Carrapato

O que é erliquiose? Saiba tudo sobre esse tipo de doença do carrapato

A erliquiose - ou doença do carrapato - é uma doença com diferentes estágios. Saiba mais
A erliquiose - ou doença do carrapato - é uma doença com diferentes estágios. Saiba mais

É praticamente impossível não se preocupar com a saúde do cachorro, principalmente quando eles ficam doentes. A erliquiose canina, que se enquadra na chamada doença do carrapato, é um problema mais comum do que se imagina e que pode afetar gravemente o organismo do animal. Embora seja mais frequente durante as estações mais quentes do ano, é importante redobrar a atenção com o cãozinho sempre que surgirem mudanças no seu comportamento que sejam indicativos da doença. Para tirar todas as dúvidas sobre a erliquiose ou erlichiose (sintomas, causas, tratamento e prevenção), entrevistamos o médico veterinário Fabio Ramires Veloso, de Nova Friburgo (RJ). Veja tudo que você precisa saber sobre o assunto abaixo!

A erliquiose é uma doença séria que precisa de atenção

Por trás da fofura de um cachorro existe um bichinho vulnerável a várias doenças perigosas, como a erliquiose. Mas do que se trata essa doença e quais são as causas desse quadro? O especialista explica: “A erliquiose monocítica canina (EMC), ou doença do carrapato, é uma patologia causada pela bactéria gram-negativa Erlichia canis da ordem Rickettsiales, que afeta os cães e outros membros da família Canidae, como lobos e raposas”.

Na prática, a doença tem o carrapato marrom como vetor, e a transmissão ocorre por meio de picadas que invadem a corrente sanguínea dos cães e parasitam diferentes células no corpo destes animais. No caso da erliquiose, as bactérias são as responsáveis pelo desenvolvimento do problema. Vale destacar ainda que o quadro pode afetar todos os cachorros, independentemente da raça, sexo e idade.

“Existem três estágios: assintomática (subclínica), aguda e crônica”, explica o médico veterinário. Cada um desses estágios, por sua vez, é caracterizado por diferentes sintomas (ou até a ausência deles, no caso da fase assintomática). Portanto, é importante ficar muito atento em como a doença se manifesta no organismo do seu amigo para entender em qual estágio ele se encontra.

Babésia e erlichiose: diferença entre os quadros vai além do nome

Para quem não sabe, a doença do carrapato pode se apresentar de diversas formas, sendo as mais comuns a erlichiose e a babesiose. Apesar da diferença entre os nomes, muitas pessoas ainda confundem os dois quadros, já que ambos são transmitidos pelo carrapato marrom. No entanto, o que realmente distingue uma da outra é a forma como cada uma age no organismo canino, que podem interferir, inclusive, nas manifestações clínicas das doenças. “A diferença principal é que a babésia é causada por um protozoário que infecta e destrói células vermelhas do sangue e a erliquiose é causada por uma bactéria que infecta e destrói as células brancas (monócitos e linfócitos)”, informa Fabio. 

Faça o quiz e descubra se você tem alergia a gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

Como você fica ao chegar na casa de um amigo que tem um gato?

O que acontece quando se aproxima de gatinhos na rua ou em feiras de adoção?

As crises alérgicas costumam acontecer:

O que acontece quando você fica perto de alguém que está com a roupa cheia de pelos de gato?

Como seu corpo reage ao entrar em contato com um filhotinho de gato na rua?

Quais são os seus sintomas mais comuns durante uma crise alérgica?

O que você faz para melhorar um quadro de alergia?

É bem provável que você tenha alergia a gatos e precise consultar um especialista As crises alérgicas fazem parte da sua rotina, mas será que é por causa dos gatos? Passe livre para ter um gatinho: você não tem alergia aos bichanos!
    O vetor da erliquiose é o carrapato marrom
    O vetor da erliquiose é o carrapato marrom

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    Erliquiose canina: sintomas variam de acordo com os estágios da doença

    Quando se trata da erliquiose, sintomas são variáveis e vão depender do estágio em que o cãozinho se encontra. Para se ter uma ideia do panorama geral, o profissional esclarece: “A doença pode se manifestar de acordo com a fase da doença (subclínica, aguda ou crônica), com sintomas clássicos como febre, letargia, epistaxe (sangramento nasal) e petéquias (pequenas manchas vermelhas ou marrom espalhadas pelo corpo) até sintomas graves e inespecíficos como alterações articulares, uveíte e aqueles relacionados à hipoplasia medular, como mucosas pálidas e infecções secundárias recorrentes”.

