Saúde

Gato tem depressão? Descubra se a doença pode afetar os felinos ou não

Depressão em gatos: descubra como a doença se manifesta no universo felino
Depressão em gatos: descubra como a doença se manifesta no universo felino

Será que os gatos podem ter depressão? Se você já viu um gatinho triste e cabisbaixo, esse questionamento certamente passou pela sua cabeça. Afinal, não é do feitio dos felinos perder o interesse por coisas que eles gostam, como correr atrás de brinquedos ou saborear um petisco. Então como saber se um gato tem depressão? Como essa doença se manifesta no comportamento felino e quais os principais indícios de que o animal precisa de ajuda? Para sanar todas as dúvidas sobre o assunto, o Patas da Casa conversou com a médica veterinária Vanessa Zimbres, da clínica Gato é Gente Boa. Veja só o que ela nos contou!

Patas da Casa: os gatos podem ter depressão? Como isso acontece?

Vanessa Zimbres: segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), a depressão é definida como um transtorno mental caracterizado por tristeza persistente e pela perda de interesse em atividades que normalmente são prazerosas, acompanhadas da incapacidade de realizar atividades diárias durante, pelo menos, duas semanas. Em animais, essa condição também já é conhecida e os especialistas em comportamento a definem com "ausência de alegria".

Nos gatos, em especial, que podemos considerar como animais "semi domesticados", essa condição pode ser mais comum e mais subestimada do que imaginamos, pois um gato que não tem a oportunidade de expressar seu comportamento natural pode desenvolver problemas comportamentais que, em muitos casos, são associados a um quadro de depressão.

PDC: O que pode causar a depressão felina?

V.Z: Partimos do princípio de que gatos são animais territorialistas, independentes e caçadores. Quando o felino não tem a oportunidade de manifestar esse comportamento, já é motivo para ser um gato depressivo. Eles precisam de áreas seguras de descanso em locais altos, sem acesso de outros animais e que seja tranquilo; além de arranhadores para que possam afiar as unhas. Também devem ter a oportunidade de expressarem seus comportamentos de caça e sentidos, como tato e olfato; devem ter seu tempo e espaço respeitados, incluindo a interação com pessoas. E o mais importante é disponibilizar tudo isso para cada gato, principalmente em residências onde existem gatos coabitando.

Outros fatores que podem desencadear o estresse em um gato e predispor a desenvolver quadros de depressão são situações que fujam de um ambiente previsível. Alguns exemplos são: mudança na rotina, como viagem dos seus tutores ou novo horário de trabalho, adoção de outro animal, mudança de alguém da família, morte de alguém da família ou de um gato companheiro, mudança de casa, reformas, dentre vários outros.

PDC: Como identificar um gato com depressão?

V.Z.: Um gato com depressão vai perder o interesse em fazer coisas do dia a dia, vai ficar mais tímido e retraído, incluindo sua relação de interação com o tutor, não o procurando para receber carinho, diminuindo o seu ronronar ou até mesmo sendo agressivo quando tocado. Alguns gatos podem desenvolver sintomas mais graves, como alterações no apetite, perda ou ganho de peso, diminuição da sua higienização, lambedura compulsiva, dentre outros.

Faça o quiz e descubra se você tem alergia a gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

Como você fica ao chegar na casa de um amigo que tem um gato?

O que acontece quando se aproxima de gatinhos na rua ou em feiras de adoção?

As crises alérgicas costumam acontecer:

O que acontece quando você fica perto de alguém que está com a roupa cheia de pelos de gato?

Como seu corpo reage ao entrar em contato com um filhotinho de gato na rua?

Quais são os seus sintomas mais comuns durante uma crise alérgica?

O que você faz para melhorar um quadro de alergia?

É bem provável que você tenha alergia a gatos e precise consultar um especialista As crises alérgicas fazem parte da sua rotina, mas será que é por causa dos gatos? Passe livre para ter um gatinho: você não tem alergia aos bichanos!
    O gato com depressão fica mais retraído do que o normal e perde o interesse por coisas que antes ele gostava
    O gato com depressão fica mais retraído do que o normal e perde o interesse por coisas que antes ele gostava

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    PDC: O que fazer ao perceber um gato depressivo?

