Histórias reais

Gato triste e com saudade de outro gato: veja como ajudar o seu bichano a lidar com separações

Gatos muito apegados um ao outro podem ficar extremamente tristes no caso de separação ou morte
Gatos muito apegados um ao outro podem ficar extremamente tristes no caso de separação ou morte

Poucas pessoas sabem, mas os gatos sentem saudades e têm diferentes formas de demonstrar isso. Uma situação em que o sentimento pode ser claramente observado é quando dois gatos vivem juntos - mesmo que não sejam irmãos ou mãe e filho -, mas em um determinado momento eles precisam se separar, seja por conta de uma mudança de casa ou porque um deles faleceu.

“Apesar de serem intitulados como independentes, os gatos criam um vínculo afetivo, não só com outros gatos, mas também com outras espécies que ele convive, como seres humanos e até mesmo os cães”, explica a veterinária e comportamentalista animal Renata Bloomfield.

Gatos sentem saudades de outros gatos: Terça e Chico precisaram se separar

A convivência é algo fundamental para aproximar dois gatinhos que não são da mesma família. Depois de um tempo é inevitável: eles acabam criando um vínculo afetivo. Esse foi o caso do Terça e do Chico, que viviam na mesma casa, mas pertenciam a pessoas diferentes e eram super amigos. Até que uma das tutoras precisou se mudar. “O Terça chegou primeiro, já adulto, e quase dois anos depois veio o Chico, filhote, então o Chico cresceu junto com o Terça e eles brincavam bastante, dormiam juntos, se lambiam”, conta Paola Piola, que é dona do Terça.

Embora essa seja uma situação bastante recente, a tutora destaca que já percebeu algumas mudanças: “Ainda estamos vivendo os primeiros dias, mas a maior mudança no comportamento é o miado. O Terça tem miado demais, porque ele não perdeu só o Chico, como também a minha amiga com quem eu dividia apartamento. Ele mia se fica sozinho na sala, se estamos com a porta fechada, mia de manhã cedo. Nos primeiros dias o que eu fiz foi botar ele para dormir comigo no quarto (coisa que eu não fazia), agora tô tentando deixar ele para fora à noite e ignorar os miados. Tem vezes que param, tem vezes que não”.

A explicação para esse tipo de comportamento é simples, conforme Renata explica: “Se são dois gatos que convivem juntos, brincam juntos, eles vão sentir falta um do outro. É uma vida que foi compartilhada até um certo momento e que está sendo separada, já que dificilmente eles vão se ver novamente”. Existem algumas formas de amenizar a separação entre os felinos. Uma das dicas da especialista é o enriquecimento ambiental para gatos: “Isso ajuda o animal a sentir menos a separação, porque serve como estímulo. O uso de feromônios também pode ajudar nesse momento, mas o enriquecimento ambiental ainda é a opção mais indicada.”

Faça o quiz e descubra se você tem alergia a gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

Como você fica ao chegar na casa de um amigo que tem um gato?

O que acontece quando se aproxima de gatinhos na rua ou em feiras de adoção?

As crises alérgicas costumam acontecer:

O que acontece quando você fica perto de alguém que está com a roupa cheia de pelos de gato?

Como seu corpo reage ao entrar em contato com um filhotinho de gato na rua?

Quais são os seus sintomas mais comuns durante uma crise alérgica?

O que você faz para melhorar um quadro de alergia?

É bem provável que você tenha alergia a gatos e precise consultar um especialista As crises alérgicas fazem parte da sua rotina, mas será que é por causa dos gatos? Passe livre para ter um gatinho: você não tem alergia aos bichanos!
    O Chico e o Terça eram grandes amigos, mas precisaram se separar
    O Chico e o Terça eram grandes amigos, mas precisaram se separar

    Mais Lidas

    Como o gato reconhece seu dono? Descubra esse e outros comportamentos da relação de um felino com o tutor
    Comportamento animal

    Como o gato reconhece seu dono? Descubra esse e outros comportamentos da relação de um felino com o tutor

    A companhia dos felinos é uma delícia, mas tem lá seus desafios, principalmente na hora de tentar entender a linguagem dos gatos. Por serem mais reservados, muitos tutores ficam na dúvida se esses animais realmente apreciam a presença dos humanos, se perguntando como os gatos nos veem. Será que eles são capazes de nos entender? Como o gato reconhece seu dono? Como saber se eles gostam da gente? Para tentar desvendar de uma vez por todas alguns dos comportamentos do gato em relação ao seu tutor, preparamos uma matéria bem especial. Vem com a gente e saiba mais sobre o assunto!

    Mordida de gato: 6 coisas que motivam esse comportamento nos felinos (e como evitar!)
    Comportamento animal

    Mordida de gato: 6 coisas que motivam esse comportamento nos felinos (e como evitar!)

