close
Saúde

Anatomia canina: tudo sobre a respiração e pulmão de cachorro

Atualizado · 24 de maio de 2022 · 13h00

Publicado · 24/05/2022 · 13h00

A respiração do cachorro tem um papel fundamental na manutenção da vida do animal
A respiração do cachorro tem um papel fundamental na manutenção da vida do animal

A anatomia do cachorro é mais complexa do que você provavelmente imagina. Para que todo o corpinho do pet funcione, existem muitos processos envolvidos. A respiração do cachorro é, sem dúvidas, um dos mais fundamentais já que é por meio dela que o animal recebe oxigênio e se mantém vivo. É bem ali no local onde fica o pulmão do cachorro que esse processo tão importante acontece. Mas você sabe que outros órgãos da anatomia de um cachorro fazem parte do sistema respiratório? Quais doenças podem afetar a respiração? Ou então como medir a frequência respiratória do pet? O Patas da Casa te explica tudo sobre o funcionamento da respiração do cachorro e acaba com qualquer dúvida sobre o assunto. Confira!

Qual a função da respiração do cachorro?

A respiração do cachorro, assim como a de qualquer animal, tem a função de realizar a troca gasosa, garantindo assim um equilíbrio ao metabolismo do animal. Isso significa que o pulmão de cachorro absorve oxigênio e elimina gás carbônico. A respiração de cachorro também tem as funções de umidificar, aquecer e resfriar o ar, auxiliando na manutenção da temperatura corporal. Além disso, o sistema respiratório ajuda na olfação e na fonação do pet, proporcionando, ainda, o equilíbrio ácido-básico no organismo.

Anatomia canina respiratória: saiba quais são os órgãos envolvidos na respiração

Em toda a sua anatomia, cachorro tem diferentes órgãos que participam do processo de respiração. Os órgãos do sistema respiratório são divididos em dois grupos: trato respiratório superior (ou porção de condução) e trato respiratório inferior (porção de respiração). O grupo dos superiores ou condutores é composto por narinas, fossas nasais, faringe, laringe, traqueia, brônquios e bronquíolos. Eles filtram as impurezas do ar e o conduzem até os pulmões. Já o grupo dos inferiores ou respiratórios é composto pelos bronquíolos respiratórios e alvéolos pulmonares, que estão dentro do pulmão de cachorro. São eles que realizam a troca gasosa - ou seja, a respiração de fato. Alguns especialistas consideram, porém, que traqueia, brônquios e bronquíolos são, na verdade, respiratórios.

O ar percorre um longo caminho até chegar ao pulmão do cachorro

Afinal, como ocorre a respiração do cachorro? Tudo começa com o pet respirando o ar pelas narinas. O cão tem duas narinas, uma voltada para a respiração e outra para sentir cheiros - por isso, o olfato canino é tão apurado. É nas narinas e fossas nasais que o ar começa a ser filtrado e passa para a faringe, que é uma espécie de tubo com dupla função: encaminhar o alimento para o tubo digestório (fazendo parte do sistema digestivo) e o ar para a laringe.

É na laringe que se encontram as cordas vocais, responsáveis pela vocalização. O ar passa pelas cordas e cria vibrações que formam os sons, como latidos e uivos. Além disso, a laringe impede que comida e ar caiam nos tratos errados. Depois, o ar vai para a traqueia, sendo conduzido até os brônquios. Existem dois brônquios que se bifurcam, cada um levando o ar a um pulmão de cachorro.

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

É só preencher e começar!

Question Quiz Stamp

Depois do expediente de trabalho na sexta, o que você gosta de fazer?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seria o seu domingo perfeito?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como você fica em um dia de chuva?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seria a viagem ideal nas férias?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como você costuma encontrar os amigos?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Qual o seu tipo de exercício favorito?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como é a sua rotina matinal?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como é a sua agenda no fim de semana?

Question Header Background

Schnauzer e Shih Tzu são raças mais independentes Golden Retriever e Yorkshire gostam de companhia Border Collie e Jack Russell Terrier são aventureiros
    Na anatomia do cachorro, a respiração começa nas narinas, percorre todo o trato respirtaório e termina no pulmão
    Na anatomia do cachorro, a respiração começa nas narinas, percorre todo o trato respirtaório e termina no pulmão

    Mais Lidas

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    A cinomose canina é uma das doenças de cachorro mais perigosas e sérias, principalmente porque pode afetar cães de todas as idades e raças e é altamente contagiosa. O que causa cinomose é um vírus da família Paramyxovirus, e quando o animal não é tratado da forma correta, a doença pode até ser fatal (não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele). 

