close
Saúde

Leucemia Felina: veterinária lista os principais sintomas da FeLV nos gatinhos

Atualizado em 27 de maio de 2020 às 14h36

Publicado em 31 de Outubro de 2019 às 17h00

Leucemia felina: essa doença é bem comum nos gatinhos. Saiba como prevenir e quais os sintomas mais comuns.
Leucemia felina: essa doença é bem comum nos gatinhos. Saiba como prevenir e quais os sintomas mais comuns.

Ao adotar um gatinho, a primeira coisa que você precisa fazer é se certificar que o animal é negativo para FIV (Imunodeficiência Felina - ou AIDS felina) e FeLV (Leucemia Felina). No caso da FeLV, então, o cuidado precisa ser redobrado, já que os sintomas aparecem de acordo com a fase em que a doença acomete os felinos. Para entender ainda mais sobre a leucemia felina e quais são os principais sintomas da doença, o Patas da Casa conversou com a médica veterinária Caroline Mouco Moretti, que é Diretora Geral do Hospital Veterinário Vet Popular .

Leucemia felina: quais os sintomas mais comuns da doença?

Normalmente, os sintomas da FeLV felina se manifestam de acordo com as fases da doença. Algumas características, no entanto, são comuns no dia a dia e devem ser observadas pelos tutores caso o gatinho não é testado para a doença. Esses são alguns dos sintomas mais perceptíveis:

  • Secreção ocular em abundância

Os olhos dos nossos gatinhos são muito importantes para que eles sobrevivam no dia a dia. Gatos possuem a incrível capacidade de enxergar muito bem no escuro. Quando estão doentes ou contaminados com a FeLV, os olhos podem acumular mais secreções e assumir um tom mais avermelhado, como se estivesse irritado. Pode ser similar a uma conjuntivite, por isso é necessário prestar atenção nos outros sintomas da leucemia felina;

  • Hipertermia

É muito comum que o corpo do animal esteja em uma temperatura acima do ideal quando ele está com uma doença infecciosa. No caso da FeLV, o animal pode ter episódios severos de febre e ter uma hipertermia, em que seu corpo ficará muito mais quente que o normal;

  • Perda de peso

Como a FeLV felina é uma doença que progride muito rápido, comprometendo todo o sistema imunológico dos gatinhos, é comum que ele acabe não se alimentando com frequência. Isso acarreta perda de peso e, em alguns casos, apresenta um quadro de anorexia;

  • Diarreia e vômito

A leucemia felina prejudica a alimentação do animal, que pode ter algumas dificuldades para comer. Os episódios de vômitos e diarreia acabam se tornando muito comuns, já que o seu sistema imunológico está enfraquecido. A situação também favorece o aparecimento de verminoses, como a giardíase;

  • Disfunções gengivais

A gengiva do animal pode assumir um tom mais esbranquiçado, como em um quadro de lipidose hepática, já que o animal não consegue se alimentar normalmente. Também é possível perceber esse tom mais branco nas orelhas, ao redor dos olhos e no focinho do animal;

  • Ferimentos na pele com cicatrização tardia

A leucemia felina compromete todo o processo de cicatrização no corpo do gato infectado. Por isso, feridas na pele do gato podem demorar mais para cicatrizar. Se expostas a bactérias por muito tempo, podem ficar infeccionadas.

FeLV felina: as fases da doença determinam os sintomas 

Faça o teste e descubra qual a personalidade dominante do seu gato!

É só preencher e começar!

Question Quiz Stamp

Como seu gato reage com a chegada de visitas em casa?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Você está pensando em adotar mais um gatinho. Qual seria a reação do seu felino?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Você precisa levar seu gato ao veterinário e na fila ele encontra outro felino. Como ele reage?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Seu gato fica incomodado quando as portas de casa ficam fechadas?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seu gato se comporta com os outros animais da casa?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Você acabou de chegar em casa depois de muito tempo fora. O seu gato:

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Seu gato deitou em cima da sua cama e dormiu. Qual a sua reação, humano?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seu gato se comporta na hora de se alimentar?

Question Header Background

Gato-humano! Seu gato não perde a oportunidade de estar ao seu lado Gato solitário! Seu gato tem uma personalidade mais quieta e reservada Gato-gato!  Seu gato gosta da companhia de outros felinos Gato curioso! Seu gato está sempre em busca de novas aventuras Gato caçador! Seu gato tem os instintos selvagens mais aflorados
    Leucemia Felina: a doença possui 4 fases que determinam a intensidade dos sintomas.
    Leucemia Felina: a doença possui 4 fases que determinam a intensidade dos sintomas.

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    A cinomose canina é uma das doenças de cachorro mais perigosas e sérias, principalmente porque pode afetar cães de todas as idades e raças e é altamente contagiosa. O que causa cinomose é um vírus da família Paramyxovirus, e quando o animal não é tratado da forma correta, a doença pode até ser fatal (não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele). 

