Cachorro

35 fatos sobre o comportamento canino que você viu no Patas da Casa em 2020

Veja alguns fatos do comportamento canino que descobrimos em 2020
Veja alguns fatos do comportamento canino que descobrimos em 2020

O comportamento canino é cheio de particularidades que às vezes os tutores sequer imaginam. A convivência com os cães é uma via de mão dupla: da mesma maneira que os pets precisam aprender a fazer xixi no lugar certo ou não comer tudo que encontram, eles também ensinam bastante aos seus humanos sobre amor e companheirismo. No ano de 2020, o Patas da Casa falou de diversas curiosidades sobre cachorros e seus hábitos inusitados (ou que só fazem parte do instinto canino mesmo). Para você não esquecer, reunimos em uma única matéria 35 fatos sobre o comportamento do cachorro que abordamos nos último ano!

1. Cachorro “cisca” depois de fazer xixi e cocô para marcar território

Quando o cachorro “cisca” depois de fazer xixi ou cocô, ele está tentando espalhar seu cheiro pelo maior espaço possível naquele ambiente. A intenção dos doguinhos é que o cheiro deles se sobressaia ao odor das necessidades. A marcação de território é um comportamento canino instintivo, por isso não deve ser repreendido. Cachorrinhos castrados tendem a não apresentar essa conduta, mas também não é uma regra.

2. Cachorro sempre vai se interessar pela comida dos outros bichos da casa

Um comportamento canino que pode ser muito prejudicial para os cachorros é o de comer a ração de outros animais da casa. Isso é normal com cães mais "desesperados" por comida ou caso ele divida a casa com um gato, já que a ração felina é mais apetitosa por conter maior concentração de proteínas e gorduras. A chave para que isso não aconteça é a organização. O melhor é que cada animal tenha um espaço delimitado para realizar as refeições. No caso do cachorro comendo a ração de gato, você pode colocar a comida do gato em lugares altos, impedindo que o cãozinho alcance. 

3. Comportamento do cachorro de rolar na grama pode ser hereditário

Alguns comportamentos caninos podem ser intrigantes para os tutores e rolar na grama é um deles. Normalmente esse hábito ocorre por puro instinto: a teoria é de que os cãezinhos domésticos herdaram esse comportamento dos lobos e cães selvagens, que rolam em odores acham interessantes. Além disso, muitas vezes o cachorro pode rolar na grama após o banho no intuito de recuperar o seu cheiro natural. Isso porque, apesar de serem agradáveis para os humanos, os produtos de higiene veterinários podem alterar o cheiro do pet.

4. Cachorro comendo terra pode indicar problemas

O cachorro comendo terra é um caso de comportamento canino que pode indicar problemas. Assim como nós humanos, os cãezinhos possuem uma necessidade de nutrientes e vitaminas para suprir. Quando o cachorro está comendo terra ele pode estar com um déficit nutricional, ou seja comendo rações de baixa qualidade ou pouca quantidade de alimento. Por isso, acabam comendo terra. Outros problemas que podem causar esse comportamento canino são os distúrbios psicológicos e parasitas. O estresse e a ansiedade no cachorro podem fazer com que ele apresente comportamentos compulsivos como comer terra. Além disso, o hábito de comer terra pode indicar a presença de parasitas ou vermes no organismo do dog.

5. Olfato do cachorro é muito aguçado e pode fazer com que ele sinta cheiro do dono quando está distante

Que o olfato canino é muito desenvolvido e mais aguçado que o humano é fato. Alguns cães podem chegar a possuir até 220 milhões de células olfativas, enquanto os humanos possuem em média cinco milhões. Mas você já se perguntou a quantos km o cachorro sente o cheiro do dono? É comum que os doguinhos demonstrem já estar te esperando quando você está chegando em casa. Mas será que isso tem a ver com olfato canino? Pode ser que sim, afinal de contas o olfato do cachorro pode fazer com que ele perceba que seu tutor esteve em casa sem precisar vê-lo, por exemplo. A ideia de perceber que o dono se aproxima pelo cheiro pode acontecer, mas depende da distância do faro canino, tipo de cheiro e fluxo do vento. Existem relatos de cachorros que conseguiram apontar objetos e pessoas a 2 km de distância.

6. Existem cheiros que o cachorro não gosta

A eficácia do olfato canino é incontestável, justamente por isso, existem cheiros que o cachorro não suporta. Dentre eles estão os odores das frutas cítricas, pimenta, naftalina, álcool, perfume e vinagre.

