close
Saúde

Convulsão em cachorro: o que é, perigos, sintomas e tratamento da epilepsia canina

Atualizado · 27 de janeiro de 2022 · 11h56

Publicado · 25/08/2021 · 16h00

Convulsão em cachorro: descubra o que pode causar e o que fazer com o seu amigo nesse momento
Convulsão em cachorro: descubra o que pode causar e o que fazer com o seu amigo nesse momento

A convulsão em cachorro é capaz de assustar até mesmo o pai de pet mais experiente. Saber como lidar com esse tipo de situação também é algo fundamental, por isso os tutores devem entender o básico de primeiros socorros para cães, evitando fazer qualquer coisa que possa prejudicar ainda mais o animal. O cachorro convulsionando envolve muito mais do que é visto durante o momento de crise e pode ser sintoma de algum problema bem mais complexo. Para esclarecer algumas dúvidas sobre convulsão em cães, conversamos com a médica veterinária Magda Medeiros, especializada em neurologia, acupuntura e medicina canabinóide de pequenos animais. Veja abaixo!

O que é a convulsão em cachorro?

A convulsão de cachorro é causada por diferentes motivos, mas a sua reação no organismo do animal sempre acontece da mesma forma. As crises ocorrem quando lesões ou a presença de alguma substância altera as funções cerebrais. Esse desequilíbrio provoca disparos elétricos que se assemelham a um “curto-circuito” do cérebro, o que deixa o cachorro convulsionando e babando na maioria das vezes.

Há quem confunda a epilepsia com um cachorro convulsionando. O que fazer para diferenciar um quadro do outro? A especialista Magda Medeiros explica que a convulsão é uma forma de crise epiléptica: “Crise epiléptica é uma ocorrência transitória de sinais e/ou sintomas devido à atividade neuronal anormal excessiva ou síncrona no encéfalo, onde ocorre uma hiperexcitação de diferentes circuitos neuronais. Ou seja, é um evento especifico”. Já a epilepsia nada mais é do que uma doença caracterizada por vários episódios de convulsão em cachorro. “Epilepsia é um distúrbio do cérebro caracterizado por uma predisposição duradoura para gerar crises epilépticas, ou seja, o animal vai apresentar crises epilépticas recorrentes e espontâneas”, esclarece.

Mas será que a epilepsia em cachorro pode matar? A resposta vai depender dos cuidados que o cãozinho recebe. No geral, a epilepsia canina não é fatal. Quando a convulsão em cachorro é um sintoma, ocorre de maneira isolada porque costuma estar atrelada a outros problemas, como a cinomose canina. Dependendo de quais forem as doenças associadas, o cachorro com convulsão pode morrer se não tiver a assistência necessária.

O que provoca convulsão em cachorro?

A convulsão em cães na verdade é um sintoma, ou seja: nunca se trata apenas de uma simples convulsão. Assim como os casos de febre, ela sempre aponta para alguma outra coisa que não está funcionando bem no organismo do animal. A veterinária explica que a convulsão em cães ocorre devido a uma atividade elétrica exagerada no cérebro que pode ter diversas causas. “As epilepsias idiopáticas são as causas mais comuns de epilepsia. Se iniciam após os 6 meses de vida e tem forte componente genético. As epilepsias estruturais podem ser provocadas por lesões no encéfalo (traumas), encefalites infecciosas como na cinomose, nas meningoencefalites não infecciosas, nos acidentes vasculares cerebrais, em casos de tumores no encéfalo e nas demências senis avançadas”, explica a veterinária.

“Já as crises epilépticas provocadas por causas sistêmicas (não encefálicas) podem ser causadas por hipertermia, desequilíbrios nutricionais (como deficiência de tiamina e hipoglicemia), doença hepática, ingestão de substâncias tóxicas, doença renal e alterações nos níveis de eletrolíticos como sódio, potássio e cálcio”, complementa.

Sintomas de convulsão em cachorro

O cachorro com convulsão é fácil de ser reconhecido, principalmente porque costuma afetar todo o corpo do animal. É algo que pode durar entre poucos segundos até no máximo cerca de 2 minutos. Se ultrapassar esse tempo, a recomendação é ir direto para um pronto-socorro veterinário. Para identificar um cachorro convulsionando, fique de olho nos seguintes sinais:

  • Movimentos involuntários do corpo (espasmos)
  • Rigidez muscular
  • Salivação (com ou sem espuma)
  • Vocalização
  • Incontinência urinária e/ou fecal
  • Perda de consciência
  • Confusão
  • Movimentos com a boca e a face
  • Movimento de remar com as pernas e os braços

Vale destacar que quando se trata da epilepsia em cachorro, sintomas também podem ser bem semelhantes. Como as crises convulsivas se tornam frequentes é porque elas apontam para um quadro epiléptico, então é importante ficar atento.

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

É só preencher e começar!

