Saúde

Hiperestesia felina: entenda mais sobre esse problema que causa espasmos musculares nos gatinhos

Gato com espasmos musculares? Pode ser hiperestesia felina! Saiba mais sobre a doença a seguir
Gato com espasmos musculares? Pode ser hiperestesia felina! Saiba mais sobre a doença a seguir

Percebeu o gato nervoso? Nem sempre isso é um sinal de alerta, mas é importante ficar atento porque em alguns casos esse nervosismo pode ser reflexo da hiperestesia felina. Trata-se de uma síndrome rara, mas que pode afetar o seu amigo de quatro patas por diferentes motivos e geralmente é associada a mudanças comportamentais. Por se tratar de uma doença mais específica e que poucos tutores conhecem, o Patas da Casa entrevistou a Carolina Bernardo, tutora da gata Ricotinha que passou por esse problema, e a médica veterinária Luciana Lobo para esclarecer as dúvidas sobre a síndrome de hiperestesia felina. 

Hiperestesia felina: o que é e quais as causas desse problema?

A síndrome de hiperestesia felina não é um problema muito comum, mas que se manifesta no gato com espasmos musculares. Segundo Luciana, a raiz do problema muitas vezes é desconhecida, mas pode ter origem comportamental, dermatológica, neurológica e ortopédica. “As possíveis causas são: fatores no ambiente que afetam o hipotálamo e o sistema límbico, gatos hiperativos e nervosos, pele ressecada, causa genética, estresse, parasitas de pele como pulgas, fungos e sarnas e até epilepsia”, destaca. Embora seja uma doença rara, há maior incidência da hiperestesia felina nas raças Sagrado da Birmânia, Himalaio e Abissínio.

Gato com espasmos musculares: quais são os principais sintomas da hiperestesia felina?

Por mais raro que seja, é sempre bom ficar atento aos sinais dessa doença para que o diagnóstico seja feito o quanto antes. Isso porque a doença pode comprometer toda a qualidade de vida do animal. O gato com espasmos musculares é o sinal mais comum: segundo a veterinária, ocorre quando o gato está parado e de repente salta e morde o dorso como se estivesse sendo atacado. Entretanto, outros sintomas que também podem ser indicativos da hiperestesia felina são:

• Nervosismo

• Alterações de comportamento

• Mexer a cauda enquanto tenta lambê-la ou mordê-la

• Corre pela casa como se estivesse com medo

• Ondula a pele do dorso e se irrita se for tocado na região

• Pode ter convulsões e espasmos

• Lambe excessivamente a região lombar, anal e cauda

• Pupilas sofrem dilatação durante as crises

Miados não usuais

• Pode sofrer perda de peso e até se mutilar

Descubra se você é um cachorro ou um gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

No fim de semana, você é o amigo que...?

As férias estão chegando! Vai viajar?

Chegou a hora de escolher a comida! Quem é você?

Que música você escolhe para arrasar no karaokê?

E sobre seus cuidados de beleza?

Vai ficar em casa com o mozão? Você prefere:

Ihhh, você recebeu uma crítica no trabalho… Como reage?

Você é um cachorro! Você é um gato! Você é um gatorro!
    Hiperestesia felina: a Ricotinha foi diagnosticada com a síndrome e está em tratamento
    Hiperestesia felina: a Ricotinha foi diagnosticada com a síndrome e está em tratamento

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?
    Saúde animal

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?

    Encontrar o cachorro ofegante não é uma questão incomum na vida dos tutores. Normalmente, os peludos ficam mais cansados depois de um longo passeio ou brincadeiras, mas quando não houve nenhum estímulo é preciso ficar atento. Observe alguns sinais do cachorro ofegante: língua pra fora pode indicar calor ou cansaço, agora se o sintoma estiver acompanhado de tremores ou cachorro com dificuldade de respirar, o ideal é levá-lo imediatamente ao veterinário. Para saber como diferenciar e se há necessidade de buscar ajuda médica, nós conversamos com Ricardo Duarte, que é docente do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário FMU, de São Paulo.

