Saúde

Disfunção cognitiva canina: veterinário neurologista explica as características da síndrome

A disfunção cognitiva canina costuma atingir, principalmente, o cão idoso. Saiba mais sobre o problema!
A disfunção cognitiva canina costuma atingir, principalmente, o cão idoso. Saiba mais sobre o problema!

Ter um cachorro idoso que não responde mais a certos comandos, que voltou a fazer xixi e cocô no lugar errado ou que parece ter perdido um pouco da noção espacial pode ser mais sério do que se imagina. A síndrome da disfunção cognitiva canina é uma condição que costuma atingir cães mais velhos, principalmente a partir dos 7 anos de idade, e que acaba impactando bastante a vida desses animais. “O quadro refere-se a um conjunto de alterações comportamentais, que refletem a perda da capacidade de aprendizado, memória, atenção e noção espacial do cão”, explica o veterinário neurologista André Azevedo, do Rio Grande do Sul. Veja o que mais ele nos contou sobre o assunto!

Disfunção cognitiva: cão idoso está mais propenso a desenvolver o problema

Envelhecer é um processo natural, mas que pode deixar o cachorro idoso mais vulnerável a certos problemas, como a disfunção cognitiva canina. “É uma doença neurodegenerativa, que leva a uma perda da capacidade cognitiva maior do que seria considerada normal para a idade, podendo levar a estados de grave demência”, explica André. Segundo o especialista, alguns estudos ainda estão sendo feitos para tentar identificar a causa exata do problema, que ainda não foi totalmente esclarecida. “Alguns até encontraram semelhanças com a doença de Alzheimer em humanos. Porém, o mecanismo exato que desencadeia a síndrome ainda não foi totalmente elucidado”.

Outros estudos também chegaram a levantar a hipótese de que fêmeas, animais castrados e cães de pequeno porte também seriam mais suscetíveis à doença, mas ainda não houve a confirmação disso. “O que se sabe com certeza é que, quanto mais velho o cão, maior o risco de desenvolver a síndrome da disfunção cognitiva canina. Cães epilépticos também têm maior risco de desenvolver a doença, e bem mais cedo quando comparados a cães normais”.

8 sintomas da disfunção cognitiva canina

Mudança do padrão de sono, dormindo durante o dia e permanecendo ativo à noite;

• Diminuição da interação com os donos e outros animais da casa;

• Desorientação, ficar perdido pela casa ou preso atrás de móveis e portas;

• Ansiedade;

• Andar compulsivo, principalmente à noite;

• Urinar ou defecar no local errado;

• Perda de aprendizado e memória, como o esquecimento de comandos que já sabia;

Ficar latindo ou chorando em excesso, principalmente à noite.

Descubra se você é um cachorro ou um gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

No fim de semana, você é o amigo que...?

As férias estão chegando! Vai viajar?

Chegou a hora de escolher a comida! Quem é você?

Que música você escolhe para arrasar no karaokê?

E sobre seus cuidados de beleza?

Vai ficar em casa com o mozão? Você prefere:

Ihhh, você recebeu uma crítica no trabalho… Como reage?

Você é um cachorro! Você é um gato! Você é um gatorro!
    O cachorro idoso diagnosticado com a doença precisa de estímulos físicos e mentais para retardar a progressão do quadro
    O cachorro idoso diagnosticado com a doença precisa de estímulos físicos e mentais para retardar a progressão do quadro

    Mais Lidas

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?
    Saúde animal

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?

    Encontrar o cachorro ofegante não é uma questão incomum na vida dos tutores. Normalmente, os peludos ficam mais cansados depois de um longo passeio ou brincadeiras, mas quando não houve nenhum estímulo é preciso ficar atento. Observe alguns sinais do cachorro ofegante: língua pra fora pode indicar calor ou cansaço, agora se o sintoma estiver acompanhado de tremores ou cachorro com dificuldade de respirar, o ideal é levá-lo imediatamente ao veterinário. Para saber como diferenciar e se há necessidade de buscar ajuda médica, nós conversamos com Ricardo Duarte, que é docente do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário FMU, de São Paulo.