Question Quiz Stamp

Depois do expediente de trabalho na sexta, o que você gosta de fazer?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seria o seu domingo perfeito?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como você fica em um dia de chuva?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seria a viagem ideal nas férias?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como você costuma encontrar os amigos?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Qual o seu tipo de exercício favorito?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como é a sua rotina matinal?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como é a sua agenda no fim de semana?

Question Header Background

Schnauzer e Shih Tzu são raças mais independentes Golden Retriever e Yorkshire gostam de companhia Border Collie e Jack Russell Terrier são aventureiros
    Depois da convulsão em cachorro, você precisa ajudar o seu amigo a voltar ao normal
    Depois da convulsão em cachorro, você precisa ajudar o seu amigo a voltar ao normal

    Mais Lidas

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    A cinomose canina é uma das doenças de cachorro mais perigosas e sérias, principalmente porque pode afetar cães de todas as idades e raças e é altamente contagiosa. O que causa cinomose é um vírus da família Paramyxovirus, e quando o animal não é tratado da forma correta, a doença pode até ser fatal (não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele). 

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar
    Saúde animal

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar

    Encontrar sangue nas fezes do cachorro é um sinal de que algo está fora do normal. O cocô com sangue em cachorro é uma questão que deve ser sempre levada a sério. Há diversas razões para isso acontecer, desde um episódio momentâneo - mais simples de resolver - até doenças mais graves - como a gastroenterite hemorrágica ou câncer em cães. 

    Crise convulsiva em cachorro: o que fazer?

    Ao perceber os sintomas de convulsão em cães, não entre em desespero. Nesse momento, o mais importante é manter a calma para tentar ajudar o seu amigo de quatro patas. Para começar, algo fundamental é deixar o animal na posição mais confortável possível para reduzir os impactos da crise e as chances de sequela. Magda explica que é necessário tirar de perto qualquer objeto que possa cair e machucar o cão, agravando a situação, como um móvel ou escadas. Uma boa opção é se aproximar do cachorro convulsionando com uma almofada para apoiar a sua cabeça, evitando que o choque com o chão seja um problema e cause traumatismos. Porém, ela explica que é preciso ficar longe da boca do cão, porque ele pode te morder. Depois que tudo passar, a regra é clara: “Quando a crise acabar, fale suavemente com seu cão para tranquilizá-lo. Evite gritos e a excitação do ambiente. Se a crise durar mais de 5 minutos, procure um atendimento veterinário de emergência o mais rápido possível”, conta Magda.

    Antes e depois da convulsão em cachorro - filhote, adulto ou idoso -, é normal que o animal perca um pouco dos sentidos e da noção de onde e com quem está. Ele pode ficar um pouco agressivo por estar assustado, principalmente se não te reconhecer. Além disso, é normal que ele faça xixi ou cocô sem perceber. Nesse momento, auxilie o seu amigo até ele voltar ao normal e vá direto para a emergência. “Sempre anote a data, horário, duração e intensidade das crises e, se possível, filme a crise para registro. Apresente todos os dados para seu neurologista veterinário”, indica a especialista.

    5 coisas que você não deve fazer na hora da convulsão de cachorro

    Quando é a primeira vez que a convulsão acontece, muitos tutores logo procuram na internet: “cachorro convulsionando, o que fazer?”. A questão é que não é importante apenas saber o que fazer nessas horas, mas também tomar cuidado com o que não deve ser feito de jeito nenhum, como:

    • Entrar em pânico, gritar ou sacudir o cão

    • Colocar a mão ou qualquer objeto na boca do cachorro durante a crise

    • Puxar a língua do animal para fora

    • Segurar os membros do cachorro

    • Oferecer água ou qualquer outra coisa

    É importante entender as causas da convulsão em cachorro

    Ao chegar no consultório pela primeira vez depois de ver o cachorro dando convulsão, é normal que o profissional comece a tentar descobrir as causas por meio da eliminação, como explica Magda: “Seu veterinário vai fazer um exame físico completo e exames laboratoriais para descartar causas sistêmicas. Além disso, o neurologista veterinário, através do exame neurológico, vai identificar se existem outros sintomas neurológicos no animal e, em muitos casos, pedir uma  ressonância magnética do encéfalo para descartar causas estruturais encefálicas (tumores, AVC, etc). Com estes exames, ele tem melhores condições de indicar um tratamento adequado para o controle da convulsão em cachorro”. 

    É normal se preocupar com o fato de que a convulsão em cachorro pode matar, mas se o animal for diagnosticado e bem tratado, dependendo da causa, poderá seguir a vida normalmente. A epilepsia em cachorro, por exemplo, é uma daquelas que só pedem cuidados específicos no dia a dia do animal depois das primeiras crises. Independente da causa, o acompanhamento veterinário é essencial.

    Redação: Ariel Cristina Borges, Juliana Melo e Maria Luísa Pimenta

    Publicada originalmente em: 22/11/2019

    Atualizada em: 27/01/2022

    Como é feito tratamento de câncer em cachorro?

    Próxima matéria

    Como é feito tratamento de câncer em cachorro?