7. Nariz do cachorro funciona como uma impressão digital

O focinho do cachorro, além do poderoso olfato, tem uma utilidade curiosa que poucas pessoas conhecem: ele funciona como uma impressão digital. No nariz do cachorro existem linhas que, assim como os dedos dos humanos, são únicas e podem funcionar para identificar o cão. Mas antes de tirar a “impressão nasal” do seu doguinho você deve conversar com seu veterinário, pois algumas raças de cachorro possuem formato de focinho que pode gerar problemas com o contato com a tinta. É nessa hora que a tecnologia nos ajuda. Já existem aplicativos de celular que guardam a informação do nariz do cachorro em um banco de dados, podendo ajudar na identificação de cãezinhos perdidos e se tornando uma alternativa aos microchips.

8. Bocejo de cachorro pode significar mais que sono

A linguagem canina pode ser muito mais complexa do que parece. O ato do cachorro bocejar pode significar muito mais do que sono. Esse comportamento canino pode indicar sinais de estresse e ansiedade e, ao bocejar, o cãozinho pode estar tentando se acalmar. Para além disso, o cachorro bocejar também pode ser um sinal de empatia ou até mesmo de amor por estar reproduzindo um comportamento que o dono faz.

9. Cachorro adulto “mamando” cobertor pode indicar problemas de ansiedade

Dentre as atitudes do comportamento canino que podem indicar complicações está o ato de “mamar” o cobertor na hora de dormir. Ao perceber que o cachorro está tendo esse comportamento, é indicado que o tutor faça uma análise da saúde do animal. No caso de que seja constatado que o cão está saudável, esse comportamento canino pode indicar ansiedade.

10. Cachorros filhotes precisam de ensinamentos importantes nos primeiros meses de vida

Alguns comportamentos caninos podem ser indesejados para a convivência entre o cachorro e dono. Por isso, certas coisas precisam ser ensinadas para os cachorros filhotes nos primeiros meses de vida. Dentre as mais importantes estão: ensinar o cachorro a fazer as necessidades no lugar certo, criar uma rotina, ensinar o cachorro a não morder, entre outros.

11. Coleira enforcador deve ser usada com cautela

Passear com o cachorro é essencial para o bem-estar do cão e alguns tutores recorrem à coleira enforcador - ou coleira de elos, como também é conhecida - para lidar com os puxões da guia. Apesar de ser utilizada em alguns treinamentos, o uso indevido pode causar danos no animal: apenas profissionais habilitados devem usar esse tipo de coleira, isso quando não houver outras alternativas para corrigir o comportamento. 

Faça o quiz e descubra se você tem alergia a gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

Como você fica ao chegar na casa de um amigo que tem um gato?

O que acontece quando se aproxima de gatinhos na rua ou em feiras de adoção?

As crises alérgicas costumam acontecer:

O que acontece quando você fica perto de alguém que está com a roupa cheia de pelos de gato?

Como seu corpo reage ao entrar em contato com um filhotinho de gato na rua?

Quais são os seus sintomas mais comuns durante uma crise alérgica?

O que você faz para melhorar um quadro de alergia?

É bem provável que você tenha alergia a gatos e precise consultar um especialista As crises alérgicas fazem parte da sua rotina, mas será que é por causa dos gatos? Passe livre para ter um gatinho: você não tem alergia aos bichanos!
    O filhote de cachorro deve ser direcionado desde cedo para não se tornar um adulto desobediente ou agressivo
    O filhote de cachorro deve ser direcionado desde cedo para não se tornar um adulto desobediente ou agressivo

    Mais Lidas

    Como o gato reconhece seu dono? Descubra esse e outros comportamentos da relação de um felino com o tutor
    Comportamento animal

    Como o gato reconhece seu dono? Descubra esse e outros comportamentos da relação de um felino com o tutor

    A companhia dos felinos é uma delícia, mas tem lá seus desafios, principalmente na hora de tentar entender a linguagem dos gatos. Por serem mais reservados, muitos tutores ficam na dúvida se esses animais realmente apreciam a presença dos humanos, se perguntando como os gatos nos veem. Será que eles são capazes de nos entender? Como o gato reconhece seu dono? Como saber se eles gostam da gente? Para tentar desvendar de uma vez por todas alguns dos comportamentos do gato em relação ao seu tutor, preparamos uma matéria bem especial. Vem com a gente e saiba mais sobre o assunto!

