Saúde

Alopécia canina: veja as 6 causas mais comuns da queda de pelos em cachorros

Queda de pelo em cachorro: descubra as causas mais comuns para o problema
Queda de pelo em cachorro: descubra as causas mais comuns para o problema

A alopecia canina é a falta parcial ou total de pelos em áreas do corpo onde normalmente estão presentes. É uma condição muito comum que pode afetar cães de diferentes raças, idades e tamanhos. Além da queda de pelo em cachorro, a doença pode acometer a pele e os sistemas linfático, imunológico e endócrino do animal. Geralmente, a alopecia é um sintoma de outros problemas subjacentes, mas pode ter origem congênita ou ocorrer por uma série de fatores desconhecidos. Descubra, a seguir, como reconhecer a alopécia canina e as 6 causas mais comuns da falha nos pelos.

Cachorro com coceira e queda de pelo: como identificar a alopécia canina?

Em alguns períodos do ano, especialmente quando as estações mudam, a queda de pelo em cães pode acontecer naturalmente. Entre as razões mais comuns estão a idade do animal, as características de determinada raça e a renovação da pelagem como recurso de proteção térmica. De maneira geral, essa queda dos pelos não ultrapassa 30 dias e não deriva manchas calvas pelo corpo.

A alopecia canina é diferente da troca sazonal de pelos. Ela é uma patologia extremamente visível, caracterizada por quedas de pelos em áreas múltiplas ou simétricas (falhas com o mesmo padrão dos dois lados do cão). Ela também pode apresentar pontos circulares de calvície, acompanhadas de crostas e inflamações ao redor da área afetada. Há também cachorro com feridas e queda de pelo com sinais de descamação da pele.

Quais são as 6 causas mais comuns de alopécia canina?

Há diversas razões que podem levar um cachorro a apresentar a alopecia canina, incluindo doenças, infecções, infestações de parasitas e condições genéticas. Independente do motivo, é importante entender os motivos que levam à queda de pelo de cachorro para que o tratamento seja iniciado rapidamente. Veja as principais causas:

1) Cachorro com alergia pode ter queda de pelo

As alergias em cachorro são uma das causas mais frequentes de alopécia. Os cães podem ser alérgicos a quase qualquer substância, incluindo alimentos, mofo e pólen, mas as picadas de pulgas são uma fonte comum de reações alérgicas. Essa condição pode causar danos severos à pelagem, uma vez que o cachorro tem a tendência de se coçar, morder e lamber as áreas irritadas.

2) Hiperadrenocorticismo: queda de pelo em cachorro é um dos sinais da doença

A queda de pelo de cachorro também pode ser causada pelo hiperadrenocorticismo (HAC) ou síndrome de Cushing, uma doença ligada à produção excessiva do hormônio cortisol pelas glândulas adrenais do animal. Geralmente a patologia atinge cães um pouco mais velhos, a partir dos seis anos de idade.

Descubra se você é um cachorro ou um gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

No fim de semana, você é o amigo que...?

As férias estão chegando! Vai viajar?

Chegou a hora de escolher a comida! Quem é você?

Que música você escolhe para arrasar no karaokê?

E sobre seus cuidados de beleza?

Vai ficar em casa com o mozão? Você prefere:

Ihhh, você recebeu uma crítica no trabalho… Como reage?

Você é um cachorro! Você é um gato! Você é um gatorro!
    A queda de pelo em cachorro pode surgir em áreas múltiplas
    A queda de pelo em cachorro pode surgir em áreas múltiplas
    A alopécia canina também pode apresentar pontos circulares de calvície
    A alopécia canina também pode apresentar pontos circulares de calvície
    A queda de pelo em cachorro pode surgir em áreas múltiplas
    A alopécia canina também pode apresentar pontos circulares de calvície

    Mais Lidas

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?
    Saúde animal

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?

    Encontrar o cachorro ofegante não é uma questão incomum na vida dos tutores. Normalmente, os peludos ficam mais cansados depois de um longo passeio ou brincadeiras, mas quando não houve nenhum estímulo é preciso ficar atento. Observe alguns sinais do cachorro ofegante: língua pra fora pode indicar calor ou cansaço, agora se o sintoma estiver acompanhado de tremores ou cachorro com dificuldade de respirar, o ideal é levá-lo imediatamente ao veterinário. Para saber como diferenciar e se há necessidade de buscar ajuda médica, nós conversamos com Ricardo Duarte, que é docente do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário FMU, de São Paulo.