    Parvovirose canina: descubra o que é, sintomas, prevenção e como funciona o tratamento da doença viral
    Saúde

    Parvovirose canina: descubra o que é, sintomas, prevenção e como funciona o tratamento da doença viral

    Uma das doenças virais de cachorro mais sérias e comuns que existem, o vírus da parvovirose atinge, principalmente, animais que não foram imunizados contra este e outros vírus. Entre os principais sintomas da parvovirose, o vômito, a diarreia com sangue, e a desidratação podem ser destacados, ou seja: mesmo que o diagnóstico chegue bem cedo, o tratamento deve começar o quanto antes, já que a parvovirose pode ser fatal. Para esclarecer todas dúvidas sobre a parvovirose canina, nós conversamos com a veterinária Jackeline Ribeiro. Dá uma olhada no que ela contou!

    Leishmaniose canina: o que é, sintomas, tratamento, vacina e formas de prevenção da doença
    Saúde

    Leishmaniose canina: o que é, sintomas, tratamento, vacina e formas de prevenção da doença

    A leishmaniose canina é uma doença causada por um protozoário chamado Leishmania. Mesmo que seja comum em animais, a leishmaniose também pode ser transmitida para humanos e, nos dois casos, pode debilitar o organismo o suficiente para ser fatal. Para falar mais sobre a doença no cachorro e esclarecer dúvidas sobre o contágio, remédios, prevenção e tratamento para leishmaniose canina, nós conversamos com Ana Regina Torro, médica veterinária homeopata. Dá uma olhada!

    Galgo Afegão: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro
    Grandes

    Galgo Afegão: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro

    O Galgo Afegão, também chamado de Afghan Hound, é um cachorro originário do Oriente Médio com aparência exótica e charmosa, difícil de passar despercebido. O que poucas pessoas sabem é que, por trás da postura elegante e independente do cão Afegão, existe um ótimo companheiro de quatro patas, cheio de energia para gastar e amor para dar. Mas o que é necessário saber sobre essa raça de cachorro antes de comprar ou adotar um exemplar? Como é a personalidade do Afghan Hound e que cuidados são necessários com o cãozinho? 

    Cane Corso: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro gigante de origem italiana
    Grandes

    Cane Corso: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro gigante de origem italiana

    Um dos cãezinhos mais surpreendentes é o Cane Corso. Embora ele não seja tão popular quanto outras raças de cachorro grande, como o Labrador e o Golden Retriever, o Cane Corso é dono de um enorme coração e tem uma personalidade incrível. Algumas pessoas podem até se intimidar com o tamanho e a postura imponente do doguinho, mas só quem convive com um Cane Corso sabe como estes cães são adoráveis e carinhosos.

    Ver Todas >

    Vermífugo para gatos: quanto custa e outras formas eficientes de prevenir os vermes
    Saúde animal

    Vermífugo para gatos: quanto custa e outras formas eficientes de prevenir os vermes

    O vermífugo para gatos é um cuidado importante que ajuda a manter a saúde dos nossos amigos de quatro patas e deve ser aplicado logo no primeiro ano de vida do pet. Os vermes acometem principalmente o intestino do animal, mas também podem atacar outras partes do corpo e causar sintomas bem desagradáveis. Por conta da facilidade do contágio, é fundamental que o tutor tenha uma atenção especial com o calendário de vermifugação para evitar um gato com verme. 

    Vacinas para gatos: tem problema atrasar o reforço anual?
    Saúde animal

    Vacinas para gatos: tem problema atrasar o reforço anual?

    Um dos cuidados mais importantes com a saúde felina é a aplicação das vacinas para gatos logo nos primeiros meses de vida. As doses devem ser reforçadas anualmente para proteger os bichanos contra doenças perigosas e contagiosas, como panleucopenia felina, calicivirose e rinotraqueíte. Mas será que tem problema atrasar a vacina de gato em alguns dias ou semanas? Quais são os perigos de fazer isso? 

    Vitamina para gato: quais as mais indicadas durante a gestação felina?
    Saúde animal

    Vitamina para gato: quais as mais indicadas durante a gestação felina?

    A gestação de gato demanda atenção redobrada com a saúde. Visitas ao veterinário, exames e cuidados no dia a dia devem fazer parte da rotina. Entre as mudanças durante a gravidez, a dieta é uma das principais. A gata grávida precisa de uma alimentação diferenciada que seja capaz de manter a sua saúde e a dos filhotes que estão em na barriga. A vitamina para gato tem um papel fundamental na dieta da gata prenha. 

    Remédio para sarna em cachorro: qual usar e como é o tratamento da doença?
    Saúde animal

    Remédio para sarna em cachorro: qual usar e como é o tratamento da doença?

    A sarna em cachorro é uma das doenças de pele que mais trazem desconforto ao cãozinho. Podendo acontecer de três maneiras diferentes, a sarna de cachorro sempre deixa a pele do animal com feridas e causa muita coceira. A condição é mais comum do que se imagina, existindo até mesmo a possibilidade de contágio da sarna de cachorro em humanos. Mas o que fazer caso seu animal contraia essa doença? 

    Ver Todas >