    Mordida de gato: 6 coisas que motivam esse comportamento nos felinos (e como evitar!)
    Comportamento animal

    Mordida de gato: 6 coisas que motivam esse comportamento nos felinos (e como evitar!)

    Os felinos não são muito associados com o ato de morder. Diferente dos cachorros, o comportamento é bem menos frequente nos felinos. É justamente por isso que muita gente acaba ignorando as mordidas por subestimar a força do animal e achar que não vai machucar. A mordida de gato não só pode ocorrer por muitos motivos, como também podem causar acidentes. Geralmente, os gatos dão alguns sinais que antecipam a mordida e é importante que você aprenda a reconhecê-los, assim como também entender as razões que levam o felino a ter essa atitude. Preparamos uma matéria completa sobre o assunto, então chega mais e vem entender porque os gatos mordem!

    Comportamento felino: por que os gatos pedem comida mesmo com o pote cheio de ração?
    Comportamento animal

    Comportamento felino: por que os gatos pedem comida mesmo com o pote cheio de ração?

    Não é segredo para ninguém que os gatos são muito exigentes com alimentação e higiene. E um hábito muito comum observado por todo gateiro é o gato pedindo comida mesmo quando o pote de ração está cheio: eles manifestam a insatisfação com a comida “velha” com muitos miados para chamar a atenção do tutor. Esse é mais um curioso comportamento felino com muitas explicações coerentes por trás.

    Por que os gatos afofam as cobertas e os humanos
    Comportamento animal

    Por que os gatos afofam as cobertas e os humanos

    Quem tem um gatinho já deve ter percebido que eles costumam afofar ou “amassar pãozinho” em algumas circunstâncias específicas. Os movimentos lembram uma massagem. Antes de deitar, quando estão no colo do dono ou quando encontram uma coberta fofinha e macia. Se mesmo sem saber porquê eles fazem isso a gente já acha a coisinha mais linda do mundo, imaginem depois de saber? Vem com a gente desvendar!

    12. Cachorro cava a cama antes de dormir por instinto

    O comportamento canino de cavar a cama antes de dormir acontece por instinto. Essa curiosa conduta canina tem o objetivo de deixar o local que ele vai dormir mais confortável ou até mesmo para ajustar a temperatura do ambiente.

    13. Cachorro comer tudo encontra no chão pode ser prejudicial

    O comportamento canino de comer tudo que encontra pode ser muito prejudicial para os doguinhos. Por isso, investir no adestramento para cães pode ajudar nesse quesito. Ensine o “não” para seu melhor amigo desde o início da vida. Além disso, estimule o animal a comer só o que está no potinho e divida a ração do cachorro em porções.

    14. Cachorro muito apegado ao dono pode ter consequências de saúde

    Apesar de ser um comportamento do cachorro considerado fofo, ser muito apegado ao dono pode ser prejudicial para os pets. Nos casos de uma demonstração de dependência extrema, os tutores devem investir em um enriquecimento ambiental, brinquedos e técnicas de adestramento para ajudar. O apego ao dono pode influenciar negativamente na qualidade de vida do pet, podendo fazê-lo desenvolver ansiedade e depressão.

    15. Psicólogo de cachorro pode ser necessário em alguns casos

    Os comportamentalistas caninos, treinadores de cães ou psicólogos de cachorro podem ser necessários em alguns casos. Assim como nós humanos, os cachorros podem sofrer com problemas como depressão ou ansiedade. Nestes casos, não hesite em buscar ajuda profissional.

    16. Separar a ninhada de cachorro da mãe antes do tempo pode gerar complicações

    O tempo necessário para que os filhotes de cachorro sejam separados da mãe é de no mínimo três meses. Além da amamentação ser muito necessária para a saúde dos filhotes de cachorro, a relação da mãe com a ninhada também ajudará no desenvolvimento dos animais.

    17. Nicho ecológico dos cachorros é ao lado dos humanos

    Os nichos ecológicos - ou o lugar onde existe um conjunto de condições que permitem a sobrevivência de um animal em um ecossistema - podem nos lembrar das aulas de biologia da escola. Desde que os cachorros começaram a ser domesticados, o nicho ecológico do cachorro passou a ser do lado dos humanos, fazendo com que os animais apresentem muitas dificuldades de sobreviverem sozinhos. Por isso, cabe aos tutores oferecem as melhores condições para uma boa qualidade de vida aos pets.

