Saúde

Cio de gato: saiba tudo sobre as fases, alterações comportamentais e tempo do cio nos felinos

O cio de gato provoca diversas mudanças hormonais e comportamentais
O cio de gato provoca diversas mudanças hormonais e comportamentais

O cio de gato é marcado pelas tentativas de fuga, mudanças no comportamento e por ser um período estressante tanto para o bichinho como para o tutor. O cio da gato nada mais é que o período fértil do ciclo reprodutivo felino, em que há busca pelo acasalamento. Por isso, a fêmea passa a dar sinais de que está receptiva ao macho. Todo pai ou mãe de gato não castrado precisa de paciência e atenção nesse momento. O Patas da Casa explica todos os detalhes sobre esse período para você entender as fases, como acontece e o que fazer para ajudar uma gata no cio.

Quando acontece o primeiro cio de gata?

O primeiro cio da gata surge quando ela atinge a puberdade. Isso geralmente acontece entre os cinco e nove meses de vida, quando a gata inicia seu primeiro ciclo estral (ciclo reprodutivo). As condições para o primeiro cio aparecer são, principalmente, a raça e o peso corporal.

É comprovado que gatas de raça com pelos longos demoram mais a alcançar a puberdade que as de pelo curto. Gatas da raça Siamês, que possuem a pelagem mais curta, chegam à puberdade por volta do nono mês. Já as da raça Persa, com pelagem mais longa, podem demorar 18 meses.

Para chegar à maturidade sexual, a gata precisa ter peso igual ou maior que dois terços de seu peso adulto. Além disso, gatas que ficam expostas à luz solar por muito tempo desde o nascimento ou que tem uma relação intensa de contato com machos podem chegar à puberdade mais cedo. Assim que alcançar a puberdade, ela se torna fértil.

O cio de gato é mais comum em estações de dias longos

Os gatos são animais poliéstricos sazonais - ou seja, tem mais de um ciclo reprodutivo por ano e geralmente acontece em um período específico. O ciclo estral é controlado pelo fotoperíodo, o período de exposição à luz solar. Esse tempo deve ser de 12 a 14 horas por dia. Por isso, é mais comum a gata entrar no cio em estações com dias mais longos e, consequentemente, com maiores períodos de sol - como a primavera. Uma teoria para explicar porque os gatos entram no cio em períodos que têm mais sol é a relação com o instinto de caçador. Épocas com dias mais longos são melhores para caçar e alimentar.

Faça o quiz e descubra se você tem alergia a gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

Como você fica ao chegar na casa de um amigo que tem um gato?

O que acontece quando se aproxima de gatinhos na rua ou em feiras de adoção?

As crises alérgicas costumam acontecer:

O que acontece quando você fica perto de alguém que está com a roupa cheia de pelos de gato?

Como seu corpo reage ao entrar em contato com um filhotinho de gato na rua?

Quais são os seus sintomas mais comuns durante uma crise alérgica?

O que você faz para melhorar um quadro de alergia?

É bem provável que você tenha alergia a gatos e precise consultar um especialista As crises alérgicas fazem parte da sua rotina, mas será que é por causa dos gatos? Passe livre para ter um gatinho: você não tem alergia aos bichanos!
    Durante o cio de gato, a fêmea adota posição de lordose e com as patas anteriores flexionadas
    Durante o cio de gato, a fêmea adota posição de lordose e com as patas anteriores flexionadas

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    Fases do ciclo reprodutivo: entenda casa etapa

    O ciclo reprodutivo de uma gata passa por quatro fases: proestro, estro, anestro e diestro. O cio como conhecemos, com a gata apresentando comportamento diferente e dengoso, corresponde ao estro, fase em que ocorre de fato o acasalamento.

    Proestro: essa fase dura aproximadamente um ou dois dias. As gatas já podem apresentar alguns sinais sutis de carinho e roçar o corpo em alguns objetos e no tutor, mas são quase imperceptíveis. Então, dificilmente dá para saber quando ela está no proestro. A gata começa a liberar os feromônios que atraem os machos, mas ainda não quer o acasalamento. Quando o macho se aproxima, ela o repele. Também pode sair um pouco de muco da vulva.

