Saúde

Mitos e verdades sobre a FIV e FeLV

FIV e FeLV são doenças de gato que geram muitas dúvidas nos tutores
FIV e FeLV são doenças de gato que geram muitas dúvidas nos tutores

Quando se trata da saúde do gato, a FIV e a FeLV - ou imunodeficiência felina e leucemia felina, respectivamente - são as doenças que mais preocupam os tutores. E não é à toa, né? A FIV felina e a FeLV costumam atingir o sistema imunológico do seu amigo, trazendo assim uma série de problemas ao organismo dele. As duas doenças podem causar a morte do animal se não receberem o cuidado adequado. Embora sejam bastante conhecidas, elas ainda despertam muitas dúvidas na cabeça dos tutores, principalmente a respeito da prevenção. Para saber mais sobre o que é FIV e FeLV, nós reunimos alguns mitos e verdades sobre cada uma delas a seguir!

"FIV e FeLV podem ser transmitidas para humanos"

Mito! Ao contrário do que muitos gateiros acreditam, a FIV e FeLV não podem ser transmitidas para os humanos. A contaminação ocorre apenas por contato direto entre os gatos. No caso da FeLV, por exemplo, o contato com secreções nasais, a saliva, a urina de animais contaminados (e até mesmo as brigas) são as principais formas de transmissão. Por outro lado, o vírus da FIV felina pode ser adquirido pelo seu bichano por meio da saliva e do sangue - uma mordida ou um arranhão, por exemplo, podem ser a porta de entrada para a doença. Além disso, a FIV também pode ser transmitida a partir do cruzamento, transfusão sanguínea e amamentação.

"FIV: gatos não costumam apresentar os sintomas da doença"

Verdade, mas isso não é uma regra! Embora a FIV em gatos seja uma doença silenciosa, isso não significa que seu bichano não possa dar sinais de que algo não vai bem. Por se tratar de um quadro que baixa a imunidade do animal, a FIV torna o organismo do seu gatinho mais suscetível à manifestação de sintomas causados por outras doenças, assim como ocorre na AIDS em humanos. Além disso, dependendo da fase em que se encontra o animal, alguns sintomas podem surgir. No primeiro estágio, por exemplo, é comum que o gato com FIV apresente aumento de linfonodos e febre que logo cessam. Já na fase crônica ou terminal da doença, o seu amigo pode sofrer com lesões na pele, infecções e sepse, condições que são causadas pelo esgotamento das defesas imunológicas do animal.

"FeLV: gato infectado pode tomar a vacina contra a doença"

Mito! A vacina para FeLV felina é recomendada para animais que não possuem a doença, ou seja, ela funciona apenas como uma forma de prevenção para que um felino saudável não adquira o vírus. Sendo assim, a vacina não serve para tratar um gato com FeLV. Nesse caso, o tratamento deve ser baseado no fortalecimento do sistema imunológico do animal, incluindo uma alimentação balanceada e de qualidade, hábitos higiênicos, vacinação, vermifugação e visitas periódicas ao veterinário. Por isso, antes de vacinar o seu bichano, é importante fazer o teste sorológico para garantir os cuidados adequados.

Descubra se você é um cachorro ou um gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

No fim de semana, você é o amigo que...?

As férias estão chegando! Vai viajar?

Chegou a hora de escolher a comida! Quem é você?

Que música você escolhe para arrasar no karaokê?

E sobre seus cuidados de beleza?

Vai ficar em casa com o mozão? Você prefere:

Ihhh, você recebeu uma crítica no trabalho… Como reage?

Você é um cachorro! Você é um gato! Você é um gatorro!
    FeLV e a FIV felina: a criação indoor é uma das principais formas de prevenir as doenças
    FeLV e a FIV felina: a criação indoor é uma das principais formas de prevenir as doenças

    Mais Lidas

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?
    Saúde animal

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?

    Encontrar o cachorro ofegante não é uma questão incomum na vida dos tutores. Normalmente, os peludos ficam mais cansados depois de um longo passeio ou brincadeiras, mas quando não houve nenhum estímulo é preciso ficar atento. Observe alguns sinais do cachorro ofegante: língua pra fora pode indicar calor ou cansaço, agora se o sintoma estiver acompanhado de tremores ou cachorro com dificuldade de respirar, o ideal é levá-lo imediatamente ao veterinário. Para saber como diferenciar e se há necessidade de buscar ajuda médica, nós conversamos com Ricardo Duarte, que é docente do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário FMU, de São Paulo.

