O Birmanês, que também é conhecido como gato Sagrado da Birmânia, é um animal super dócil e elegante que tem muita história para contar. O gato da Birmânia é descendente de animais que eram venerados como deuses entre o século XV e XVI nos templos budistas do sudeste asiático. Muito sensível, a raça de gato é conhecida pelo companheirismo, já que se apega facilmente à família humana. O gato Birmanês gosta de explorar e é curioso, mas diferente dos outros gatos, ele gosta da estabilidade do chão e não gosta muito de altura. Para saber mais sobre essa incrível raça, o Patas da Casa preparou um guia sobre o Birmanês com todas as informações sobre saúde, origem, personalidade e cuidados. 

Qual a história do gato Sagrado da Birmânia?

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

Os felinos são protagonistas de diversas histórias místicas e não é diferente quando falamos do gato Birmanês. No sudeste asiático, em um país chamado Birmânia (hoje o atual Myanmar), os templos eram guardados por gatos brancos. Até que certa noite invasores entraram no templo enquanto um sacerdote estava em adoração e o mataram. Segundo a história, o gato que o acompanhava permaneceu com seu dono por sete dias, até levar a alma do sacerdote para o paraíso. Até hoje, quando um dos gatos sagrados do templo morre, acredita-se que a alma do felino acompanha a alma de um dos sacerdotes até o paraíso.

Em 1919 o templo foi invadido novamente e os sacerdotes foram ajudados por Auguste Pavie e Major Gordon Russell. Como uma forma de agradecimento, os sacerdotes asiáticos presentearam esses homens, que moravam na França, com um casal reprodutor de gatos Birmaneses, que serviram como a base da reprodução da raça no ocidente. A raça de gato Birmanês permaneceu se reproduzindo na Europa por um bom tempo, quando no final da Segunda Guerra Mundial apenas um casal reprodutor de gatos Birmaneses restou.

Para a raça se manter viva, um vasto trabalho foi feito. Os primeiros Birmaneses foram exportados para a Grã-Bretanha na década de 1960. Os filhotes de gato Birmanês foram levados para outros países da Europa, até que em 1966 a raça foi reconhecida na Grã-Bretanha - e no ano seguinte nos Estados Unidos. A raça é conhecida até hoje como Sagrado Gato da Birmânia em países europeus.


Sagrado da Birmânia: as patinhas brancas são uma das características mais marcantes da raça
Sagrado da Birmânia: as patinhas brancas são uma das características mais marcantes da raça

Birmanês: gato sagrado é conhecido pela elegância de suas características físicas

As características físicas do gato Birmanês são de uma elegância incontestável. Nada mais propício para um gato sagrado, não é mesmo? Essa raça de gato possui uma pelagem sedosa que varia de comprimento médio a longo. Os pelos são mais claros no corpo e mais escuros nas extremidades (focinho, orelhas e rabo), assim como o gato Siamês. Uma característica marcante que diferencia a raça são as patas brancas independente da cor do bichano, como se fossem umas botinhas naturais. A altura da raça varia entre 20 e 30cm e pesa de 4kg a 8kg. As principais variedades de cores são o Birmanês preto, dourado, cinza e azul. O gatinho possui um focinho mais arredondado, chamado de "nariz romano", e orelhas médias.

Como é o comportamento do gato Birmanês?

Esse felino é muito dócil, sensível e apegado à família humana, gostando muito de colo e carinho, mas apenas de conhecidos. O gato Birmanês é territorialista, o que pode deixar ele mais tímido com estranhos. A relação de apego com o tutor pode fazer com que esse gatinho demonstre ciúmes, mas nunca de forma agressiva. Muito companheiros, gentis, afetuosos e tranquilos. Eles não gostam nenhum pouco de ficar sozinhos ou serem deixados de lado. Geralmente o Birmanês se apega mais a uma pessoa da família, escolhendo seu tutor principal. Esse felino é inteligente, confiável e obediente.

Gato da Birmânia: o que você precisa saber sobre a saúde desse bichano?

Os gatos da raça Birmanês podem sofrer com algumas doenças genéticas, como a degeneração espongiforme, uma condição que ataca o sistema nervoso e causa fraqueza nos membros. Assim como a aplasia tímica, que é uma imunodeficiência que aumenta o risco de infecções.. Além disso, essa raça de gato pode sofrer com alteração de gene que afeta o nervo óptico, ocasionando problemas de visão. A hipotricose congênita, que é uma enfermidade que faz com que os gatos nasçam sem pelos no corpo também é vista com frequência na raça.


A expectativa de vida de um Gato da Birmânia é de 16 anos
A expectativa de vida de um Gato da Birmânia é de 16 anos

Quais os cuidados mais necessários com a raça Birmanês?

Por ser um gato que costuma ser muito apegado aos seus tutores, esse bichano precisa de muita atenção e não deve ficar sozinho por muito tempo em casa, pois pode acabar desenvolvendo depressão e outros problemas de saúde. O que pode ajudar a estabelecer uma conexão maior com seus tutores, e também é considerada uma forma de cuidado, são as brincadeiras e os ensinamentos de truques para felinos. As brincadeiras preferencialmente devem ser realizadas no chão, pois diferente da maioria dos gatos, o Birmanês não gosta muito das alturas.

Por ser um bichano robusto, o Birmanês pode acabar desenvolvendo obesidade felina. Por isso é muito importante que ele receba uma alimentação de qualidade e adequada à fase de vida. Além disso, promover brincadeiras ajudará o gato a se manter sempre em movimento. Por ser muito peludinho, a pelagem do Sagrado da Birmânia deve ser escovado todos os dias para evitar nós e bolas de pelos, que podem ser bem prejudiciais para a saúde dos felinos. Com os cuidados adequados, o gato Birmanês pode viver uma média de 16 anos.

Gato Sagrado da Birmânia: preço não é tão alto como de outras raças de gato

O preço de um filhote Sagrado da Birmânia gira em torno de R$4 mil, mas o valor pode variar de acordo com a cor da pelagem (algumas cores mais raras, por exemplo, custam mais caro). Antes de comprar um gato, verifique a procedência do gatil ou do criador para não financiar os maus tratos de animais e adquirir o pet com segurança.

Redação: Hyago Bandeira