    18. Cachorro abanando o rabo pode demonstrar outras coisas além de afeto

    O comportamento canino de abanar o rabo é facilmente associado como um sinal de afeto pelos tutores, mas essa atitude pode sinalizar outras coisas também. Abanar o rabo pode ser uma forma de se comunicar com outros animais, indicar felicidade, ameaça e interesse, entre outras coisas.

    19. Cachorro muito quieto pode ser indicativo de doença

    Observar o cachorro muito quieto ou triste é preocupante. Principalmente porque esse comportamento canino pode indicar problemas como a ansiedade de separação ou depressão. Entretanto, mudanças na família, morte de um ente querido ou até mesmo transição para outro lar pode fazer com que o cão tenha esse comportamento.

    20. Cachorro idoso também precisa de brincadeiras

    Brincar com o cachorro é algo que influencia positivamente sua qualidade de vida durante todo seu ciclo, inclusive quando o cachorro já está idoso. Não deixe de passear, investir em brinquedos e brincadeiras só porque seu cachorro está com mais idade. A interação com o cachorro idoso é essencial para o bem-estar dele. Opções diferentes que podem contribuir são uma boa massagem ou incentivar brincadeiras na água. 

    21. O modo que os tutor trata o cachorro pode influenciar na ansiedade de separação

    A ansiedade de separação é um problema grave que deve ser evitado. Por isso, nós como tutores devemos prestar atenção em certos hábitos que podem influenciar no desenvolvimento da complicação. É importante investir no enriquecimento ambiental, criar o cachorrinho para ser independente, não se despedir do cão e brincar com ele antes de sair.

    22. O cachorro sente saudade do dono

    É claro que os animais não são capazes de sentir sentimentos humanos complexos, mas o cachorro pode sentir algo similar: quando estão perto de seus donos, o organismo dos cachorros aumentam os níveis hormonais que provocam sensações de bem-estar no animal. Logo, quando não estão na ausência de seus tutores, os cães sentem falta da sensação que eles provocam.

    Cachorro sente saudade do dono e isso pode influenciar no desenvolvimento da ansiedade de separação
    Cachorro sente saudade do dono e isso pode influenciar no desenvolvimento da ansiedade de separação

    23. Adestrar cachorro em casa é uma tarefa que demanda paciência

    Apesar de existirem profissionais que podem auxiliar no adestramento de cães, é possível sim adestrar cachorro em casa. O ideal é que os treinamentos comecem nos primeiros meses de vida do doguinho. Essa prática pode trazer inúmeros benefícios para o mascote e ainda estreitar os laços entre o cachorro e dono. Mas tenha consciência de que o cachorro não vai aprender tudo da noite para o dia: tenha paciência e persevere nos treinos, que devem ocorrer todos os dias, mesmo que durante cinco minutinhos.

    24. Cachorro idoso pode ficar com ciúmes de filhote

    Adaptar um cachorro idoso com um filhote de cachorro cheio de energia pode ser uma tarefa difícil, principalmente porque o nível de atividade de um animal para o outro é bem diferente. Para que o cachorro idoso não sinta ciúmes e não desenvolva outros problemas, o ideal é que os tutores se atentem a dar a devida atenção aos dois. Além disso, promover um ambiente acolhedor e favorável para os animais e ficar alerta em qualquer sinal de desentendimento é essencial para o bem-estar de todos.

    25. Os cachorros sonham com situações do cotidiano e têm pesadelos

    O comportamento canino é  único, mas algumas coisas pode se assemelhar muito à vida humana. Assim como nós, os cachorros podem sonhar e até ter pesadelos. Algumas reações musculares, como abanar o rabo, mexer a patinha ou virar o rosto durante o sono, indicam que eles estão na fase de sono em que os sonhos ocorrem.

    26. Adestramento ajuda a lidar com as mordidas durante as brincadeiras

    O ato do cachorro morder durante as brincadeiras pode ser evitado. Antes de mais nada, é preciso identificar a causa que está levando o cachorro a morder, mesmo que seja sem agressividade. Após isso, o tutor pode investir em técnicas de adestramento de cães e evitar fazer associações positivas com o comportamento.

    27. Cachorro revirando o lixo não é um comportamento que deve ser normalizado

    O comportamento do cachorro revirar o lixo pode ser prejudicial. Por isso, os tutores devem tomar medidas para evitar que isso aconteça. Sempre manter o animal alimentado, colocar a lixeira em um lugar fora do alcance do animal e fazer com que ele pratique exercícios físicos regularmente ajudam a lidar com isso. O adestramento também pode ajudar!

