Alimentação animal

Ração renal para cães: composição, indicações e como fazer a troca

Publicado - 27 Maio 2022 - 13h55

Atualizado - 20 Maio 2024 - 12h09

Você já ouviu falar em ração renal para cachorro? Esse tipo de ração é elaborada especificamente para a dieta de um cão que foi diagnosticado com doença renal. A deficiência nos rins impacta todo o organismo e a ração para cachorro renal tem uma composição específica que ajuda a manter o equilíbrio nutricional do corpo. Muitos tutores, porém, não têm ideia do quão importante é a ração renal. Cachorro com a doença precisa de cuidados que vão além dos medicamentos para ter uma boa qualidade de vida - e a alimentação adequada é um dos principais. O Patas da Casa te explica tudo sobre a ração renal: cães com a doença devem sempre passar a comê-la? Qual é a sua composição? Como realizar a troca sem fazer com que o pet estranhe a mudança? Confira a resposta para essas e outras perguntas a seguir!

O que é ração renal? Entenda qual é o objetivo desse alimento

A ração renal é um tipo de ração terapêutica. Mas afinal, o que é uma ração terapêutica? Quando o cachorro está doente, precisa de uma boa alimentação para que o seu organismo fique forte e seja capaz de responder melhor ao tratamento, garantindo uma maior imunidade ao animal. Porém, cada doença afeta partes diferentes do corpo e uma dieta considerada saudável no dia a dia pode não ser a mais indicada por algum motivo. Um cachorro com diabetes, por exemplo, não deve ter a mesma alimentação de um cachorro sem essa condição.

É aí que entra a ração terapêutica, que tem o objetivo de fornecer uma dieta específica de forma a garantir que o corpo responda melhor a uma determinada doença. Além dos benefícios nutricionais, funciona como uma complementação do tratamento. Assim como existe ração para cães diabéticos, obesos, com problemas neurológicos e problemas gastrointestinais, existe também a ração para cães com problemas renais.

Imagem Quiz:Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Ração renal é indicada para cães com doença renal crônica

A ração renal para cães é indicada para pets com doenças renais. O rim é o órgão responsável por filtrar o sangue e formar a urina, eliminando por meio dela todos os resíduos que foram filtrados e devem ser expelidos do corpo. Quando ele fica comprometido, todo o organismo sofre, uma vez que perde muita água e passa a ter um grande acúmulo de toxinas que desequilibram os níveis iônicos do animal. A doença renal acontece quando há uma lesão nos néfrons (células dos rins) que causa a perda progressiva da função do órgão. Pode ser uma doença renal crônica (de origem genética e se manifesta mais lentamente) ou aguda (desenvolvida ao longo da vida e se manifesta de forma repentina, sendo assim mais agressiva). Quando o pet tem uma insuficiência renal, quer dizer que os rins estão parando de funcionar. O animal que sofre com doenças renais apresenta maior ingestão hídrica, maior frequência e volume de xixi, febre, vômito, diarreia e apatia.

A ração para cachorro renal é fundamental para estabelecer o equilíbrio iônico do corpo

Como explicamos, a doença renal em cães causa um desequilíbrio iônico no animal. Isso significa que a concentração de certas substâncias ficam maior ou menor do que o ideal. Quando os rins não estão funcionando muito bem, eliminam uma maior quantidade de cálcio na urina, deixando uma pouca quantidade no corpo. Por outro lado, com a maior eliminação de cálcio, há uma menor excreção de fósforo. Assim, esse mineral acaba se acumulando no organismo. O excesso de fósforo no corpo é bem perigoso pois deixa os ossos fragilizados, facilitando o surgimento de doenças ósseas. A melhor forma de regular esses níveis de novo é por meio da ração renal, que deve conter uma taxa de fósforo bem baixa, uma vez que esse mineral já está presente em grande quantidade no pet.

A ração renal precisa ter uma quantidade menor de proteínas

Além da baixa taxa de fósforo, é importante que a ração renal para cães tenha uma quantidade de proteína bem menor do que a existente nas rações comuns. Os rins de um cão renal já estão bem fragilizados e precisam fazer um esforço maior para cumprir sua função de filtragem. A proteína é densa e, por isso, alimentos muito proteicos acabam sobrecarregando os rins, dificultando e prejudicando ainda mais seu funcionamento. Ao comer a ração renal, cachorro ingere uma quantidade bem menor dessa substância do que ao comer uma ração comum, que costuma ser rica em proteínas. Assim, evita-se que os rins fiquem muito sobrecarregados. 