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar
    Saúde animal

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar

    Encontrar sangue nas fezes do cachorro é um sinal de que algo está fora do normal. O cocô com sangue em cachorro é uma questão que deve ser sempre levada a sério. Há diversas razões para isso acontecer, desde um episódio momentâneo - mais simples de resolver - até doenças mais graves - como a gastroenterite hemorrágica ou câncer em cães. 

    É no local onde fica o pulmão do cachorro que a respiração acontece de fato

    Todo o processo de troca gasosa acontece no pulmão. Cachorro possui dois deles, cada um dividido em lobos e revestido pela pleura (uma membrana protetora). Quando o brônquio entra no pulmão de cachorro, se bifurca em diversos bronquíolos. Essas estruturas fininhas resultam, finalmente, nos alvéolos pulmonares. É nos alvéolos pulmonares, que estão dentro do pulmão de cachorro, onde tudo acontece. 

    O processo de troca gasosa é conhecido como hematose porque funciona assim: o pulmão de cachorro - mais especificamente os alvéolos - recebe sangue que vem de todo o corpo do animal. Esse sangue contém gás carbônico que é liberado para dentro dos alvéolos. Enquanto isso, o ar que percorreu todo o sistema respiratório também chega aos alvéolos. Lá, o oxigênio do ar é liberado no sangue e conduzido até as células. Resumindo: o gás carbônico sai do sangue e entra no alvéolo (sendo eliminado pela expiração) enquanto o oxigênio sai do alvéolo e entra no sangue (indo para as células). Eles literalmente trocam de lugar!

    Qual a frequência de respiração do cachorro considerada normal?

    Já deu para perceber que a anatomia do cachorro é toda pensada para que a respiração aconteça corretamente. Porém, como qualquer animal, problemas respiratórios podem aparecer. Mas afinal, como saber se a respiração do cachorro está normal ou desregulada? Isso é medido pela frequência respiratória. Se tudo na fisiologia e anatomia de um cachorro estiver saudável, o pet provavelmente vai apresentar uma frequência respiratória entre 10 e 30 respirações por minuto. Mas atenção: cada animal tem sua particularidade! Cães de grande porte, por exemplo, costumam ter cerca de 15, enquanto os de pequeno porte ficam mais próximos de 30 respirações por minuto. Por isso, é importante medir em um momento calmo para ter ideia de qual é a frequência normal do seu cachorro e, assim, ter um parâmetro.

    Respiração de cachorro: saiba como medir a frequência respiratória

    Você não precisa ser um especialista para medir a respiração. O local onde fica o pulmão do cachorro faz movimentos de subir e descer toda vez que o pet respira. Fique de frente para o animal e conte quantas respirações ele fez em um minuto. Você pode ainda tocar o local onde fica o pulmão do cachorro para facilitar, sentindo os movimentos respiratórios. Deixar o pet parado por um minuto pode ser difícil, então uma dica é contar por 15 segundos e multiplicar o valor por quatro - será a frequência por minuto. Saber isso é importante para o caso de uma emergência, como o cachorro com dificuldade de respirar. Mas lembre-se que nada substitui uma visita ao veterinário. Ao notar algum comportamento estranho, leve-o a uma consulta.

    Cachorro com dificuldade de respirar pode ser sinal de problemas de saúde

    Alguns problemas respiratórios podem fazer com que a respiração do cachorro apresente um ritmo alterado. Certas doenças ou condições impedem que o pulmão de cachorro e os outros órgãos do sistema respiratório funcionem corretamente. Dificuldade na respiração é um dos sintomas mais clássicos de doenças no coração, que também costumam envolver tosse, anorexia, apatia, indisposição e até convulsões. Outras causas de cachorro com dificuldade de respirar são engasgo, colapso de traqueia, dores, estresse e ansiedade. Já o cachorro com dificuldade de respirar e tremendo costuma ser sinal de intoxicação. Outros sintomas normalmente atrelados ao cachorro respirando mal são salivação, língua para fora, apatia e ansiedade. 