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar
    Saúde animal

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar

    Encontrar sangue nas fezes do cachorro é um sinal de que algo está fora do normal. O cocô com sangue em cachorro é uma questão que deve ser sempre levada a sério. Há diversas razões para isso acontecer, desde um episódio momentâneo - mais simples de resolver - até doenças mais graves - como a gastroenterite hemorrágica ou câncer em cães. 

    A FeLV em gatos, por ser altamente contagiosa, afeta o sistema imunológico dos felinos de forma muito agressiva. Em alguns casos, os gatos não manifestam os sintomas da doença. Isso ocorre porque a leucemia felina possui quatro fases: abortiva, progressiva, regressiva e latente.

    • Fase Abortiva 

    Nesta fase, segundo a veterinária Caroline Mouco explica que o gato exposto ao vírus tem um sistema imunológico bem efetivo que inibe a multiplicação viral em suas células. O teste, nesse momento, apresenta resultado negativo. 

    • Fase Latente

    Por último, a fase latente é aquela onde o animal é portador da doença, mas não é possível diagnosticá-la. O vírus fica armazenado na medula óssea do gato, podendo gerar novos problemas ao sistema imunológico. Segundo Caroline, apesar da alta carga viral e ter altas chances de desenvolver a doença nesta fase, o paciente não transmite para os outros gatos. O vírus ainda é negativo no ELISA.

    • Fase Progressiva

    Na fase progressiva, é possível observar os sintomas da doença, já que ela se manifesta rapidamente no animal. “Esta fase é mais agressiva, pois o gato não elimina mais o vírus, tem todos os exames testados positivos. A transmissão já acontece e as chances do gato adoecer são altíssimas”, explica. 

    • Fase Regressiva

    Já na fase regressiva, o animal é diagnosticado como portador da doença, mas o próprio organismo conseguiu combater o vírus. Nessa situação, o gato consegue levar uma vida normal. “Na fase regressiva ocorre a multiplicação viral de uma maneira limitada. O felino ainda é negativo quando testado ao ELISA, já que este encontra o anticorpo presente no organismo, mas quando é testado ao PCR (Proteína C-reativa), que detecta o DNA do vírus, o exame já vem positivo mediante contágio. A chance de cura nesta fase ainda é otimista”, conta Caroline. 

    FeLV: gatos podem transmitir a doença pelo contato direto com outros felinos

    Leucemia Felina: o simples contato de um gato com FeLV com um saudável já é capaz de transmitir a doença.
    Leucemia Felina: o simples contato de um gato com FeLV com um saudável já é capaz de transmitir a doença.

     

    A FeLV é um vírus que corresponde a leucemia felina, sendo uma doença extremamente contagiosa. Para ser contaminado, o gato precisa ter contato direto com outro felino infectado. Esse contato inclui a divisão de potes, caixinhas, brinquedos, saliva e até mordidas e arranhaduras. Da mesma forma, se você tem um gato saudável e um gato positivo para a leucemia, é necessário vacinar o seu gatinho saudável ou separá-los de ambiente. 

    Essa doença é muito séria e o seu tratamento não pode ser negligenciado. É importante tratar assim que diagnosticado para que o gatinho tenha mais qualidade de vida. No caso de gatas grávidas que são positivas para a FeLV felina, os filhotes também terão a doença.

    Como prevenir a leucemia felina?

    A melhor forma de prevenir a FeLV é manter o seu bichinho dentro de casa, pois qualquer gato de rua pode ter a doença e transmitir para um saudável. Não deixe ele dar voltinhas, principalmente se não for vacinado. Com a FeLV não há a oportunidade de “brincar” com a doença, pois é uma das piores enfermidades que podem acometer os felinos. No caso de gatos saudáveis, eles devem ser vacinados com a quíntupla, vacina que protege não só a FeLV, como também a panleucopenia felina, a rinotraqueíte em gatos e a calicivirose. Em todo o caso, é necessário testar o animal antes de se vacinar, pois gatos já contaminados com a doença não terão reação ao efeito da vacina e não devem ser vacinados, pois a imunização pode intensificar ainda mais a doença no organismo. 

    Redação: Júlia Cruz

     

     

    Diabete canina: 5 sinais da doença para ficar atento

    Próxima matéria

    Diabete canina: 5 sinais da doença para ficar atento

    PIF felina: conheça a Peritonite Infecciosa e saiba como a doença se desenvolve nos gatinhos
    Saúde

    PIF felina: conheça a Peritonite Infecciosa e saiba como a doença se desenvolve nos gatinhos

    Os gatinhos, ao longo da vida, podem se deparar com três doenças muito graves: a FIV (Imunodeficiência Felina - também conhecida como a AIDS felina), a FeLV (Leucemia Felina) e a PIF. A última, conhecida como Peritonite Infecciosa Felina, é menos comum que as outras duas, mas tão prejudicial quanto. A doença também não possui cura e nem tratamento. Quer saber mais sobre essa doença tão prejudicial à saúde dos gatos? Conversamos com o médico veterinário Frederico Lima, do Rio de Janeiro. Chega mais!

