Assim como acontece com os humanos, o sistema digestivo do cachorro é um dos grandes responsáveis por manter a saúde do seu amigo em dia. Dividido em cinco partes - boca, esôfago, estômago, intestino delgado e grosso -, ele é feito para processar e digerir os alimentos de maneira rápida e eficaz. Por isso, é importante que o tutor tenha bastante cuidado com a alimentação do seu cãozinho. Para te ajudar a entender um pouco mais sobre o sistema digestivo canino, o Patas da Casa preparou um guia com as principais informações sobre o assunto. Chega mais!

Aparelho digestivo do cachorro: para que serve e como é formado?

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

De maneira geral, o sistema digestivo do cachorro tem como principal função retirar dos alimentos os nutrientes fundamentais para o desenvolvimento do organismo. Para isso, ele conta com a ajuda de algumas partes básicas da anatomia de um cachorro: boca, esôfago, estômago, intestino delgado e grosso. Cada peça desse pequeno quebra-cabeça possui uma atividade específica no que se refere à digestão. Entenda mais um pouco abaixo:

- Boca: a anatomia da boca do cachorro é fundamental para iniciar a digestão. Com 42 dentes - 12 incisivos, 4 caninos, 16 pré-molares e 10 molares -, é através dela que o animal consegue pegar o alimento e, assim, mastigá-lo e dividi-lo em pedaços menores. Depois disso, a língua e as glândulas salivares iniciam a digestão química do alimento e lubrificam a passagem do bolo alimentar durante a deglutição;

- Esôfago: lubrificado pela saliva, o esôfago têm como principal função o transporte do bolo alimentar até o estômago;

- Estômago: no caso do sistema digestivo canino, o estômago funciona como uma estação de armazenamento. Ou seja: o alimento só é convertido em energia para o animal quando necessário. Para isso, é preciso que o bolo alimentar chegue até o intestino. Dessa forma, o estômago do seu amigo pode se expandir para tamanhos maiores na intenção de acomodar esse tipo de padrão alimentar. Ainda assim, é importante ter cuidado com a alimentação do seu cãozinho, já que o excesso de peso não é nada bom para o animal;

- Intestino delgado: ele é o principal órgão do sistema digestivo canino. Isso porque é o intestino delgado que libera grande parte das enzimas que colaboram para a digestão química do alimento. À medida que o intestino absorve os nutrientes, começa a se formar uma coleção de resíduos que seguem para a última etapa do sistema digestivo do cachorro;

- Intestino grosso: depois de digerido no intestino delgado, o alimento chega ao intestino grosso e passa a ser material fecal. Sendo assim, a principal função do intestino grosso é remover a umidade da matéria fecal para evitar que o corpo do animal se desidrate. Além disso, ele também é responsável por armazená-la até que seja expelida do ânus.


Sistema digestivo do cachorro: passeios e brincadeiras podem ajudar no processo de digestão
Sistema digestivo do cachorro: passeios e brincadeiras podem ajudar no processo de digestão

Anatomia canina: sistema digestivo opera de acordo com a idade e o tamanho do animal

Para surpresa de alguns tutores, o tamanho do cachorro é um fator que pode influenciar bastante no sistema digestivo canino. Isso porque a digestão de animais filhotes é mais rápida do que a maioria dos cães adultos. Por isso, é comum que um filhote precise consumir e digerir alimentos com mais regularidade do que na fase adulta. Além disso, a idade do seu amigo também pode influenciar no aparelho digestivo do cachorro. Acontece que, com o passar dos anos, o metabolismo do animal costuma desacelerar, tornando a digestão um processo mais demorado. Sendo assim, quanto maior e mais velho for o seu pet, mais tempo ele pode demorar para digerir os alimentos.

Sistema digestivo do cachorro: exercícios são fundamentais para o processo

Como já falamos anteriormente, os cães são capazes de armazenar o alimento e só convertê-lo em energia quando necessário. Justamente por isso, os exercícios físicos são outra peça essencial no quebra-cabeça da digestão canina. Quanto mais energia o seu amigo gastar, mais rápido o seu corpo utilizará o alimento armazenado no estômago e o enviará para o trato intestinal, onde pode ser transformado em energia para complementar a sua força física. Além de ser um fator importante para a saúde digestiva do animal, as atividades físicas ajudam a prevenir uma série de problemas, como a obesidade canina. Por isso, é importante que o tutor reserve um período do seu dia para caminhar e brincar com o seu cãozinho.


A alimentação natural pode trazer boas consequências para o aparelho digestivo canino
A alimentação natural pode trazer boas consequências para o aparelho digestivo canino

Como a alimentação pode afetar o sistema digestivo canino?

Aquela velha expressão de que você é o que come também serve para os nossos bichinhos. Isso porque os alimentos que o seu cãozinho ingere podem afetar todo o organismo, inclusive o sistema digestivo. Sendo assim, manter uma dieta específica e voltada para as particularidades do seu animal é fundamental para controlar as sensibilidades digestivas e, assim, contribuir para um aparelho digestivo canino mais saudável. Investir em uma alimentação natural para cachorro pode ser uma boa opção. O equilíbrio correto de proteína, carboidratos, legumes e leguminosas pode garantir os nutrientes mais importantes para o desenvolvimento e saúde do pet. No entanto, o ideal é que o tutor consulte um veterinário e siga corretamente as orientações sobre quais alimentos e quantidades para introduzir este tipo de alimentação ao animal.

Vômito e diarreia são sinais de que algo não vai bem com sistema digestivo do cachorro

Assim como os humanos, os cães também podem sofrer com os sintomas de transtornos digestivos. Nesses casos, é comum que os principais sintomas sejam vômito e diarreia. Além disso, perda de peso, dor abdominal, letargia e febre também podem indicar que algo não vai bem com o sistema digestivo do cachorro. Por isso, é importante redobrar a atenção e a qualquer sinal de que algo não vai bem com o seu amigo buscar a ajuda de um médico veterinário. 

Redação: Úrsula Gomes