Verme

Dirofilariose canina: conheça o "verme do coração" e saiba como prevenir a doença!

Dirofilariose Canina ou Verme do Coração: a doença pode ser fatal para os caninos. A prevenção é essencial!
Dirofilariose Canina ou Verme do Coração: a doença pode ser fatal para os caninos. A prevenção é essencial!

Você sabe o que é a dirofilariose canina? Esse termo difícil pode ser resumido em três palavras: verme do coração. Essa definição já é capaz de explicar o motivo da doença ser tão complexa e perigosa. A contaminação ocorre quando um mosquito infectado pela doença - de alguns tipos, e até mesmo o Aedes Aegypit - pica o cachorro e despeja microfilárias na corrente sanguínea do animal. Esses vermes se desenvolvem à medida que o cão vai crescendo e, em determinado momento, invadem o ventrículo direito do coração.

Para entender mais sobre essa doença de nome e características assustadoras, conversamos com a veterinária Nathalia Breder, do Rio de Janeiro. Ela nos explicou como ocorre a contaminação, as formas de prevenir e como curar! Sim, tem cura, mas pra ela ser eficaz é preciso que o dono se comprometa com todo o tratamento.

Descubra se você é um cachorro ou um gato!

No fim de semana, você é o amigo que...?

As férias estão chegando! Vai viajar?

Chegou a hora de escolher a comida! Quem é você?

Que música você escolhe para arrasar no karaokê?

E sobre seus cuidados de beleza?

Vai ficar em casa com o mozão? Você prefere:

Ihhh, você recebeu uma crítica no trabalho… Como reage?

Você é um cachorro! Você é um gato! Você é um gatorro!

    Mais Lidas

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Vermífugo para cachorro: veterinária tira todas as dúvidas sobre o intervalo de uso do remédio
    Saúde animal

    Vermífugo para cachorro: veterinária tira todas as dúvidas sobre o intervalo de uso do remédio

    Você certamente já ouviu falar em vermífugo para cães. Mas sabe, exatamente, para que ele serve? Quem tem animal de estimação precisa estar atento a uma série de cuidados para manter a saúde do bichinho em dia - e usar esse remédio no período certo é uma dessas medidas indispensáveis para a proteção do pet. Como o nome já indica, o medicamento previne doenças causadas por vermes, como a Dirofilaria immitis, Toxocara canis e Giárdia sp.

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?
    Saúde animal

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?

    Encontrar o cachorro ofegante não é uma questão incomum na vida dos tutores. Normalmente, os peludos ficam mais cansados depois de um longo passeio ou brincadeiras, mas quando não houve nenhum estímulo é preciso ficar atento. Observe alguns sinais do cachorro ofegante: língua pra fora pode indicar calor ou cansaço, agora se o sintoma estiver acompanhado de tremores ou cachorro com dificuldade de respirar, o ideal é levá-lo imediatamente ao veterinário. Para saber como diferenciar e se há necessidade de buscar ajuda médica, nós conversamos com Ricardo Duarte, que é docente do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário FMU, de São Paulo.

    Gato com olho remelando: quando é motivo para se preocupar?
    Saúde animal

    Gato com olho remelando: quando é motivo para se preocupar?

    Gato com remela no olho pode não ser nada demais, como também pode indicar uma situação mais grave. E convenhamos: quem tem um gato em casa, sabe bem como é necessário ter uma atençãozinha especial com a saúde do animal, até mesmo com uma simples remelinha. A coloração, por exemplo, é um aspecto importante na hora de decifrar o que a remela do gato indica. Entenda quando você deve se preocupar com essa situação e qual é o melhor momento para procurar a ajuda de um médico a seguir!

    Sintomas da dirofilariose canina são praticamente imperceptíveis!

    Muitos donos se perguntam: “Como saber se o cachorro está com verme?”. No caso do verme do coração, é bem mais complicado por ser uma condição que só se manifesta em estados mais avançados. É bem raro que um cachorro com a doença manifeste algum comportamento por conta disso, tornando ainda mais difícil de ser identificada. O único problema é que essa doença pode levar o cachorro à óbito de maneira inesperada. Por isso, é muito importante manter os exames do cachorro em dia menos mensalmente, principalmente se o seu cãozinho não usa nada para prevenir os mosquitos. Um exame de sangue é capaz de identificar se há ou não a presença de microfilárias na corrente sanguínea. 

    Os sintomas mais comuns são:

    • Tosse seca

    • Falta de apetite

    • Perda de peso

    • Dificuldade para respirar

    • Hipertensão

    • Prostração 

    Quais os riscos da dirofilariose canina?

    Quando há a existência de vermes, cachorros precisam fazer todo um tratamento para se livrar o mais rápido possível da doença. “O verme em contato com o animal entra na corrente circulatória, passeia pelo corpo e se aloja no coração. Lá, ele começa a se reproduzir, aumentando a quantidade e tamanho dos vermes”, explica Nathalia. Os vermes podem levar o animal a ter uma parada cardiorrespiratória, por congestionamento ou obstrução cardíaca.

