Saber diferenciar as fases da vida de um felino pode ser complicado. A transição entre o gato filhote e o gato adulto é bem sutil. Como sua contagem de anos é diferente da contagem humana, muitos tutores se confundem ao calcular quantos anos seu bichinho tem. Saber com que idade o gato se torna adulto é fundamental. A mudança de fase indica que o animal está mais desenvolvido e precisa de mudanças na alimentação - no caso, fazer a transição para a ração para gato adulto - e na rotina do pet. Para ajudar a saber até quando um gato é filhote, o Patas da Casa mostra alguns traços que um bichano que já passou ou está passando por essa transição pode apresentar.

Até quando um gato é filhote? A definição é bem diferente da contagem humana

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

Um gato passa pela infância, vira adulto e então se torna idoso. Mas afinal, até quando um gato é filhote? O felino faz parte dessa classificação até os 12 meses de vida. Assim que completa 1 ano, já é considerado um gato adulto. A fase vai até os 8 anos, quando o animal vira idoso. Mesmo que 1 ano pareça pouca coisa para ser considerado adulto, lembre-se que a contagem dos anos de um felino é diferente. Se formos comparar com a contagem humana, cada ano de vida de um gato equivale a 14 anos humanos.

Até quantos anos o gato cresce? O tamanho que o animal alcança depende do porte da raça

O filhote de gato é tão pequenininho que a gente nem imagina que vai chegar a um tamanho de gato adulto. Mas esse pensamento some logo porque em 6 meses o animal já costuma estar bem grande. Saber até quantos meses o gato cresce (ou até quantos anos o gato cresce) depende do tamanho da raça. Bichanos de pequeno porte costumam parar de crescer antes de completar 1 ano. Já as raças de porte grande podem levar mais alguns anos para atingir o tamanho máximo.


O filhote de gato passa por algumas mudanças de comportamento quando entra na fase adulta
O filhote de gato passa por algumas mudanças de comportamento quando entra na fase adulta

Gato adulto castrado X gato adulto não castrado: a esterilização faz a transição ser diferente

As mudanças que indicam a transição de um gato filhote para um gato adulto variam de acordo com a castração do gato. O procedimento - que pode ser feito a partir dos 6 meses - impede que o animal reproduza e previne contra doenças. Além disso, ocorrem mudanças de temperamento. A castração inibe o desejo sexual do bichano.

Um gato adulto não castrado tem um comportamento de defesa e marcação de território. Ele também apresenta muitas tentativas de fuga em busca de parceiros e brigas com outros gatos. Já o gato adulto castrado é bem mais tranquilo. Ele não tem esses comportamentos típicos de reprodução e seus níveis de estresse e ansiedade são reduzidos. Por isso, os traços que indicam a transição de um filhote de gato para a fase adulta podem variar de acordo com a data do procedimento.

O filhote de gato brinca o dia inteiro, mas na fase adulta a frequência diminui

O gato filhote costuma brincar muito e está sempre procurando algum entretenimento. Até os 7 meses de vida, é provável que o animal passe a maior parte do dia brincando. Com o tempo, essa hiperatividade diminui. Ao completar um ano de idade, a frequência de brincadeiras costuma reduzir. O gato adulto continua se divertindo e brincando por muito tempo - afinal, não é porque o gato cresceu que não gosta mais de diversão. Muitos continuam apaixonados por brincadeiras até quando são idosos, mas no geral o filhote de gato costuma ter um ritmo maior de brincadeiras do que o gato adulto. 

O gato adulto começa a ter um nível de energia menor do que tinha na fase de filhote. Isso não significa que não tem vontade de sair ao ar livre, passear e fazer exercícios. Só quer dizer que preferem ficar quietinhos e calmos. Com o menor nível de energia, porém, é comum que nessa fase o animal tenha mais chances de desenvolver a obesidade felina. Por isso, não deixe que seu pet se torne sedentário: as brincadeiras devem fazer parte da rotina.

Redação: Maria Luísa Pimenta