ao animal e sangramento. Para fazer o corte, você precisa de uma tesoura específica para pets. Se você estiver inseguro, o melhor é levar o seu cachorro a um veterinário ou pet shop para que alguém com experiência faça o procedimento.

 

Patas de cachorroVeterinária enfaixando a pata de cachorro filhotePessoa segurando a pata de cachorroPessoa cortando as unhas de cachorroPessoa limpando a pata de cachorro Bulldog

 

Pata de cachorro machucada: o que fazer nesses casos?

Alguns dos problemas mais comuns que podem acometer as patas de cachorro são contusões, luxações e até mesmo fraturas. A contusão pode ocorrer, por exemplo, quando o cãozinho bate com a pata sem querer em algum lugar e o músculo acaba inchando e formando um hematoma. É uma situação que costuma melhorar após um tempo, sem a necessidade de intervenções. No entanto, se o bichinho demonstrar estar sentindo muita dor, levá-lo ao veterinário é a melhor solução. Assim, o médico pode verificar se alguma medida deve ser tomada.

A luxação, por sua vez, afeta diretamente a articulação das patas do cachorro, fazendo com que o osso mude de lugar. Muitas vezes é uma situação bem perceptível e que provoca muita dor no animal, sendo primordial levar o pet ao veterinário para buscar o melhor tratamento. Em alguns casos, a cirurgia pode ser necessária. 

Já quando a pata de cachorro sofre algum tipo de fratura, quase sempre a cirurgia é a melhor alternativa. Isso porque, como o osso foi quebrado, o procedimento cirúrgico costuma ser muito mais eficaz do que a utilização de talas, por exemplo. Mas lembre-se: sempre busque a opinião de um especialista no assunto para saber qual é a atitude necessária para cuidar das patas. Cão sempre precisa ser avaliado por um profissional.

Pata de cachorro: veja outros problemas que podem afetar a região

  • Alergias: o contato com certas substâncias, como o pólen, podem desencadear uma crise alérgica na pele do animal. Por isso, sempre fique de olho no que rodeia o seu amigo para ele não correr o risco de ter alguma alergia na patinha de cachorro.

  • Queimaduras: as queimaduras são comuns, e elas normalmente são originadas devido ao contato com o solo muito quente. Para evitá-las, o mais recomendado é passear com o cachorro nos horários em que o sol não estiver tão forte.


  • Ressecamento da pele: com a queda da temperatura, a pata de cachorro pode acabar ficando ressecada, assim como a sua pele no geral. Por isso, existem cremes hidratantes para patas de cachorro que são específicos para esses animais e ajudam a contornar a situação. Converse com um veterinário.


  • Parasitas: geralmente, o surgimento de parasitas na região da pata de cachorro está atrelado aos pelos que ficam em volta das almofadinhas - por isso eles devem ser cortados regularmente. Pulgas, carrapatos e ácaros são os parasitas mais comuns. Caso o tutor perceba a presença de algum deles no corpo do animal, é fundamental tomar medidas para acabar com o problema - como o uso de remédios para carrapato e pulgas.


  • Problemas psicológicos: situações de estresse ou ansiedade em excesso podem fazer com que o cachorro crie o hábito de morder ou lamber a própria pata como forma de “alívio”. Isso pode acabar provocando machucados na região. Esteja sempre atento ao comportamento do seu bichinho para evitar que isso aconteça! Caso se depare com um cachorro lambendo a pata sem parar, procure um veterinário.

Curiosidades sobre a pata de cachorro que você provavelmente não sabia

  1. É possível saber o tamanho do cachorro filhote pela pata. Para descobrir isso, basta analisar a região. Se ela for desproporcional e maior do que o resto do seu corpo, isso quer dizer que ele ainda vai crescer bastante. Já se a pata de cachorro for menorzinha, o porte dele será pequeno.
  2. Os cães têm cerca de 319 ossos no total, mas a maioria deles fazem parte exclusivamente das patinhas do animal. Quem diria que uma região tão pequena tem tanto osso, né?
  3. Já se perguntou quantos dedos tem um cachorro? Pois esses animais têm cinco dedos em cada uma das patas dianteiras, e quatro dedos nas patas traseiras. Em alguns casos, o "pé de cachorro" - ou seja, as patas traseiras - pode ter cinco dedos. 
  4. Depois de um passeio, experimente fazer uma massagem na pata de cachorro. Isso ajuda o animal a relaxar e aliviar as tensões - e pode até deixá-lo mais calmo. Não insista se ele não gostar do carinho, ok?!
  5. Os ergôs, chamados de “quinto dedo” dos cães, são bastante úteis quando o animal quer “agarrar” um objeto - seja para brincar ou para comer. Eles não fazem muita diferença na hora de amortecer ou de absorver impactos, como as almofadinhas.
  6. Os ossos da pata do cachorro são fundamentais para o seu suporte, já que o animal costuma se apoiar principalmente nos dedos, e não no calcanhar.
  7. O cheirinho desagradável que costuma acompanhar a pata de cachorro é causado por bactérias e fungos da região, mas que não trazem malefícios ao animal. É por isso que o cheiro de "chulé" dos cães é tão comum.

Publicado originalmente em: 09/04/2020 

Atualizado em: 04/04/2024