    Os felinos não são muito associados com o ato de morder. Diferente dos cachorros, o comportamento é bem menos frequente nos felinos. É justamente por isso que muita gente acaba ignorando as mordidas por subestimar a força do animal e achar que não vai machucar. A mordida de gato não só pode ocorrer por muitos motivos, como também podem causar acidentes. Geralmente, os gatos dão alguns sinais que antecipam a mordida e é importante que você aprenda a reconhecê-los, assim como também entender as razões que levam o felino a ter essa atitude. Preparamos uma matéria completa sobre o assunto, então chega mais e vem entender porque os gatos mordem!

    Comportamento felino: por que os gatos pedem comida mesmo com o pote cheio de ração?
    Comportamento animal

    Comportamento felino: por que os gatos pedem comida mesmo com o pote cheio de ração?

    Não é segredo para ninguém que os gatos são muito exigentes com alimentação e higiene. E um hábito muito comum observado por todo gateiro é o gato pedindo comida mesmo quando o pote de ração está cheio: eles manifestam a insatisfação com a comida “velha” com muitos miados para chamar a atenção do tutor. Esse é mais um curioso comportamento felino com muitas explicações coerentes por trás.

    Por que os gatos afofam as cobertas e os humanos
    Comportamento animal

    Por que os gatos afofam as cobertas e os humanos

    Quem tem um gatinho já deve ter percebido que eles costumam afofar ou “amassar pãozinho” em algumas circunstâncias específicas. Os movimentos lembram uma massagem. Antes de deitar, quando estão no colo do dono ou quando encontram uma coberta fofinha e macia. Se mesmo sem saber porquê eles fazem isso a gente já acha a coisinha mais linda do mundo, imaginem depois de saber? Vem com a gente desvendar!

    Meu gato não quer comer e está triste, será que é saudade?

    Os gatos têm diferentes formas de demonstrar que estão sentindo saudade dos humanos e de outros bichinhos. No caso dos humanos, por exemplo, é possível perceber isso quando o tutor chega em casa e o gato já está na porta pronto para recebê-lo. Mas que outros comportamentos podem indicar esse sentimento de falta? A comportamentalista explica: “Quando os gatos sentem saudades, às vezes eles ficam mais prostrados, mais quietinhos no canto deles. Em outros casos, eles também fazem vocalização e miam bastante. Também pode acontecer do gatinho ficar olhando para a porta e deixar de fazer qualquer atividade quando a pessoa sai de casa. Eles deixam de ir ao banheiro, beber água e se alimentar, e só voltam a fazer isso quando o tutor volta. São sinais de que o gatinho está com muita saudade.”

    Luto de gato: como ajudar um animal a superar a ausência do seu amigo?

    Diferente do que acontece com os humanos, os felinos não têm a capacidade de distinguir quando o outro gato simplesmente vai embora ou falece. “Isso é indiferente porque o que fica é basicamente o mesmo sentimento da falta e da saudade. Então o animal ir para uma outra casa não deixa de ser um luto porque o contato entre os gatos é interrompido, e eles não vão voltar a se ver”, explica Renata. O melhor jeito de lidar com a situação é oferecer o máximo de estímulos ao felino e observar possíveis alterações comportamentais.

    “Os gatos sentem falta do outro gato um pouquinho depois do ocorrido. Ele primeiro vai sentir a falta da presença física, mas o cheiro do outro animal ainda permanece por um tempo, então ele vai sentir que o gato está ali e vai ficar procurando pela casa. Depois que o cheiro do outro gato sai é quando realmente começa o luto, que demora em torno de 21 dias a um mês, mais ou menos”, revela a comportamentalista.

    Em alguns casos, o bichano pode apresentar um quadro de depressão, que precisa de bastante cuidado e atenção - independentemente se o outro gato simplesmente se mudou ou faleceu. “É um momento em que o tutor tem que respeitar o luto do gatinho, mas ao mesmo tempo não pode deixar que ele entre em depressão. Se perceber que está afetando tanto a parte de alimentação do animal ou que ele mudou muito o comportamento, vale ir em um veterinário especialista em comportamento para poder ajudar o gatinho de uma forma mais saudável e confortável para ele”, enfatiza Renata.

    Redação: Juliana Melo

    Brinquedos para cachorro com barulho: por que eles amam tanto?

    Próxima matéria

    Brinquedos para cachorro com barulho: por que eles amam tanto?

    Reiki veterinário: como essa terapia holística pode ajudar os cães e gatos?
    Saúde

    Reiki veterinário: como essa terapia holística pode ajudar os cães e gatos?

    O reiki é uma terapia holística muito comum entre os humanos, mas você sabia que o seu pet também pode aproveitar os benefícios desse tratamento? O reiki veterinário é uma técnica de cura pelas mãos que busca alinhar os centros de energia do corpo - chamados de chakras -, promovendo o equilíbrio energético do corpo e melhorando a saúde física, mental e espiritual do animal. Que tal entender como o reiki pode ajudar na hora de cuidar de cachorro e até a melhorar o comportamento do gato? Vem que a gente te explica tudo que você precisa saber sobre o assunto!

