Saúde

"Doença do Gato": veterinária desbanca os mitos sobre a toxoplasmose

"Doença do gato": ao contrário do que muita gente acha, a toxoplasmose não é transmitida ao tocar ou acariciar um gatinho, mas sim pelo contato direto com as fezes contaminadas dos felinos. Desvendamos alguns mitos sobre a doença!
"Doença do gato": ao contrário do que muita gente acha, a toxoplasmose não é transmitida ao tocar ou acariciar um gatinho, mas sim pelo contato direto com as fezes contaminadas dos felinos. Desvendamos alguns mitos sobre a doença!

Você já ouviu falar por aí sobre a 'doença do gato'? A toxoplasmose é muito associada com a transmissão para humanos, mas esse é o primeiro mito em relação à doença. Na verdade, a toxoplasmose vem do parasita Toxoplasma gondii, que se hospeda nos gatinhos quando ele ingere fezes, carne crua contaminada ou via placentária. Por isso, a contaminação ocorre pelo contato direto com as fezes do felino. Para simplificar: você só pode pegar a toxoplasmose de um gatinho se ingerir o cocô dele. Portanto, é recomendado lavar bem os alimentos (isso inclusive previne outras doenças humanas bem graves) e higienizar as mãos depois de manipular a caixa de areia de gato.

Por que 'doença do gato'?

Nós conversamos com a veterinária Monike Soares, do Rio de Janeiro, para desmistificar algumas dúvidas sobre essa doença. Talvez, um dos grandes motivos da toxoplasmose ser negativamente associada aos felinos é o termo ‘doença do gato’. "O gato é o único indivíduo onde o parasita realiza sua reprodução sexuada gerando a produção de oocistos, que são a forma infectante. Eles são eliminados nas fezes e, assim, vão infectar outros hospedeiros", explica a Monike.

Doença do gato tem cura? 

A doença do gato tem cura! Ao contrário do que muita gente pensa, a toxoplasmose não é uma doença que leva a óbito. Na verdade, ela se fortalece na queda do sistema imunológico do animal. Então, em casos onde o sistema imunológico já está enfraquecido, a doença consegue se estabelecer com mais força. Mas, é raro que os gatos infectados manifestem a doença. Os gatos imunossuprimidos, que tem um sistema imunológico baixo, acabam sentindo mais esses efeitos, ocasionando problemas neurológicos, problemas oculares, pancreatite e hepatite. Existem tratamentos efetivos para a doença e o animal vai responder melhor se, em paralelo, não há nenhuma outra condição que pode comprometer a sua saúde. 

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

Depois do expediente de trabalho na sexta, o que você gosta de fazer?

Como seria o seu domingo perfeito?

Como você fica em um dia de chuva?

Como seria a viagem ideal nas férias?

Como você costuma encontrar os amigos?

Qual o seu tipo de exercício favorito?

Como é a sua rotina matinal?

Como é a sua agenda no fim de semana?

Schnauzer e Shih Tzu são raças mais independentes Golden Retriever e Yorkshire gostam de companhia Border Collie e Jack Russell Terrier são aventureiros
    Doença do gato: é importante manter a caixa de areia de gatos sempre limpa!
    Doença do gato: é importante manter a caixa de areia de gatos sempre limpa!

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    Doença do gato: sintomas são essenciais para o diagnóstico!

    A veterinária Monike explica que os sinais clínicos nos gatinhos são determinados de acordo com os órgãos afetados pelo parasita. O diagnóstico é feito pelo exame de sangue. “Geralmente, os sintomas incluem depressão, anorexia, febre seguida de hipotermia, efusão peritoneal, icterícia, dificuldade em respirar e, em casos mais severos, até mesmo encefalites.” Além disso, o gatinho também pode apresentar infecções respiratórias e gastrointestinais. Em caso de suspeitas da doença, leve o seu gato ao veterinário imediatamente.

