Saúde

Insuficiência renal em gatos: veterinária tira todas as dúvidas sobre essa doença grave que atinge os felinos!

Insuficiência renal em gatos é um problema muito sério, que requer atenção e cuidados especiais!
Insuficiência renal em gatos é um problema muito sério, que requer atenção e cuidados especiais!

A insuficiência renal em gatos é uma doença que pode ser muito comum quando falamos de felinos. Sem cura, o problema precisa de acompanhamento constante e cuidados especiais para evitar complicações. Apesar de ser uma doença grave, o gato com problema renal pode ter qualidade de vida. Para tirar as dúvidas sobre a insuficiência renal em gatos, o Patas da Casa conversou com a médica veterinária Débora Nunes, do Rio de Janeiro. Vem conferir!

Patas da Casa: O que causa a insuficiência renal em gatos?

Débora Nunes: Existem dois tipos de insuficiência renal em gatos, a crônica e a aguda. A aguda é quando o animal come alguma coisa, como uma planta tóxica, ou sofre algum envenenamento: essas duas situações podem levar à falência do rim. Geralmente, a insuficiência renal aguda é muito pior que a crônica, porque ela pode causar uma inflamação chamada pielonefrite e levar a outras alterações que fazem o animal ir à óbito muito mais rápido.

A crônica é uma insuficiência renal que começa aos poucos e, gradativamente, vai aumentando ureia, creatinina e outros marcadores. Hoje em dia, alguns estudos dizem que a insuficiência renal vem pela idade. Então, quando o animal começa a ter mais ou menos 8 anos de idade, já começamos a fazer um check-up preventivo.

PC: A insuficiência renal em gatos pode ter relação com outras doenças?

DN: A insuficiência renal em gato pode não ser uma questão primária e sim decorrente de alguma doença endócrina que o veterinário não consegue descobrir, porque o animal não tem sintomas. O gato é um animal estóico, ou seja: ele não demonstra que está doente. Isso ocorre porque, na natureza, mostrar que está doente é um sinal de fraqueza e com isso ele pode virar uma presa fácil. Hoje em dia, o que a medicina veterinária felina mais trabalha é que a insuficiência renal pode ser causada pela má ingestão de água, já que o gato tem esse problema de não se hidratar adequadamente.

PC: Existe alguma idade para o animal se tornar renal ou isso não faz diferença?

DN: A insuficiência renal aguda pode acontecer com qualquer idade, é como se fosse um choque e o rim para de funcionar. Se a gente conseguir salvar o animal da insuficiência renal aguda, ele vira um paciente renal crônico. Nesse caso, não tem idade pra acontecer, já que depende de outros fatores. A insuficiência renal crônica, que é a que mais pegamos em clínica, costuma ocorrer a partir de oito anos, quando o gatinho começa a se tornar idoso.

PC: Existe diferença entre cálculo renal e insuficiência renal?

DN: O cálculo renal em gatos pode ser dado por dois tipos: estruvita e oxalato de cálcio (nomes dos cálculos). Existem outros tipos também, mas esses são os mais comuns. Podem vir com a falta de água e alimentação errada, como restos de comida.

O cálculo renal é uma pedrinha que pode levar a alteração renal e à insuficiência renal, já que fica no rim e pode causar lesões. Pode ficar na bexiga e obstruir a uretra, levando o animal a não conseguir fazer xixi. Como o animal fica com a bexiga bem cheia, corre o risco de romper e evoluir para algo pior, como uma peritonite (inflamação na membrana que reveste o abdômen do animal).

PC: Quais os sintomas da insuficiência renal em gatos?

DN: Os sintomas são vários. Entre eles:

  • Poliúria (produção de urina em excesso);
  • Polidipsia (sede e ingestão de água em excesso);
  • Vômito;
  • Emagrecimento;
  • Mudança de comportamento;
  • Aumento de vocalização (miados);
  • Urinar em lugares errados.

Descubra se você é um cachorro ou um gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

No fim de semana, você é o amigo que...?

As férias estão chegando! Vai viajar?

Chegou a hora de escolher a comida! Quem é você?

Que música você escolhe para arrasar no karaokê?

E sobre seus cuidados de beleza?

Vai ficar em casa com o mozão? Você prefere:

Ihhh, você recebeu uma crítica no trabalho… Como reage?

Você é um cachorro! Você é um gato! Você é um gatorro!
    O gato com problema renal precisa de acompanhamento regular do veterinário.
    O gato com problema renal precisa de acompanhamento regular do veterinário.

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?
    Saúde animal

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?