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    Hiperestesia felina: consultas de check-up ajudam no diagnóstico

    A Carolina Bernardo já tinha percebido há um tempo os espasmos involuntários nas costas da gatinha Ricota, mas achava que era puro instinto dos felinos. “Ela também nunca curtiu muito carinho na região das costas/perto do rabo e sempre me mordia quando eu acariciava ali. Mas mordidas leves, como se fossem de brincadeira, então nunca achei que fosse dor”, conta. Durante um check-up para saber como estava a saúde da Ricota, porém, ela descobriu a doença. “Foi a primeira vez que a levei em uma clínica especializada em felinos e isso realmente faz muita diferença. Assim que chegamos, a veterinária percebeu que ela estava com espasmos e apertou a região. A Ricotinha reagiu imediatamente, e aí ela me contou sobre a hiperestesia felina”.

    Como é feito o diagnóstico da síndrome de hiperestesia felina?

    De acordo com veterinária Luciana, como a hiperestesia não tem causa definida, o diagnóstico normalmente é feito com base nos sintomas apresentados pelo gato associados a uma série de exames, que vão ajudar a descartar outras doenças. Podem ser solicitados, por exemplo, exame físico, neurológico, dermatológico, hormonal, de urina, de sangue e até uma radiografia da coluna. Com a Ricotinha, a veterinária solicitou um raio-x da coluna, mas que não identificou nada. “Ela disse que realmente tem muitos casos em que a radiografia não acusa nada, mas a medicação se faz necessária – porque é uma síndrome que pode ter várias causas”, relata a tutora.

    Hiperestesia felina: cura é possível? Entenda o que pode ser feito

    Infelizmente, não existe exatamente uma cura para a síndrome da hiperestesia felina. O que é possível ser feito, na verdade, é buscar tratar as causas da doença, que geralmente estão associadas a um gato nervoso ou estressado. “O tratamento consiste em reduzir a ansiedade e estresse do gato, criando um ambiente tranquilo. A alimentação adequada, limpeza constante e adequada das caixas de areia, comedouros e bebedouros também pode ajudar”, destaca a veterinária. Além disso, investir no enriquecimento ambiental também pode ser uma boa forma de promover melhor qualidade de vida ao felino. Em casos mais graves, pode ser necessária a prescrição de hormônios sintéticos e o uso de medicações controladas. A Ricotinha, por exemplo, iniciou um tratamento com medicação manipulada 2 vezes ao dia, e que deverá continuar até segunda ordem: “É relativamente tranquilo, tirando o estresse normal de dar comprimido para gatos, mas que por aqui já é uma prática que estou dominando bem!”.

    Redação: Juliana Melo

     

    5 formas de acabar com as pulgas de gatos

    Próxima matéria

    5 formas de acabar com as pulgas de gatos

    Rinotraqueíte felina: saiba tudo sobre a doença respiratória que acomete os gatinhos!
    Saúde

    Rinotraqueíte felina: saiba tudo sobre a doença respiratória que acomete os gatinhos!

    Os períodos de chuva e frio demandam mais atenção ainda com a saúde dos felinos. Mesmo vivendo dentro de casa e sem acesso às ruas, os gatinhos não estão imunes a algumas doenças que podem surgir com as mudança do tempo. Uma delas é a rinotraqueíte felina: se você tem um gato, já ouviu falar sobre ela por ser bem comum entre os bichanos. Mas, se você ainda não sabe muito sobre a doença, não se preocupe, pois o Patas da Casa vai te esclarecer as principais dúvidas sobre a doença. Para isso, conversamos com a veterinária Vivian Valério, do Rio de Janeiro!

    Pancreatite em gatos: entenda mais sobre a doença que atinge os felinos
    Saúde

    Pancreatite em gatos: entenda mais sobre a doença que atinge os felinos

    Uma das doenças gastrointestinais mais sérias e conhecidas entre os humanos também possui a sua versão no universo felino: a pancreatite em gatos tem uma ação bastante similar no corpo dos nossos bichanos e também precisa de tratamento imediato para não causar danos à saúde do gato. É claro que isso se torna motivo de preocupação para os gateiros, mas não se assuste! A pancreatite felina tem tratamento e é possível diminuir o avanço da doença com alguns cuidados simples. 

