Vamos falar sobre queda de pelo em cachorro? É muito importante entender o assunto para evitar ou reconhecer possíveis problemas na saúde do pet! Trocar a pelagem é algo absolutamente normal para os cães, que soltam e ganham novos fios diariamente. Esse processo é natural e não afeta os pelos dos bichinhos. Mas, até que ponto isso não é o indicativo de uma complicação maior?

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

A queda de pelo do cachorro ocorre em qualquer raça, porém, algumas estão mais suscetíveis a passar por esse problema. O tamanho da pelagem, a alimentação do pet e o ambiente em que vive podem influenciar bastante. Fatores como as estações do ano também são muito relevantes para determinar a frequência e a forma com que isso acontece.

Uma boa dica para reconhecer se a pelagem do seu cão está caindo mais do que deveria é observar se o processo está acontecendo de maneira uniforme. Quedas assimétricas, por exemplo, podem significar alopecia (que também pode acontecer em gatinhos), presença de parasitas e outros transtornos. Fique atento(a) aos sintomas do seu pet e, em casos de dúvidas, procure a ajuda de um veterinário!

Queda de pelo em cães: o que é alopecia canina?

A alopecia canina é um tipo de dermatite que provoca a queda de pelos em parte específicas do corpo do cão. Qualquer cachorro pode sofrer com esse mal indesejado, mas algumas raças estão mais sujeitas a isso. Entre elas, podemos citar: Chow-chow, Poodle, Husky Siberiano, Lulu da Pomerânia e outras. Os motivos da alopecia variam bastante e podem ir desde estresse até deficiências hormonais.

Cachorro com feridas, coceira e queda de pelo: o que pode ser?

Trocar a pelagem é normal, mas é melhor ficar ligado(a) quando isso vem acompanhado de outros sintomas. Seu cachorro está se coçando muito? É possível enxergar algumas feridas e lesões pelo corpo, principalmente nos lugares em que o pet se coça mais? Se a queda de pelo estiver associada a esses indícios, está na hora de procurar um veterinário. Várias doenças podem estar causando esse mal-estar no seu bichinho. Sarna, micose, escabiose, dermafitose e dermatite são algumas possibilidades. No caso da dermatite canina, existem dois tipos:

  • Dermatite atópica canina

A dermatite atópica é um problema que não afeta apenas os humanos! Embora sua causa exata ainda seja desconhecida, os veterinários acreditam que a condição seja uma doença de pele intermitente e o transtorno aparece graças à presença de alguns fatores que irritam a derme do animal. Normalmente, a dermatite atópica canina apresenta os seus primeiros sintomas entre o terceiro e o sexto mês de vida do cãozinho. Mas, infelizmente, também pode se desenvolver em um cachorro adulto.

Este mal indesejado é capaz de provocar coceira intensa, feridas, avermelhamento em certas áreas da pele e, é claro, perda de pelo. A doença não tem cura, mas você pode tomar algumas providências para aliviar os sintomas do cachorro, como prezar por uma alimentação balanceada e uma boa higiene.

  • Dermatite seborreica canina

A dermatite seborreica, ou seborreia canina, é mais um problema supercomum entre os cachorros. O transtorno acontece pelo excesso de produção de sebo pelas glândulas sebáceas do animal e afeta principalmente o rosto, as pernas e o tronco do cão. Graças a essa quantidade extra de oleosidade, pode ocorrer o surgimento de descamações amareladas ou esbranquiçadas junto ao pelo. A solução mais comum para o problema costuma ser o uso de um sabonete antiseborreico e uma boa alimentação.


A queda de pelos em cachorros é normal, mas alguns fatores podem indicar um problema de saúde
A queda de pelos em cachorros é normal, mas alguns fatores podem indicar um problema de saúde

Veja outras possíveis causas para a queda de pelo no cachorro

  • Presença de parasitas (piolhos, pulgas ou carrapatos)
  • Infecções por fungos ou bactérias
  • Reações alérgicas (à comida ou medicamentos, por exemplo)
  • Alimentação desbalanceada
  • Problemas relacionados aos rins, fígado e tireoide
  • Desequilíbrio hormonal
  • Doenças sistêmicas, como a doença do carrapato, anemias ou infecções
  • Excesso de lambidas e mordidas na área
  • Câncer
  • Períodos de cio, gravidez, pós-parto e amamentação
  • Doenças imunológicas
  • Queimadura de sol
  • Contato com substâncias que possam irritar a pele
  • Estresse agudo

Como evitar queda de pelo em cachorro? Boa alimentação e higiene são essenciais!

Existem algumas formas de amenizar a queda de pelo dos cães, tanto a natural quanto aquela provocada por problemas de pele e outras complicações. Manter uma dieta saudável e uma higiene adequada estão entre as principais! Além disso, é legal criar uma boa rotina de escovação. A frequência com que a atividade deve ser praticada varia de acordo com o tipo de pelagem do pet, ou seja, é mais frequente nos pets mais peludos e menos frequente nos que têm pelos mais curtos.

O ideal é remover o pelo que já está solto e evitar a formação de nós e a queda dos fios pela casa. Dependendo do comprimento do pelo, apostar na tosa também pode ser uma boa saída. No entanto, vale lembrar: a pelagem protege o cachorro e mantém sua temperatura corporal em equilíbrio, portanto, não exagere no corte.

Queda de pelo canino: como é o tratamento?

A solução mais indicada para resolver a queda de pelo do seu cachorro vai depender do que está causando o problema. Após um diagnóstico confirmado, o veterinário consegue optar pelo tratamento mais adequado, que pode incluir a utilização de um sabonete especial e até mesmo o uso de antibióticos, dependendo do caso. Remédios caseiros para a queda de pelo do cachorro, por outro lado, não são recomendados sem a indicação de um especialista.

Redação: Dóris Marinho