    Estro: pode durar até 19 dias, mas a média é aproximadamente seis. A gata apresenta comportamentos receptivos ao macho: flexiona os membros torácicos, eleva o quadril e adquire uma posição de lordose. Também desvia a cauda para um dos lados, deixando a vulva livre. Ela permite que o macho faça a monta e que ocorra o acasalamento. No estro, há alta concentração do hormônio estrogênio, até a ovulação. 

    Diestro: essa é a fase lútea do ciclo, que ocorre logo após a ovulação. É formado o corpo lúteo que produz progesterona. Essa fase é necessária para a manutenção da gravidez. No diestro, a gata não apresenta comportamento sexual. Em gatos que ovularam e foram fecundados, ocorre a gestação. Nesse caso, a fase do diestro dura entre 35 e 70 dias. Se após ovular não houver fecundação, a gata pode ter pseudo gravidez, mas não apresenta sintomas. Nos casos em que a gata não engravida, o diestro dura aproximadamente 30 dias. 

    Interestro: é o curto período de tempo sem atividade ou comportamentos sexuais entre um estro e outro em fêmeas que não ovularam. Dura em média se dias, mas pode variar entre dois e 19. 

    Anestro: essa fase costuma ocorrer nas estações de dias curtos, quando não há atividade e nem comportamentos sexuais. A fêmea não se interessa e nem aceita o macho. Dura por volta de 90 dias e os níveis de estrogênio e progesterona se mantém em níveis basais, ou seja, níveis normais de repouso.  

    Como é o comportamento da gata no cio?

    Durante as fases de proestro e de estro - principalmente na segunda -, a gatinha apresenta algumas alterações no comportamento. Na tentativa de atrair a atenção do macho para o acasalamento, ela fica mais agitada. Além de adotar posturas físicas propícias ao acasalamento, também passa a se esfregar em objetos e pessoas, passa a comer menos e ronrona muito. O miado de gato no cio fica muito alto, longo e intenso e pode até parecer um grito. Esse som costuma incomodar a família e os vizinhos, mas é a tentativa da fêmea de chamar atenção do macho. Outras questões que envolvem o cio: gata fica muito dengosa e sempre buscando atenção e carinho, além de poder demarcar o território com jatos de urina.

     

    O miado de gato no cio é estridente e pode incomodar até os vizinhos
    O miado de gato no cio é estridente e pode incomodar até os vizinhos

    Existe cio de gato macho?

    O cio de gato macho é diferente do cio da gata fêmea. O hormônio testosterona começa a agir sob o sistema nervoso durante o período perinatal, mas só se desenvolve mais a partir dos três meses. O macho completa a maturidade sexual entre os nove e 12 meses de idade. O cio de gato macho não é tão falado porque não tem um período certo. Ele está preparado para acoplar o ano inteiro, só depende da permissão da gata. Assim que sentem o cheiro do feromônio lançado por elas e ouvem o miado de gato no cio, eles já se preparam para acasalar. Apesar de não existir um período preciso, no inverno os gatos costumam ter menos desejo - mas podem entrar no cio mesmo assim, se a gata também estiver. No período, apresentam comportamentos alterados, ficando mais agressivos, urinando em locais impróprios e com tentativas de fuga (podendo voltar machucados).

    Quanto tempo dura o cio de um gato?

    É difícil saber quanto tempo dura o cio de gato, pois depende de muitos fatores externos. O cio, mais especificamente as fases de proestro e estro - em que os gatos apresentam comportamentos sexuais e desejo de acasalamento - , podem variar entre cinco e 20 dias. A média é em torno de sete dias. Se não houver acasalamento ou fecundação, a gata pode entrar no cio novamente em pouco tempo. Também não existe um número exato de quantas vezes por ano a gata entra no cio por conta de fatores externos, como raça, peso, contato com machos, luz e clima. Mas nos meses com dias mais longos a frequência é alta, chegando a acontecer de duas em duas semanas. 