    Gato cego: 7 cuidados essenciais para garantir a segurança e bem-estar do bichano em casa
    Cuidados

    Gato cego: 7 cuidados essenciais para garantir a segurança e bem-estar do bichano em casa

    Adotar um gatinho requer algumas adaptações em casa para criar um ambiente seguro e confortável para o animal, onde ele possa expressar seus comportamentos naturais e descansar sempre que quiser. Agora quando o bichano precisa de cuidados especiais, como é o caso do gato cego, a situação se torna mais delicada ainda. Será que é preciso tomar precauções extras para mantê-lo em segurança? Como ajudar o gatinho a viver melhor? Como proporcionar a ele um ambiente mais adaptado? Para te ajudar a deixar sua casa pronta para receber o seu novo amigo da melhor forma e em um ambiente seguro, confira 7 dicas e cuidados indispensáveis para lidar com um gato cego.

    Como dar comprimido para gato? Confira 6 dicas que irão ajudar
    Cuidados

    Como dar comprimido para gato? Confira 6 dicas que irão ajudar

    Quem tem gato já deve ter percebido a guerra que é dar remédio, principalmente quando é comprimido. Isso porque, diferente dos cachorros que costumam aceitar o remédio disfarçado na comida, os gatos são muito seletivos e conseguem perceber qualquer coisa diferente no potinho. Caso o seu gato seja guloso, você até pode tentar amassar o comprimido até virar pó e misturar no sachê para gatos, mas se essa técnica não funcionar, você pode tentar outras que vamos ensinar!

    Adotar gato: 10 motivos que vão fazer você querer se apaixonar por um bichano
    Adoção

    Adotar gato: 10 motivos que vão fazer você querer se apaixonar por um bichano

    “Quero adotar um gato”. Se esse pensamento já passou alguma vez pela sua cabeça é porque falta pouco para um bichano te conquistar de vez - e, acredite, os gatos conseguem isso com uma facilidade incrível. Sim, é isso mesmo: por trás do jeitinho reservado, esses animais são puro amor e companheirismo, e tem tudo para se tornar grandes amigos dos humanos.

    Ver Todas >

    Cachorro na janela do carro: por que eles amam tanto?
    Comportamento animal

    Cachorro na janela do carro: por que eles amam tanto?

    É bem provável que você já tenha visto um cachorro na janela do carro curtindo o ventinho no rosto ou até tenha presenciado o seu doguinho fazer isso. Essa é uma situação super comum, principalmente quando os donos decidem viajar com cachorro de carro ou nas idas para o veterinário. Mas já parou para se perguntar por que esses bichinhos gostam tanto de ficar com a cabeça na janela? Será que é só por uma questão de aventura, ou existe explicação por trás do comportamento?

    Como escolher a bolinha para cachorro ideal de acordo com a idade, tamanho e energia do seu pet?
    Comportamento animal

    Como escolher a bolinha para cachorro ideal de acordo com a idade, tamanho e energia do seu pet?

    Quem nunca viu um cachorro correndo atrás de uma bola? A  bolinha para cachorro  é clássica e um dos brinquedos preferidos desses animais. Qualquer cãozinho quando vê uma bola se diverte bastante, principalmente aqueles mais energéticos e ativos. Porém, engana-se quem pensa que toda bolinha é igual, porque há uma infinidade de modelos que podem ser comprados. Não existe um melhor que o outro, mas sim o que é mais adequado para cada tipo de cachorro, levando em conta a idade, tamanho e nível de energia.

    Adestrar gato: como é o processo de aprendizagem dos felinos? (spoiler: é bem diferente dos cães)
    Comportamento animal

    Adestrar gato: como é o processo de aprendizagem dos felinos? (spoiler: é bem diferente dos cães)

    O adestramento de cachorro é super conhecido por aí, mas algumas pessoas não sabem que os gatos domésticos também pode ser treinados. Adestrar gato também promove muitos benefícios à rotina do pet, além de aproximá-lo do tutor e mudar comportamentos inadequados. No entanto, o processo de adestramento do gato é bem diferente do que já estamos acostumados com os cães. 

    Como socializar gatos? 5 segredos para tornar tudo mais fácil
    Comportamento animal

    Como socializar gatos? 5 segredos para tornar tudo mais fácil

    Um dos grandes desafios que vários tutores enfrentam é não saber como socializar gatos corretamente, o que pode desencadear problemas de convivência, como ciúmes e brigas. Normalmente, o período mais indicado para fazer a socialização é quando o gato ainda é um filhotinho, porque ele ainda está se adaptando ao mundo e fica mais fácil de apresentá-lo a novas experiências. 

    Ver Todas >