Saúde

PIF felina: conheça a Peritonite Infecciosa e saiba como a doença se desenvolve nos gatinhos

PIF Felina: saiba tudo sobre essa doença tão perigosa para os gatinhos
PIF Felina: saiba tudo sobre essa doença tão perigosa para os gatinhos

Os gatinhos, ao longo da vida, podem se deparar com três doenças muito graves: a FIV (Imunodeficiência Felina - também conhecida como a AIDS felina), a FeLV (Leucemia Felina) e a PIF. A última, conhecida como Peritonite Infecciosa Felina, é menos comum que as outras duas, mas tão prejudicial quanto. A doença também não possui cura e nem tratamento. Quer saber mais sobre essa doença tão prejudicial à saúde dos gatos? Conversamos com o médico veterinário Frederico Lima, do Rio de Janeiro. Chega mais!

PIF Felina: entenda mais sobre o Coronavírus

Para começar a falar da PIF em gatos, precisamos partir de um vírus que sofre uma soroconversão - isto é, quando o organismo produz anticorpos contra um micro-organismo. É nesse processo que se desenvolve a PIF, doença de gato que pode resultar em em perda de qualidade de vida para o seu animal. “É um vírus muito presente na população de gatos domésticos. Estima-se que até 40% dos gatos são infectados pelo Coronavírus, porém a maioria não desenvolve nenhuma alteração fisiológica”, explica Frederico. O veterinário alerta que quando o Coronavírus já está no ambiente ou no organismo do animal, não tem muito o que fazer para evitar o desenvolvimento da doença.

PIF: gatos podem apresentar duas formas da doença

Segundo Frederico, a PIF é uma doença infecciosa, de origem viral, que pode causar sintomas variados, mas os mais comuns são líquido nas cavidades abdominal e torácica. Essa doença pode se apresentar de duas formas: PIF seca e PIF efusiva. A primeira apresenta um aparecimento de nódulos com pus nos órgãos linfáticos. Já a PIF efusiva se manifesta com o surgimento de um líquido amarelado em cavidade abdominal e/ou torácica.

PIF em gatos: quais os sintomas da doença?

A PIF felina não tem cura, mas apresenta sintomas que devem ser observados pelo dono e relatados ao veterinário para um diagnóstico correto da doença. Os principais sinais são:

  • Emagrecimento;
  • Aumento do abdômen;
  • Prostração;
  • Dificuldade respiratória;
  • Febre.
Faça o quiz e descubra se você tem alergia a gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

Como você fica ao chegar na casa de um amigo que tem um gato?

O que acontece quando se aproxima de gatinhos na rua ou em feiras de adoção?

As crises alérgicas costumam acontecer:

O que acontece quando você fica perto de alguém que está com a roupa cheia de pelos de gato?

Como seu corpo reage ao entrar em contato com um filhotinho de gato na rua?

Quais são os seus sintomas mais comuns durante uma crise alérgica?

O que você faz para melhorar um quadro de alergia?

É bem provável que você tenha alergia a gatos e precise consultar um especialista As crises alérgicas fazem parte da sua rotina, mas será que é por causa dos gatos? Passe livre para ter um gatinho: você não tem alergia aos bichanos!
    PIF: gatos com essa doença podem apresentar inchaço e aumento do abdômen.
    PIF: gatos com essa doença podem apresentar inchaço e aumento do abdômen.

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    PIF: gato é contaminado pela doença em contato com outros gatos

    Segundo o veterinário, o contágio ocorre normalmente por via fecal-oral. Ou seja, quando gatos contaminados com o Coronavírus eliminam esse vírus pelas fezes e um gato saudável tem contato. É assim também que o ambiente é infectado. Como não há prevenção da doença, o correto seria não misturar gatos portadores do vírus com gatos saudáveis. Mas, como explica Frederico, isso pode ser bem difícil, já que a maioria dos gatos portam o vírus e correm o risco dele se desenvolver.

    PIF Felina: o diagnóstico é muito importante! 

    Apesar da doença não ter cura, o diagnóstico da infecção pelo Coronavírus deve ser feito o mais breve possível. “É possível realizar esse diagnóstico por exame de sorologia do Coronavírus, exame de PCR e outros exames para apoio ao diagnóstico, como análise de líquido abdominal, dosagem de proteínas e teste de Rivalta”, explica o veterinário. 

    Frederico nos explicou que não existe tratamento quando se fala da Peritonite Infecciosa Felina. A única forma de tratar essa doença é com o controle e tratamento dos sinais clínicos, como evitar infecções secundárias e o monitorar a formação de líquidos nas cavidades abdominal e torácica. O exame físico pelo médico veterinário é imprescindível. 

    Gato com PIF pode sobreviver? 

    Infelizmente, poucos animais resistem por muito tempo depois de desenvolver a doença. Mas atenção! Se o seu gatinho for diagnosticado como portador do Coronavírus, não se desespere. Por mais que esse resultado não seja positivo, você deve continuar dando qualidade de vida ao seu amigo para que o vírus não evolua para a PIF. Por outro lado, se o seu gatinho já tiver a PIF, você deve proporcionar alguns cuidados. “O tutor deve evitar qualquer tipo de estresse, oferecer conforto e segurança ao animal, além de seguir as recomendações médicas, de acordo com a necessidade de cada paciente”, explica Frederico. 

    Redação: Júlia Cruz

    Gatos braquicefálicos: como o problema se manifesta, quais os cuidados e raças que têm o focinho achatado

    Próxima matéria

    Gatos braquicefálicos: como o problema se manifesta, quais os cuidados e raças que têm o focinho achatado

    Rinotraqueíte felina: saiba tudo sobre a doença respiratória que acomete os gatinhos!
    Saúde

    Rinotraqueíte felina: saiba tudo sobre a doença respiratória que acomete os gatinhos!

