close
Carrapato

O que é erliquiose? Saiba tudo sobre esse tipo de doença do carrapato

Atualizado · 09 de dezembro de 2021 · 18h55

Publicado · 30/04/2021 · 17h58

A erliquiose - ou doença do carrapato - é uma doença com diferentes estágios. Saiba mais
A erliquiose - ou doença do carrapato - é uma doença com diferentes estágios. Saiba mais

É praticamente impossível não se preocupar com a saúde do cachorro, principalmente quando eles ficam doentes. A erliquiose canina, que se enquadra na chamada doença do carrapato, é um problema mais comum do que se imagina e que pode afetar gravemente o organismo do animal. Embora seja mais frequente durante as estações mais quentes do ano, é importante redobrar a atenção com o cãozinho sempre que surgirem mudanças no seu comportamento que sejam indicativos da doença. Para tirar todas as dúvidas sobre a erliquiose ou erlichiose (sintomas, causas, tratamento e prevenção), entrevistamos o médico veterinário Fabio Ramires Veloso, de Nova Friburgo (RJ). Veja tudo que você precisa saber sobre o assunto abaixo!

A erliquiose é uma doença séria que precisa de atenção

Por trás da fofura de um cachorro existe um bichinho vulnerável a várias doenças perigosas, como a erliquiose. Mas do que se trata essa doença e quais são as causas desse quadro? O especialista explica: “A erliquiose monocítica canina (EMC), ou doença do carrapato, é uma patologia causada pela bactéria gram-negativa Erlichia canis da ordem Rickettsiales, que afeta os cães e outros membros da família Canidae, como lobos e raposas”.

Na prática, a doença tem o carrapato marrom como vetor, e a transmissão ocorre por meio de picadas que invadem a corrente sanguínea dos cães e parasitam diferentes células no corpo destes animais. No caso da erliquiose, as bactérias são as responsáveis pelo desenvolvimento do problema. Vale destacar ainda que o quadro pode afetar todos os cachorros, independentemente da raça, sexo e idade.

“Existem três estágios: assintomática (subclínica), aguda e crônica”, explica o médico veterinário. Cada um desses estágios, por sua vez, é caracterizado por diferentes sintomas (ou até a ausência deles, no caso da fase assintomática). Portanto, é importante ficar muito atento em como a doença se manifesta no organismo do seu amigo para entender em qual estágio ele se encontra.

Babésia e erlichiose: diferença entre os quadros vai além do nome

Para quem não sabe, a doença do carrapato pode se apresentar de diversas formas, sendo as mais comuns a erlichiose e a babesiose. Apesar da diferença entre os nomes, muitas pessoas ainda confundem os dois quadros, já que ambos são transmitidos pelo carrapato marrom. No entanto, o que realmente distingue uma da outra é a forma como cada uma age no organismo canino, que podem interferir, inclusive, nas manifestações clínicas das doenças. “A diferença principal é que a babésia é causada por um protozoário que infecta e destrói células vermelhas do sangue e a erliquiose é causada por uma bactéria que infecta e destrói as células brancas (monócitos e linfócitos)”, informa Fabio. 

Qual raça de gato você é?

É só preencher e começar!

Question Quiz Stamp

O que você mais gosta de fazer nos momentos de lazer?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Se você pudesse se descrever com uma palavra, quais das opções a seguir escolheria?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Alguém te chamou para sair para um lugar inusitado, o que você pensa?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como você fica depois de dormir pouco na noite anterior?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Você viajou e se perdeu em uma cidade que não conhece muito: o que passa pela sua cabeça?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Quais dessas características você procuraria em um pet?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

O que seus amigos próximos pensam sobre você?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como você gosta de curtir as férias?

Question Header Background

Sua personalidade aventureira combina com o Bobtail Japonês! Você é divertido assim como o gato Siamês! Sua personalidade ranzinza combina com o gato Maine Coon! Você é preguiçoso como um gatinho Persa!
    O vetor da erliquiose é o carrapato marrom
    O vetor da erliquiose é o carrapato marrom

    Mais Lidas

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Prevenção e tratamentos

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato no cachorro é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os animais. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. 

