Gatos são conhecidos pela independência e instinto territorialista, mas a verdade é que os felinos também são muito apegados aos seus pertences. Casa, brinquedos, caminha, móveis e humanos, tudo entra nessa lista. Se o seu gato costuma ter um lugar preferido para dormir ou ama ficar na janela observando o movimento da rua, saiba que qualquer mudança na rotina pode deixá-lo estressado, ansioso e até doente. A mudança de casa, desde o transporte até a adaptação ao novo ambiente, precisa ser pensada para não traumatizar o seu bichano.

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

Levo o gato antes ou depois? Como deve ser a adaptação no novo ambiente? O que fazer para que ele se sinta em casa? Essas e outras perguntas são muito comuns. Veja abaixo algumas dicas do que fazer - e do que não fazer também - para deixar o seu gato mais à vontade depois de uma mudança.

Antes da mudança: prepare o novo ambiente e garanta a tela de proteção para gatos

Os animais de estimação acabam sendo deixados em segundo plano na programação de uma mudança de casa. O ideal é que você prepare o novo ambiente para recebê-los. A tela de proteção para gatos é indispensável, inclusive em basculantes e janelas mais altas, para evitar fugas - sim, o felino pode querer voltar para a casa antiga - e até acidentes graves.

Você também precisa se preparar para o transporte de uma casa para outra e uma forma de fazer isso é treinar o gatinho para que se acostume com a caixinha. Comece deixando a caixa aberta em casa com alguns petiscos e brinquedos dentro - isso vai atrair a atenção dele. Quando ele estiver entretido, experimente fechar a caixa e dar algumas voltas com ele pela casa, sempre recompensando com mais petiscos e carinho. Faça isso repetidas vezes, até que ele fique mais tranquilo e deixe de reclamar!


Os gatinhos Tom e Petit Gatô passaram por uma mudança de casa recentemente e já estão super adaptados ao novo lar!
Os gatinhos Tom e Petit Gatô passaram por uma mudança de casa recentemente e já estão super adaptados ao novo lar!

Gato medroso: como prepará-lo para a mudança?

Gatos medrosos deixam o processo de mudança mais sensível ainda, já que qualquer movimento brusco pode assustá-lo. O ideal é deixar o bichano preso em um ambiente com pouca movimentação de pessoas, principalmente estranhos. Uma outra possibilidade é levar o gato para a casa de um amigo e só buscá-lo quando a mudança já estiver completa.

Mesmo com um certo cuidado, o gato Tom - que normalmente já é muito medroso - acabou ficando muito estressado na hora da mudança. “Nós deixamos ele em um cômodo, mas tivemos que passá-lo para o outro lado da casa durante a dinâmica de mudança. Nessa hora, ele começou a miar muito alto, se esquivou e chegou a machucar a outra dona dele”, conta a publicitária Miriã Lisboa. Apesar do susto, ele apenas se escondeu e ficou lá até a retirada de todos os móveis e caixas. “Ficou o aprendizado do que não fazer em uma mudança futura”.

Adaptação de gatos em casas novas: como apresentá-los ao lar?

Com o episódio, as donas do Tom e do Petit Gatô - o outro gatinho da casa - decidiram só levá-los para a casa nova com a mudança finalizada. Com todos os móveis praticamente montados, casa limpa e silêncio, os felinos finalmente puderam conhecer o novo lar. Muito curioso e mais destemido, o Petit logo saiu da caixa de transportes e foi explorar o ambiente. “O Tom passou a tarde inteira dentro da caixinha e apenas colocava a cabeça para fora de vez em quando. Demos alguns petiscos e ração molhada e deixamos ele perto das coisas que já conhecia”, relembrou.

À noite, o Tom já estava mais calmo e seguindo o irmão para todos os lados. “Aprendemos com o outro erro e deixamos ele sair do tempo dele. A adaptação depois disso foi super tranquila”, garantiu Miriã.

Mudança de casa: 5 dicas para adaptar o seu gato

Dica 1: nos primeiros dias, pode ser interessante deixar o gato restrito a um ambiente, principalmente se houver muita movimentação de pessoas e barulho de ferramentas;

Dica 2: na hora de soltá-los, espalhe petiscos pela casa. Isso vai atiçar mais ainda a curiosidade dele;

Dica 3: instalar prateleiras, estantes e arranhador para gato pode ser uma boa estratégia para distrair o seu bichinho e, consequentemente, fazer com que ele se sinta mais em casa;

Dica 4: deixe o gatinho perto dos seus pertences, incluindo caminha, potes de comida e até móveis em que ele costuma ficar. Na hora de arrumar a nova casa, essa pode ser a primeira caixa a ser aberta;

Dica 5: brinquedos para gatos são uma forma de deixá-los entretidos e podem ajudar na adaptação. Interaja com o gatinho e o estimule a conhecer os outros ambientes, sempre respeitando o seu tempo.

Tenha paciência com o seu gatinho depois da mudança

Os gatos são bichinhos únicos e com características peculiares. Como você viu, a mudança de casa precisa ser bem planejada para garantir o bem-estar e segurança do felino. É importante ficar atento aos sintomas de estresse e ansiedade também, que incluem falta de apetite, apatia, dificuldade para fazer xixi e cocô e até agressividade - questões muito comuns depois de qualquer alteração na rotina deles. Em todos os casos, o ideal é buscar a ajuda de um veterinário. Por fim, tenha paciência com o seu bichinho, ele pode estar confuso e até triste com toda essa situação e precisa do seu apoio e cuidado!

Redação: Luana Lopes