Saúde

Lipidose hepática felina: saiba tudo sobre essa doença que pode atingir os gatos

Conheça a lipidose hepática felina, doença que afeta o fígado dos gatos
Conheça a lipidose hepática felina, doença que afeta o fígado dos gatos

Cuidar da saúde do seu pet é dever de todo tutor, pois assim como os humanos, gatos e cachorros também estão vulneráveis a diversas doenças. Você já ouviu falar na lipidose hepática? Gatos podem desenvolver essa patologia, principalmente se não receberem uma ração adequada. Ela afeta principalmente o fígado dos felinos, órgão responsável por auxiliar no processo digestivo e pela desintoxicação do organismo. Não é à toa que ela é muito temida pela maioria dos tutores. Mas afinal, do que se trata essa doença? A lipidose hepática felina é contagiosa? Qual é o tratamento mais indicado? O Patas da Casa reuniu as principais informações sobre o assunto a seguir!

Entenda o que é a lipidose hepática felina e as principais causas da doença

Apesar do difícil nome, a lipidose hepática é uma doença mais comum do que se pensa quando se trata da saúde dos gatos e que não é contagiosa. Segundo a médica veterinária Luciana Capirazzo, especialista em felinos do hospital Vet Popular, esse quadro também é conhecido como doença do fígado gordo e trata-se de uma síndrome colestática que acomete gatos domésticos, sendo caracterizada pelo extenso acúmulo de triglicerídeos nas células hepáticas. Parece complicado, mas não é: na prática, quer dizer que é uma desordem metabólica que envolve o excesso de gordura no fígado, o que leva à diminuição das funções metabólicas do órgão. Ou seja, o fígado para de funcionar como deveria.

Já sobre as causas da lipidose hepática felina, a profissional esclarece: “A maioria dos animais que a desenvolvem apresentam como causa problemas de obesidade ou, quando passam por um processo patológico ou situações de nervosismo e estresse, apresentam anorexia, causando o quadro de lipidose”, esclarece a profissional. Portanto, gatos que não recebem uma alimentação adequada estão mais suscetíveis ao desenvolvimento da doença.

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

Depois do expediente de trabalho na sexta, o que você gosta de fazer?

Como seria o seu domingo perfeito?

Como você fica em um dia de chuva?

Como seria a viagem ideal nas férias?

Como você costuma encontrar os amigos?

Qual o seu tipo de exercício favorito?

Como é a sua rotina matinal?

Como é a sua agenda no fim de semana?

Schnauzer e Shih Tzu são raças mais independentes Golden Retriever e Yorkshire gostam de companhia Border Collie e Jack Russell Terrier são aventureiros
    Lipidose hepática em gatos: é fundamental consultar um veterinário para ele recomendar o tratamento correto
    Lipidose hepática em gatos: é fundamental consultar um veterinário para ele recomendar o tratamento correto

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    Lipidose hepática: gatos obesos têm maior tendência a desenvolver a doença?

    Como a doença é caracterizada pelo acúmulo excessivo de triglicerídeos em mais de 70% das células hepáticas, Luciana alerta que a obesidade pode ser um dos grandes vilões e fator de risco para a lipidose hepática felina. Isso acontece porque, como o corpo do animal passa a ter gordura “sobrando”, o gato não sente fome com tanta frequência e, consequentemente, passa a se alimentar muito mal e em intervalos muito grandes de tempo, o que abre espaço para o surgimento da doença. 

    “Com o acúmulo em excesso, ocorre uma intensa mobilização da gordura corporal dos gatos devido aos longos períodos com falta de apetite ou outras circunstâncias que interfiram na rotina do animal”, explica a veterinária. No entanto, vale destacar que o maior problema está na falta de uma nutrição adequada, e não na obesidade em si. Tanto é que animais anoréxicos ou que sofrem alterações na sua alimentação devido a situações de estresse também podem desenvolver a doença com mais facilidade.

