close
Saúde

FIV felina: entenda os estágios e sintomas mais comuns da doença

Atualizado · 04 de janeiro de 2022 · 17h14

Publicado · 19/12/2019 · 15h37

A FIV felina é uma doença muito grave e que pode até ser fatal
A FIV felina é uma doença muito grave e que pode até ser fatal

A FIV felina é uma doença que pode afetar os nossos amigos de quatro patas e é super perigosa. Gatos podem sofrer com essa doença, que também é conhecida como AIDS felina e é causada pelo vírus da imunodeficiência felina. Esse é um dos piores quadros que os gatinhos podem ter durante a vida e a patologia se desenvolve em diferentes estágios, podendo permanecer assintomática por um tempo. Ou seja, a AIDS de gato muitas vezes é uma doença silenciosa, mas super perigosa.

A FIV felina não tem cura, mas existem tratamentos específicos para diminuir os efeitos e proporcionar mais qualidade de vida para o animal com exame positivo para a doença. Para entender mais sobre os diferentes estágios e os sintomas de FIV em gatos mais comuns em cada fase, conversamos com a veterinária Amanda Miranda, do Rio de Janeiro.

FIV: gatos transmitem a doença principalmente por meio da saliva

A FIV em gatos têm uma principal forma de transmissão, que é por meio do contato da saliva de um bichano infectado com um felino saudável. Em alguns casos, o contato com sangue também é uma porta de entrada para a doença. Logo, de uma maneira geral, a AIDS em gato geralmente é transmitida por meio de mordidas ou arranhões, por exemplo. Por isso, animais de rua, não castrados e aqueles que costumam dar as famosas voltinhas estão muito mais propensos a contrair a AIDS felina, já que eles têm contato com outros gatos e têm mais chances de se envolverem em brigas.

Além disso, também existe uma outra forma de transmissão considerada menos frequente, mas que pode acontecer. As fêmeas positivas quando engravidam podem acabar transmitindo a FIV felina para os seus filhotes caso haja a presença do vírus no sangue. Dessa forma, os filhotes podem nascer infectados ou adquirirem a doença durante o aleitamento ou outros cuidados da mãe com o filhote, como por meio de lambidas.

Vale lembrar que a FIV em gatos não é uma zoonose, ou seja, ela não passa para humanos. Por isso, pode ficar despreocupado se você tiver um gatinho FIV positivo, porque ele não vai transmitir a doença para ninguém da família.

FIV felina: sintomas são específicos em cada fase da doença

FIV, gatos, sintomas: essas três palavrinhas costumam gerar muitas dúvidas nos pais de pet. Isso não é à toa, afinal a FIV felina pode ter até três fases diferentes, classificadas em fase aguda, latente ou crônica. Conforme ocorre a progressão da doença, sintomas de FIV podem variar. Ou seja, tudo vai depender da fase em que se encontra o animal, sendo difícil definir um cronograma de sintomas dia a dia após FIV. Entenda abaixo quais são os estágios da doença:

A primeira fase da FIV em gatos é a aguda

Quando se trata dos sintomas, FIV felina pode ter diferentes manifestações logo no início da infecção, então todo cuidado é pouco e a testagem é fundamental para saber se o seu gatinho é FIV positivo ou não. Segundo Amanda, quando o animal se infecta, pode apresentar em um primeiro momento os seguintes sintomas:

  • Febre;
  • Aumento de linfonodos;
  • Anorexia;

“Esses sintomas de FIV logo cessam, de modo que o animal se apresenta saudável e sem sinais da doença por meses ou anos”, explica a veterinária.

FIV felina: a segunda fase é a assintomática

O segundo estágio da FIV felina é chamado de assintomático. Isso porque o sistema imunológico consegue neutralizar a atividade viral por um bom período, tornando os sinais da doença imperceptíveis. Ou seja, nessa fase não há sintomas: FIV felina fica “adormecida” por tempo indeterminado, já que os linfócitos (células que protegem o organismo contra doenças) vão sendo destruídos aos poucos.

FIV: gatos que entram na fase crônica ou terminal apresentam sintomas mais específicos

A última fase da FIV felina é caracterizada pela fragilidade total do sistema imunológico do animal. Por isso, os riscos de morte são maiores e ainda há o risco de desenvolver alguma outra patologia ainda mais grave, como o câncer. Os principais sintomas de FIV em gatos nesse caso são:

  • Infecções;
  • Lesões de pele;
  • Sepse, que é uma infecção generalizada;
  • Doenças secundárias, que podem afetar gengivas, boca, trato digestivo, urinário e a pele;
Quais raças de cachorro mais combinam com você?

É só preencher e começar!

Question Quiz Stamp

Depois do expediente de trabalho na sexta, o que você gosta de fazer?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seria o seu domingo perfeito?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como você fica em um dia de chuva?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seria a viagem ideal nas férias?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como você costuma encontrar os amigos?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Qual o seu tipo de exercício favorito?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como é a sua rotina matinal?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como é a sua agenda no fim de semana?