    Nomes para gatas: confira uma lista com 200 sugestões para chamar a sua gatinha
    Adoção

    Nomes para gatas: confira uma lista com 200 sugestões para chamar a sua gatinha

    Escolher um dentre as infinitas possibilidades de nomes para gatas e gatos não é uma tarefa fácil. Quando se trata de escolher um nome para gatinha, opções mais fofas e meigas estão entre as favoritas dos tutores. Mas a verdade é que existem centenas de inspirações de nomes para gata, desde personagens e celebridades famosas até sua comida preferida. 

    Música para gatos: qual o efeito das canções nos felinos?
    Comportamento

    Música para gatos: qual o efeito das canções nos felinos?

    Cuidar de gato também significa entender o que o seu amigo de quatro patas gosta ou não. Desde petiscos - como as frutas para gatos - até brincadeiras e formas de fazer carinho no animal, é essencial buscar compreender os gostos e o que influencia no comportamento do bichano. Às vezes, o gato acaba ficando muito estressado ou ansioso com alguma coisa, e para contornar esse tipo de situação, a música pode ajudar. “Mas como assim gato gosta de ouvir música?”, é o que você deve estar se perguntando, né? Pois bem, a gente te explica a seguir de que forma as músicas para gatos podem melhorar o bem-estar dos felinos. Dá só uma olhada!

    Rinotraqueíte felina: saiba tudo sobre a doença respiratória que acomete os gatinhos!
    Saúde

    Rinotraqueíte felina: saiba tudo sobre a doença respiratória que acomete os gatinhos!

    Os períodos de chuva e frio demandam mais atenção ainda com a saúde dos felinos. Mesmo vivendo dentro de casa e sem acesso às ruas, os gatinhos não estão imunes a algumas doenças que podem surgir com as mudança do tempo. Uma delas é a rinotraqueíte felina: se você tem um gato, já ouviu falar sobre ela por ser bem comum entre os bichanos. Mas, se você ainda não sabe muito sobre a doença, não se preocupe, pois o Patas da Casa vai te esclarecer as principais dúvidas sobre a doença. Para isso, conversamos com a veterinária Vivian Valério, do Rio de Janeiro!

    Ver Todas >

    Gato com sangue nas fezes: o que fazer?
    Saúde animal

    Gato com sangue nas fezes: o que fazer?

    Se você reparar seu gato com sangue nas fezes, é importante ficar atento. Essa situação é um sintoma comum a inúmeras doenças que podem afetar o bichano. Ao defecar fezes com sangue, o gato pode estar com uma inflamação no cólon ou até mesmo com um tumor no sistema digestivo. O sangue nas fezes do gato é um sintoma presente até mesmo nas verminoses mais comuns. Seja qual for a causa do gato fazendo fezes com sangue, sempre significa que algo está errado com o animal. 

    Cachorro engasgado: veterinária ensina o que fazer nessa situação
    Saúde animal

    Cachorro engasgado: veterinária ensina o que fazer nessa situação

    Saber um pouquinho de primeiros socorros veterinários vai ser muito útil se você acha que um cachorro parece engasgado - inclusive, é algo que pode salvar a vida do seu pet nessas horas! Seja porque ele comeu muito rápido ou tentou engolir alguma coisa que não devia, se deparar com um cachorro engasgado em casa é sempre um momento de desespero para qualquer pai de pet. Não saber como resolver essa situação é super comum e, ao mesmo tempo, um hábito perigoso: nunca se sabe quando você vai precisar socorrer o seu amigo em casa. 

    Cinomose: sintomas mais comuns da doença. Aprenda a identificar os sinais!
    Saúde animal

    Cinomose: sintomas mais comuns da doença. Aprenda a identificar os sinais!

    Os sintomas de cinomose canina são facilmente confundidos com outras doenças de cachorro e infelizmente pode até mesmo levar o animal à morte. Mais comum em filhotes não vacinados, a cinomose é altamente contagiosa e em alguns casos pode deixar sequelas que vão acompanhar o pet por toda a vida. É importante estar atento a qualquer sinal da cinomose em cães que ainda não completaram o calendário de vacinação, pois é uma doença que evolui rapidamente para um quadro grave. Ou seja, é uma situação de emergência!

    Giárdia canina: o que é, como tratar e o que fazer para prevenir
    Saúde animal

    Giárdia canina: o que é, como tratar e o que fazer para prevenir

    A giárdia canina é uma doença com alta contaminação entre os cães. O cachorro que a contrai sente bastante desconforto no sistema digestivo, com diarreia e vômitos frequentes. Comum principalmente no verão, a giardíase canina pode se apresentar de maneira mais leve ou mais grave. Sem tratamento, a giárdia canina pode matar o cachorro contaminado se ele não receber o tratamento adequado logo no início da infecção. Além disso, a giárdia canina pega em humanos e tem maior chance de atacar filhotes de cachorro. 

    Ver Todas >