    Os períodos de chuva e frio demandam mais atenção ainda com a saúde dos felinos. Mesmo vivendo dentro de casa e sem acesso às ruas, os gatinhos não estão imunes a algumas doenças que podem surgir com as mudança do tempo. Uma delas é a rinotraqueíte felina: se você tem um gato, já ouviu falar sobre ela por ser bem comum entre os bichanos. Mas, se você ainda não sabe muito sobre a doença, não se preocupe, pois o Patas da Casa vai te esclarecer as principais dúvidas sobre a doença. Para isso, conversamos com a veterinária Vivian Valério, do Rio de Janeiro!

    Leucemia Felina: veterinária lista os principais sintomas da FeLV nos gatinhos
    Saúde

    Leucemia Felina: veterinária lista os principais sintomas da FeLV nos gatinhos

    Ao adotar um gatinho, a primeira coisa que você precisa fazer é se certificar que o animal é negativo para FIV (Imunodeficiência Felina - ou AIDS felina) e FeLV (Leucemia Felina). No caso da FeLV, então, o cuidado precisa ser redobrado, já que os sintomas aparecem de acordo com a fase em que a doença acomete os felinos. Para entender ainda mais sobre a leucemia felina e quais são os principais sintomas da doença, o Patas da Casa conversou com a médica veterinária Caroline Mouco Moretti, que é Diretora Geral do Hospital Veterinário Vet Popular.

    Esporotricose em gatos: conheça mais sobre essa doença grave que pode atingir os felinos
    Saúde

    Esporotricose em gatos: conheça mais sobre essa doença grave que pode atingir os felinos

    A esporotricose em gatos é uma das doenças mais graves que pode atingir os felinos. Isso porque ela evolui muito rápido para a fase disseminada, causando sérios riscos à vida do gatinho. Provocada por um fungo presente em vegetações, a “micose” apresenta feridas bem características na pele do felino, sendo esse um dos principais sintomas da doença. Apesar da complexidade da infecção, o tratamento correto é capaz de curar essa doença de gato. Esporotricose também pode ser prevenida com alguns cuidados específicos no dia a dia do seu felino. Para saber mais sobre a doença, nós conversamos com o médico veterinário Frederico Lima, do Rio de Janeiro.

    Dirofilariose canina: conheça o
    Verme

    Dirofilariose canina: conheça o "verme do coração" e saiba como prevenir a doença!

    Você sabe o que é a dirofilariose canina? Esse termo difícil pode ser resumido em três palavras: verme do coração. Essa definição já é capaz de explicar o motivo da doença ser tão complexa e perigosa. A contaminação ocorre quando um mosquito infectado pela doença - de alguns tipos, e até mesmo o Aedes Aegypit - pica o cachorro e despeja microfilárias na corrente sanguínea do animal. Esses vermes se desenvolvem à medida que o cão vai crescendo e, em determinado momento, invadem o ventrículo direito do coração.

    Ver Todas >

    Cio de cadela: quanto tempo dura, quais as fases, quando começa e quando termina? Saiba tudo!
    Saúde animal

    Cio de cadela: quanto tempo dura, quais as fases, quando começa e quando termina? Saiba tudo!

    O cio de cachorro costuma ser um momento delicado tanto para o tutor quanto para a cadela. Com os hormônios aflorados, o comportamento da cadela no cio passa por mudanças - o que pode demandar alguns cuidados mais específicos para garantir o bem-estar do animal. Além disso, caso o tutor não tenha interesse na procriação, a atenção deve ser redobrada para evitar o cruzamento durante o cio da cadela.

    Coleira contra leishmaniose: como funciona?
    Saúde animal

    Coleira contra leishmaniose: como funciona?

    Você provavelmente já conhece a coleira antiparasitária, mas sabia que alguns modelos têm ação contra a leishmaniose? O acessório indicado para doença é usado para afastar parasitas e insetos como o mosquito-palha, que é o vetor da leishmaniose canina. A doença está entre uma das maiores preocupações dos pais de pet, uma vez que se trata de um quadro capaz de debilitar bastante o organismo do cãozinho, podendo até mesmo levar à morte. 

    5 formas de prevenir a infecção urinária em gatos
    Saúde animal

    5 formas de prevenir a infecção urinária em gatos

    A infecção urinária em gatos é uma das doenças mais comuns que podem atingir os felinos. Geralmente, a doença se desenvolve devido à baixa ingestão de água. Ela causa dor, desconforto e afeta órgãos fundamentais para o bom funcionamento do corpo do animal. A infecção urinária, apesar de atingir muitos bichanos, pode ser prevenida com cuidados especiais e muito simples.

    Acupuntura veterinária: entenda como a terapia é utilizada para melhorar a saúde e bem-estar dos cães
    Saúde animal

    Acupuntura veterinária: entenda como a terapia é utilizada para melhorar a saúde e bem-estar dos cães

    A acupuntura é uma especialidade médica muito conhecida no mundo dos humanos, mas você sabia que ela também pode ser muito benéfica para a saúde do cachorro? É isso mesmo: a acupuntura em cães pode ajudar os bichinhos de diversas formas, desde que seja aplicada por um profissional qualificado. Para entender um pouco melhor sobre a acupuntura veterinária, os benefícios e quando a terapia é indicada, o Patas da Casa conversou com a médica veterinária Ana Carolina Villela.

    Ver Todas >