    V.Z: Antes de presumir que um gato pode estar deprimido, um veterinário especialista deve ser consultado para identificar a possibilidade da existência de qualquer doença física. Muitos gatos com dor crônica podem manifestar os mesmos sintomas que um gato com depressão ou estresse. Gatos que se tornam agressivos à medida que envelhecem, podem, simplesmente, estarem sentindo dor! De nada adianta fazer um tratamento comportamental se o problema é físico. Sendo o gato um mestre em esconder doenças, o clínico especialista em felinos é o melhor profissional a ser consultado. Gatos se comportam diferente de cães! Após descartado qualquer problema de saúde física, o especialista clínico pode, ainda, trabalhar em conjunto com o especialista em comportamento para ajudar o paciente.

    PDC: Existe tratamento e cura para a depressão em gatos?

    V.Z: Sim, por isso é tão importante conhecer, não somente o comportamento felino, como também tentar descobrir onde está o problema. Conversar com o tutor, conhecer suas rotinas, o ambiente que o animal vive e manejá-lo pode ser o suficiente para sanar o problema. Medicamentos somente em último caso! Como na medicina humana, o tratamento de depressão consiste na administração de antidepressivos em conjunto com a psicoterapia, que no caso dos gatos é feita com o enriquecimento ambiental. Em casos mais graves, o uso de ansiolíticos pode ser associado ao tratamento com bons resultados, desde que acompanhados pelo especialista.

    PDC: É possível prevenir a depressão felina? Se sim, como?

    V.Z: Sim! Podemos não somente prevenir, como tratar a depressão dando a oportunidade de o gato ser um gato! A primeira coisa a se considerar é uma rotina. E quando dizemos rotina não significa que queremos algo tedioso e, sim, previsível. Gatos gostam de acordar, comer, usar a caixinha nos mesmos horários pela manhã, ter sua hora de descanso, hora de brincadeira e por aí vai.

    Podemos evitar o tédio colocando grãozinhos de ração em comedouros especiais ou em brinquedos em diversos locais escondidos pela casa. Deixar brinquedinhos diferentes e incentivar a caça fazendo-os brincar com varinhas junto ao tutor por, pelo menos, 15 minutos ao dia.  Lembrar que da mesma forma que crianças enjoam de brinquedos, os gatos também! E como os brinquedos mimetizam a caça, eles vão os destruir! A disponibilidade de arranhadores e tocas para eles se exercitarem, esconderem ou mesmo descansarem, também é importante.

    Se o estresse for algo previsível, como mudança de casa, reforma, ou mudança de alguém da família, além de todas essas distrações, podemos fazer o uso de feromônio sintético felino no ambiente de acordo com a situação.

    Devemos nos lembrar que gatos são animais que dão a falsa impressão de que são de baixa manutenção. Eles não precisam sair para passear para fazer suas necessidades, em contrapartida, sofrem em silêncio quando não tem a oportunidade de serem gatos.  A saúde de um pet vai além de bom alimento, caminha macia e caixinha de areia limpa. Precisamos nos atentar à saúde mental dos nossos bichanos para termos gatos mais felizes em casa!

    Redação: Juliana Melo

    Como funciona a coleira antipulgas para cachorro?

    Próxima matéria

    Como funciona a coleira antipulgas para cachorro?

    Esporotricose em gatos: conheça mais sobre essa doença grave que pode atingir os felinos
    Saúde

    Esporotricose em gatos: conheça mais sobre essa doença grave que pode atingir os felinos

    A esporotricose em gatos é uma das doenças mais graves que pode atingir os felinos. Isso porque ela evolui muito rápido para a fase disseminada, causando sérios riscos à vida do gatinho. Provocada por um fungo presente em vegetações, a “micose” apresenta feridas bem características na pele do felino, sendo esse um dos principais sintomas da doença. Apesar da complexidade da infecção, o tratamento correto é capaz de curar essa doença de gato. Esporotricose também pode ser prevenida com alguns cuidados específicos no dia a dia do seu felino. Para saber mais sobre a doença, nós conversamos com o médico veterinário Frederico Lima, do Rio de Janeiro.