    Carrapato em gato: como tirar e prevenir que seu animal seja infestado
    Prevenção e tratamentos

    Carrapato em gato: como tirar e prevenir que seu animal seja infestado

    Muita gente se pergunta se gato pega carrapato, e a resposta é sim. Os felinos também estão expostos a esse tipo de problema, mesmo que pareça estranho. O carrapato de gato é mais comum em animais que moram em casa com quintal, que passeiam na rua ou que convivem com um cãozinho. No entanto, outras situações do cotidiano também podem deixar o gato com carrapato, como uma ida ao veterinário ou um simples trajeto na rua (mesmo que o bichano permaneça na caixa de transporte o tempo inteiro).

    O que a doença do carrapato causa no organismo do cachorro?
    Prevenção e tratamentos

    O que a doença do carrapato causa no organismo do cachorro?

    Cuidar da saúde do cachorro é dever de todo tutor! Por isso, às vezes até mesmo uma simples alteração no apetite do animal pode ser indicativo de que tem algo de errado com o seu amigo de quatro patas. Quando se trata da doença do carrapato, cachorro pode apresentar diferentes sintomas do quadro. O problema pode se manifestar de várias formas no organismo do cachorro - algumas mais comuns do que outras. 

    10 mitos e verdades sobre a Leishmaniose canina!
    Prevenção e tratamentos

    10 mitos e verdades sobre a Leishmaniose canina!

    A leishmaniose canina pode trazer sérios problemas para a saúde do animal. A doença é classificada como uma zoonose (ou seja, seres humanos também podem contraí-la) e os cães domésticos são os principais hospedeiros. A transmissão ocorre pela picada do mosquito-palha infectado com o protozoário Leishmania infantum chagasi. A prevenção é muito importante, já que a doença pode levar humanos e cachorros à morte ou causar sérias sequelas. 

    Erliquiose canina: sintomas variam de acordo com os estágios da doença

    Quando se trata da erliquiose, sintomas são variáveis e vão depender do estágio em que o cãozinho se encontra. Para se ter uma ideia do panorama geral, o profissional esclarece: “A doença pode se manifestar de acordo com a fase da doença (subclínica, aguda ou crônica), com sintomas clássicos como febre, letargia, epistaxe (sangramento nasal) e petéquias (pequenas manchas vermelhas ou marrom espalhadas pelo corpo) até sintomas graves e inespecíficos como alterações articulares, uveíte e aqueles relacionados à hipoplasia medular, como mucosas pálidas e infecções secundárias recorrentes”.

    Todo cuidado é pouco, e por isso é muito importante conhecer muito bem o seu amigo de quatro patas para identificar qualquer sinal de anormalidade. Quando o cachorro está na fase aguda da doença, o quadro clínico da erliquiose canina é caracterizado por letargia, perda de peso e anorexia.

    “Já o quadro hemorrágico se manifesta na derme por petéquias, equimoses (manchas roxas) ou ambos. O sangramento mais frequente é a epistaxe, que é o sangramento nasal. Podem ocorrer ainda poliartrite e alterações neurológicas, como convulsões e ataxia (quando o paciente fica desorientado). Sinais oculares como uveíte e opacidade da córnea não são incomuns, podendo evoluir para cegueira”, alerta o especialista.

    Como é feito o diagnóstico da erliquiose canina?

    Embora alguns dos sintomas da erliquiose sejam comuns a outras doenças, não deixe de observar o comportamento do cachorro e procurar ajuda de um profissional assim que possível. Essa é a melhor forma de descobrir o que está acontecendo com o cãozinho e ajudá-lo a se recuperar, mas lembre-se de contar tudo direitinho para o veterinário. Quanto mais informação, melhor: “O diagnóstico da erliquiose canina constitui um desafio devido às diferentes fases de infecção e à variedade de manifestações clínicas. O conhecimento do comportamento do agente e da sensibilidade e especificidade de cada exame, bem como saber a fase de evolução clínica da doença, são importantes no momento de escolha do método diagnóstico”.

    Para evitar a erliquiose canina, é importante checar a pelagem do cachorro regularmente em busca de parasitas
    Para evitar a erliquiose canina, é importante checar a pelagem do cachorro regularmente em busca de parasitas

    Erliquiose canina: tratamento normalmente é feito com antibióticos

    Com a confirmação do diagnóstico, chega a parte que mais preocupa os tutores, que é a hora do tratamento. Erlichiose canina, assim como outras doenças de cachorro, precisa ser tratada sempre com o auxílio de um profissional que seja qualificado para tal, e nunca por conta própria - ou isso pode acabar prejudicando ainda mais a saúde do animal. O médico veterinário vai analisar cada caso individualmente e indicar os medicamentos mais adequados, que normalmente são antibióticos e outros remédios que vão servir como terapia de suporte. A notícia boa é que, conforme o médico veterinário explica, é possível alcançar a cura com o tratamento correto, mas, em alguns casos, pode ocorrer a recidiva da doença. Por isso, fique sempre atento!