    Vermífugo para cachorro: veterinária tira todas as dúvidas sobre o intervalo de uso do remédio
    Saúde animal

    Vermífugo para cachorro: veterinária tira todas as dúvidas sobre o intervalo de uso do remédio

    Você certamente já ouviu falar em vermífugo para cães. Mas sabe, exatamente, para que ele serve? Quem tem animal de estimação precisa estar atento a uma série de cuidados para manter a saúde do bichinho em dia - e usar esse remédio no período certo é uma dessas medidas indispensáveis para a proteção do pet. Como o nome já indica, o medicamento previne doenças causadas por vermes, como a Dirofilaria immitis, Toxocara canis e Giárdia sp.

    "FIV felina demanda cuidados específicos ao longo da vida do animal"

    Verdade! Justamente por se tratar de uma doença que não possui cura, a FIV requer um acompanhamento médico para diminuir os seus efeitos e garantir uma qualidade de vida para o animal. A cada seis meses é importante que o gato com FIV faça exames de sangue e de imagem, como ultrassonografia e radiografia, para controlar os avanços da doença e tratar possíveis infecções e tumores que possam surgir. Além disso, é fundamental que gatos positivos para a doença sejam castrados, já que a FIV felina pode ser transmitida pelo cruzamento e tem risco de passar da mãe contaminada para os filhotes.

    "Meu gatinho está perdendo peso. Isso é um sinal de FeLV felina!"

    Verdade! Entre os sintomas mais comuns da FeLV está a perda de peso. Por se tratar de uma doença que afeta diretamente o sistema imunológico do seu bichano, é comum que ele acabe não se alimentando com frequência, o que resulta em perda de peso e, em alguns casos, até mesmo um quadro de anorexia. Além disso, os episódios de vômitos e diarreia característicos da doença também podem contribuir para a diminuição do peso do animal. Por isso, ao notar que o seu gatinho está mais magro do que o normal é importante consultar um médico veterinário de confiança o quanto antes. 

    "A FIV e FeLV não podem ser prevenidas"

    Mito! Assim como outras doenças felinas, a FIV e FeLV podem (e devem!) ser prevenidas com alguns cuidados simples. Investir na criação indoor - ou seja, criar o gatinho em casa e sem acesso às ruas - é o primeiro deles. Desta forma, é possível impedir que o animal tenha contato com gatos desconhecidos, aumentando até a expectativa de vida dele. No caso FeLV felina, existe uma vacina que pode garantir a proteção do seu pet. Além disso, a castração no primeiro ano de vida também é outra atitude que pode diminuir o risco de infecção, já que ameniza o desejo do bichano pelas famosas fugidinhas para a rua.

    Redação: Úrsula Gomes

    Batimentos cardíacos de cachorro: qual a frequência considerada normal e como medir?

    Próxima matéria

    Batimentos cardíacos de cachorro: qual a frequência considerada normal e como medir?

    Cachorro vira-lata não fica doente? Veja alguns mitos e verdades sobre a saúde dos cães sem raça definida
    Saúde

    Cachorro vira-lata não fica doente? Veja alguns mitos e verdades sobre a saúde dos cães sem raça definida

    Embora existam várias raças de cachorro, a verdade é que o vira-lata já conquistou um espacinho em nossos corações. Por se tratar de um cachorro sem raça definida (SRD), esse tipo de cãozinho desperta muitas dúvidas na cabeça dos tutores, principalmente quando o assunto é a saúde de cachorro. Será que esses animais vivem mais do que os outros? O organismo deles realmente é mais resistente e imune à doenças? Como deve ser a alimentação de um cachorro assim? Eles podem mesmo comer de tudo? Desvende alguns mitos e verdades sobre a saúde do cachorro vira-lata a seguir!

    Comportamento

    "Erva de Gato": mitos e verdades sobre o catnip

    O catnip, conhecido no Brasil como a “erva de gato”, é uma aposta para divertir os felinos. Ao entrar em contato com a planta, os bichanos manifestam diversas reações - algumas hilárias - como efeito do produto. Mais do que promover diversão, o que poucos tutores sabem é que o catnip pode ser usado também para tratar questões de convivência entre felinos, problemas comportamentais, como ansiedade e estresse, e até ajudar em caso de gatos deprimidos e apáticos.