    Depois de parir, quanto tempo o gato entra no cio novamente?

    Nas primeiras semanas após o parto da gata, a mãe está próxima dos filhos e amamentando. Após as primeiras quatro semanas, os filhotes começam a interagir entre si e com o ambiente à sua volta, de modo que a mãe se afasta um pouco. A partir desse momento, a gata já pode entrar no cio, principalmente se estiver em uma estação do ano propícia. Mas lembre-se que por conta de todos os fatores externos já mencionados, é difícil ter uma precisão exata. Portanto, a gata já está pronta para um novo cio após o parto, mas quando vai acontecer depende de outras questões.

    O que fazer para ajudar a gata no cio?

    A gata no cio está sensível e dengosa, então dê muito carinho e atenção. Brinque com ela, fique por perto e lembre-se de manter portas e janelas sempre fechadas para evitar fugas atrás do macho. Então, fique sempre de olho e não a perca de vista. Como o período do cio é muito delicado e altera até mesmo a rotina da família, é importante considerar a castração para oferecer mais qualidade de vida para o animal. 

    Castração ou vacina para cio de gato: qual a melhor opção?

    A castração é a melhor saída para evitar a gravidez indesejada de gato. Depois de castrada, a gatinha não entrará mais no cio, evitando alterações comportamentais da época e incômodos, tanto para a gata como para o tutor. Além disso, a castração previne doenças graves, como piometria e tumores de mama. Se a gata acabou de parir, espere pelo menos dois meses antes de castrá-la, para dar tempo do desmame dos filhotes. A vacina para cio de gato pode parecer uma boa solução, mas na realidade é prejudicial: pode causar infecções no útero, tumores mamários, desequilíbrio hormonal e hiperplasia mamária . Muitos optam pela vacina anticoncepcional por ser mais barata e por medo da cirurgia para castração. Na realidade, a cirurgia é completamente segura e traz outros benefícios além de parar o cio. O ideal é consultar um médico veterinário para saber qual a melhor opção para sua gata.  

    Redação: Maria Luísa Pimenta

    Gatos braquicefálicos: como o problema se manifesta, quais os cuidados e raças que têm o focinho achatado

    Próxima matéria

    Gatos braquicefálicos: como o problema se manifesta, quais os cuidados e raças que têm o focinho achatado

    Saiba tudo sobre o gato Himalaia: origem, características, personalidade, cuidados e muito mais
    Raças

    Saiba tudo sobre o gato Himalaia: origem, características, personalidade, cuidados e muito mais

    O gato Himalaia é, sem dúvidas, uma das raças mais queridinhas e desejadas pelos amantes de felinos. Ele reúne em sua genética a mistura de outras duas raças que são muito populares: o gato Persa e o Siamês. Ou seja, é carisma e fofura em dose dupla! Além disso, esse gatinho tem uma personalidade super dócil e tranquila, sendo a companhia perfeita para quem sempre sonhou em ter um bichinho de estimação. Se esse é o seu caso, ou se você já tem um gato do Himalaia e quer conhecer tudo sobre ele, essa matéria vai te ajudar bastante. 

    Gato Azul Russo: saiba tudo sobre a raça
    Raças

    Gato Azul Russo: saiba tudo sobre a raça

    Com uma pelagem cinza, o gato Azul Russo - também conhecido como Russian Blue - é dono de uma beleza inconfundível e capaz de conquistar facilmente o coração de qualquer pessoa com sua personalidade doce e calma. A raça é originária da Rússia e considerada bastante rara, mas ainda assim muitas pessoas ao redor do mundo se fascinam pelo Azul Russo e não hesitam em procurar um bichano para chamar de seu. 