    Todo cuidado é pouco, e por isso é muito importante conhecer muito bem o seu amigo de quatro patas para identificar qualquer sinal de anormalidade. Quando o cachorro está na fase aguda da doença, o quadro clínico da erliquiose canina é caracterizado por letargia, perda de peso e anorexia.

    “Já o quadro hemorrágico se manifesta na derme por petéquias, equimoses (manchas roxas) ou ambos. O sangramento mais frequente é a epistaxe, que é o sangramento nasal. Podem ocorrer ainda poliartrite e alterações neurológicas, como convulsões e ataxia (quando o paciente fica desorientado). Sinais oculares como uveíte e opacidade da córnea não são incomuns, podendo evoluir para cegueira”, alerta o especialista.

    Como é feito o diagnóstico da erliquiose canina?

    Embora alguns dos sintomas da erliquiose sejam comuns a outras doenças, não deixe de observar o comportamento do cachorro e procurar ajuda de um profissional assim que possível. Essa é a melhor forma de descobrir o que está acontecendo com o cãozinho e ajudá-lo a se recuperar, mas lembre-se de contar tudo direitinho para o veterinário. Quanto mais informação, melhor: “O diagnóstico da erliquiose canina constitui um desafio devido às diferentes fases de infecção e à variedade de manifestações clínicas. O conhecimento do comportamento do agente e da sensibilidade e especificidade de cada exame, bem como saber a fase de evolução clínica da doença, são importantes no momento de escolha do método diagnóstico”.

    Para evitar a erliquiose canina, é importante checar a pelagem do cachorro regularmente em busca de parasitas
    Para evitar a erliquiose canina, é importante checar a pelagem do cachorro regularmente em busca de parasitas

    Erliquiose canina: tratamento normalmente é feito com antibióticos

    Com a confirmação do diagnóstico, chega a parte que mais preocupa os tutores, que é a hora do tratamento. Erlichiose canina, assim como outras doenças de cachorro, precisa ser tratada sempre com o auxílio de um profissional que seja qualificado para tal, e nunca por conta própria - ou isso pode acabar prejudicando ainda mais a saúde do animal. O médico veterinário vai analisar cada caso individualmente e indicar os medicamentos mais adequados, que normalmente são antibióticos e outros remédios que vão servir como terapia de suporte. A notícia boa é que, conforme o médico veterinário explica, é possível alcançar a cura com o tratamento correto, mas, em alguns casos, pode ocorrer a recidiva da doença. Por isso, fique sempre atento!

    O controle de carrapatos é a melhor forma de prevenir a erliquiose

    Infelizmente, não existe vacina contra a erliquiose, mas isso não quer dizer que não é possível adotar algumas medidas preventivas para cuidar da saúde do cachorro. Como a doença é transmitida pelo carrapato marrom, a recomendação é evitar áreas com infestações de carrapato e fazer o controle desses parasitas no ambiente em que o cãozinho vive, principalmente com o uso de inseticidas. “A melhor prevenção é o controle do seu vetor com uso de produtos carrapaticidas (como comprimidos ou coleiras antiparasitárias) e vale lembrar que é de suma importância o controle do ambiente visando a não infestação”, orienta o veterinário.

    Além do mais, é sempre bom dar uma olhadinha nos pelos do cachorro para ter certeza de que não há pulgas nem carrapatos vivendo por ali (especialmente após os passeios ou viagens). Caso encontre alguma coisa, é importante remover os parasitas e observar se o seu cãozinho vai apresentar sintomas da doença.

    Redação: Juliana Melo

    Como funciona a coleira antipulgas para cachorro?

    Próxima matéria

    Como funciona a coleira antipulgas para cachorro?

    Babesiose canina: o que é e sintomas mais comuns. Saiba tudo sobre esse tipo da doença do carrapato!
    Carrapato

    Babesiose canina: o que é e sintomas mais comuns. Saiba tudo sobre esse tipo da doença do carrapato!

    Os carrapatos são o pesadelo de qualquer dono de cachorro! Além de provocar coceiras, alergias e outros incômodos, o parasita também é responsável por transmitir doenças muito graves aos cães. Mesmo que seja algo relativamente comum entre os animais, o problema não deve ser subestimado pelos tutores. A doença do carrapato, como é popularmente conhecida, pode se manifestar de quatro maneiras diferentes, dependendo da espécie do parasita infectado. A Babesiose canina é uma das principais formas de manifestação da enfermidade. Por isso, preparamos um guia completo sobre tudo o que você precisa saber!