    O controle de carrapatos é a melhor forma de prevenir a erliquiose

    Infelizmente, não existe vacina contra a erliquiose, mas isso não quer dizer que não é possível adotar algumas medidas preventivas para cuidar da saúde do cachorro. Como a doença é transmitida pelo carrapato marrom, a recomendação é evitar áreas com infestações de carrapato e fazer o controle desses parasitas no ambiente em que o cãozinho vive, principalmente com o uso de inseticidas. “A melhor prevenção é o controle do seu vetor com uso de produtos carrapaticidas (como comprimidos ou coleiras antiparasitárias) e vale lembrar que é de suma importância o controle do ambiente visando a não infestação”, orienta o veterinário.

    Além do mais, é sempre bom dar uma olhadinha nos pelos do cachorro para ter certeza de que não há pulgas nem carrapatos vivendo por ali (especialmente após os passeios ou viagens). Caso encontre alguma coisa, é importante remover os parasitas e observar se o seu cãozinho vai apresentar sintomas da doença.

    Redação: Juliana Melo

    Produtos contra carrapatos e pulgas também eliminam os parasitas do ambiente? Saiba tudo sobre a proteção!

    Próxima matéria

    Produtos contra carrapatos e pulgas também eliminam os parasitas do ambiente? Saiba tudo sobre a proteção!

    Babesiose canina: o que é e sintomas mais comuns. Saiba tudo sobre esse tipo da doença do carrapato!
    Carrapato

    Babesiose canina: o que é e sintomas mais comuns. Saiba tudo sobre esse tipo da doença do carrapato!

    Os carrapatos são o pesadelo de qualquer dono de cachorro! Além de provocar coceiras, alergias e outros incômodos, o parasita também é responsável por transmitir doenças muito graves aos cães. Mesmo que seja algo relativamente comum entre os animais, o problema não deve ser subestimado pelos tutores. A doença do carrapato, como é popularmente conhecida, pode se manifestar de quatro maneiras diferentes, dependendo da espécie do parasita infectado. A Babesiose canina é uma das principais formas de manifestação da enfermidade. Por isso, preparamos um guia completo sobre tudo o que você precisa saber!

    Galgo Afegão: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro
    Grandes

    Galgo Afegão: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro

    O Galgo Afegão, também chamado de Afghan Hound, é um cachorro originário do Oriente Médio com aparência exótica e charmosa, difícil de passar despercebido. O que poucas pessoas sabem é que, por trás da postura elegante e independente do cão Afegão, existe um ótimo companheiro de quatro patas, cheio de energia para gastar e amor para dar. Mas o que é necessário saber sobre essa raça de cachorro antes de comprar ou adotar um exemplar? Como é a personalidade do Afghan Hound e que cuidados são necessários com o cãozinho? 

    Cane Corso: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro gigante de origem italiana
    Grandes

    Cane Corso: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro gigante de origem italiana

    Um dos cãezinhos mais surpreendentes é o Cane Corso. Embora ele não seja tão popular quanto outras raças de cachorro grande, como o Labrador e o Golden Retriever, o Cane Corso é dono de um enorme coração e tem uma personalidade incrível. Algumas pessoas podem até se intimidar com o tamanho e a postura imponente do doguinho, mas só quem convive com um Cane Corso sabe como estes cães são adoráveis e carinhosos.

    Fox Terrier: características físicas, personalidade, cuidados e muito mais... saiba tudo sobre a raça
    Pequenos

    Fox Terrier: características físicas, personalidade, cuidados e muito mais... saiba tudo sobre a raça

    Os cães do grupo Terrier fazem sucesso por onde passam, e com o Fox Terrier não é diferente. Ele representa perfeitamente as raças de cachorro desse grupo: é animado, ativo, cheio de energia, habilidoso e, claro, incrivelmente fofo. Muitas pessoas chegam a confundi-lo com o Fox Paulistinha, uma raça de Terrier originária do Brasil que descende do cruzamento do Fox Terrier com outros cães. No entanto, esses dois doguinhos são bem diferentes entre si, especialmente no que diz respeito à pelagem e traços físicos.

    Ver Todas >