    28. Cachorro mordendo a pata? Fique atento!

    Assim como outras condutas, o ato do cachorro ficar mordendo a pata pode indicar alguns problemas mais sérios. Alergias, ansiedade, pulgas, carrapatos, machucados e o comprimento desproporcional da unha podem ser alguns dos motivos que levam o cachorro a morder a pata ou mesmo lamber de forma excessiva. Por isso é essencial que os tutores não deixem de ter os cuidados básicos com seus doguinhos.

    29. Cachorro montando em outros cachorros é normal para machos e fêmeas

    O comportamento de subir em cima de outros animais e simular o ato sexual nem sempre está ligado ao desejo de acasalar e pode ter variados motivos. Sinal de estresse, dominância, diversão e até problemas de saúde podem explicar isso. Essa conduta pode acontecer tanto em cachorros machos como fêmeas. Os tutores observam uma certa diminuição do comportamento quando castram seus cachorros, mas isso pode variar de cão para cão.

    30. Quarentena gerou mudanças no comportamento canino

    O ano de 2020 foi marcado por uma grande situação de saúde pública que alastrou o mundo. Com isso, o isolamento social passou a ser praticado em grande parte das famílias. Essa realidade também teve impacto nos tutores de cachorro. Muitos pets apresentaram mudanças de comportamento, já que houve alteração da rotina de passeios e até uma nova adaptação com os donos dentro de casa. No entanto, os tutores encontraram nos cães os companheiros ideais para um momento tão delicado - e até quem não tinha cachorro deu um jeito de adotar um na quarentena

    31. Sabe por que o cachorro fica girando antes de fazer cocô?

    Esse intrigante comportamento do cachorro pode ser explicado. Os cãezinhos possuem uma espécie de bússola interna que os ajudam a localizar os sentidos Norte e Sul do planeta. O campo magnético terrestre nem sempre está estável e por conta disso os cachorros tendem a procurar um sentido que não seja nem Norte nem Sul para fazer suas necessidades, girando várias vezes até encontrar a melhor posição.

    32. Cachorro com ciúmes é um comportamento canino comum

    O cachorro ciumento é mais comum do que imaginamos. Os animais podem demonstrar esse comportamento por muitas razões. Ao observar que o cão está passando por essa situação, o tutor deve ter cuidado, porque isso pode estimular comportamentos mais agressivos.

    33. Cachorro também pode ficar estressado durante o isolamento social

    Além dos humanos, a quarentena também estressou muitos doguinhos. Mas alguns tutores acharam algumas formas especiais de diminuir esse transtorno nos animais. Reiki veterinário, massagens, calmantes e músicas foram de grande ajuda para lidar com o estresse dos bichinhos.

    34. Acostumar cão a ficar sozinho depois da quarentena pode ser desafiador

    A volta à rotina dos pais de bichos tem uma preocupação a mais: como acostumar o cachorro a ficar sozinho de novo depois da quarentena? O segredo é fazer passeios longos antes de sair de casa, deixar muitos brinquedos disponíveis, principalmente os interativos, e oferecer enriquecimento ambiental para que o animal não desconte a ansiedade ou frustração nos móveis.

    35. Cachorro latindo para porta ou janela sempre tem uma razão

    O latido de cachorro sempre tem motivos. Além de indicar a presença de estranhos ou outros animais, o comportamento também pode ter um fundo psicológico: quando o cão fica latindo muito para porta ou janela, ele pode estar sofrendo com ansiedade de separação ou até mesmo reagindo a algum trauma psicológico, principalmente no caso de doguinhos que já foram abandonados.

    Redação: Hyago Bandeira

    Brinquedos para cachorro com barulho: por que eles amam tanto?

    Próxima matéria

    Brinquedos para cachorro com barulho: por que eles amam tanto?

    Boiadeiro de Berna ou Bernese Mountain: tudo o que você precisa saber sobre a raça porte grande
    Grandes

    Boiadeiro de Berna ou Bernese Mountain: tudo o que você precisa saber sobre a raça porte grande

    Se você está pensando em comprar ou adotar um cachorro de raça, precisa conhecer o Bernese Mountain. Esse cãozinho, que também é chamado de Boiadeiro de Berna e Boiadeiro Bernês, tem uma personalidade cativante e que consegue encantar a todos. Ele adora estar perto da sua família, é bastante leal e não é muito agitado como outras raças. Por isso, é um ótimo animal para te acompanhar em diversos momentos do dia a dia. 