    Fox Terrier: características físicas, personalidade, cuidados e muito mais... saiba tudo sobre a raça
    Pequenos

    Fox Terrier: características físicas, personalidade, cuidados e muito mais... saiba tudo sobre a raça

    Os cães do grupo Terrier fazem sucesso por onde passam, e com o Fox Terrier não é diferente. Ele representa perfeitamente as raças de cachorro desse grupo: é animado, ativo, cheio de energia, habilidoso e, claro, incrivelmente fofo. Muitas pessoas chegam a confundi-lo com o Fox Paulistinha, uma raça de Terrier originária do Brasil que descende do cruzamento do Fox Terrier com outros cães. No entanto, esses dois doguinhos são bem diferentes entre si, especialmente no que diz respeito à pelagem e traços físicos.

    Gato Chartreux: saiba tudo sobre a raça de pelagem cinza
    Raças

    Gato Chartreux: saiba tudo sobre a raça de pelagem cinza

    O Chartreux é uma de raça gato cinza bastante querida entre os apaixonados por felinos. E não é à toa, né? Extremamente dócil e carinhoso, é muito fácil entender o motivo por trás da paixão dos gateiros por esse bichano de pelagem cinza e focinho gordinho, o que lembra bastante um ursinho de pelúcia. No entanto, a características desse gatinho não se resumem apenas à sua aparência. Pensando nisso, reunimos aqui as principais informações sobre a origem, o temperamento, os cuidados e as curiosidades sobre o gato Chartreux. Vem se apaixonar por esse felino com a gente!

    Ver Todas >

    Cio de cadela: quanto tempo dura, quais as fases, quando começa e quando termina? Saiba tudo!
    Saúde animal

    Cio de cadela: quanto tempo dura, quais as fases, quando começa e quando termina? Saiba tudo!

    O cio de cachorro costuma ser um momento delicado tanto para o tutor quanto para a cadela. Com os hormônios aflorados, o comportamento da cadela no cio passa por mudanças - o que pode demandar alguns cuidados mais específicos para garantir o bem-estar do animal. Além disso, caso o tutor não tenha interesse na procriação, a atenção deve ser redobrada para evitar o cruzamento durante o cio da cadela.

    Coleira contra leishmaniose: como funciona?
    Saúde animal

    Coleira contra leishmaniose: como funciona?

    Você provavelmente já conhece a coleira antiparasitária, mas sabia que alguns modelos têm ação contra a leishmaniose? O acessório indicado para doença é usado para afastar parasitas e insetos como o mosquito-palha, que é o vetor da leishmaniose canina. A doença está entre uma das maiores preocupações dos pais de pet, uma vez que se trata de um quadro capaz de debilitar bastante o organismo do cãozinho, podendo até mesmo levar à morte. 

    5 formas de prevenir a infecção urinária em gatos
    Saúde animal

    5 formas de prevenir a infecção urinária em gatos

    A infecção urinária em gatos é uma das doenças mais comuns que podem atingir os felinos. Geralmente, a doença se desenvolve devido à baixa ingestão de água. Ela causa dor, desconforto e afeta órgãos fundamentais para o bom funcionamento do corpo do animal. A infecção urinária, apesar de atingir muitos bichanos, pode ser prevenida com cuidados especiais e muito simples.

    Acupuntura veterinária: entenda como a terapia é utilizada para melhorar a saúde e bem-estar dos cães
    Saúde animal

    Acupuntura veterinária: entenda como a terapia é utilizada para melhorar a saúde e bem-estar dos cães

    A acupuntura é uma especialidade médica muito conhecida no mundo dos humanos, mas você sabia que ela também pode ser muito benéfica para a saúde do cachorro? É isso mesmo: a acupuntura em cães pode ajudar os bichinhos de diversas formas, desde que seja aplicada por um profissional qualificado. Para entender um pouco melhor sobre a acupuntura veterinária, os benefícios e quando a terapia é indicada, o Patas da Casa conversou com a médica veterinária Ana Carolina Villela.

    Ver Todas >