    Vermífugo para cachorro: veterinária tira todas as dúvidas sobre o intervalo de uso do remédio
    Saúde animal

    Vermífugo para cachorro: veterinária tira todas as dúvidas sobre o intervalo de uso do remédio

    Você certamente já ouviu falar em vermífugo para cães. Mas sabe, exatamente, para que ele serve? Quem tem animal de estimação precisa estar atento a uma série de cuidados para manter a saúde do bichinho em dia - e usar esse remédio no período certo é uma dessas medidas indispensáveis para a proteção do pet. Como o nome já indica, o medicamento previne doenças causadas por vermes, como a Dirofilaria immitis, Toxocara canis e Giárdia sp.

    3) Infecção ou infestação de fungos, ácaros e bactérias

    A micose causada por fungos, os ácaros da sarna (Demodex) e as bactérias podem gerar infecções na pele e nos folículos capilares. Como consequência, a pelagem pode apresentar círculos calvos com lesões, inflamações e crostas. Os machucados podem desaparecer espontaneamente, mas em alguns casos é necessário um tratamento com shampoos especiais, medicamentos antifúngicos e antibióticos.

    4) Condição genética leva a quadros de alopecia canina

    Algumas raças são geneticamente predispostas a desenvolver a alopécia canina. Após um ano de vida, falhas de pelo em algumas partes específicas do corpo (como tórax, barriga, orelha, coxas e parte inferior do pescoço) podem aparecer em Chihuahuas, Dachshunds, Whippets, Galgos Italianos, Buldogues e Galgos Ingleses.

    5) Estresse e ansiedade causam a queda de pelo de cachorro

    Assim como o estresse e a ansiedade podem desencadear uma série de problemas de saúde nos seres humanos, incluindo a perda de cabelos, os cães também podem ser afetados por essas manifestações.

    6) Contato com insetos, plantas e outras substâncias causam urticária nos cães

    Picadas de insetos, como pernilongos, plantas, produtos químicos e alguns tipos de medicamentos podem originar erupções cutâneas ou urticária nos cães. Além de febre, falta de apetite e apatia, os sintomas podem incluir a alopécia canina.

    Outras causas de alopécia canina:

    • Reação a um corpo estranho na pele (como espinhos e cacos de vidro);
    • Diabetes canina;
    • Alopécia Areata (doença autoimune geralmente percebida na cabeça e pescoço);
    • Alopecia pós-injeção antirrábica (alguns cães podem desenvolver alopecia no local onde a vacina foi aplicada);
    • Exposição à quimioterapia;
    • Câncer de pele;
    • Hipotireoidismo;
    • Deficiências nutricionais.

    Alopécia canina e a queda de pelo: cachorro tem acesso a quais tipos de tratamento?

    Apesar de ser preocupante ver um cachorro com quedas e falhas no pelo, a maioria dos casos de alopecia canina pode ser facilmente tratada. Dependendo da causa do problema, o veterinário poderá prescrever algum tipo de remédio para queda de pelo de cachorro, antiparasitários, antibióticos, anti-histamínicos e antifúngicos.

    O profissional de saúde animal também poderá recomendar vitamina para queda de pelo de cachorro para contornar os danos. O óleo de peixe, a vitamina A e a vitamina E podem ajudar na pele seca e em certas infecções.

    Redação: Guilherme Segal

    O que a doença do carrapato causa no organismo do cachorro?

    Próxima matéria

    O que a doença do carrapato causa no organismo do cachorro?

    Papiloma canino: desvendamos as causas, cuidados e tratamentos da verruga em cachorro
    Saúde

    Papiloma canino: desvendamos as causas, cuidados e tratamentos da verruga em cachorro

    O papiloma canino, também conhecido como papilomatose, é uma doença bem comum quando se trata da saúde dos cãezinhos. No entanto, poucas pessoas têm algum conhecimento, de fato, sobre esse tipo de verruga em cachorro. A doença cutânea evolui rápido e isso pode assustar os tutores despreparados. O papilomavírus canino tem relação com a imunidade do cachorro.

    Dermatite atópica canina: qual o melhor tratamento caseiro para o cachorro que está com queda de pelo
    Saúde

    Dermatite atópica canina: qual o melhor tratamento caseiro para o cachorro que está com queda de pelo

    Algumas raças de cachorro, como os Pugs e Bulldog Francês, têm uma propensão maior a desenvolver alergias por causa de sua anatomia, mas se engana quem acha que essas irritações na pele acontecem apenas com eles. A dermatite atópica canina é uma alergia de cachorro e afeta uma série de raças, como Boxer, Labrador, Dálmata, Maltês e Shih Tzu da mesma forma. A coceira é um dos principais sintomas e, por isso, costuma ser um dos primeiros a serem reparados pelos donos. Para te ajudar a identificar a condição no seu animal, o Patas da Casa juntou uma série de informações sobre a dermatite em cachorro: confira mais sobre o assunto aqui embaixo!