 

Cachorrinho comendo ração em prato no chão
Com a ração renal, cachorro ingere uma menor quantidade de proteínas, fósforo e sódio

 

Composição da ração renal: saiba quais são as substâncias presentes no alimento

Como explicamos, a ração para cachorro renal tem nutrientes em proporções ideais para regular o organismo do pet  com problemas nos rins. Mas então qual deve ser a composição da ração renal para cães? Confira a seguir quais são as substâncias que devem estar presentes nesse alimento:

  • Ômega 3 (EPA e DHA): o ômega 3 para cachorros é uma vitamina que não é sintetizada naturalmente pelo organismo do cachorro - por isso, trata-se de uma suplementação alimentar. Seus principais componentes são o EPA e o DHA. O ômega 3 na ração renal tem ação antiinflamatória e antioxidante, tendo assim um papel fundamental na melhora da saúde do cão renal. 

  • Vitaminas:  O cão renal pode sofrer uma perda maior de vitaminas pela urina. Para repô-las, a ração renal costuma ter uma boa quantidade dessas substâncias na sua composição. As mais comuns são vitamina A, B, C, D, E e K. 

  • Baixo nível de proteínas de alta qualidade: como explicamos, é importante que a concentração de proteínas seja baixa na ração renal. Cachorro, porém, precisa de proteínas na sua alimentação. Por isso, a ração renal deve ter uma pequena quantidade dessa substância em sua composição. Além disso, não deve ser qualquer proteína. É fundamental que ela seja de alta qualidade para facilitar a ingestão e evitar uma sobrecarga nos rins.  

  • Baixa concentração de fósforo: O fósforo é um mineral importante para o organismo mas, como explicamos, sua concentração fica muito elevada naturalmente um cachorro renal. Por isso, a ração renal para cães contém apenas níveis baixos desse mineral, para que o pet receba sem exageros.

  • Baixa concentração de sódio: O excesso de sódio, assim como acontece com as proteínas, pode sobrecarregar os rins, dificultando sua melhora e piorando sua funcionalidade. Por isso, na ração renal, cachorro recebe apenas a quantidade mínima adequada para garantir o bom funcionamento do corpo.

Tipos de ração renal: cachorro pode comer nas versões seca ou úmida com diferentes sabores

Existem diferentes tipos de ração renal para cães. O animal com problema nos rins costuma apresentar perda de apetite e, por isso, é importante escolher um modelo que faça com que o cão sinta mais vontade de se alimentar. Hoje em dia, podemos encontrar ração renal de diferentes sabores. Uma dica é escolher aquele que mais agrada o paladar do seu cachorro pois, assim, será mais fácil fazer com que ele aceite a comida. Além disso, existem diferentes texturas de ração renal. Cães podem preferir ração seca ou ração úmida, então escolha a que for mais agradável para seu pet. Em alguns casos, é possível ainda misturar a ração seca com a úmida para deixar ainda mais palatável ao pet, mas converse com o veterinário antes de fazer a mistura.

Apenas o veterinário deve indicar a ração para cachorro renal

A ração renal para cães com doenças nos rins é mais do que apenas uma dieta, mas sim uma complementação do tratamento. Por isso, não ofereça ao animal sem antes consultar um especialista. Apenas o médico veterinário pode prescrever a ração para cães com problemas renais, pois é ele quem saberá qual é a melhor para o caso do seu pet. Além disso, ele indicará como fazer a troca corretamente, evitando problemas de adaptação. 

 

Cachorrinho comendo ração em pote rosa
Para evitar recusa da ração renal, cachorro deve passar por uma mudança gradual na dieta

 

Como fazer a troca para a ração renal: cães podem recusar o alimento se a mudança for brusca 

Após o diagnóstico de doença renal, você precisará realizar a troca da ração comum para a ração renal. Cães podem acabar recusando o novo alimento caso a troca não seja feita de maneira adequada. Isso acontece porque o animal já está acostumado com um certo gosto, textura e marca. A mudança pode acabar sendo estranha para seu paladar aguçado. Por isso, a troca para a ração renal - assim como para qualquer tipo de ração de cachorro -  precisa ser feita de maneira gradual para evitar que o animal crie resistência e recuse a comida nova. Confira qual é a maneira certa de fazer a mudança de ração: 

  • Dia 1 e dia 2: encha o pote de ração com 75% da ração que o animal está acostumado e adicione 25% da ração renal 

  • Dia 3 e dia 4: coloque 50% da ração antiga e 50% da ração renal para cães

  • Dia 5 e dia 6: deixe apenas 25% da ração tradicional e encha o comedouro com 75% de ração renal

  • A partir do dia 7: encha o comedouro com 100% de ração renal para cães

Dessa maneira, a mudança se dará de forma gradual e quando chegar no dia em que o pet for comer 100% de ração renal, ele não sentirá tanto. Esse modelo foi pensado para fazer a transição em uma semana, mas o processo deve ser feito de acordo com o seu pet. Caso seu cão demore mais a se adaptar à ração renal, pode ir trocando de forma mais gradual, utilizando proporções de 75% para 25%, 65% para 35%, 55% para 45%, e por aí vai. 