    Pequinês: tudo o que você precisa saber sobre a raça de cachorro pequeno
    Pequenos

    Pequinês: tudo o que você precisa saber sobre a raça de cachorro pequeno

    Para quem procura por raças de cachorro pequeno, o Pequinês pode ser a companhia perfeita. Além de se adaptar muito bem a apartamentos e outros espaços reduzidos, esse pequeno cãozinho é dotado de uma personalidade carinhosa, amigável e extremamente leal aos seus humanos. Apesar da baixa estatura, o cachorro Pequinês também é super corajoso, e uma das maiores provas de que tamanho não é documento. 

    Dogo Argentino: tudo o que você precisa saber sobre essa raça de cachorro grande
    Grandes

    Dogo Argentino: tudo o que você precisa saber sobre essa raça de cachorro grande

    Você já ouviu falar no Dogo Argentino? Essa é uma raça de cachorro que teve origem em um país vizinho ao nosso, a Argentina. Embora pareçam sérios, os cães desta raça são uns amores e têm tudo para te conquistar, principalmente se o que você procura é um amigo de quatro patas bem leal e parceiro. Mas antes de comprar ou adotar um cachorro desta raça, que tal conhecê-lo um pouco mais a fundo? 

    Gato idoso: tudo que você precisa saber sobre saúde, cuidados, alimentação e mudanças de comportamento
    Idoso

    Gato idoso: tudo que você precisa saber sobre saúde, cuidados, alimentação e mudanças de comportamento

    Com uma média de 16 anos de expectativa de vida, o gato idoso precisa de alguns cuidados específicos para uma velhice tranquila. A fase de vida requer algumas mudanças alimentação do gato, exercícios físicos, brincadeiras e cuidados básicos. A idade mais avançada ainda requer mais visitas ao veterinário, já que o bichano mais velhinho está propenso a desenvolver alguns problemas de saúde, como a Síndrome da Disfunção Cognitiva.

    Ver Todas >

    Cachorro na janela do carro: por que eles amam tanto?
    Comportamento animal

    Cachorro na janela do carro: por que eles amam tanto?

    É bem provável que você já tenha visto um cachorro na janela do carro curtindo o ventinho no rosto ou até tenha presenciado o seu doguinho fazer isso. Essa é uma situação super comum, principalmente quando os donos decidem viajar com cachorro de carro ou nas idas para o veterinário. Mas já parou para se perguntar por que esses bichinhos gostam tanto de ficar com a cabeça na janela? Será que é só por uma questão de aventura, ou existe explicação por trás do comportamento?

    Como escolher a bolinha para cachorro ideal de acordo com a idade, tamanho e energia do seu pet?
    Comportamento animal

    Como escolher a bolinha para cachorro ideal de acordo com a idade, tamanho e energia do seu pet?

    Quem nunca viu um cachorro correndo atrás de uma bola? A  bolinha para cachorro  é clássica e um dos brinquedos preferidos desses animais. Qualquer cãozinho quando vê uma bola se diverte bastante, principalmente aqueles mais energéticos e ativos. Porém, engana-se quem pensa que toda bolinha é igual, porque há uma infinidade de modelos que podem ser comprados. Não existe um melhor que o outro, mas sim o que é mais adequado para cada tipo de cachorro, levando em conta a idade, tamanho e nível de energia.

    Adestrar gato: como é o processo de aprendizagem dos felinos? (spoiler: é bem diferente dos cães)
    Comportamento animal

    Adestrar gato: como é o processo de aprendizagem dos felinos? (spoiler: é bem diferente dos cães)

    O adestramento de cachorro é super conhecido por aí, mas algumas pessoas não sabem que os gatos domésticos também pode ser treinados. Adestrar gato também promove muitos benefícios à rotina do pet, além de aproximá-lo do tutor e mudar comportamentos inadequados. No entanto, o processo de adestramento do gato é bem diferente do que já estamos acostumados com os cães. 

    Como socializar gatos? 5 segredos para tornar tudo mais fácil
    Comportamento animal

    Como socializar gatos? 5 segredos para tornar tudo mais fácil

    Um dos grandes desafios que vários tutores enfrentam é não saber como socializar gatos corretamente, o que pode desencadear problemas de convivência, como ciúmes e brigas. Normalmente, o período mais indicado para fazer a socialização é quando o gato ainda é um filhotinho, porque ele ainda está se adaptando ao mundo e fica mais fácil de apresentá-lo a novas experiências. 

    Ver Todas >