    Principais sintomas da lipidose hepática felina

    • Perda de peso

    Vômitos

    • Constipação ou diarreias

    • Palidez

    • Icterícia (coloração amarelada na pele ou na região dos olhos)

    • Depressão

    • Perda de apetite 

    • Fadiga e indisposição

    Afinal, como tratar a lipidose hepática em gatos? Tem cura?

    Conforme a especialista explica, na maioria das vezes a doença tem cura se diagnosticada e tratada logo no início. Mas então como curar a lipidose hepática em gatos? Bom, o tratamento consiste basicamente em uma mudança na alimentação do animal, que vai buscar estabelecer o suporte nutricional e a correção da desidratação e do desequilíbrio eletrolítico no organismo do felino. 

    Dessa forma, o médico veterinário vai indicar uma dieta bastante específica para que o bichano se recupere logo, mas é muito importante que todas as orientações passadas pelo profissional sejam seguidas à risca. Também vale destacar que, dependendo do grau do caso, pode ser que uma ração hepática para gatos seja indicada.

    É imprescindível que o tutor leve o animal para uma consulta com um veterinário caso haja qualquer suspeita da doença - principalmente se ele não tem se alimentado direito nos últimos tempos e apresenta algum dos sintomas citados. Só assim o diagnóstico correto será feito e, então, o tratamento pode ser iniciado. 

    É possível prevenir a lipidose hepática felina?

    Todo mundo sabe que prevenção é a melhor maneira de manter o seu pet saudável, né? E mesmo que não exista uma maneira totalmente eficaz de prevenir a lipidose hepática em gatos, alguns cuidados podem reduzir os riscos de desenvolvimento da doença. Segundo Luciana, manter seu gato com uma condição corporal adequada é uma das peças-chave para que o felino não seja acometido pela lipidose hepática. É sempre bom ficar atento ao nível de gordura corporal do seu bichano e, caso ele esteja “magrinho” demais, também deve-se ter uma atenção especial com a saúde dele. 

    Um gato saudável não pode ser obeso e nem desnutrido, e isso está diretamente ligado a uma alimentação de qualidade, outro fator fundamental na prevenção contra a lipidose hepática felina. Além disso, visitas regulares a um médico veterinário devem ser feitas para garantir que não há nenhum problema com a saúde do animal.

    Redação: Juliana Melo

     

    Cachorro estressado: 8 sinais de que o estresse está afetando a saúde do pet

    Próxima matéria

    Cachorro estressado: 8 sinais de que o estresse está afetando a saúde do pet

    Esporotricose em gatos: conheça mais sobre essa doença grave que pode atingir os felinos
    Saúde

    Esporotricose em gatos: conheça mais sobre essa doença grave que pode atingir os felinos

    A esporotricose em gatos é uma das doenças mais graves que pode atingir os felinos. Isso porque ela evolui muito rápido para a fase disseminada, causando sérios riscos à vida do gatinho. Provocada por um fungo presente em vegetações, a “micose” apresenta feridas bem características na pele do felino, sendo esse um dos principais sintomas da doença. Apesar da complexidade da infecção, o tratamento correto é capaz de curar essa doença de gato. Esporotricose também pode ser prevenida com alguns cuidados específicos no dia a dia do seu felino. Para saber mais sobre a doença, nós conversamos com o médico veterinário Frederico Lima, do Rio de Janeiro.

    Khao Manee: tudo o que você precisa saber sobre essa raça de gato tailandesa (e muito rara!)
    Raças

    Khao Manee: tudo o que você precisa saber sobre essa raça de gato tailandesa (e muito rara!)

    O Khao Manee tem um grande potencial para ser um dos grandes queridinhos entre os apaixonados por gatos. Com olhos de cores marcantes e pelo branquinho, o felino desta raça possui uma aparência rara que chama atenção e é uma ótima companhia para qualquer família. De origem tailandesa, esse gatinho é super amigável e ama estar ao lado dos seus humanos - e até mesmo de outros animais. Para conhecer mais a fundo o gato Khao Manee, o Patas da Casa separou as principais informações sobre esse bichano incrível. Dá uma olhada!

