Cuidados dos animais

Para que serve o bigode do cachorro? Saiba tudo sobre as vibrissas dos cães

Publicado - 24 Setembro 2021 - 17h30

Atualizado - 11 Abril 2024 - 14h35

Você sabia que, assim como os gatos, o cachorro tem bigode? Esses pelinhos geralmente se localizam perto do focinho do cão, e são chamados cientificamente de vibrissas. Apesar de parecer não ter muita utilidade, é preciso ter em mente que tudo que existe no corpo do animal tem uma função, e com o bigode de cachorro isso não é diferente. Mas então para que serve o bigode do cachorro? Será que pode cortá-lo, ou isso pode prejudicar o seu amigo de quatro patas? Que cuidados são indispensáveis com o cachorro de bigode? Para não restarem dúvidas, nós respondemos todas essas perguntas a seguir!

O que é o bigode de cachorro?

O bigode do cachorro é um conjunto de fios grossos conhecidos como vibrissas. Elas têm origem no folículo capilar e possuem várias terminações nervosas que ajudam o cãozinho a perceber o mundo ao seu redor. O que nem todo mundo sabe é que as vibrissas vão muito além do bigode do cachorro. Na verdade, todo cãozinho tem outros pelos táteis espalhados pela face que também ajudam a detectar as vibrações do ambiente. Veja abaixo onde estão localizadas as outras vibrissas caninas:

  • vibrissas labiais: localizadas na região dos lábios;
  • vibrissas supraciliares: localizadas acima dos olhos, como se fossem sobrancelhas;
  • vibrissas interramais: localizadas abaixo do queixo, semelhantes a uma “barba”;
  • vibrissas mandibular: localizadas na mandíbula do cão;
  • vibrissas zigomáticas: localizadas na bochecha dos cachorros.

Para que serve o bigode do cachorro?

Tanto o bigode do cachorro quanto as outras vibrissas funcionam como receptores táteis e cumprem uma função sensorial no corpo do pet. Na ponta de cada vibrissa existem folículos repletos de terminações nervosas que ajudam a detectar as vibrações do ambiente, fazendo com que o cãozinho tenha uma ampla noção espacial. Na prática, o que acontece é que quando as vibrissas presentes no bigode do cachorro recebem estímulos externos - como quando o bigode encosta em algum lugar, por exemplo -, os nervos sensoriais detectam essa vibração e enviam a informação para o cérebro, que é o responsável por decodificar e gerar uma resposta.

Imagem Quiz:Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Por conta desse mecanismo, as vibrissas são como se fossem “antenas” que ajudam o cachorro a se localizar melhor. Ao detectar as vibrações do ambiente, o bigode do cachorro consegue perceber o tamanho do espaço e até mesmo a localização de objetos próximos. Isso também permite que o animal meça distâncias e perceba correntes de ar. Além disso, algumas vibrissas cumprem funções específicas, como é o caso das vibrissas supraciliares, que são responsáveis por proteger os olhos do cachorro, e das vibrissas do queixo, que atuam no “ponto cego” do pet.

Esse “ponto cego”, por sua vez, é logo abaixo da cabeça do animal. Uma situação em que é possível perceber isso é quando colocamos um petisco bem na frente do cãozinho, e ele parece não dar bola. Bom, a verdade é que ele sequer viu o petisco, e por isso não se aproximou para abocanhá-lo! Para que esse ponto cego não vire uma desvantagem, as vibrissas localizadas no queixo ajudam a melhorar a percepção.

 

bigode de cachorro: rosto de cachorro
O cachorro tem bigode e outras vibrissas espalhadas pelo rosto

Cachorro de bigode: quando as vibrissas surgem no corpo do animal?

 

Diferente dos humanos que só adquirem esses pelos faciais quando atingem a puberdade, o bigode do cachorro surge quando ele ainda é filhote. Inclusive, esse é um dos primeiros pelos a serem desenvolvidos. O motivo para isso é simples: como a visão canina é um sentido mais limitado, os receptores táteis presentes nas vibrissas são fundamentais para que o cachorro consiga explorar o ambiente sem ser prejudicado. Sendo assim, faz todo o sentido que os bigodes se desenvolvam logo nas primeiras semanas de vida do seu amigo, não é mesmo? Afinal, para conseguir “conhecer” o mundo de forma segura, os filhotinhos precisam das vibrissas o quanto antes.

Será que pode cortar o bigode do cachorro?

Como muita gente não entende a utilidade por trás do bigode de cachorro, alguns tutores têm o hábito de cortar essa região para deixar o animal esteticamente mais bonito - principalmente para participar de competições e exposições. No entanto, isso é um grande erro. Não se pode cortar bigode do cachorro, porque é algo que pode acabar inibindo a percepção do cão sobre as coisas, deixando-o desorientado. Como já foi dito, o bigode do cachorro é um órgão importante para a noção espacial canina. Ao cortá-lo, o animal perde essa percepção por um tempo, até que os bigodes cresçam novamente. Além disso, o corte muitas vezes é um processo incômodo para os cães, que ficam assustados por terem seus sentidos diminuídos. 

