Cachorro

O que é a síndrome de Wobbler em cães, muito comum na raça Doberman?

Publicado - 21 Setembro 2022 - 17h27

Atualizado - 23 Maio 2024 - 14h48

A síndrome de Wobbler é uma doença que atinge a coluna cervical dos cães e pode acometer animais de porte grande ou gigante. A incidência no Doberman é ainda maior, de forma que os tutores dessa raça devem ter uma atenção especial com o cachorro e realizar exames periódicos para saber se o quadro se desenvolveu ou não. Algumas condições - como a hérnia de disco - favorecem o aparecimento da síndrome de Wobbler, por isso não ignore os sinais. Veja abaixo do que se trata esse problema, sintomas, tratamento e dicas de como cuidar do cachorro Doberman filhote e adulto!

O que é a síndrome de Wobbler?

Também chamada de espondilomielopatia cervical, a síndrome de Wobbler é uma doença complexa e multifatorial comum em cães da raça Doberman. Ela acontece quando há o estreitamento da coluna vertebral causada por alguma alteração na anatomia do cachorro. Como consequência, ocorre a compressão da medula espinhal, que pode provocar problemas motores e lesões neurológicas.

Acredita-se que o rápido crescimento do cachorro Doberman e outras raças grandes possa desencadear o problema. Questões genéticas, má formação óssea e predisposição a problemas articulares também podem estar atrelados ao surgimento da síndrome de Wobbler, embora não seja comprovado cientificamente. O Doberman, por exemplo, é mais suscetível a problemas de angulação nas articulações, que levam à degeneração e aumenta as chances de hérnia de disco em cães. Essas condições facilitariam o desenvolvimento da síndrome.

Imagem Quiz:Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Quais são os sintomas da síndrome de Wobbler em cachorro Doberman?

É difícil ver um Doberman filhote desenvolvendo a síndrome de Wobbler, pois essa é uma doença que atinge geralmente cães jovens adultos e idosos. Ainda assim, é importante observar se o seu cachorro apresenta os seguintes sinais:

  • Falta de coordenação motora dos membros traseiros e pélvicos;
  • Cachorro mancando e cambaleando;
  • Instabilidade ao se locomover;
  • Dificuldade em realizar movimentos básicos, como andar, levantar e saltar;
  • Dores na cervical;
  • Inchaço nas pernas;
  • Fraqueza excessiva dos membros;
  • Paralisia parcial ou completa;
  • Inchaço nas pernas dianteiras e traseiras.

 

Cão Doberman filhote deitado em tapete peludo rosa
Cachorro Doberman - filhote ou adulto - deve ser levado ao veterinário regularmente

 

O diagnóstico e tratamento da síndrome de Wobbler

Quando há suspeita de um Doberman com síndrome de Wobbler é fundamental levá-lo ao veterinário para uma avaliação. O diagnóstico geralmente é feito por meio de raio-x e exames clínicos. Em alguns casos, pode-se solicitar um mielograma ou tomografia computadorizada também. Com a confirmação da doença, o profissional indicará o melhor tratamento para o caso.

Se não for muito grave, a síndrome de Wobbler pode ser tratada com a administração de corticosteróides e medicamentos para amenizar a dor. Já em casos mais avançados ou que estão progredindo muito rapidamente, é necessário fazer uma intervenção cirúrgica para diminuir a compressão da medula espinhal. Aliadas ao tratamento e com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos doguinhos, a fisioterapia e a acupuntura veterinária são muito recomendadas!

Doberman não é a única raça a sofrer com o problema

Mesmo que seja bem mais comum no Doberman, outros cães também podem desenvolver a síndrome de Wobbler (em especial os de porte grande ou gigantes). O Dogue Alemão, por exemplo, é outro cachorro que carrega o “fardo” de também sofrer com a doença. Além dele, Rottweiler, Mastiff e Basset Hound são outros doguinhos que entram nessa lista.

Ao adquirir um Doberman, o preço deve levar em consideração os problemas de saúde que a raça pode vir a ter futuramente, como a síndrome de Wobbler. Ter um cãozinho é uma responsabilidade para o resto da vida. Ou seja, você precisa cuidar e zelar por ele na saúde e na doença.

Redação: Juliana Melo

Edição: Luana Lopes

Adote um animal

Nomes para cachorro com a letra A: mais de 100 ideias para nomear o seu pet

Pesquisar e selecionar nomes para cachorro para o mais novo integrante da família é uma das partes mais divertidas do processo de ad...

Adote um animal

Maltês: 12 coisas que você precisa saber antes de ter um

Se você está em busca de um cachorro fofo e cheio de personalidade, o Maltês talvez seja a escolha perfeita. Esperto, dócil e brinca...

Adote um animal

Fiapo de manga: a nova "raça" de cachorro vira-lata que tem feito sucesso na internet

Há quem diga que vira-lata caramelo representa mais o Brasil do que samba e futebol - não à toa que existem propostas de lei para el...

Cachorro

Cruzamento de cachorro: tudo que você precisa saber sobre o assunto

O cruzamento de cachorro é um assunto que desperta a curiosidade da maioria dos tutores. Enquanto alguns se preocupam em evitar que ...

Gato

Os melhores gatos para famílias com crianças: veja a lista com as 10 raças mais indicadas

Quando se trata de escolher um bichano para as crianças, algumas raças de gato se destacam por serem os companheiros ideais. Com per...

Comportamento

Tem um gato arranhando o sofá? Cientistas identificaram as causas desse comportamento e mostram como fazer o pet parar

Conviver com um gato arranhando o sofá é um problema que vários tutores têm dificuldade de corrigir. Apesar de ser um instinto nato ...

Adote um animal

Nomes para cachorro com a letra A: mais de 100 ideias para nomear o seu pet

Pesquisar e selecionar nomes para cachorro para o mais novo integrante da família é uma das partes mais divertidas do processo de ad...

Adote um animal

Maltês: 12 coisas que você precisa saber antes de ter um

Se você está em busca de um cachorro fofo e cheio de personalidade, o Maltês talvez seja a escolha perfeita. Esperto, dócil e brinca...

Ver todas