    O cachorro com dificuldade de respirar pode significar desde calor em excesso até doenças cardíacas e respiratórias
    O cachorro com dificuldade de respirar pode significar desde calor em excesso até doenças cardíacas e respiratórias

    Dias quentes e atividades intensas também podem deixar o cachorro com dificuldade de respirar 

    Em alguns casos, a alteração no ritmo respiratório é uma reação natural do corpo. Nos dias mais quentes, por exemplo, é normal ver o cachorro mais ofegante. Isso acontece porque, como o cão não consegue suar, a respiração é o único meio de liberar calor e regular a temperatura. O mesmo vale para o cachorro arfando após a prática de exercícios físicos intensos. Porém, mesmo nesses casos, é importante ficar atento, pois ofegar em excesso pode significar problemas mais graves, como hipertermia. Ao ver o cachorro com dificuldade de respirar, o que fazer? Nos dias quentes e após atividades físicas, ofereça água, sombra e local fresco. Isso ajudará a equilibrar sua temperatura e, consequentemente, sua respiração. 

    Conheça algumas doenças que impactam a respiração do cachorro

    Infelizmente, existem doenças que afetam o sistema respiratório do cãozinho. O cachorro espirrando e com dificuldade de respirar, por exemplo, pode ser um sinal de gripe canina - sim, cães ficam gripados que nem os humanos. Doenças respiratórias como sinusite, rinite e bronquite também podem acometer os cães. Elas são super comuns e pioram nos meses mais frios - no geral, doenças respiratórias no inverno são sempre mais frequentes e perigosas. 

    O pulmão de cachorro pode sofrer infecções sérias

    A pneumonia é uma infecção que ocorre no pulmão. Cachorro pode desenvolvê-la sozinha, mas na maioria dos casos é uma consequência de outra doença que não foi curada e se agravou. Bactérias tomam conta do órgão e deixam o cachorro com dificuldade de respirar, febre, espirros, falta de apetite, vômito e tosse. A pneumonia é grave pois pode comprometer bastante o pulmão do cachorro, mas pode ser tratada e curada principalmente se houver um rápido diagnóstico.

    Anatomia: cachorro braquicefálico tem alterações no corpo que dificultam a respiração

    Toda o organismo do cachorro é favorável para que a respiração ocorra da maneira ideal. A anatomia de um cachorro braquicefálico, porém, é diferente. Cães braquicefálicos surgiram por meio do cruzamento de raças de focinhos menores com o objetivo puramente estético de criar cachorros com focinho curto. Assim surgiu, por exemplo, o Pug, o Shih Tzu e o Bulldog, raças com diferenças bem aparentes na anatomia. Cachorro braquicefálico tem um focinho achatado que dificulta a passagem do ar, além da traqueia pouco desenvolvida, incapaz de filtrar o ar corretamente. Por isso, é comum ver esse tipo de cachorro com dificuldade de respirar. 

    O cuidado com esses pets deve ser redobrado. Como sua anatomia canina não permite uma boa respiração, evite exercícios intensos e sair em dias mais quentes. Além disso, ofereça bastante água e faça visitas regulares ao veterinário.

    Cachorro com dificuldade de respirar: o que fazer ao se deparar com essa situação?

    Ao perceber o cachorro com dificuldade de respirar, o que fazer imediatamente? O mais recomendado é levá-lo ao veterinário o quanto antes for possível. Você também pode medir sua frequência respiratória para ter certeza de que algo está errado. Ao perceber que está muito alta ou baixa, não perca tempo. Conte ao especialista tudo que seu pet estava fazendo e se houve outros sinais: foi depois de passear ou correr? Está muito calor? Apresenta tosse? Trata-se de um cachorro com dificuldade de respirar e tremendo? Não deixe nada de fora para que o diagnóstico seja mais certeiro. Além disso, fique atento à língua do cachorro: língua roxa é sinal de falta de oxigênio, sintoma clássico de parada cardiorrespiratória.

    Redação: Maria Luísa Pimenta

    Saiba tudo sobre o complexo gengivite estomatite felina

    Próxima matéria

    Saiba tudo sobre o complexo gengivite estomatite felina

    Galgo Afegão: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro
    Grandes

    Galgo Afegão: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro

    O Galgo Afegão, também chamado de Afghan Hound, é um cachorro originário do Oriente Médio com aparência exótica e charmosa, difícil de passar despercebido. O que poucas pessoas sabem é que, por trás da postura elegante e independente do cão Afegão, existe um ótimo companheiro de quatro patas, cheio de energia para gastar e amor para dar. Mas o que é necessário saber sobre essa raça de cachorro antes de comprar ou adotar um exemplar? Como é a personalidade do Afghan Hound e que cuidados são necessários com o cãozinho? 

