Saúde

Luxação de patela em cães: causas, sintomas e tratamentos. Ortopedista explica tudo sobre a doença!

Luxação de patela em cães é um problema sério, e que pode deixar o animal mancando
Luxação de patela em cães é um problema sério, e que pode deixar o animal mancando

Toda mãe e pai de pet sabe que é necessário ficar atento à saúde do cachorro, porque mesmo com todos os cuidados com o animal, alguns problemas podem surgir. A luxação de patela em cães, por exemplo, é um problema bastante comum e que pode afetar significativamente a qualidade de vida do seu amigo de quatro patas, trazendo bastante desconforto para ele. Para compreender melhor do que se trata esta condição, quais são os primeiros sinais da luxação em cachorro e que tratamentos são indicados, o Patas da Casa entrevistou o médico veterinário Luiz Henrique Malfatti , que é especializado em ortopedia veterinária. Veja o que ele nos contou e tire todas as suas dúvidas a seguir!

Luxação de patela em cães: o que é e quais as causas desse quadro?

Antes de mais nada, é preciso entender que a patela - também chamada de rótula - é um osso que fica localizado no joelho dos cães, alinhado ao músculo do quadril, garantindo a sustentação do corpo e permitindo que o animal se movimente com facilidade. Tendo isso em vista, o especialista explica: “A luxação de patela em cães é uma doença congênita em que a patela ou rótula não fica em seu lugar normal, dando instabilidade e incômodo ao paciente”. Ou seja, na prática, ocorre o desencaixe do osso, o que acaba comprometendo os movimentos do animal.

As causas associadas a este quadro são, principalmente, as deformidades ósseas do fêmur e da tíbia, que podem acontecer devido à torção, rotação ou ao desvio desses membros. Além disso, a predisposição genética também deve ser levada em consideração. “Existem raças mais predispostas a esta condição, as chamadas "condrodistróficas", como: Shih Tzu, Lhasa Apso, Yorkshire, Pug, Bulldog Inglês e Francês, American Bully, Maltês, Spitz”, indica. Mas engana-se quem pensa que só os cães de pequeno porte podem sofrer com a luxação de patela. Cachorro grande, médio e até mesmo os sem raça definida (famosos vira-latas) podem apresentar essa condição, segundo o ortopedista. Outros fatores de risco são a luxação traumática ou atrofia dos músculos.

Luxação de patela: cães podem sentir muito incômodo com esta condição

Quando se trata da luxação de patela, o cachorro pode apresentar alguns sinais de que algo não vai bem com a sua saúde. Só que, diferente de outros problemas, não existem “sintomas” muito específicos, como um cachorro vomitando ou algo do tipo. O que pode acontecer, na verdade, é que ele vai apresentar maior dificuldade para se locomover e pode ficar ligeiramente abatido por conta da dor e do incômodo que acompanha a luxação patelar. Segundo Luiz Henrique, é possível perceber que o animal fica mais sensível ao toque na região do joelho, tem claudicação (cãibra) e costuma manter o membro semiflexionado. “Em casos de luxação bilateral, o cachorro também pode começar a caminhar com aspecto de coelho saltitando”, revela. Então, se o seu doguinho está mancando, evita se apoiar em uma das pernas e parece estar com dores, é importante levá-lo para uma consulta com o veterinário, porque pode ser um sinal de luxação em cachorro.

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

Depois do expediente de trabalho na sexta, o que você gosta de fazer?

Como seria o seu domingo perfeito?

Como você fica em um dia de chuva?

Como seria a viagem ideal nas férias?

Como você costuma encontrar os amigos?

Qual o seu tipo de exercício favorito?

Como é a sua rotina matinal?

Como é a sua agenda no fim de semana?

Schnauzer e Shih Tzu são raças mais independentes Golden Retriever e Yorkshire gostam de companhia Border Collie e Jack Russell Terrier são aventureiros
    Luxação de patela: cães de porte pequeno, como o Yorkshire, estão mais propensos a desenvolver o problema
    Luxação de patela: cães de porte pequeno, como o Yorkshire, estão mais propensos a desenvolver o problema

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    Quais são os graus de luxação patelar em cães?