    Saiba tudo sobre o gato Himalaia: origem, características, personalidade, cuidados e muito mais
    Raças

    Saiba tudo sobre o gato Himalaia: origem, características, personalidade, cuidados e muito mais

    O gato Himalaia é, sem dúvidas, uma das raças mais queridinhas e desejadas pelos amantes de felinos. Ele reúne em sua genética a mistura de outras duas raças que são muito populares: o gato Persa e o Siamês. Ou seja, é carisma e fofura em dose dupla! Além disso, esse gatinho tem uma personalidade super dócil e tranquila, sendo a companhia perfeita para quem sempre sonhou em ter um bichinho de estimação. Se esse é o seu caso, ou se você já tem um gato do Himalaia e quer conhecer tudo sobre ele, essa matéria vai te ajudar bastante. 

    Rinotraqueíte felina: saiba tudo sobre a doença respiratória que acomete os gatinhos!
    Saúde

    Rinotraqueíte felina: saiba tudo sobre a doença respiratória que acomete os gatinhos!

    Os períodos de chuva e frio demandam mais atenção ainda com a saúde dos felinos. Mesmo vivendo dentro de casa e sem acesso às ruas, os gatinhos não estão imunes a algumas doenças que podem surgir com as mudança do tempo. Uma delas é a rinotraqueíte felina: se você tem um gato, já ouviu falar sobre ela por ser bem comum entre os bichanos. Mas, se você ainda não sabe muito sobre a doença, não se preocupe, pois o Patas da Casa vai te esclarecer as principais dúvidas sobre a doença. Para isso, conversamos com a veterinária Vivian Valério, do Rio de Janeiro!

    Saiba tudo sobre a raça Devon Rex: origem, personalidade, cuidados e muito mais
    Raças

    Saiba tudo sobre a raça Devon Rex: origem, personalidade, cuidados e muito mais

    Pensa em um gatinho brincalhão e cheio de energia: esse é o Devon Rex. Embora essa não seja uma das raças de gato mais populares entre os brasileiros, é praticamente impossível conhecer um Devon Rex e não se apaixonar por ele. Além de ser um grande companheiro, o comportamento do gato desta raça é bastante peculiar e muitas pessoas até chegam a comparar o bichano com um cachorro. Para conhecer mais a fundo este peludinho, é só dar uma olhada no guia que preparamos com tudo que você precisa saber sobre o Devon Rex Cat.

    Ver Todas >

    Quais doenças de cachorro são mais comuns no inverno?
    Saúde animal

    Quais doenças de cachorro são mais comuns no inverno?

    Não são só os humanos que ficam mais propensos a ficar doentes no inverno. Algumas doenças de cachorro também são mais frequentes e intensas durante a época mais fria do ano. Isso acontece porque as defesas do organismo tendem a cair com as temperaturas mais baixas. Portanto, é importante manter seu cãozinho agasalhado e sempre com as vacinas em dia. Os problemas mais comuns são aquelas que acometem o sistema respiratório, mas cachorros com problemas nas articulações também sofrem.

    Pneumonia felina: entenda como a doença se manifesta nos gatos
    Saúde animal

    Pneumonia felina: entenda como a doença se manifesta nos gatos

    Assim como nos humanos, a pneumonia em gatos é uma doença bastante comum e pode surgir como uma consequência de gripes comuns. O problema ocorre quando há uma infecção no pulmão, e pode ter causas associadas a fatores externos ou internos. O tratamento precisa ser imediato, pois é uma doença que evolui rapidamente e pode até levar a óbito. O Patas da Casa reuniu informações essenciais para entender como a pneumonia felina se manifesta.

    Quais as doenças de gato mais perigosas?
    Saúde animal

    Quais as doenças de gato mais perigosas?

    É inevitável se preocupar com a saúde do gato, até porque nenhum tutor gosta de ver o próprio bichinho doente. E, às vezes, mesmo com todos os cuidados necessários, ainda corre o risco dos bichanos adoecerem inesperadamente. Mas quais são as doenças de gato consideradas mais graves e que precisam de maior atenção? A FIV e FeLV são bons exemplos disso, pois o diagnóstico positivo requer mudanças na rotina do pet. 

    Cachorro não quer comer? Veja os problemas de saúde mais relacionados com o sintoma
    Saúde animal

    Cachorro não quer comer? Veja os problemas de saúde mais relacionados com o sintoma

    A falta de apetite é um sintoma comum a muitas doenças que acometem os cães. É normal um tutor relatar "meu cachorro não quer comer", mas algumas vezes o cão apenas tem apetite seletivo ou o dia está muito quente. Porém, se a situação se estender e vier acompanhada de outros sintomas, pode significar uma infecção viral ou bacteriana, contaminação por parasita, problemas digestivos ou renais e até mesmo questões psicológicas. 

    Ver Todas >