Question Header Background

Schnauzer e Shih Tzu são raças mais independentes Golden Retriever e Yorkshire gostam de companhia Border Collie e Jack Russell Terrier são aventureiros
    Quanto aos sintomas, FIV felina pode passar por diferentes estágios
    Quanto aos sintomas, FIV felina pode passar por diferentes estágios

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    A cinomose canina é uma das doenças de cachorro mais perigosas e sérias, principalmente porque pode afetar cães de todas as idades e raças e é altamente contagiosa. O que causa cinomose é um vírus da família Paramyxovirus, e quando o animal não é tratado da forma correta, a doença pode até ser fatal (não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele). 

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar
    Saúde animal

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar

    Encontrar sangue nas fezes do cachorro é um sinal de que algo está fora do normal. O cocô com sangue em cachorro é uma questão que deve ser sempre levada a sério. Há diversas razões para isso acontecer, desde um episódio momentâneo - mais simples de resolver - até doenças mais graves - como a gastroenterite hemorrágica ou câncer em cães. 

    FIV positivo: gato vai precisar de cuidados específicos ao longo da vida

    A FIV e FeLV são doenças especialmente preocupantes quando o assunto é a saúde felina. O que poucas pessoas sabem é que cada quadro requer cuidados específicos para garantir uma boa qualidade de vida aos bichanos. Segundo Amanda, o gato que é FIV positivo deve fazer visitas ao veterinário a cada seis meses para controle e avaliação geral. “O médico veterinário deve fazer o controle da doença com exames de sangue e de imagem, como ultrassonografia e radiografia, além do tratamento de infecções secundárias e controle ou remoção de possíveis tumores que possam surgir”. Já o tutor deve oferecer ao animal uma dieta balanceada e de boa qualidade. A veterinária acrescenta que o controle de vermes e parasitas deve ser feito regularmente.

    Por fim, é necessário que animais positivos para a doença sejam castrados, uma vez que a FIV pode ser transmitida durante o cruzamento e tem risco de passar da mãe contaminada para os filhotes. Os gatos devem viver em um ambiente telado para que não transmitam a doença para outros animais e não fiquem sujeitos a outras doenças secundárias que vão agravar e piorar a imunidade do pet, que já está comprometida pelo vírus da imunodeficiência felina.

    FIV em gatos: positivos podem conviver com felinos saudáveis?

    É sempre muito difícil para os tutores de gatos receberem um diagnóstico positivo para a FIV felina. Diferentemente da FeLV (Leucemia Felina), não há uma vacina que facilite a convivência de um negativo com um positivo. Mas, ainda que não seja algo totalmente aconselhável, às vezes um gato com FIV pode conviver com outros gatos negativos para a doença, se ambos tiverem todos os cuidados da família.

    Dentre os principais cuidados, é necessário sempre manter bem limpos os potes de comida e água. Também não pode ocorrer nenhum tipo de competição por comida, água ou caixa de areia, então o número de acessórios deve ser sempre superior ao de gatos residentes. Isto é, se você tem dois gatos, deve ter pelo menos três potes de água, três potes de ração e três caixas sanitárias. Outro ponto importante é a castração de gato: todos os animais devem ser castrados para ter o comportamento predador e territorialista mais controlado.

    Ainda assim, é importante ter em mente que essa é uma decisão arriscada e que, para evitar FIV felina em outros gatos da família, deve ter dedicação e comprometimento integral dos tutores na questão de cuidados.

    Como prevenir a FIV em gatos e garantir a boa saúde do seu bichinho?

    Existem vários mitos e verdades sobre a FIV e FeLV, e um deles é que a FIV felina não pode ser prevenida. Bom, isso não é bem verdade: com alguns cuidados simples, é sim possível afastar os riscos do seu gatinho desenvolver a doença. Para começar, a castração é uma medida essencial que ajuda a evitar possíveis fugas e brigas com outros gatos. 

    Outra forma de evitar a AIDS felina é com a criação indoor. No caso de animais que vivem em apartamentos, deve-se colocar uma tela de proteção para gatos em todos os acessos à rua, como janelas, sacadas e basculantes. Já para os gatinhos que moram em casas, além de telar as janelas, recomenda-se investir em redes verticais e muros para limitar o acesso do animal às ruas. Sem o contato com o mundo exterior, dificilmente o seu pet vai ter contato com o vírus da imunodeficiência felina e, consequentemente, sofrer com a FIV em gatos.

    Redação: Júlia Cruz e Juliana Melo

    Anatomia felina: tudo sobre a respiração do gato, funcionamento do sistema respiratório, gripe em gatos e mais

    Próxima matéria

    Anatomia felina: tudo sobre a respiração do gato, funcionamento do sistema respiratório, gripe em gatos e mais

    Giárdia em gatos: entenda mais sobre a doença, os sintomas mais comuns e como prevenir
    Saúde

    Giárdia em gatos: entenda mais sobre a doença, os sintomas mais comuns e como prevenir

    Assim como nos cães, a Giárdia em gatos é uma zoonose muito comum. Os felinos, então, não estão imunes a contrair essa doença, que muitas vezes passa despercebida ao ser confundida com uma simples diarreia. Por isso, é muito importante prestar atenção aos sintomas da giárdia em gatos e, também, buscar formas de prevenir a contaminação. Para esclarecer mais as dúvidas quanto ao assunto, conversamos com a médica veterinária Carolina Mouco Moretti, que é diretora geral do Hospital Veterinário Vet Popular, de São Paulo.