    Meu gato não quer comer, o que devo fazer? Dicas para cuidar da alimentação do felino
    Ração

    Meu gato não quer comer, o que devo fazer? Dicas para cuidar da alimentação do felino

    Um dos sinais mais comuns que os gatos demonstram que alguma coisa não vai bem com a saúde é não querer comer ou comer bem pouco. Os motivos podem ser os mais diversos, desde uma leve indisposição a problemas mais graves. Por isso, conhecer bem o comportamento do seu felino e ficar atento aos demais sinais é essencial para agir corretamente e buscar ajuda veterinária a tempo. Para ajudar, vamos tirar algumas dúvidas e dar dicas de como fazer o seu gato voltar a comer.

    Gato Birmanês: conheça todas as características desse adorável felino
    Raças

    Gato Birmanês: conheça todas as características desse adorável felino

    O Birmanês, que também é conhecido como gato Sagrado da Birmânia, é um animal super dócil e elegante que tem muita história para contar. O gato da Birmânia é descendente de animais que eram venerados como deuses entre o século XV e XVI nos templos budistas do sudeste asiático. Muito sensível, a raça de gato é conhecida pelo companheirismo, já que se apega facilmente à família humana. O gato Birmanês gosta de explorar e é curioso, mas diferente dos outros gatos, ele gosta da estabilidade do chão e não gosta muito de altura.

    Quantidade de ração para gatos: descubra qual a porção ideal em cada fase da vida do felino
    Ração

    Quantidade de ração para gatos: descubra qual a porção ideal em cada fase da vida do felino

    A ração para gato filhote ou adulto gera muitas dúvidas. Qual a quantidade de ração para gatos ideal em cada fase de vida do bichano? Uma coisa é certa: uma boa ração de gato é fundamental para mantê-lo saudável. No entanto, é preciso atenção com as porções para evitar problemas como o gato obeso e outras patologias que podem prejudicar a saúde do bichano.      

    Ver Todas >

    Quais doenças de cachorro são mais comuns no inverno?
    Saúde animal

    Quais doenças de cachorro são mais comuns no inverno?

    Não são só os humanos que ficam mais propensos a ficar doentes no inverno. Algumas doenças de cachorro também são mais frequentes e intensas durante a época mais fria do ano. Isso acontece porque as defesas do organismo tendem a cair com as temperaturas mais baixas. Portanto, é importante manter seu cãozinho agasalhado e sempre com as vacinas em dia. Os problemas mais comuns são aquelas que acometem o sistema respiratório, mas cachorros com problemas nas articulações também sofrem.

    Pneumonia felina: entenda como a doença se manifesta nos gatos
    Saúde animal

    Pneumonia felina: entenda como a doença se manifesta nos gatos

    Assim como nos humanos, a pneumonia em gatos é uma doença bastante comum e pode surgir como uma consequência de gripes comuns. O problema ocorre quando há uma infecção no pulmão, e pode ter causas associadas a fatores externos ou internos. O tratamento precisa ser imediato, pois é uma doença que evolui rapidamente e pode até levar a óbito. O Patas da Casa reuniu informações essenciais para entender como a pneumonia felina se manifesta.

    Quais as doenças de gato mais perigosas?
    Saúde animal

    Quais as doenças de gato mais perigosas?

    É inevitável se preocupar com a saúde do gato, até porque nenhum tutor gosta de ver o próprio bichinho doente. E, às vezes, mesmo com todos os cuidados necessários, ainda corre o risco dos bichanos adoecerem inesperadamente. Mas quais são as doenças de gato consideradas mais graves e que precisam de maior atenção? A FIV e FeLV são bons exemplos disso, pois o diagnóstico positivo requer mudanças na rotina do pet. 

    Cachorro não quer comer? Veja os problemas de saúde mais relacionados com o sintoma
    Saúde animal

    Cachorro não quer comer? Veja os problemas de saúde mais relacionados com o sintoma

    A falta de apetite é um sintoma comum a muitas doenças que acometem os cães. É normal um tutor relatar "meu cachorro não quer comer", mas algumas vezes o cão apenas tem apetite seletivo ou o dia está muito quente. Porém, se a situação se estender e vier acompanhada de outros sintomas, pode significar uma infecção viral ou bacteriana, contaminação por parasita, problemas digestivos ou renais e até mesmo questões psicológicas. 

    Ver Todas >