Saúde

Leptospirose canina: características, contaminação e prevenção (um guia completo sobre a zoonose)

Leptospirose canina pode comprometer toda a saúde do seu animal. Fique atento aos sintomas, causas e formas de prevenir a doença!
Leptospirose canina pode comprometer toda a saúde do seu animal. Fique atento aos sintomas, causas e formas de prevenir a doença!

A leptospirose canina é uma zoonose transmissível para humanos, que surge com uma bactéria presente na água e no solo. O rato é o animal hospedeiro e transmite a doença pela urina. A leptospirose se desenvolve rapidamente e pode comprometer toda a saúde do cachorro, como as funções renais e hepáticas, e até mesmo levá-lo à morte. Talvez você não saiba, mas existe cura para a doença e é possível reverter o quadro com o tratamento correto e o acompanhamento constante de um veterinário. Para entender melhor, o Patas da Casa conversou com o Maycon Faria de Barros, veterinário do Rio de Janeiro, que nos explicou sobre a leptospirose em cachorro. Quer saber mais sobre essa zoonose tão comum? Chega mais!

Leptospirose canina, transmissão humanos se dá pelo contato com as necessidades do animal

Essa zoonose é tão comum, que já existem mais de 250 sorovares (espécies de bactérias) da doença. A transmissão ocorre com uma bactéria chamada Leptospira sp, que está presente na água contaminada, no solo, em pântanos, lagos e na lama. Apesar de ser uma bactéria bem resistente e sobreviver a certas temperaturas, ela precisa de um hospedeiro para se reproduzir. Esse hospedeiro é o rato. Ele é o animal portador e transmissor da bactéria, que fica armazenada em seus rins (ele não sofre nenhum problema renal) e é eliminada na urina. O roedor pode transmitir a doença para cães e humanos, tanto pelo contato com a urina quanto diretamente com o animal, por mordidas e arranhaduras. 

O contágio da doença para humanos e animais também pode ocorrer depois de um tempo em contato com água contaminada. Por isso que, em períodos de chuva, a incidência da doença é maior, pois o alto volume pode causar enxurradas, levando a água infectada para a área urbana - e, consequentemente, para o contato com humanos e animais. 

Sintomas de leptospirose em cães: fique de olho!

É muito importante prestar atenção nos sintomas de leptospirose em cães. No começo da doença, os sinais são mais generalizados, já que são, na verdade, uma resposta a infecção. Por isso, para diagnosticar a doença, deve ser feito um exame de sangue e de urina. Os sintomas mais comuns são:

  • Perda de peso;

  • Vômito;

  • Febre;

  • Desidratação;

  • Dor abdominal.

Em até dez dias, a doença já se desenvolve no corpo do animal e os sintomas mudam, se tornando mais pontuais. Então, se você perceber qualquer alteração, precisa levar o animal ao veterinário urgentemente. A doença progride rápido e o tratamento deve ser imediato, pois oferece riscos à vida do cachorro. Os sintomas nessa fase são:

  • Apatia;

  • Icterícia, com o amarelado aparecendo nas mucosas, gengivas, boca, barriga, e orelhas;

  • Perda de apetite com anorexia;

  • Fraqueza;

  • Lesões e hematomas na pele;

  • Urina com sangue.

Descubra se você é um cachorro ou um gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

No fim de semana, você é o amigo que...?

As férias estão chegando! Vai viajar?

Chegou a hora de escolher a comida! Quem é você?

Que música você escolhe para arrasar no karaokê?

E sobre seus cuidados de beleza?

Vai ficar em casa com o mozão? Você prefere:

Ihhh, você recebeu uma crítica no trabalho… Como reage?

Você é um cachorro! Você é um gato! Você é um gatorro!
    Leptospirose canina: jamais deixe o seu cão ter contato com água da chuva
    Leptospirose canina: jamais deixe o seu cão ter contato com água da chuva

    Mais Lidas

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?
    Saúde animal

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?

    Encontrar o cachorro ofegante não é uma questão incomum na vida dos tutores. Normalmente, os peludos ficam mais cansados depois de um longo passeio ou brincadeiras, mas quando não houve nenhum estímulo é preciso ficar atento. Observe alguns sinais do cachorro ofegante: língua pra fora pode indicar calor ou cansaço, agora se o sintoma estiver acompanhado de tremores ou cachorro com dificuldade de respirar, o ideal é levá-lo imediatamente ao veterinário. Para saber como diferenciar e se há necessidade de buscar ajuda médica, nós conversamos com Ricardo Duarte, que é docente do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário FMU, de São Paulo.

    Vermífugo para cachorro: veterinária tira todas as dúvidas sobre o intervalo de uso do remédio
    Saúde animal

    Vermífugo para cachorro: veterinária tira todas as dúvidas sobre o intervalo de uso do remédio

    Você certamente já ouviu falar em vermífugo para cães. Mas sabe, exatamente, para que ele serve? Quem tem animal de estimação precisa estar atento a uma série de cuidados para manter a saúde do bichinho em dia - e usar esse remédio no período certo é uma dessas medidas indispensáveis para a proteção do pet. Como o nome já indica, o medicamento previne doenças causadas por vermes, como a Dirofilaria immitis, Toxocara canis e Giárdia sp.