    Doença do gato: felinos sem acesso à rua não oferecem perigos

    Há muitos motivos para manter um gato em ambientes internos e seguros, um deles é a baixa chance do bichano ser contaminado pelo parasita da toxoplasmose. “Gatos domésticos, que são mantidos no interior de residências com o mínimo de contato com o meio externo, dificilmente se contaminam para que possam se tornar um risco para seus tutores”, conta Monike. Uma alimentação controlada também é um fator de prevenção da doença.

    Agora, se o seu gatinho é criado mais ao ar livre, fique de olho para que ele não se alimente sem supervisão. Outra dica é não dar carne crua, nem mesmo frango. Se optar pela alimentação natural para seu gato, certifique-se de cozinhar bem os alimentos para erradicar todas as bactérias.

    Doença do gato tem cura! E o mais importante, você não precisa se desfazer do gatinho. Grávidas e crianças podem conviver normalmente com felinos infectados, mas é importante que não tenham nenhum contato com as fezes do animal.
    Doença do gato tem cura! E o mais importante, você não precisa se desfazer do gatinho. Grávidas e crianças podem conviver normalmente com felinos infectados, mas é importante que não tenham nenhum contato com as fezes do animal.

    Você pode conviver com um gato com toxoplasmose e não ser contaminado!

    O principal de tudo quando falamos da doença do gato é que você não precisa se desfazer do seu bichinho depois do diagnóstico! Inclusive, grávidas e recém-nascidos podem tranquilamente conviver com os gatinhos na mesma casa - já que a contaminação ocorre pelo contato direto com as fezes e não com o animal em si. Nesse caso, as gestantes devem pedir que outra pessoa faça a limpeza da caixa de areia do bichano. 

    Como prevenir a doença do gato?

    Além de manter o seu gatinho dentro de casa, é muito importante manter uma rotina de limpeza diária das caixinhas de areia para evitar que as fezes fiquem em contato com o ambiente por mais de três dias. Na hora do descarte, use um saco plástico bem fechado ou jogue diretamente na privada, com o uso de uma pá. 

    De forma geral, humanos também precisam se prevenir sobre a doença, e as dicas são pontuais: não comer carne mal passada, ter atenção com água e outros líquidos que possam estar contaminados, higienizar as mãos após mexer na terra ou em resíduos dos gatos e manter o ambiente sempre limpo, evitando moscas e baratas, que podem contaminar alimentos com ovos do parasita. 

    Redação: Júlia Cruz

    Cachorro estressado: 8 sinais de que o estresse está afetando a saúde do pet

    Próxima matéria

    Cachorro estressado: 8 sinais de que o estresse está afetando a saúde do pet

    Gato Azul Russo: saiba tudo sobre a raça
    Raças

    Gato Azul Russo: saiba tudo sobre a raça

    Com uma pelagem cinza, o gato Azul Russo - também conhecido como Russian Blue - é dono de uma beleza inconfundível e capaz de conquistar facilmente o coração de qualquer pessoa com sua personalidade doce e calma. A raça é originária da Rússia e considerada bastante rara, mas ainda assim muitas pessoas ao redor do mundo se fascinam pelo Azul Russo e não hesitam em procurar um bichano para chamar de seu. 

    Reiki veterinário: como essa terapia holística pode ajudar os cães e gatos?
    Saúde

    Reiki veterinário: como essa terapia holística pode ajudar os cães e gatos?

    O reiki é uma terapia holística muito comum entre os humanos, mas você sabia que o seu pet também pode aproveitar os benefícios desse tratamento? O reiki veterinário é uma técnica de cura pelas mãos que busca alinhar os centros de energia do corpo - chamados de chakras -, promovendo o equilíbrio energético do corpo e melhorando a saúde física, mental e espiritual do animal. Que tal entender como o reiki pode ajudar na hora de cuidar de cachorro e até a melhorar o comportamento do gato? Vem que a gente te explica tudo que você precisa saber sobre o assunto!