    Vermífugo para cachorro: veterinária tira todas as dúvidas sobre o intervalo de uso do remédio
    Saúde animal

    Vermífugo para cachorro: veterinária tira todas as dúvidas sobre o intervalo de uso do remédio

    Você certamente já ouviu falar em vermífugo para cães. Mas sabe, exatamente, para que ele serve? Quem tem animal de estimação precisa estar atento a uma série de cuidados para manter a saúde do bichinho em dia - e usar esse remédio no período certo é uma dessas medidas indispensáveis para a proteção do pet. Como o nome já indica, o medicamento previne doenças causadas por vermes, como a Dirofilaria immitis, Toxocara canis e Giárdia sp.

    Entenda como é feito o diagnóstico da doença nos cachorros

    Se você tem um cachorro idoso que começou a apresentar um ou mais sintomas de disfunção cognitiva, talvez seja o momento de buscar a ajuda de um profissional. “O diagnóstico é feito pelo médico veterinário baseado na idade do animal, histórico e sinais clínicos compatíveis com a doença, associado à exclusão de outras patologias que podem provocar sintomas parecidos, como desordens metabólicas ou tumores cerebrais”, conta André. Além disso, conforme o neurologista indica, também é possível realizar um exame de ressonância magnética, que cumpre papel importante nessa análise. Com a ressonância, é possível descartar outras doenças cerebrais e reforçar o diagnóstico da disfunção cognitiva canina.

    Existe tratamento para a disfunção cognitiva nos cães?

    Embora não exista cura para a disfunção cognitiva, com o diagnóstico confirmado é possível iniciar tratamentos capazes de retardar a progressão da doença e dar mais qualidade de vida ao cachorro idoso. “As opções incluem dietas e suplementos nutricionais específicos, medicamentos e acupuntura, tratamentos que podem ser orientados pelo médico veterinário de seu cãozinho”, sugere o veterinário.

    Além disso, outra medida que pode ser bastante eficiente é investir em atividades voltadas para o estímulo físico e mental do animal. Existem várias opções, como os brinquedos interativos para cachorro que ajudam a estimular as habilidades cognitivas. Interações sociais (seja com humanos ou com outros animais), comedouros interativos, exercícios físicos regulares e ensinamento de truques e outros comandos básicos são pontos importantes no tratamento da doença.

    Check-ups e estímulos físicos e mentais podem prevenir a disfunção cognitiva canina

    Segundo o especialista, a principal recomendação para prevenir a doença são atividades de estimulação física e mental, já que esse tipo de exercício é o que mantém o cérebro ativo e retarda a progressão da demência. Outra medida preventiva que também pode ser acrescentada são as consultas de check-up regulares. Assim, é possível ter certeza de como está a saúde do cachorro idoso e até mesmo realizar o diagnóstico precoce da doença, o que certamente ajuda bastante no tratamento. “Muitos donos acabam confundindo os sintomas típicos da disfunção cognitiva com sinais de envelhecimento e só procuram ajuda quando a doença já está muito avançada”, alerta André. Por isso, caso haja qualquer indício ou suspeita de que o seu cãozinho está com disfunção cognitiva canina, não deixe de levá-lo ao veterinário! O acompanhamento médico é fundamental nesse momento.

    Redação: Juliana Melo

    Batimentos cardíacos de cachorro: qual a frequência considerada normal e como medir?

    Próxima matéria

    Batimentos cardíacos de cachorro: qual a frequência considerada normal e como medir?

    Síndrome vestibular canina: veterinária desvenda as características da doença
    Saúde

    Síndrome vestibular canina: veterinária desvenda as características da doença

    Dentre as várias doenças neurológicas que podem afetar os cachorros, uma das mais preocupantes é a síndrome vestibular canina. A doença, que é dividida em duas categorias, atinge o sistema vestibular do animal, que é fundamental para manter o equilíbrio e a orientação espacial do seu amigo. Por isso, é importante saber reconhecer os sintomas dessa patologia, as principais causas e como tratá-la. 