    Van Turco: saiba tudo sobre essa raça de gato
    Raças

    Van Turco: saiba tudo sobre essa raça de gato

    Já ouviu falar no gato Turkish Van? Também chamado de Van Turco ou o contrário, Turco Van, o animal desta raça é muito cobiçado e especial aos olhos dos amantes de felinos. Extremamente dócil e cativante, não é muito difícil entender por que as pessoas se apaixonam por esse bichano de pelagem felpuda e macia. Mas afinal, que outras características são típicas desta raça de gato? Como é a personalidade dele? Que cuidados são necessários no dia a dia do gatinho? Para desvendar todas essas questões, preparamos uma matéria com tudo que você precisa saber sobre o Van Turco. Dá só uma olhada!

    Gato Azul Russo: saiba tudo sobre a raça
    Raças

    Gato Azul Russo: saiba tudo sobre a raça

    Com uma pelagem cinza, o gato Azul Russo - também conhecido como Russian Blue - é dono de uma beleza inconfundível e capaz de conquistar facilmente o coração de qualquer pessoa com sua personalidade doce e calma. A raça é originária da Rússia e considerada bastante rara, mas ainda assim muitas pessoas ao redor do mundo se fascinam pelo Azul Russo e não hesitam em procurar um bichano para chamar de seu. 

    Ver Todas >

    Quais são os cuidados com gatos renais crônicos?
    Saúde animal

    Quais são os cuidados com gatos renais crônicos?

    Se você é um gateiro, com certeza já ouviu falar sobre o perigo das doenças renais nos felinos. Se os cuidados são importantes em qualquer fase de vida do pet, no caso de um gato com insuficiência renal a preocupação é maior ainda. A insuficiência renal em gatos é uma doença que acomete principalmente os felinos idosos, mas também pode ser comum em outras idades e também na raça de gato Persa, que possui predisposição genética para esse tipo de problema. 

    Icterícia em cães: entenda o que é o problema e os sinais mais comuns
    Saúde animal

    Icterícia em cães: entenda o que é o problema e os sinais mais comuns

    Se você nunca ouviu falar na icterícia em cães, chegou a hora de entender um pouco mais sobre o problema que, embora não seja uma doença, é um sinal clínico que pode indicar que a saúde do cachorro não vai muito bem. Mas então, como identificar a icterícia canina e quais são as principais causas associadas a esse sintoma?

    Quais são as doenças de cachorro mais comuns no verão e como evitá-las?
    Saúde animal

    Quais são as doenças de cachorro mais comuns no verão e como evitá-las?

    Com a chegada do verão, é necessário redobrar os cuidados com o cachorro e também com a sua saúde. Os peludos costumam aproveitar bastante essa época, já que os passeios e banhos de mar ou piscina são mais frequentes. No entanto, a mudança de rotina vem acompanhada de uma grande preocupação, que é a proliferação de certas doenças de cachorro que ocorrem nessa época. Otite canina, desidratação e até mesmo infestação de pulgas e carrapatos são problemas bastante comuns no verão. 

    Verme em cachorro filhote: veja os sinais mais comuns de que o cãozinho está sofrendo com verminoses
    Saúde animal

    Verme em cachorro filhote: veja os sinais mais comuns de que o cãozinho está sofrendo com verminoses

    Os filhotes de cachorro são muito mais propensos a sofrerem com verme. Além da contaminação facilmente ocorrer pela amamentação, os filhotes ainda estão desenvolvendo o sistema imunológico e diversas funções do organismo. É por isso que a primeira dose do vermífugo para cachorro filhote deve ser feita aos 30 dias de vida, com reforço mensal até os seis meses, para garantir a saúde do pet. 

    Ver Todas >