     Leptospirose em cachorro: o tratamento é feito por partes

    O tratamento para leptospirose costuma ser o mesmo usado para tratar outras infecções, no caso o uso de antibióticos e terapia. Segundo o Doutor Maycon, além do tratamento da doença, é necessário observar se não houve danos nos órgãos do animal, para também tratar esses problemas. 

    “Existe também um tratamento suporte, que depende do dano que foi causado ao sistema orgânico do animal. Se no exame de sangue a gente detectar uma insuficiência renal, temos que tratar o déficit que o rim sofreu. Não necessariamente foi o mesmo dano da doença, por isso é importante o acompanhamento de um médico veterinário nesses casos. É importante também ter muito cuidado na manipulação do animal para não ter risco de infecção, e acabar infectando o proprietário.”, explica o veterinário.

    A leptospirose tem cura, mas é necessário seguir o tratamento. A doença se desenvolve nos órgãos do cãozinho, como o baço, fígado, rins, olhos e genitais. Também pode comprometer o funcionamento do sistema nervoso central e da musculatura do animal. Estudos mostram que a doença se desenvolve, principalmente, no fígado e nos rins. No fígado, a bactéria causa problemas hepáticos e danos intestinais. Nos rins, pode levar o animal à uma condição de insuficiência renal, hemorragia interna e glomerulonefrite. “Quando ela é descoberta de forma precoce e o tratamento é efetivo e contínuo, conseguimos reverter o quadro”, diz Maycon.

    Meu cachorro matou um rato, o que fazer? 

    Caso você repare uma mordida de rato em cachorro, ou perceba que o seu cão matou o roedor, ele deve ser encaminhado ao veterinário. O profissional precisa ser informado desse ato, pois existe tratamento profilático nesses casos, além de também ser utilizado antibiótico e terapia. É muito importante que o seu cachorro receba atendimento imediato nesses casos. Com o tratamento correto e o uso do profilático, a doença até pode não se desenvolver. 

    Leptospirose canina: saiba como se prevenir da doença

    • Cuidados com a higiene

    Para se prevenir da doença, é  importante manter o hábito de higiene pessoal, tanto sua quanto do seu animal de estimação. A água dos cachorros deve ser filtrada e transparente, sem nenhuma sujeira, e precisa ser trocada duas vezes ao dia. É importante também lavar os alimentos comprados no mercado e em feiras, antes de comer ou de oferecer ao seu animal, já que eles adoram verduras e legumes. 

    • Ambientes sempre limpos

    Em relação ao ambiente, para evitar qualquer possibilidade de surgimento da patologia, é importante lavar o chão ou quintal em áreas abertas após a chuva e manter o local onde fazem as necessidades sempre limpo e higienizado. 

    • Evite o contato do cão com roedores

    Evite o contato do seu cão com qualquer roedor de rua: os cães são animais carnívoros e podem morder ou tentar brincar com o animal. Também não deixe que ele entre em contato com urina, fezes e vômitos de outro cachorro com leptospirose, para que não haja a transmissão da doença. Caso você tenha um animal em casa que esteja com a doença, talvez seja melhor separá-lo do outro animal, para evitar qualquer contato. 

    • Vacina protege o animal de alguns tipos de bactérias da leptospirose

    Além de tudo isso, a vacina é um ponto fundamental para proteger o seu animal da leptospirose canina. A V8 ou V10 (aquela que o filhote precisa tomar algumas doses e é reforçada anualmente) possui sorotipos contra a ação da doença. Caso você more em áreas rurais ou regiões com muita incidência de roedores, vale conversar com o veterinário para que a imunização ocorra com um intervalo menor.. 

    Redação: Júlia Cruz

    Batimentos cardíacos de cachorro: qual a frequência considerada normal e como medir?

    Próxima matéria

    Batimentos cardíacos de cachorro: qual a frequência considerada normal e como medir?

    Quanto custa manter um cachorro? Um guia completo com a média de gastos mensais com um cão
    Adoção

    Quanto custa manter um cachorro? Um guia completo com a média de gastos mensais com um cão

    Ter um cachorro em casa é uma experiência incrível para mães e pais de pet, mas os momentos de alegria vêm acompanhados de muitas responsabilidades… e gastos (muitos gastos). Ração, vacina, brinquedos, remédios e veterinário são os principais custos que você precisa ter frequentemente com o animal. É justamente por isso que, antes de comprar ou adotar um pet, é preciso pensar nos gastos que isso vai demandar - e que devem entrar no orçamento da família. Para te ajudar a bater o martelo e decidir se consegue ou não arcar com um amigo de quatro patas, montamos um guia completo com uma média dos gastos que você provavelmente terá. Chega mais!