Meu cão não se adapta à ração renal: saiba quais podem ser as causas

Se mesmo tomando esses cuidados na adaptação da ração renal cachorro não quer comer, é importante ficar atento a outros fatores. Primeiro, tente outros sabores e texturas, pois pode ser que ele goste mais de outros. Caso nem assim resolva, o problema pode não estar na ração renal, mas em outra questão. Estresse e ansiedade influenciam na alimentação, então preste atenção se não há nada despertando esses problemas no pet. Outro fator que pode estar relacionado à recusa é a posição do potinho com ração renal. Cães não gostam de comer muito próximo ao seu banheirinho ou em locais muito quentes, pois o calor diminui seu apetite. 

Confira também se você não está dando petiscos demais ao cachorro. Os petiscos devem ser oferecidos apenas em algumas ocasiões e em pequenas quantidades, pois o excesso diminui seu apetite. Por fim, existe a possibilidade de alguma doença estar causando a recusa do pet em comer a ração renal. Cachorro doente costuma perder o apetite, então procure um veterinário para fazer exames e fique atento a outros possíveis sintomas que o animal apresente.

Quanto custa a ração renal para cães?

Como a ração renal para cães é bem específica, possui valores mais elevados que a ração comum. Os preços variam bastante de acordo com a marca. Normalmente, a ração renal é vendida em diferentes pesos, sendo as mais comuns: ração renal para cães 10 Kg, 7 Kg e 2 Kg. Quanto maior for a pesagem, maior será o valor - ou seja, a ração renal para cães 10 Kg é bem mais cara que a de 2 Kg. No geral, o preço da ração renal para cães varia entre R$100 e R$400, podendo ser ainda mais cara dependendo da marca. Por outro lado, a ração renal úmida é bem mais em conta que a seca, custando cerca de R$35 ou até menos se a quantidade for menor. Mesmo com os valores elevados, implementar a ração renal na dieta de um cão com problemas nos rins melhora consideravelmente sua qualidade de vida, sendo assim um bom investimento na saúde do animal.

Redação: Maria Luísa Pimenta

Cachorro

Dogo Argentino: 10 curiosidades para conhecer o cachorro parecido com Pitbull

O Dogo Argentino é um cachorro grande e imponente. Em um primeiro momento, ele pode até assustar quem não conhece, principalmente po...

Cachorro

Pancreatite em cachorro: aprenda a reconhecer 6 sinais da doença que vão ajudar no diagnóstico mais rápido

A pancreatite em cachorro é uma doença que merece a atenção dos tutores. A patologia afeta o pâncreas, órgão essencial para a produç...

Adote um animal

Cachorro pequeno: essas são as 10 menores raças de cachorro do mundo todo

Ter um cachorro pequeno em casa é sinônimo de fofura e alegria. Como são menores, esses doguinhos se adaptam mais facilmente ao espa...

Adote um animal

50 nomes para cadelas pretas: ideias criativas para te ajudar a nomear o pet recém-adotado

Encontrar uma lista com 50 nomes para cadelas recém-adotadas não é uma tarefa muito difícil. Afinal, existem milhares de inspirações...

Cachorro

Dogo Argentino: 10 curiosidades para conhecer o cachorro parecido com Pitbull

O Dogo Argentino é um cachorro grande e imponente. Em um primeiro momento, ele pode até assustar quem não conhece, principalmente po...

Cachorro

Pancreatite em cachorro: aprenda a reconhecer 6 sinais da doença que vão ajudar no diagnóstico mais rápido

A pancreatite em cachorro é uma doença que merece a atenção dos tutores. A patologia afeta o pâncreas, órgão essencial para a produç...

Adote um animal

Cachorro pequeno: essas são as 10 menores raças de cachorro do mundo todo

Ter um cachorro pequeno em casa é sinônimo de fofura e alegria. Como são menores, esses doguinhos se adaptam mais facilmente ao espa...

Comportamento

Gato miando: 8 segredos que não te contaram sobre a principal forma de comunicação dos felinos

Qualquer pai de pet está acostumado a ouvir o gato miando em casa pelos mais diversos motivos. Às vezes é fome, vontade de receber c...

Ver todas