    Se você tem outro animal em casa, não precisa se preocupar. Essa doença não é transmissível. “É necessário ter a existência do mosquito para fazer essa transmissão. Mas se houver um controle do mosquito no ambiente, com prevenção, coleiras repelentes e tudo mais, a gente pode evitar que os outros animais sejam contaminados”, conta a veterinária. 

    ATENÇÃO: imagens fortes do verme do coração!

     

    Dirofilariose Canina: é importante prevenir a doença com o uso de medicamentos específicos
    Dirofilariose Canina: é importante prevenir a doença com o uso de medicamentos específicos
    Cachorro com verme: o diagnóstico é feito por exame de sangue, que vai atestar se há a presença de microfilárias na corrente sanguínea.
    Cachorro com verme: o diagnóstico é feito por exame de sangue, que vai atestar se há a presença de microfilárias na corrente sanguínea.
    Verme em cachorro: as filárias podem evoluir na corrente sanguínea do animal, atingindo a forma adulta em até um ano.
    Verme em cachorro: as filárias podem evoluir na corrente sanguínea do animal, atingindo a forma adulta em até um ano.
    Verme: cachorro não costuma apresentar sintomas da doença, por isso é importante prestar atenção e prevenir que mosquitos cheguem a picar o animal.
    Verme: cachorro não costuma apresentar sintomas da doença, por isso é importante prestar atenção e prevenir que mosquitos cheguem a picar o animal.
    Dirofilariose Canina: é importante prevenir a doença com o uso de medicamentos específicos
    Cachorro com verme: o diagnóstico é feito por exame de sangue, que vai atestar se há a presença de microfilárias na corrente sanguínea.
    Verme em cachorro: as filárias podem evoluir na corrente sanguínea do animal, atingindo a forma adulta em até um ano.
    Verme: cachorro não costuma apresentar sintomas da doença, por isso é importante prestar atenção e prevenir que mosquitos cheguem a picar o animal.

    Tratamento da dirofilariose canina: é preciso prevenção para conseguir a cura!

    A melhor maneira de impedir que os vermes se desenvolvam no coração do seu animal é a partir de um tratamento preventivo. É um processo extenso e que demanda um comprometimento integral do tutor. A Nathalia Breder nos explicou como funciona: 

    • Quando o animal é contaminado, ele tem que fazer um exame de sangue rápido, como o 4DX, que vai indicar se há contaminação da doença;

    • Dando positivo para as microfilárias, ele começa a se tratar com o uso de antibióticos, suplementos e medicamentos que vão fazer a prevenção do desenvolvimento da dirofilariose. O primeiro ciclo de tratamento dura 30 dias; 

    • Após esse período, é feito mais um teste. Se o resultado for positivo, é necessário passar por mais um ciclo de tratamento. Assim é feito até obter o primeiro resultado negativo; 

    • Com o primeiro teste negativo, o tratamento é suspenso, sendo mantido somente a prevenção. Em três meses, o animal é testado novamente;

    • Com três resultados negativos dentro de seis meses ou um ano, o animal é considerado curado. 

    O tratamento é a única maneira de conseguir a cura da doença, contudo, pode ser um pouco arriscado, ainda que seja simples de fazer. É uma situação complicada, diz Nathalia: “O tratamento pode levar a morte dos vermes e causar um trombo, que é quando os vermes se desprendem do coração e caem na corrente sanguínea. Nesse caso, o animal pode morrer”, alerta. 

    Como prevenir a dirofilariose canina?

    A dirofilariose canina costuma ser mais comum em regiões litorâneas e que têm o clima mais quente, mas também é possível que se desenvolva em cidades longe do mar - principalmente se houver muitos lagos e mata.

    Existem muitas maneiras de prevenir a dirofilariose canina, mesmo que o cachorro já tenha sido infectado - nesse caso, é possível evitar que o verme em cachorro se desenvolva. Uma delas é utilizando vermífugos para cachorro específicos para a microfilária, que geralmente são administrados mensalmente. Alguns medicamentos para pulgas e carrapatos também podem prevenir a doença, mas o melhor é sempre consultar um médico veterinário para escolher a melhor opção.

    Outra forma de prevenção com o uso de coleiras antiparasitárias. Esses modelos não são específicos para evitar o verme do coração, mas repelem os mosquitos contaminados. Aliado ao vermífugo, o cachorro consegue ficar bem protegido contra essa doença. No mercado veterinário, é possível também encontrar medicamentos injetáveis, com aplicação subcutânea, que protegem o animal por um ano. Prevenir a doença nunca é demais! 

    Redação: Júlia Cruz

     

    Refluxo em cachorro: veja algumas dicas para evitar o incômodo

    Próxima matéria

    Refluxo em cachorro: veja algumas dicas para evitar o incômodo

    Babesiose canina: o que é e sintomas mais comuns. Saiba tudo sobre esse tipo da doença do carrapato!
    Carrapato

    Babesiose canina: o que é e sintomas mais comuns. Saiba tudo sobre esse tipo da doença do carrapato!

