Se você tem um gato, certamente já deve ter ouvido falar da necessidade de cuidar da saúde bucal dele. A falta de higiene pode acabar resultando no tártaro em gatos, um problema mais comum do que se imagina. “O tártaro é uma consequência da ausência de escovação. Quando a gente não escova os dentes, o dente (até mesmo nos humanos e nos cães), acaba acumulando uma substância que a gente chama de placa bacteriana”, explica a Dra. Mariana Lage Marques, que é especializada em odontologia veterinária. Para esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto, realizamos uma entrevista com a profissional. Veja!

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

Como o tártaro em gatos se desenvolve?

A principal causa para a formação do tártaro é a falta de higiene bucal adequada. Ele é composto em grande parte por cálcio e consegue se aderir muito bem ao esmalte dentário quando há o acúmulo de placa bacteriana. Essa placa é formada por camadas aderentes ao dente, que geralmente são possíveis de serem removidas por meio da escovação dentária. No entanto, quando esse tipo de higiene é ineficaz ou inexistente, a placa vai ganhando mais espaço entre os dentes do animal. “Quando não removida, a placa bacteriana se calcifica, absorve subprodutos alimentares e acaba, automaticamente, desenvolvendo o tártaro, que é o que consideramos tecnicamente como cálculo dentário”, conclui Mariana.

Gato com mau hálito é indicativo de tártaro? Veja os principais sinais do problema!

Se o seu gatinho estiver com tártaro, não vai ser muito difícil de perceber. “O cálculo dentário é o que torna a superfície do dente amarelada, amarronzada ou até acinzentada. Ele causa um processo inflamatório gengival bem significativo que chamamos de gengivite. Como consequência, vem associado a halitose, a sensibilidade, o desconforto para se alimentar e o sangramento na hora de morder objetos”, explica a especialista. No caso de um gato com tártaro, é importante ficar alerta: “Em um passo mais tardio, a gengivite leva à periodontite, que causa a perda do osso que sustenta o dente. Como consequência disso, acontece a perda óssea, a perda da sustentação e a perda do elemento dental”.

Também existem outros sinais do tártaro em gatos que vale à pena ficar de olho, como quando o animal grita enquanto come ou coloca a pata no focinho com frequência, como se estivesse querendo tirar algo de dentro. Se ele come com o rosto de lado ou a comida cai da boca dele ao se alimentar também são possíveis indicativos de que o seu pet está com tártaro.

 

Para evitar o tártaro em gatos, o tutor deve verificar os dentes do pet regularmente

Para evitar o tártaro em gatos, o tutor deve verificar os dentes do pet regularmente

 

 

A remoção do tártaro em gatos deve ser feita por profissionais qualificados

 

Acha que o bichano está com tártaro? Então é importante marcar uma consulta com um veterinário o quanto antes (de preferência especializado em odontologia). Quando o problema é detectado, é comum o paciente ser encaminhado para uma limpeza dentária de rotina, que vai auxiliar na remoção do tártaro. Porém, como o tártaro em gatos pode trazer consequências sérias à dentição felina, é importante realizar uma avaliação criteriosa. A especialista explica que o tratamento para tártaro nos gatos é tecnicamente chamado de tratamento periodontal, porque cuida de todas as estruturas que sustentam o dente. “Quando a gente faz uma limpeza de tártaro, o especialista em odontologia faz as radiografias intraorais, limpa os dentes, radiografa esses dentes individualmente, trata a periodontite e trata a gengivite. Por isso que a gente não chama só limpeza de tártaro, mas de tratamento periodontal. Quando é o especialista que realiza, todos esses itens são observados durante o procedimento”, explica Mariana. 

Tártaro: gatos podem sofrer consequências se o problema não for resolvido

Tratar o problema o quanto antes evita que o tártaro evolua, trazendo consequências para a saúde do gato. A doença é perigosa pois pode levar à gengivite e à doença periodontal. A ausência de tratamento faz o gatinho sofrer bastante: “[ocorre] perda dos dentes, dor, salivação excessiva, sangramento oral, dificuldade para se alimentar e, consequentemente, a perda dos dentes e emagrecimento, além da halitose”, explica a dentista. Por se tratar de um quadro progressivo, a falta de tratamento pode levar à sinusite, otite e abscessos na face.

Como prevenir a formação de tártaro em gatos?

Quando o assunto é prevenção, o primeiro pensamento que surge na cabeça dos tutores é procurar um remédio para tártaro em gatos ou formas de como tirar o mau hálito de gato. De fato, existem vários produtos no mercado pet que prometem milagres no controle de formação do tártaro. Contudo, a profissional destaca que a única maneira de prevenir o tártaro em gatos é escovando os dentes diariamente. Como alguns felinos podem resistir um pouco à escovação, é importante transformar o momento em uma situação confortável para o pet. “O animal precisa ter um condicionamento para essa escovação. Então, o treinamento para a escovação tem que ser algo prazeroso e ser instituído na rotina - independentemente se é filhote ou se é adulto - de forma gradual, tornando aquilo agradável”, recomenda Mariana. 

Redação: Juliana Melo e Maria Luísa Pimenta