    A luxação de patela tem diferentes graus, que variam de acordo com a gravidade de cada caso. Segundo o ortopedista, ela pode ser classificada em lateral, medial e proximal, sendo que a mais comum é a medial, e é dividida em 4 graus:

    • Grau 1: Luxação patelar intermitente com deslocamento manual de toda extensão e redução espontânea na liberação.

    • Grau 2: Luxação patelar frequente à flexão da articulação ou pressão digital, em que a redução espontânea não é sempre imediata.

    • Grau 3: Luxação patelar permanente, em que a redução manual é possível, mas ocorre luxação recorrente espontânea quando liberada

    • Grau 4: Luxação patelar permanente em que a redução manual não é possível.

    Logo, de uma maneira geral, pode-se dizer que o grau 1 é o mais leve e que, com a ajuda do médico veterinário, é possível deslocar a patela para o lugar correto sem maiores problemas. Já nos graus 2 e 3, o auxílio manual também é uma opção, mas são situações um pouco mais difíceis. Por fim, o grau 4 é o mais grave de todos, em que não é possível resolver o problema apenas com a manipulação do médico.

    Teste de luxação de patela em cães: saiba como é feito o diagnóstico

    Segundo Luiz Henrique, o diagnóstico é feito através de exame físico onde é avaliada a ambulação (que é o ato de andar) e o trote do paciente. Além disso, também deve ser realizada uma avaliação da articulação do joelho, fazendo rotação externa e interna para examinar a patela. Outro fator importante para a obtenção do diagnóstico é a radiografia: “Ela auxilia na confirmação da ocorrência da condição, uma vez que mostra a patela luxada nos casos mais graves e demonstra as deformidades ósseas presentes”.

     

    Para prevenir a luxação patelar, cão deve evitar saltos muito altos
    Para prevenir a luxação patelar, cão deve evitar saltos muito altos

    Luxação patelar: cão pode ser tratado com cirurgia ou tratamento conservador, dependendo do caso

    Felizmente, a luxação de patela em cães é um quadro tratável e pode dispor de diferentes técnicas para isso, o que vai depender de acordo com a gravidade de cada caso. “Em casos de luxação de grau 1 não é indicada a cirurgia, tendo como opção o tratamento conservador para luxação de patela em cães com fisioterapia. Dessa forma, o profissional irá trabalhar o fortalecimento muscular da coxa para manter a perna em sua posição anatômica correta”, explica o médico veterinário. 

    Já a partir do grau 2 de luxação de patela em cães, cirurgia é uma opção para os pacientes em questão. Conforme Luiz Henrique destaca, existem diversas técnicas cirúrgicas e a escolha da técnica será feita individualmente para cada caso.

    Vale lembrar que a partir do momento em que houver qualquer suspeita de luxação em cachorro, é imprescindível buscar orientações de um profissional. “O risco de não tratar pode gerar instabilidade no joelho, trazendo desconforto, limitação de mobilidade, perda de massa muscular e possivelmente ocasionando a ruptura do ligamento cruzado cranial”, revela o ortopedista.

    Cachorro: luxação de patela pode ser prevenida com hábitos saudáveis

    Por mais que este quadro geralmente tenha origem genética, não custa nada cuidar dos nossos amigos de quatro patas da melhor forma possível, não é mesmo? “De modo geral, o principal cuidado que deve ser tomado é proporcionar ao animal hábitos mais saudáveis para que ele não se torne sedentário e fique com excesso de peso”, conta Luiz. Isso por si só já é de uma tremenda ajuda para manter a qualidade de vida do pet e evitar não apenas esse, como vários outros problemas de saúde também. Além disso, é preciso ficar atento a traumas na região e saltos muito altos, porque esses também são outros fatores que podem desencadear a luxação de patela em cães.

    Redação: Juliana Melo

    Icterícia em cães: entenda o que é o problema e os sinais mais comuns

    Próxima matéria

    Icterícia em cães: entenda o que é o problema e os sinais mais comuns

    Giárdia em cães: transmissão, sintomas, tratamento e prevenção... saiba tudo sobre a doença!
    Diarreia

    Giárdia em cães: transmissão, sintomas, tratamento e prevenção... saiba tudo sobre a doença!