    Giárdia em gatos: entenda mais sobre a doença, os sintomas mais comuns e como prevenir
    Saúde

    Giárdia em gatos: entenda mais sobre a doença, os sintomas mais comuns e como prevenir

    Assim como nos cães, a Giárdia em gatos é uma zoonose muito comum. Os felinos, então, não estão imunes a contrair essa doença, que muitas vezes passa despercebida ao ser confundida com uma simples diarreia. Por isso, é muito importante prestar atenção aos sintomas da giárdia em gatos e, também, buscar formas de prevenir a contaminação. Para esclarecer mais as dúvidas quanto ao assunto, conversamos com a médica veterinária Carolina Mouco Moretti, que é diretora geral do Hospital Veterinário Vet Popular, de São Paulo.

    Esporotricose em gatos: conheça mais sobre essa doença grave que pode atingir os felinos
    Saúde

    Esporotricose em gatos: conheça mais sobre essa doença grave que pode atingir os felinos

    A esporotricose em gatos é uma das doenças mais graves que pode atingir os felinos. Isso porque ela evolui muito rápido para a fase disseminada, causando sérios riscos à vida do gatinho. Provocada por um fungo presente em vegetações, a “micose” apresenta feridas bem características na pele do felino, sendo esse um dos principais sintomas da doença. Apesar da complexidade da infecção, o tratamento correto é capaz de curar essa doença de gato. Esporotricose também pode ser prevenida com alguns cuidados específicos no dia a dia do seu felino. Para saber mais sobre a doença, nós conversamos com o médico veterinário Frederico Lima, do Rio de Janeiro.

    Ver Todas >

    Quais são os cuidados com gatos renais crônicos?
    Saúde animal

    Quais são os cuidados com gatos renais crônicos?

    Se você é um gateiro, com certeza já ouviu falar sobre o perigo das doenças renais nos felinos. Se os cuidados são importantes em qualquer fase de vida do pet, no caso de um gato com insuficiência renal a preocupação é maior ainda. A insuficiência renal em gatos é uma doença que acomete principalmente os felinos idosos, mas também pode ser comum em outras idades e também na raça de gato Persa, que possui predisposição genética para esse tipo de problema. 

    Icterícia em cães: entenda o que é o problema e os sinais mais comuns
    Saúde animal

    Icterícia em cães: entenda o que é o problema e os sinais mais comuns

    Se você nunca ouviu falar na icterícia em cães, chegou a hora de entender um pouco mais sobre o problema que, embora não seja uma doença, é um sinal clínico que pode indicar que a saúde do cachorro não vai muito bem. Mas então, como identificar a icterícia canina e quais são as principais causas associadas a esse sintoma?

    Quais são as doenças de cachorro mais comuns no verão e como evitá-las?
    Saúde animal

    Quais são as doenças de cachorro mais comuns no verão e como evitá-las?

    Com a chegada do verão, é necessário redobrar os cuidados com o cachorro e também com a sua saúde. Os peludos costumam aproveitar bastante essa época, já que os passeios e banhos de mar ou piscina são mais frequentes. No entanto, a mudança de rotina vem acompanhada de uma grande preocupação, que é a proliferação de certas doenças de cachorro que ocorrem nessa época. Otite canina, desidratação e até mesmo infestação de pulgas e carrapatos são problemas bastante comuns no verão. 

    Verme em cachorro filhote: veja os sinais mais comuns de que o cãozinho está sofrendo com verminoses
    Saúde animal

    Verme em cachorro filhote: veja os sinais mais comuns de que o cãozinho está sofrendo com verminoses

    Os filhotes de cachorro são muito mais propensos a sofrerem com verme. Além da contaminação facilmente ocorrer pela amamentação, os filhotes ainda estão desenvolvendo o sistema imunológico e diversas funções do organismo. É por isso que a primeira dose do vermífugo para cachorro filhote deve ser feita aos 30 dias de vida, com reforço mensal até os seis meses, para garantir a saúde do pet. 

    Ver Todas >