    Encontrar o cachorro ofegante não é uma questão incomum na vida dos tutores. Normalmente, os peludos ficam mais cansados depois de um longo passeio ou brincadeiras, mas quando não houve nenhum estímulo é preciso ficar atento. Observe alguns sinais do cachorro ofegante: língua pra fora pode indicar calor ou cansaço, agora se o sintoma estiver acompanhado de tremores ou cachorro com dificuldade de respirar, o ideal é levá-lo imediatamente ao veterinário. Para saber como diferenciar e se há necessidade de buscar ajuda médica, nós conversamos com Ricardo Duarte, que é docente do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário FMU, de São Paulo.

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    PC: Existe tratamento para a insuficiência renal em gatos?

    DN: Existe tratamento apenas para suporte da insuficiência renal. Como não tem cura - é uma doença progressiva -, precisamos fazer o controle dela. Isso é feito a partir da observação da uréia, creatinina, fósforo, potássio, cálcio iônico por meio de exames, como o de urina, SDMA e ultrassonografia.

    O SDMA (dimetilarginina simétrica) consegue mostrar de forma precoce se esse animal está com alguma injúria no rim ou lesão renal, antes mesmo do aumento da uréia e da creatinina. Esses indicadores só aumentam quando tem 75% do glomérulo renal afetado, então é um marcador tardio. Quanto mais sintomas o animal tem, como magreza, alteração na densidade urinária, aumento na uréia e creatinina, entre outros sinais, ele já entra em um estado mais problemático. 

    Se o gatinho apresenta alteração na ultrassonografia, já tem sinais de senilidade, mas não há aumento de uréia e creatinina, a gente sabe que ele é renal, mas a condição não é tão grave. 

    PC: Existe cura para a insuficiência renal em gatos?

    DN: Não existe cura da insuficiência renal, uma vez que já o rim não volta a funcionar. Quando a gente descobre que o gatinho só tem uma injúria e não a falência do rim, conseguimos controlar o problema com mais eficácia. A gente consegue dar uma qualidade de vida melhor para esse gato e retardar bastante o aparecimento da doença. Agora quando já tem a insuficiência e a falência dos glomérulos, não tem mais como reverter. Infelizmente, a insuficiência renal é uma das maiores causas de óbito em gato.

    PC: Como prevenir que um gato se torne renal? 

    DN: Para prevenir, é importante que o gato tenha muita ingestão de líquidos. Fontes de água podem ajudar, inclusive ter várias espalhadas pela casa. Outra forma de incentivar é fazer um gelinho com o sachê, dar frutas liberadas com bastante líquido, como melancia. No caso do sachê, pode colocar mais água para reforçar o consumo. O gatinho tem sempre beber muito mais água do que ele normalmente bebe. 

    PC: Quais os cuidados que um gato renal precisa ter?

    DN: O gato renal precisa de cuidados frequentes, como ser acompanhado por um veterinário para uma avaliação a cada 4 meses (ou o tempo que o veterinário preconizar, geralmente não é bom passar de 6 meses). Comer uma ração renal para gatos específica também é importante. Além disso, o tutor precisa estar sempre observando os comportamentos e a ingestão de água do gatinho. 

    PC: Existe transplante de rim nesses caso de insuficiência renal em gatos?

    DN: Existe o transplante renal em gatos, sim, mas os lugares que fazem - que são pouquíssimos - exigem que o proprietário do gatinho que está renal adote o doador. Isso ocorre porque o gatinho doador vai ter problemas no futuro por causa da doação. Infelizmente, a medicina felina não se aprimorou tanto em relação à transplante renal quanto a humana.

    Redação: Júlia Cruz

    Quais doenças os filhotes de gato têm mais chances de contrair?

    Próxima matéria

    Quais doenças os filhotes de gato têm mais chances de contrair?

    Esporotricose em gatos: conheça mais sobre essa doença grave que pode atingir os felinos
    Saúde

    Esporotricose em gatos: conheça mais sobre essa doença grave que pode atingir os felinos

    A esporotricose em gatos é uma das doenças mais graves que pode atingir os felinos. Isso porque ela evolui muito rápido para a fase disseminada, causando sérios riscos à vida do gatinho. Provocada por um fungo presente em vegetações, a “micose” apresenta feridas bem características na pele do felino, sendo esse um dos principais sintomas da doença. Apesar da complexidade da infecção, o tratamento correto é capaz de curar essa doença de gato. Esporotricose também pode ser prevenida com alguns cuidados específicos no dia a dia do seu felino. Para saber mais sobre a doença, nós conversamos com o médico veterinário Frederico Lima, do Rio de Janeiro.

    Khao Manee: tudo o que você precisa saber sobre essa raça de gato tailandesa (e muito rara!)
    Raças

    Khao Manee: tudo o que você precisa saber sobre essa raça de gato tailandesa (e muito rara!)