    Babesiose canina: o que é e sintomas mais comuns. Saiba tudo sobre esse tipo da doença do carrapato!
    Carrapato

    Babesiose canina: o que é e sintomas mais comuns. Saiba tudo sobre esse tipo da doença do carrapato!

    Os carrapatos são o pesadelo de qualquer dono de cachorro! Além de provocar coceiras, alergias e outros incômodos, o parasita também é responsável por transmitir doenças muito graves aos cães. Mesmo que seja algo relativamente comum entre os animais, o problema não deve ser subestimado pelos tutores. A doença do carrapato, como é popularmente conhecida, pode se manifestar de quatro maneiras diferentes, dependendo da espécie do parasita infectado. A Babesiose canina é uma das principais formas de manifestação da enfermidade. Por isso, preparamos um guia completo sobre tudo o que você precisa saber!

    Pug com alergia: saiba quais os tipos mais comuns da raça de cachorro pequeno
    Saúde

    Pug com alergia: saiba quais os tipos mais comuns da raça de cachorro pequeno

    Há quem pense que todos os cães enfrentam o mesmo tipo de problemas ao longo da vida, mas não é bem assim. Algumas raças de cachorro têm detalhes muito característicos na anatomia que favorecem o desenvolvimento de condições específicas. Uma prova disso são os casos de alergias em Pugs: por causa das dobrinhas e rugas que têm pelo corpo, eles acabam tendo uma propensão maior a desenvolver diferentes tipos de dermatites alérgicas. Por isso, ao dar as boas-vindas a um Pug na sua casa, o ideal é que você saiba o que pode causar essas alergias e como reagir caso o seu animalzinho apareça com algo do tipo. Hoje, o Patas da Casa vai ao seu socorro: descubra, aqui embaixo, mais sobre esse problema!

    Ver Todas >

    8 mitos e verdades sobre a saúde dos gatos
    Saúde animal

    8 mitos e verdades sobre a saúde dos gatos

    Quando se trata da saúde de gato, uma coisa é certa: todo o cuidado é pouco. Embora exista a lenda de que os bichanos possuem sete vidas, alguns cuidados específicos influenciam diretamente no bem-estar e, principalmente, na expectativa de vida do seu amigo. Ainda assim, é comum que alguns tutores tenham dúvidas sobre as medidas necessárias para proteger o seu pet e evitar as principais doenças de gato, especialmente os gateiros de primeira viagem. 

    Batimentos cardíacos de cachorro: qual a frequência considerada normal e como medir?
    Saúde animal

    Batimentos cardíacos de cachorro: qual a frequência considerada normal e como medir?

    Todo mundo sabe que os cães são donos de um enorme coração, sempre dispostos a dar muito amor e carinho para quem quiser receber. Contudo, é sempre importante ficar atento a possíveis alterações no coração de cachorro, e saber como medir os batimentos cardíacos do animal pode ajudar bastante nessas horas. Mas então, como analisar isso da forma correta? Qual é a frequência considerada normal quando se trata dos batimentos cardíacos de um cachorro?

    Infecção urinária em gatos: quais são as mudanças comportamentais mais comuns?
    Saúde animal

    Infecção urinária em gatos: quais são as mudanças comportamentais mais comuns?

    A infecção urinária em gatos é um quadro mais comum do que se imagina quando se trata da saúde dos bichanos. Embora seja associada à baixa ingestão de água, a doença pode ser causada por uma série de fatores, que variam desde causas bacterianas à estresse e ansiedade. Quando não tratada, a patologia pode causar bastante incômodo ao animal, o que pode ser percebido com algumas mudanças no comportamento do gato. 

    Conheça algumas vacinas para gatos não obrigatórias
    Saúde animal

    Conheça algumas vacinas para gatos não obrigatórias

    As vacinas para gatos são fundamentais na prevenção de diversas doenças felinas. Por isso, ao adotar um bichano, uma das principais orientações dos veterinários é que o seu pet passe pela atualização de vacinas obrigatórias, como a antirrábica e a quádrupla felina, que previne doenças como a panleucopenia e rinotraqueíte. Ainda assim, elas não são suficientes para proteger o animal de todas as patologias que ele pode adquirir ao longo da vida.

    Ver Todas >