    A giárdia em cães ou giardíase, como é conhecida a doença, é uma zoonose — ou seja: também pode ser transmitida para humanos — causada por um protozoário que age na corrente sanguínea do cachorro contaminado. A partir do contágio, a giárdia causa uma série de alterações gástricas no animal. Mesmo que tenha cura, a giárdia canina pode matar se não for devidamente tratada. Para esclarecer diferentes dúvidas, como contágio, tratamento e as diferentes formas de prevenção da doença, conversamos com o veterinário Thiago Félix, de Brasília. Dá uma olhada!

    Raiva: saiba tudo sobre os sintomas, tratamento e prevenção da doença
    Saúde

    Raiva: saiba tudo sobre os sintomas, tratamento e prevenção da doença

    A raiva canina é uma das doenças virais mais perigosas que o seu amigo pode pegar se não for devidamente protegido de seu agente causador. Apesar de ser uma zoonose, o que mais preocupa nesse caso é que ela não tem tratamento e é sempre fatal em animais. Em humanos, apesar de o tratamento ser novo, já existem casos de cura completa no Brasil. Para esclarecer dúvidas sobre a raiva em cachorros, seus sintomas, formas de transmissão e prevenção, nós conversamos com o veterinário Thiago Félix, de Brasília. Sobre a ação da raiva em humanos, os dados são da Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro.

    Gripe canina, tosse canina ou tosse dos canis: conheça mais sobre as causas, sintomas e tratamento da doença
    Saúde

    Gripe canina, tosse canina ou tosse dos canis: conheça mais sobre as causas, sintomas e tratamento da doença

    Em algumas regiões do país, dizer que alguém está com “tosse de cachorro” é sinal de que a pessoa está com tosse seca, geralmente provocada por alguma irritação na garganta. O que muita gente não sabe é que, no mundo dos animais, o cachorro com tosse muitas vezes está doente — e a condição dele é bem parecida com algo comum para humanos: a gripe. Mesmo que, geralmente, a gripe canina

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Carrapato

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    Ver Todas >

    Quais são as doenças de cachorro mais comuns no verão e como evitá-las?
    Saúde animal

    Quais são as doenças de cachorro mais comuns no verão e como evitá-las?

    Com a chegada do verão, é necessário redobrar os cuidados com o cachorro e também com a sua saúde. Os peludos costumam aproveitar bastante essa época, já que os passeios e banhos de mar ou piscina são mais frequentes. No entanto, a mudança de rotina vem acompanhada de uma grande preocupação, que é a proliferação de certas doenças de cachorro que ocorrem nessa época. Otite canina, desidratação e até mesmo infestação de pulgas e carrapatos são problemas bastante comuns no verão. 

    Verme em cachorro filhote: veja os sinais mais comuns de que o cãozinho está sofrendo com verminoses
    Saúde animal

    Verme em cachorro filhote: veja os sinais mais comuns de que o cãozinho está sofrendo com verminoses

    Os filhotes de cachorro são muito mais propensos a sofrerem com verme. Além da contaminação facilmente ocorrer pela amamentação, os filhotes ainda estão desenvolvendo o sistema imunológico e diversas funções do organismo. É por isso que a primeira dose do vermífugo para cachorro filhote deve ser feita aos 30 dias de vida, com reforço mensal até os seis meses, para garantir a saúde do pet. 

    Otite canina: qual a diferença entre a inflamação interna, média e externa?
    Saúde animal

    Otite canina: qual a diferença entre a inflamação interna, média e externa?

    Ter um cãozinho é tudo de bom, mas além da parte divertida e do companheirismo que o animal nos oferece, é preciso ficar atento a alguns detalhes a respeito da saúde do cachorro. A otite canina é um problema bastante comum que pode afetar o ouvido dos cães e que costuma vir acompanhada de muita coceira e incômodo na região. Existem três tipos de inflamação, e cada um deles é associado a um diferente grau de gravidade. 

    O que é a doença da arranhadura do gato?
    Saúde animal

    O que é a doença da arranhadura do gato?

    Se você tem um bichano, em algum momento já deve ter ouvido falar na doença da arranhadura do gato, certo? Essa infecção acontece principalmente por meio de arranhões dos felinos, e pode atingir tanto os próprios animais quanto os humanos. É fundamental ficar atento a qualquer um dos sintomas de doença da arranhadura do gato para saber como tratar e cuidar corretamente da enfermidade. 

    Ver Todas >