O bigode de cachorro passa por um processo de troca natural

Assim como os cães trocam de pelos, o bigode do cachorro também pode cair como parte do processo. É algo que geralmente passa despercebido pelos tutores, até porque os pelos faciais crescem rapidamente depois de caírem. Muitas vezes é uma situação natural do corpo do cachorro, mas é importante ficar atento a qualquer mudança no comportamento do seu amigo de quatro patas. Quando a queda do bigode vem acompanhada de outros sintomas, como apatia e perda de apetite, pode ser sinal de que tem algo de errado com a saúde do cachorro. Nesse caso, não hesite em marcar uma consulta veterinária o quanto antes.

cachorro com bigode: schnauzer
Cachorro com bigode: algumas raças têm os pelos mais evidentes, como o Schnauzer

Raça de cachorro com bigode: quais cães têm os pelos faciais mais aparentes? 

 

Nem todo mundo repara quando vê um cachorro de bigode. Raça, nesses casos, é algo que pode influenciar no aspecto das vibrissas, sendo que em alguns cães esses pelos são mais aparentes, e em outros passam despercebidos. Por isso, é comum que algumas pessoas associem a ideia de “cachorro com bigode” somente a alguns cãezinhos (embora todos os animais possuam vibrissas). As raças bigodudas mais populares são:

Cuidados importantes com o bigode do cachorro

Uma das principais recomendações é que não se pode cortar o bigode do cachorro, muito menos tentar removê-lo com pinças e outras ferramentas semelhantes. Ao tentar fazer isso, o pelo é retirado da raiz e causa uma dor imensa aos caninos, deixando-os nervosos e irritados com a situação. Ninguém gosta de ver o próprio pet sofrendo, por isso o melhor a se fazer é deixar os pelinhos em paz. 

Em algumas situações mais específicas - como quando o cachorro tem bigode muito comprido -, é possível conversar com o médico veterinário sobre a possibilidade de aparar as vibrissas de forma que não prejudique o cão. Mas atenção: nunca tome essa atitude por conta própria. As orientações de um profissional jamais devem ser ignoradas.

Outro cuidado importante é não fazer carinho próximo às vibrissas. O bigode de cachorro é uma região extremamente sensível ao toque, então se você tentar acariciar o local, é bem provável que o cachorro desvie para evitar o incômodo.

5 curiosidades sobre o bigode de cachorro

1) Cerca de 40% do cérebro do cachorro que é responsável por processar o sentido tátil é voltada exclusivamente para a sensibilidade dos bigodes.

2) As vibrissas são proporcionais ao tamanho do cão. É isso que permite que o animal saiba se um espaço é grande o suficiente para ele caber.

3) O termo certo para o “bigode do cachorro” é vibrissa, uma palavra que vem do latim “Vibrio” e significa “vibrar”.

4) O bigode do cachorro é capaz de perceber correntes de ar, captando também informações sobre a temperatura.

5) Algumas raças de cachorro não perdem completamente o sentido tátil quando aparam os bigodes, especialmente aquelas que têm esses pelos mais compridos. Ainda assim, o ideal é não cortar ou conversar com o veterinário antes de fazê-lo.

Redação: Juliana Melo

Adote um animal

Nomes para cachorro com a letra A: mais de 100 ideias para nomear o seu pet

Pesquisar e selecionar nomes para cachorro para o mais novo integrante da família é uma das partes mais divertidas do processo de ad...

Adote um animal

Maltês: 12 coisas que você precisa saber antes de ter um

Se você está em busca de um cachorro fofo e cheio de personalidade, o Maltês talvez seja a escolha perfeita. Esperto, dócil e brinca...

Adote um animal

Fiapo de manga: a nova "raça" de cachorro vira-lata que tem feito sucesso na internet

Há quem diga que vira-lata caramelo representa mais o Brasil do que samba e futebol - não à toa que existem propostas de lei para el...

Cuidados

Areia de mandioca para gatos: veterinária destrincha tudo sobre a areia do momento, benefícios e indicações

De um tempo para cá, a procura pela areia de mandioca para gatos cresceu consideravelmente. Devido a esse movimento dos consumidores...

Gato

Os melhores gatos para famílias com crianças: veja a lista com as 10 raças mais indicadas

Quando se trata de escolher um bichano para as crianças, algumas raças de gato se destacam por serem os companheiros ideais. Com per...

Comportamento

Tem um gato arranhando o sofá? Cientistas identificaram as causas desse comportamento e mostram como fazer o pet parar

Conviver com um gato arranhando o sofá é um problema que vários tutores têm dificuldade de corrigir. Apesar de ser um instinto nato ...

Adote um animal

Nomes para cachorro com a letra A: mais de 100 ideias para nomear o seu pet

Pesquisar e selecionar nomes para cachorro para o mais novo integrante da família é uma das partes mais divertidas do processo de ad...

Adote um animal

Maltês: 12 coisas que você precisa saber antes de ter um

Se você está em busca de um cachorro fofo e cheio de personalidade, o Maltês talvez seja a escolha perfeita. Esperto, dócil e brinca...

Ver todas