A giárdia em cães é uma infecção intestinal causada pelo protozoário Giardia lamblia, que pode afetar diversas espécies de mamíferos, incluindo cães e humanos. A zoonose é causada quando há a ingestão de cistos desse protozoário pelo animal. O seu bichinho pode pegar giardíase bebendo água ou comendo algo que foi contaminado por fezes, como grama, alimentos e objetos. Como os cachorros costumam morder e colocar muitas coisas na boca ao longo do dia, há diversas maneiras de coletar o parasita no ambiente, seja mastigando um brinquedo, lambendo matéria fecal ou bebendo água de uma poça.

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

Uma vez que seu cão ingeriu os cistos da giárdia, os parasitas maduros, conhecidos como trofozoítos, infectam o intestino delgado. Eles crescem, multiplicam-se e são eliminados juntos com as fezes. Com isso, o parasita pode se espalhar de animal para animal, já que um hospedeiro desavisado pode ingerir um item contaminado e reiniciar o ciclo de vida dos trofozoítos. Por isso, é importante ficar de olho nos métodos de prevenção e deixar a casa sempre limpa.

Giárdia em cães: sintomas incluem diarreia e vômito

A giardíase em cães é o termo para a doença causada pela infecção e, como nos humanos, o sintoma mais comum é diarreia, que pode ser intermitente ou contínua. A falha no diagnóstico e tratamento da enfermidade pode levar a uma grave perda de peso e até à morte em casos extremos. A doença é particularmente perigosa para filhotes, cães idosos e animais com sistema imunológico comprometido.

Com a giárdia, os cachorros podem apresentar outras manifestações clínicas além da diarreia, como vômito, dor abdominal, falta de apetite, fraqueza, depressão e desidratação. Fezes pastosas com forte odor, acompanhados de sangue ou não, também são outros indícios para você ficar alerta.

5 dicas para prevenir a giárdia em cachorro

Com a giardíase canina, a expressão “melhor prevenir do que remediar” se aplica perfeitamente bem. Embora nem sempre seja possível controlar todos os passos e aspectos do ambiente dos cães, há alguns cuidados que os tutores podem ter para impedir que a giárdia afete o animal. Confira, a seguir, 5 dicas para prevenir a giárdia em cachorro.


Giárdia: cachorro pode contrair a doença depois de ingerir água contaminada em poças
Giárdia: cachorro pode contrair a doença depois de ingerir água contaminada em poças

1. Giárdia: cachorro deve ter sempre água limpa disponível

Certifique-se que o seu animal tenha água limpa e fresca o tempo todo. Mesmo que haja um controle de qualidade por parte das companhias de abastecimento, a água de torneira não é apropriada para o consumo dos pets. Portanto, invista em um filtro que comprovadamente mata os cistos da giárdia ou ofereça água mineral. Você também pode ferver a água. Ao levar o cachorro para passeios em parques e praias, sempre leve uma garrafinha com água filtrada para oferecer ao animal. Isso evitará que ele beba água de poças infectadas, além de ser essencial para a saúde geral do cão

2. Recolha as fezes do cachorro o mais rápido possível

Para evitar a disseminação da giárdia, assim como de outros parasitas, pegue imediatamente as fezes deixadas pelo seu cão e jogue-as no lixo. Se o animal já tiver o protozoário, ele pode liberar o cisto pelas fezes e ingerir, contraindo novamente a infecção. Evite contato com bolo fecal usando luvas, uma pá ou sacola plástica sobre a mão. Depois, limpe o local com produtos adequados.

3. Redobre a atenção na hora do passear com o cachorro

Durante o passeio com seu cachorro, fique de olho para que ele não coma nada que esteja no chão. É importante também impedir que ele beba água de áreas onde outros animais possam ter deixado as suas fezes. Na rua, espaços onde muitos animais circulam podem reunir grandes quantidades de fezes. O parque para cães, por exemplo, pode ser um terreno fértil para a giárdia.

4. Lave as mãos e tire seus sapatos ao chegar em casa

Só quem tem um cão sabe que o bichinho faz uma tremenda festa quando vê o seu tutor chegando em casa. Porém, antes de responder ao carinho dele, lave bem as suas mãos, que podem ter tocado alguma coisa contaminada na rua. O mesmo pode acontecer com os sapatos. Ao chegar, tire seus calçados na porta e troque por um chinelo. 

5. Vacina giárdia canina: a melhor proteção para o seu bichinho

Para que o seu peludo de quatro patas fique sempre protegido, a vacinação para cachorro é uma forte aliada na prevenção da giárdia e na diminuição da eliminação de cistos nas fezes. Com isso, há a redução da contaminação do ambiente, minimizando a chance de infecção em cães, outros animais domésticos e humanos. A vacina para giárdia deve ser aplicada a partir de oito semanas de idade, com um intervalo de 21 a 28 dias entre as duas primeiras doses. A imunização precisa de reforço anual. 

Agora que você já sabe o que é giárdia em cães e conhece os principais métodos de prevenção, não deixe de proteger o seu animalzinho da doença. Converse com um veterinário de confiança para que ele possa fornecer mais informações sobre a vacina e indicar exames de rotina para acompanhamento geral do animal. 

Redação: Guilherme Segal