    Babesiose canina: o que é e sintomas mais comuns. Saiba tudo sobre esse tipo da doença do carrapato!
    Carrapato

    Babesiose canina: o que é e sintomas mais comuns. Saiba tudo sobre esse tipo da doença do carrapato!

    Os carrapatos são o pesadelo de qualquer dono de cachorro! Além de provocar coceiras, alergias e outros incômodos, o parasita também é responsável por transmitir doenças muito graves aos cães. Mesmo que seja algo relativamente comum entre os animais, o problema não deve ser subestimado pelos tutores. A doença do carrapato, como é popularmente conhecida, pode se manifestar de quatro maneiras diferentes, dependendo da espécie do parasita infectado. A Babesiose canina é uma das principais formas de manifestação da enfermidade. Por isso, preparamos um guia completo sobre tudo o que você precisa saber!

    Dogo Argentino: tudo o que você precisa saber sobre essa raça de cachorro grande
    Grandes

    Dogo Argentino: tudo o que você precisa saber sobre essa raça de cachorro grande

    Você já ouviu falar no Dogo Argentino? Essa é uma raça de cachorro que teve origem em um país vizinho ao nosso, a Argentina. Embora pareçam sérios, os cães desta raça são uns amores e têm tudo para te conquistar, principalmente se o que você procura é um amigo de quatro patas bem leal e parceiro. Mas antes de comprar ou adotar um cachorro desta raça, que tal conhecê-lo um pouco mais a fundo? 

    Ver Todas >

    Quais doenças os filhotes de gato têm mais chances de contrair?
    Saúde animal

    Quais doenças os filhotes de gato têm mais chances de contrair?

    Além de preparar a casa para receber o novo companheiro de quatro patas, adotar um gato requer cuidados importantes com a saúde do animal logo no início: vacinas, vermífugo e visitas ao veterinário para checkups são alguns deles. Essa atenção é algo ainda mais essencial quando se trata da adoção de um gato filhote. Afinal, os gatinhos são mais suscetíveis a contraírem certas doenças nos primeiros meses de vida. 

    10 mitos e verdades sobre a Leishmaniose canina!
    Saúde animal

    10 mitos e verdades sobre a Leishmaniose canina!

    A leishmaniose canina pode trazer sérios problemas para a saúde do animal. A doença é classificada como uma zoonose (ou seja, seres humanos também podem contraí-la) e os cães domésticos são os principais hospedeiros. A transmissão ocorre pela picada do mosquito-palha infectado com o protozoário Leishmania infantum chagasi. A prevenção é muito importante, já que a doença pode levar humanos e cachorros à morte ou causar sérias sequelas. 

    Como identificar um gato desidratado?
    Saúde animal

    Como identificar um gato desidratado?

    Embora não apreciem muito esse hábito, beber água é fundamental para a saúde do gato. Os tutores devem ter bastante atenção na rotina dos bichanos: eles precisam de uma quantidade adequada de líquidos para não desenvolverem complicações no sistema urinário que podem levar à falência dos rins. A curto prazo, um gato desidratado, normalmente em decorrência de algum outro problema de saúde, precisa receber bastante atenção para não chegar a um estado mais grave. 

    Pente para pulga de cachorro funciona? Conheça o acessório!
    Saúde animal

    Pente para pulga de cachorro funciona? Conheça o acessório!

    Manter o seu cachorrinho livre de pulgas pode não ser uma tarefa muito fácil, mas é essencial para saúde e bem-estar dele. As pulgas em cachorro podem não só causar coceira no animal, como também transmitir bactérias e verminoses, além de provocar dermatites. O pente para pulga é um acessório de uso prático para o tutor , confortável para os animais e até mais sustentável

    Ver Todas >