    Tudo sobre o cachorro Pug: origem, saúde, personalidade, características físicas e muito mais
    Pequenos

    Tudo sobre o cachorro Pug: origem, saúde, personalidade, características físicas e muito mais

    É praticamente impossível não se apaixonar por um cachorro da raça Pug! Com os famosos olhos esbugalhados, focinho achatado e corpo compacto e rechonchudo, o cãozinho é um dos queridinhos dos brasileiros. São tantas características que fazem do Pug um animal único, que fica até difícil saber por onde começar. Pensando nisso, o Patas da Casa preparou uma matéria bem especial para todos os amantes da raça Pug. A seguir, descubra mais sobre a origem, personalidade, cuidados com a saúde e qual é o preço desse doguinho tão carismático!

    Tudo sobre o Dálmata: conheça as características, personalidade e cuidados com essa raça de cachorro grande
    Grandes

    Tudo sobre o Dálmata: conheça as características, personalidade e cuidados com essa raça de cachorro grande

    Um cachorro Dálmata é facilmente reconhecido graças a sua aparência particular e também ao filme “101 Dálmatas”, desenho que se tornou muito popular na década de 60 e que faz um grande sucesso até hoje. Mas o que esse cãozinho tem de tão especial, além das suas famosas manchas? Para quem sempre quis ter um Dálmata para chamar de seu, chegou o momento de desvendar tudo sobre essa raça de cachorro grande: características físicas, temperamento, personalidade, que cuidados são necessários, preço e como é a saúde desse animal. Vem que a gente te conta!

    Dente de cachorro: um guia completo sobre a anatomia, troca de dentes e cuidados	com a saúde bucal do pet
    Cuidados

    Dente de cachorro: um guia completo sobre a anatomia, troca de dentes e cuidados com a saúde bucal do pet

    Apesar de não serem muito lembrados no dia a dia, os dentes de cachorro exercem um papel super importante na vida do animal: alimentação, brincadeiras e comportamentos são influenciados por eles. Para começar, é com essa parte do corpo que os cães (principalmente os bebês) conhecem muitas coisas no mundo. Quando ainda são cachorros filhotes, aprendem sobre limites: se morder o irmãozinho e ele reclamar, é porque precisa diminuir a força e morder com carinho - ele vai lembrar disso por toda a vida. O processamento dos alimentos que o cachorro come fica por conta deles também.

    Ver Todas >

    Infecção urinária em gatos: quais são as mudanças comportamentais mais comuns?
    Saúde animal

    Infecção urinária em gatos: quais são as mudanças comportamentais mais comuns?

    A infecção urinária em gatos é um quadro mais comum do que se imagina quando se trata da saúde dos bichanos. Embora seja associada à baixa ingestão de água, a doença pode ser causada por uma série de fatores, que variam desde causas bacterianas à estresse e ansiedade. Quando não tratada, a patologia pode causar bastante incômodo ao animal, o que pode ser percebido com algumas mudanças no comportamento do gato. 

    Conheça algumas vacinas para gatos não obrigatórias
    Saúde animal

    Conheça algumas vacinas para gatos não obrigatórias

    As vacinas para gatos são fundamentais na prevenção de diversas doenças felinas. Por isso, ao adotar um bichano, uma das principais orientações dos veterinários é que o seu pet passe pela atualização de vacinas obrigatórias, como a antirrábica e a quádrupla felina, que previne doenças como a panleucopenia e rinotraqueíte. Ainda assim, elas não são suficientes para proteger o animal de todas as patologias que ele pode adquirir ao longo da vida.

    Secreção no pênis do cachorro é normal? Quando deve ser motivo de preocupação?
    Saúde animal

    Secreção no pênis do cachorro é normal? Quando deve ser motivo de preocupação?

    Não é muito difícil perceber quando algo está errado com a saúde do cachorro. Geralmente, o próprio cão dá indícios disso, ainda mais se for na região genital: ele tende a lamber essa área de forma exagerada, mostrando que tem alguma coisa o está incomodando. Mas além disso, também é possível perceber que, em alguns casos, o cachorro libera uma secreção pelo pênis, o que costuma preocupar bastante os tutores. Será que essa é uma situação normal ou pode ser indicativo de doença? 

    A cor do xixi de cachorro pode indicar alguma doença no trato urinário? Entenda!
    Saúde animal

    A cor do xixi de cachorro pode indicar alguma doença no trato urinário? Entenda!

    Quando o assunto é um cachorro fazendo xixi, é normal que uma das maiores preocupações do tutor seja com o animal fazendo suas necessidades no lugar certo. Mas outro fator que também merece a atenção dos humanos é quanto ao aspecto da urina dos cães. A cor do xixi do cachorro é capaz de indicar vários problemas de saúde no seu amigo de quatro patas e, por isso, é importante conseguir identificar quando o líquido está saudável ou não. 

    Ver Todas >