    Gastroenterite canina: veterinária explica as características, sintomas e tratamento da doença
    Vômito

    Gastroenterite canina: veterinária explica as características, sintomas e tratamento da doença

    A gastroenterite canina é uma doença que pode ser causada por uma série de fatores e, dependendo do tipo, pode debilitar o animal o suficiente para ser fatal. Um dos principais diagnósticos de quando você tem um cachorro vomitando ou cachorro com diarreia em casa, ela pode ser tratada com facilidade se for detectada cedo e, em alguns casos, pode até ser prevenida. Para falar e entender um pouco mais sobre a gastroenterite em cachorro, nós conversamos com a veterinária Débora Nunes

    Vulvovaginite em cadelas: veterinário explica as causas do problema e como é feito o tratamento
    Saúde

    Vulvovaginite em cadelas: veterinário explica as causas do problema e como é feito o tratamento

    A vulvovaginite em cadelas é um quadro inflamatório mais comum do que se pensa e que pode atingir as cachorras em qualquer fase da vida, inclusive filhotes. Essa doença pode ser causada por diferentes fatores, e, dependendo da causa, o tratamento pode variar. Por isso, ao observar qualquer vestígio de corrimento saindo da vagina da cadela, é importante ficar atento. Para esclarecer possíveis dúvidas sobre o assunto, entrevistamos o médico veterinário Frederico Lima, do Rio de Janeiro. Veja só o que mais ele disse sobre a vulvovaginite canina a seguir!

    Leptospirose canina: características, contaminação e prevenção (um guia completo sobre a zoonose)
    Saúde

    Leptospirose canina: características, contaminação e prevenção (um guia completo sobre a zoonose)

    A leptospirose canina é uma zoonose transmissível para humanos, que surge com uma bactéria presente na água e no solo. O rato é o animal hospedeiro e transmite a doença pela urina. A leptospirose se desenvolve rapidamente e pode comprometer as funções renais e hepáticas do cão - e até mesmo levá-lo à morte. Talvez você não saiba, mas existe cura para a doença e é possível reverter o quadro com o tratamento correto e o acompanhamento constante de um veterinário. Para entender melhor, o Patas da Casa conversou com o Maycon Faria de Barros, veterinário do Rio de Janeiro, que nos explicou sobre a leptospirose em cachorro. Quer saber mais sobre essa zoonose tão comum? Chega mais!

    Ver Todas >

    Infecção urinária em gatos: quais são as mudanças comportamentais mais comuns?
    Saúde animal

    Infecção urinária em gatos: quais são as mudanças comportamentais mais comuns?

    A infecção urinária em gatos é um quadro mais comum do que se imagina quando se trata da saúde dos bichanos. Embora seja associada à baixa ingestão de água, a doença pode ser causada por uma série de fatores, que variam desde causas bacterianas à estresse e ansiedade. Quando não tratada, a patologia pode causar bastante incômodo ao animal, o que pode ser percebido com algumas mudanças no comportamento do gato. 

    Conheça algumas vacinas para gatos não obrigatórias
    Saúde animal

    Conheça algumas vacinas para gatos não obrigatórias

    As vacinas para gatos são fundamentais na prevenção de diversas doenças felinas. Por isso, ao adotar um bichano, uma das principais orientações dos veterinários é que o seu pet passe pela atualização de vacinas obrigatórias, como a antirrábica e a quádrupla felina, que previne doenças como a panleucopenia e rinotraqueíte. Ainda assim, elas não são suficientes para proteger o animal de todas as patologias que ele pode adquirir ao longo da vida.

    Secreção no pênis do cachorro é normal? Quando deve ser motivo de preocupação?
    Saúde animal

    Secreção no pênis do cachorro é normal? Quando deve ser motivo de preocupação?

    Não é muito difícil perceber quando algo está errado com a saúde do cachorro. Geralmente, o próprio cão dá indícios disso, ainda mais se for na região genital: ele tende a lamber essa área de forma exagerada, mostrando que tem alguma coisa o está incomodando. Mas além disso, também é possível perceber que, em alguns casos, o cachorro libera uma secreção pelo pênis, o que costuma preocupar bastante os tutores. Será que essa é uma situação normal ou pode ser indicativo de doença? 

    A cor do xixi de cachorro pode indicar alguma doença no trato urinário? Entenda!
    Saúde animal

    A cor do xixi de cachorro pode indicar alguma doença no trato urinário? Entenda!

    Quando o assunto é um cachorro fazendo xixi, é normal que uma das maiores preocupações do tutor seja com o animal fazendo suas necessidades no lugar certo. Mas outro fator que também merece a atenção dos humanos é quanto ao aspecto da urina dos cães. A cor do xixi do cachorro é capaz de indicar vários problemas de saúde no seu amigo de quatro patas e, por isso, é importante conseguir identificar quando o líquido está saudável ou não. 

    Ver Todas >