    Babesiose canina: o que é e sintomas mais comuns. Saiba tudo sobre esse tipo da doença do carrapato!
    Carrapato

    Babesiose canina: o que é e sintomas mais comuns. Saiba tudo sobre esse tipo da doença do carrapato!

    Os carrapatos são o pesadelo de qualquer dono de cachorro! Além de provocar coceiras, alergias e outros incômodos, o parasita também é responsável por transmitir doenças muito graves aos cães. Mesmo que seja algo relativamente comum entre os animais, o problema não deve ser subestimado pelos tutores. A doença do carrapato, como é popularmente conhecida, pode se manifestar de quatro maneiras diferentes, dependendo da espécie do parasita infectado. A Babesiose canina é uma das principais formas de manifestação da enfermidade. Por isso, preparamos um guia completo sobre tudo o que você precisa saber!

    Sintomas da doença do carrapato: veja os mais comuns e aprenda a identificar se seu cachorro está doente!
    Carrapato

    Sintomas da doença do carrapato: veja os mais comuns e aprenda a identificar se seu cachorro está doente!

    O carrapato é um dos principais parasitas que ameaça o dia a dia e a saúde de cachorros criados em casa. Além da infestação ser incômoda para o animal, ele também pode transmitir a doença do carrapato — que, na verdade, pode se manifestar no corpo do animal de quatro formas diferentes. Os sintomas da doença do carrapato são a primeira forma de identificar o que está acontecendo com o seu cachorrinho. Para esclarecer todas as dúvidas sobre a doença do carrapato em cachorro, nós conversamos com a veterinária Renata Bloomfield, do Rio de Janeiro. Dá uma olhada no que ela explicou aqui embaixo!

    Pancreatite em gatos: entenda mais sobre a doença que atinge os felinos
    Saúde

    Pancreatite em gatos: entenda mais sobre a doença que atinge os felinos

    Uma das doenças gastrointestinais mais sérias e conhecidas entre os humanos também possui a sua versão no universo felino: a pancreatite em gatos tem uma ação bastante similar no corpo dos nossos bichanos e também precisa de tratamento imediato para não causar danos à saúde do gato. É claro que isso se torna motivo de preocupação para os gateiros, mas não se assuste! A pancreatite felina tem tratamento e é possível diminuir o avanço da doença com alguns cuidados simples. 

    Ver Todas >

    Cio de cachorro: 6 curiosidades comportamentais sobre a fêmea nesse período
    Saúde animal

    Cio de cachorro: 6 curiosidades comportamentais sobre a fêmea nesse período

    Durante o cio de cadela, a cachorra passa por algumas mudanças comportamentais. Isso acontece porque nesse período há um aumento nos níveis de hormônios, o que acaba influenciando diretamente o comportamento da cachorra. Assim, o momento do cio de cachorro fêmea acaba sendo um momento sensível tanto para ela quanto para o tutor. Entender o que se passa com a cadela no cio é o primeiro passo para aprender a lidar melhor com o pet nesse período.

    Gato com diarreia: o que fazer?
    Saúde animal

    Gato com diarreia: o que fazer?

    O gato com diarreia é motivo de preocupação, pois este é um forte indicativo de que algo não vai bem no sistema digestivo do seu felino. A diarreia em gatos pode atingir desde o filhote ao gato adulto e saber como prevenir ou agir neste momento, até a próxima visita ao veterinário, pode ajudar o seu pet a lidar com esse problema que pode ser muito desagradável aos felinos e tutores. O Patas da Casa reuniu algumas informações muito importantes para ajudar você, que busca evitar mais sofrimento ao felino, mas não sabe oque fazer ao ver seu gato com diarreia.

    Fezes de cachorro com gosma: o que pode ser?
    Saúde animal

    Fezes de cachorro com gosma: o que pode ser?

    Normalmente, o cocô de cachorro apresenta uma coloração amarronzada e consistência firme. Quando sua aparência se torna diferente, é importante ligar o sinal de alerta. Um dos problemas mais observados é a presença de sangue nas fezes do cachorro. Porém, existe outra condição comum que chama a atenção: as fezes de cachorro com gosma. Existem diversos motivos por trás dessa condição. Muitas vezes, as fezes de cachorro com muco são apenas consequência de mudanças alimentares. 

    Infecção no pênis de cachorro: o que é, quais as causas e o que fazer
    Saúde animal

    Infecção no pênis de cachorro: o que é, quais as causas e o que fazer

    Devido a sua sensibilidade e exposição, o pênis de cachorro, sem um cuidado e higiene adequados, pode desenvolver algumas infecções. Além de ocasionar graves ferimentos ao órgão do animal, esses males podem comprometer o pênis do cachorro e trazer muita dor, principalmente no momento de urinar. Para evitar este sofrimento ao seu pet, é importante inspecionar a saúde geral do animal.

    Ver Todas >