    FIV e FeLV: sintomas, diagnóstico, tratamentos... Um guia completo sobre cuidados para gatos positivos
    Saúde

    FIV e FeLV: sintomas, diagnóstico, tratamentos... Um guia completo sobre cuidados para gatos positivos

    Um dos principais medos de quem tem um animal de estimação em casa é, sem dúvidas, a possibilidade de eles adoecerem e o quão complicado o tratamento pode ser. Para os donos de gatos, a FIV (Imunodeficiência Felina) - também conhecida como a AIDS felina - e a FeLV (Leucemia Felina) são especialmente preocupantes, já que trazem consequências graves e podem ser, até mesmo, fatais. Para te ajudar a entender mais sobre os sintomas, cuidados e tratamentos de cada uma delas para os gatos que foram infectados, nós conversamos com a veterinária Anne Berenger, do Rio de Janeiro, — ela explicou tudinho aqui embaixo!

    Saúde

    "Doença do Gato": veterinária desbanca os mitos sobre a toxoplasmose

    Você já ouviu falar por aí sobre a “doença do gato”? A toxoplasmose é muito associada com a transmissão para humanos, mas esse é o primeiro mito em relação à doença. Na verdade, a toxoplasmose vem do parasita Toxoplasma gondii, que se hospeda nos gatinhos quando ele ingere fezes, carne crua contaminada ou via placentária. Por isso, a contaminação ocorre pelo contato com as fezes do felino. Para simplificar: você só pode pegar a toxoplasmose de um gatinho se ingerir o cocô dele. Portanto, é recomendado lavar bem os alimentos (isso inclusive previne outras doenças humanas bem graves) e higienizar as mãos depois de manipular a caixa de areia de gato.

    Ver Todas >

    Infecção urinária em gatos: quais são as mudanças comportamentais mais comuns?
    Saúde animal

    Infecção urinária em gatos: quais são as mudanças comportamentais mais comuns?

    A infecção urinária em gatos é um quadro mais comum do que se imagina quando se trata da saúde dos bichanos. Embora seja associada à baixa ingestão de água, a doença pode ser causada por uma série de fatores, que variam desde causas bacterianas à estresse e ansiedade. Quando não tratada, a patologia pode causar bastante incômodo ao animal, o que pode ser percebido com algumas mudanças no comportamento do gato. 

    Conheça algumas vacinas para gatos não obrigatórias
    Saúde animal

    Conheça algumas vacinas para gatos não obrigatórias

    As vacinas para gatos são fundamentais na prevenção de diversas doenças felinas. Por isso, ao adotar um bichano, uma das principais orientações dos veterinários é que o seu pet passe pela atualização de vacinas obrigatórias, como a antirrábica e a quádrupla felina, que previne doenças como a panleucopenia e rinotraqueíte. Ainda assim, elas não são suficientes para proteger o animal de todas as patologias que ele pode adquirir ao longo da vida.

    Secreção no pênis do cachorro é normal? Quando deve ser motivo de preocupação?
    Saúde animal

    Secreção no pênis do cachorro é normal? Quando deve ser motivo de preocupação?

    Não é muito difícil perceber quando algo está errado com a saúde do cachorro. Geralmente, o próprio cão dá indícios disso, ainda mais se for na região genital: ele tende a lamber essa área de forma exagerada, mostrando que tem alguma coisa o está incomodando. Mas além disso, também é possível perceber que, em alguns casos, o cachorro libera uma secreção pelo pênis, o que costuma preocupar bastante os tutores. Será que essa é uma situação normal ou pode ser indicativo de doença? 

    A cor do xixi de cachorro pode indicar alguma doença no trato urinário? Entenda!
    Saúde animal

    A cor do xixi de cachorro pode indicar alguma doença no trato urinário? Entenda!

    Quando o assunto é um cachorro fazendo xixi, é normal que uma das maiores preocupações do tutor seja com o animal fazendo suas necessidades no lugar certo. Mas outro fator que também merece a atenção dos humanos é quanto ao aspecto da urina dos cães. A cor do xixi do cachorro é capaz de indicar vários problemas de saúde no seu amigo de quatro patas e, por isso, é importante conseguir identificar quando o líquido está saudável ou não. 

    Ver Todas >