    Cane Corso: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro gigante de origem italiana
    Grandes

    Cane Corso: tudo que você precisa saber sobre a raça de cachorro gigante de origem italiana

    Um dos cãezinhos mais surpreendentes é o Cane Corso. Embora ele não seja tão popular quanto outras raças de cachorro grande, como o Labrador e o Golden Retriever, o Cane Corso é dono de um enorme coração e tem uma personalidade incrível. Algumas pessoas podem até se intimidar com o tamanho e a postura imponente do doguinho, mas só quem convive com um Cane Corso sabe como estes cães são adoráveis e carinhosos.

    Bichon Frisé: tudo sobre a raça de cachorro pequeno (+ galeria com 50 fotos)
    Pequenos

    Bichon Frisé: tudo sobre a raça de cachorro pequeno (+ galeria com 50 fotos)

    Dentre tantas raças de cachorro que existem pelo mundo, uma que certamente merece destaque é o Bichon Frisé. Esse pequeno cãozinho já é capaz de conquistar vários admiradores só por causa da sua aparência fofinha e felpuda, mas não é só isso que chama a atenção na raça: o cachorro Bichon Frisé também é super carismático e afetuoso. Por isso, é bem difícil não se apaixonar por ele. 

    Tudo sobre o cachorro Boxer: origem, personalidade, saúde, características físicas e cuidados
    Grandes

    Tudo sobre o cachorro Boxer: origem, personalidade, saúde, características físicas e cuidados

    Se você sempre sonhou em ter um cachorro grande dentro de casa, a raça Boxer certamente é uma opção que não vai te decepcionar. Por trás da aparência robusta e que pode ser considerada até um pouco intimidante para alguns, existe um cãozinho companheiro e com muito amor para oferecer aos seus humanos. Conheça um pouco mais sobre o comportamento da raça, cuidados com a saúde e quanto custa um cachorro Boxer.

    Ver Todas >

    Lama biliar em cães: o que é, como se desenvolve e qual o tratamento
    Saúde animal

    Lama biliar em cães: o que é, como se desenvolve e qual o tratamento

    A lama biliar em cães é uma doença que afeta o sistema digestivo do cachorro. Apesar de ser pouco conhecida, a condição está relacionada com a produção de bile, substância essencial no processo de digestão. Muitas vezes confundida com a colecistite em cães, a lama biliar não causa no cachorro tantos transtornos à saúde de início, mas pode levar a uma inflamação mais grave do órgão. Por ser uma doença mais desconhecida, muitas dúvidas surgem: o que causa a lama biliar? 

    PIF felina: como prevenir a grave doença que afeta os gatos?
    Saúde animal

    PIF felina: como prevenir a grave doença que afeta os gatos?

    Sem dúvidas, a PIF felina é um dos maiores medos de pais e mães de pet. Considerada uma das doenças mais graves em gato, a peritonite infecciosa felina é altamente infecciosa e causa diversos transtornos para a saúde. O gato com PIF sofre com falta de apetite, perda de peso, aumento do abdômen, dificuldade de respirar, problemas de coordenação… são tantas consequências que deixam o animal extremamente frágil. O pior de tudo é que a doença PIF não tem cura e nem vacina. 

    Se viu a terceira pálpebra do gato exposta, fique atento! Pode se tratar da Síndrome de Haw
    Saúde animal

    Se viu a terceira pálpebra do gato exposta, fique atento! Pode se tratar da Síndrome de Haw

    A Síndrome de Haw em gatos é um quadro que ocorre quando a terceira pálpebra (que deveria ficar escondida) se projeta para fora, cobrindo parte do olho do gato. Essa doença ocular felina é de fácil diagnóstico e tem um tratamento simples, mas é importante que o auxílio veterinário entre em ação logo no início. O tutor deve observar se existe algo diferente nos olhos do gato!

    Cachorro tem tireoide? Veja a resposta!
    Saúde animal

    Cachorro tem tireoide? Veja a resposta!

    Você sabia que cachorro com hipotireoidismo é uma condição mais comum do que se imagina? A anatomia canina ao mesmo tempo que é bem diferente da humana, tem muitas coisas bastante parecidas. Diversos órgãos presentes no nosso corpo também existem - em diferentes proporções, é claro - no corpo do animal. Um deles é a tireoide. Todo cachorro tem tireoide e essa glândula é tão importante para eles quanto é para nós. Inclusive, é bem comum que o animal sofra com disfunções relacionadas a ela. 

    Ver Todas >