    Os carrapatos são o pesadelo de qualquer dono de cachorro! Além de provocar coceiras, alergias e outros incômodos, o parasita também é responsável por transmitir doenças muito graves aos cães. Mesmo que seja algo relativamente comum entre os animais, o problema não deve ser subestimado pelos tutores. A doença do carrapato, como é popularmente conhecida, pode se manifestar de quatro maneiras diferentes, dependendo da espécie do parasita infectado. A Babesiose canina é uma das principais formas de manifestação da enfermidade. Por isso, preparamos um guia completo sobre tudo o que você precisa saber!

    PIF felina: conheça a Peritonite Infecciosa e saiba como a doença se desenvolve nos gatinhos
    Saúde

    PIF felina: conheça a Peritonite Infecciosa e saiba como a doença se desenvolve nos gatinhos

    Os gatinhos, ao longo da vida, podem se deparar com três doenças muito graves: a FIV (Imunodeficiência Felina - também conhecida como a AIDS felina), a FeLV (Leucemia Felina) e a PIF. A última, conhecida como Peritonite Infecciosa Felina, é menos comum que as outras duas, mas tão prejudicial quanto. A doença também não possui cura e nem tratamento. Quer saber mais sobre essa doença tão prejudicial à saúde dos gatos? Conversamos com o médico veterinário Frederico Lima, do Rio de Janeiro. Chega mais!

    Gripe canina, tosse canina ou tosse dos canis: conheça mais sobre as causas, sintomas e tratamento da doença
    Saúde

    Gripe canina, tosse canina ou tosse dos canis: conheça mais sobre as causas, sintomas e tratamento da doença

    Em algumas regiões do país, dizer que alguém está com “tosse de cachorro” é sinal de que a pessoa está com tosse seca, geralmente provocada por alguma irritação na garganta. O que muita gente não sabe é que, no mundo dos animais, o cachorro com tosse muitas vezes está doente — e a condição dele é bem parecida com algo comum para humanos: a gripe. Mesmo que, geralmente, a gripe canina

    Otite canina: saiba mais sobre a doença que pode ser persistente
    Saúde

    Otite canina: saiba mais sobre a doença que pode ser persistente

    É quase impossível definir qual a parte mais fofa de um cão, mas com certeza as orelhas estão no topo dessa lista - seja pelo formato, tamanho ou pela habilidade de se movimentar em várias situações. Mas, as orelhas do cachorro também podem abrigar um problema que gera muito incômodo: a otite canina. A inflamação no ouvido pode ter causas variadas e costuma vir acompanhada de muita coceira, dores e até feridas.

    Ver Todas >

    5 sinais que indicam o cachorro com verme
    Saúde animal

    5 sinais que indicam o cachorro com verme

    O verme em cachorro é um dos problemas mais comuns enfrentados pelos pais e mães de pet de plantão. É super importante que você mantenha o vermífugo do cachorro sempre em dia e respeitando o intervalo entre as doses. Essa atitude preventiva é um dos principais métodos para evitar que o seu cãozinho fique doente. Embora normalmente não seja um quadro grave, os parasitas podem trazer uma série de incômodos, como o cachorro com diarreia, vômito e dores. 

    Disfunção cognitiva canina: veterinário neurologista explica as características da síndrome
    Saúde animal

    Disfunção cognitiva canina: veterinário neurologista explica as características da síndrome

    Ter um cachorro idoso que não responde mais a certos comandos, que voltou a fazer xixi e cocô no lugar errado ou que parece ter perdido um pouco da noção espacial pode ser mais sério do que se imagina. A síndrome da disfunção cognitiva canina é uma condição que costuma atingir cães mais velhos, principalmente a partir dos 7 anos de idade, e que acaba impactando bastante a vida desses animais.

    Castração de cachorro: é comum o animal engordar depois da esterilização?
    Saúde animal

    Castração de cachorro: é comum o animal engordar depois da esterilização?

    A castração de cachorro é um dos procedimentos mais indicados quando falamos de saúde animal. Além de evitar a reprodução indesejada, esse é um método capaz de prevenir algumas doenças e ainda ajuda a melhorar alguns comportamentos do seu cãozinho. Mas existem crenças populares de que a castração pode ocasionar o ganho de peso do cachorro. Isso é verdade? A alimentação do animal precisa mudar depois que ele é castrado para evitar a obesidade?

    Saúde do cachorro: fístula retal em cães é mais comum do que você imagina. Entenda mais sobre o problema!
    Saúde animal

    Saúde do cachorro: fístula retal em cães é mais comum do que você imagina. Entenda mais sobre o problema!

    A saúde de cachorro é tão complexa que às vezes podem surgir problemas em locais que sequer imaginávamos existir. É o caso da infecção na glândula adanal (também chamada de glândula anal ou glândula perianal). Os cães possuem bolsas localizadas na região do ânus com glândulas que são responsáveis pela liberação de lubrificantes que o ajudam a defecar sem sentir dor ou incômodo, além de outras funções. 

    Ver Todas >