    O Khao Manee tem um grande potencial para ser um dos grandes queridinhos entre os apaixonados por gatos. Com olhos de cores marcantes e pelo branquinho, o felino desta raça possui uma aparência rara que chama atenção e é uma ótima companhia para qualquer família. De origem tailandesa, esse gatinho é super amigável e ama estar ao lado dos seus humanos - e até mesmo de outros animais. Para conhecer mais a fundo o gato Khao Manee, o Patas da Casa separou as principais informações sobre esse bichano incrível. Dá uma olhada!

    As 5 doenças de gato mais graves que podem atingir os felinos
    Saúde

    As 5 doenças de gato mais graves que podem atingir os felinos

    Ter um bichinho em casa vai muito além dos momentos de diversão e das trocas de carinho com o seu amigo de quatro patas. Por isso, cuidar de um gatinho também significa saber identificar quando há algo de errado com a saúde dos felinos. Dentre as doenças mais comuns - e graves - que podem afetar o bichano, estão a FIV, FeLV e a PIF felina. Além delas, a clamidiose e a insuficiência renal em gatos também precisam de atenção, já que podem trazer graves consequências se não forem tratadas ou devidamente controladas. Mas não precisa se desesperar: o Patas da Casa reuniu as principais informações sobre cada uma dessas doenças de gatos domésticos para que os tutores fiquem bem atentos. Chega mais!

    Pancreatite em gatos: entenda mais sobre a doença que atinge os felinos
    Saúde

    Pancreatite em gatos: entenda mais sobre a doença que atinge os felinos

    Uma das doenças gastrointestinais mais sérias e conhecidas entre os humanos também possui a sua versão no universo felino: a pancreatite em gatos tem uma ação bastante similar no corpo dos nossos bichanos e também precisa de tratamento imediato para não causar danos à saúde do gato. É claro que isso se torna motivo de preocupação para os gateiros, mas não se assuste! A pancreatite felina tem tratamento e é possível diminuir o avanço da doença com alguns cuidados simples. 

    Ver Todas >

    10 mitos e verdades sobre a Leishmaniose canina!
    Saúde animal

    10 mitos e verdades sobre a Leishmaniose canina!

    A leishmaniose canina pode trazer sérios problemas para a saúde do animal. A doença é classificada como uma zoonose (ou seja, seres humanos também podem contraí-la) e os cães domésticos são os principais hospedeiros. A transmissão ocorre pela picada do mosquito-palha infectado com o protozoário Leishmania infantum chagasi. A prevenção é muito importante, já que a doença pode levar humanos e cachorros à morte ou causar sérias sequelas. 

    Como identificar um gato desidratado?
    Saúde animal

    Como identificar um gato desidratado?

    Embora não apreciem muito esse hábito, beber água é fundamental para a saúde do gato. Os tutores devem ter bastante atenção na rotina dos bichanos: eles precisam de uma quantidade adequada de líquidos para não desenvolverem complicações no sistema urinário que podem levar à falência dos rins. A curto prazo, um gato desidratado, normalmente em decorrência de algum outro problema de saúde, precisa receber bastante atenção para não chegar a um estado mais grave. 

    Pente para pulga de cachorro funciona? Conheça o acessório!
    Saúde animal

    Pente para pulga de cachorro funciona? Conheça o acessório!

    Manter o seu cachorrinho livre de pulgas pode não ser uma tarefa muito fácil, mas é essencial para saúde e bem-estar dele. As pulgas em cachorro podem não só causar coceira no animal, como também transmitir bactérias e verminoses, além de provocar dermatites. O pente para pulga é um acessório de uso prático para o tutor , confortável para os animais e até mais sustentável

    5 fatos sobre a diabetes em cães que precisam da sua atenção
    Saúde animal

    5 fatos sobre a diabetes em cães que precisam da sua atenção

    A diabetes em cachorro é um quadro delicado e que precisa de atenção e muito cuidado. A doença se desenvolve a partir de alterações nos níveis de produção de insulina pelo corpo do animal, com apresentações diferentes de acordo com o tipo de diabetes. Apesar de ser muito parecida com a ação em humanos, a diabetes em cães causa muitas dúvidas nos tutores, que podem acabar caindo em alguns mitos sobre a doença. Quanto antes o tratamento for iniciado, porém, mais chances o cachorro tem de conseguir viver com a doença, sem afetar tanto a sua qualidade de vida. Para te ajudar com isso, reunimos 5 fatos sobre a diabetes canina para sanar todas as suas incertezas sobre a doença. Confira abaixo!

    Ver Todas >