Gato

Gato cego: todos os cuidados para melhorar a vida de um gato que não enxerga

Publicado - 20 Abril 2022 - 17h29

Atualizado - 18 Maio 2024 - 11h37

Cuidar de um gato cego não é uma tarefa exatamente difícil, mas exige toda uma preparação e adaptação do ambiente para que o animal tenha uma boa qualidade de vida. Às vezes o bichinho já nasce com essa condição, mas a cegueira em gatos também pode ser adquirida ao longo da vida, geralmente decorrente de alguma doença. Em ambos os casos, cabe ao tutor promover um espaço com tudo que é essencial para o pet, seja ele um gato cego de um olho ou dos dois olhos.

Para te guiar nessa missão, o Patas da Casa reuniu tudo que você precisa saber sobre o assunto: como funciona a visão dos gatos, principais causas de um gato ficando cego e todos os cuidados que devem ser tomados para melhorar a vida do bichano que sofre com isso. Confira!

Como é a visão de um gato?

A visão de um gato é um dos sentidos mais importantes. É ela que permite que o animal veja tudo que acontece ao seu redor, detecte possíveis predadores e aviste presas para persegui-las. Mas você sabe como os gatos enxergam e que estruturas são auxiliam na visão felina? A gente te explica!

Imagem Quiz:Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Para começar, duas importantes estruturas se localizam no olho de gato: os cones e os bastonetes. Os cones são células fotorreceptoras que identificam as cores. Os humanos têm três dessas células - responsáveis pela percepção do vermelho, azul e verde -, enquanto os gatos possuem apenas duas delas. Por isso, os bichanos enxergam os tons de maneira bem mais limitada, mas não necessariamente em preto e branco.

Os bastonetes, por outro lado, são células da retina que captam e absorvem a luz do ambiente - e o alto número dessas estruturas no olho de gato é o que permite que esses animais tenham uma excelente visão noturna! Mesmo quando há pouca luminosidade em um local, os bastonetes - com o auxílio de uma membrana chamada tapetum lucidum - conseguem captar e transformar qualquer feixe luminoso em um refletor. Esse também é o motivo porque os olhos do gato brilham no escuro.

Além disso, a visão periférica dos felinos é surpreendente e pode alcançar até 200º, enquanto a nossa vai até 180º. Por outro lado, os gatos não enxergam muito bem à distância e tudo fica um pouco distorcido - mas não quer dizer que eles sejam míopes!

Como saber se o gato é cego?

A cegueira em gatos pode ser de origem genética ou causada por alguma doença ou acidente. Em alguns casos, o gatinho já chega com a visão danificada no abrigo ou gatil quando ainda é filhote. Já em outros, o animal vai perdendo o sentido gradativamente. Em todo caso, alguns sinais no comportamento do gato podem indicar o problema, como:

  • Esbarrar constantemente em móveis, portas e paredes;
  • Andar de forma mais cautelosa e devagar, tateando o chão;
  • Assumir um comportamento mais quieto, como se estivesse assustado ou com medo;
  • Ter dificuldade para saltar;
  • Cair com frequência;

Fora os sinais comportamentais, também é possível perceber outras alterações quando se trata de um gato ficando cego por conta de alguma doença. Nessa situação, é possível perceber que o olho de gato perde o brilho e fica opaco, podendo adotar uma coloração esbranquiçada ou azulada. Além disso, olhar turvo, gato com pupilas dilatadas e inchaço são outros indicativos do problema.

Cegueira em gatos: é importante a avaliação de um veterinário

Se você suspeita que tem um gato ficando cego, não deixe de consultar um profissional especializado no assunto. Apenas um médico veterinário oftalmologista terá os recursos necessários para avaliar e investigar o que está causando o problema. Em alguns casos, a cegueira em gatos pode ser reversível, desde que a doença de base seja diagnosticada e tratada corretamente. Também é importante ter em mente que as consultas de check-up devem ser feitas regularmente, mesmo após diagnóstico.

 

Mão com luva azul limpando olho de gato com algodão
Gato ficando cego: pupilas dilatadas e opacidade do globo ocular são sinais que indicam o problema

 

Gato ficando cego: por que isso acontece?

Existem vários problemas que podem deixar um gato cego. Às vezes é uma condição genética e o animal já nasce com a complicação. Em outros casos, ele desenvolve isso como consequência da progressão de uma enfermidade. Também não podemos deixar de mencionar que acidentes, assim como “cicatrizes” de brigas de gato, podem afetar a visão do animal, dependendo da gravidade da situação.

Vale destacar que a cegueira em gatos pode ter diferentes graus de gravidade, principalmente se for decorrente de alguma doença. Ou seja, pode começar com uma simples dificuldade para perceber os objetos e perda de noção espacial, mas aos poucos - se não houver o tratamento adequado - pode avançar e danificar completamente a visão felina. Ah, e lembre-se: mesmo quando se trata de uma doença de gato que cega, como o glaucoma em gatos, às vezes é possível retardar a perda total da visão seguindo orientações médicas.

Veja a seguir quais doenças nos olhos dos gatos podem causar cegueira!

  • Atrofia progressiva da retina
  • Catarata felina
  • Diabetes
  • Glaucoma
  • Hipertensão arterial sistêmica
  • Tumores

Além disso, a cegueira em gatos também pode ser derivada de complicações do herpes vírus do tipo 1, que em muitos casos é reversível. Por isso, se o seu bichano apresentar qualquer alteração ocular que indique a presença de alguma dessas doenças, procure a ajuda de um profissional o quanto antes!

Gato cego: como é a vida de um bichano que não enxerga?

Mesmo com a visão prejudicada, o gato sem olho é totalmente capaz de viver uma vida tranquila e saudável como qualquer outro animal. É claro que o bichano não vai enxergar tudo à sua volta, mas nem por isso ele deve deixar de desfrutar das mesmas coisas que um gatinho comum. Ou seja, ele precisa brincar, interagir e ter todo o cuidado com alimentação, higiene e saúde que qualquer pet demanda. A diferença é que esse cuidado deve ser redobrado na hora de adaptar o ambiente para um bichinho que tem deficiência visual.

No geral, os sentidos do gato acabam “equilibrando” a falta de visão. Tato, olfato felino, audição e paladar se tornam mais apurados, e por isso o animal geralmente se adequa bem à situação. 

Além disso, o bigode de gato cumpre uma função importante nessas horas: é por meio das vibrissas que os felinos conseguem ter melhor noção espacial e bom equilíbrio. Se você reparar, o gato cego geralmente estica bastante o bigode para saber se tem algum obstáculo na sua frente, e isso acontece porque essa é uma área repleta de células sensoriais que possibilitam a captação de várias informações do ambiente.

 

Gato deitado em tapete olhando para brinquedo colorido a cima
O gato cego deve ser estimulado com brincadeiras e carinho

 

A adaptação da casa é um cuidado necessário com o gato cego, veja como fazer isso!

1) Móveis e cômodos

É importante evitar mudar os móveis de lugar. O gato cego se orienta principalmente pelo tato e memória, então alterações muito bruscas no ambiente onde ele vive podem ser prejudiciais para a convivência. Se a mesa da sala ficava em uma posição, e de repente está em outra, corre o risco dele esbarrar e acabar se machucando, porque não vai ver que houve essa mudança.

2) Escadas

Para quem mora em casas ou apartamentos com mais de um andar, um cuidado necessário é colocar uma grade ou portão para pet no acesso às escadas. Se o gatinho estiver no segundo piso e não houver a instalação de uma barreira que alerte sobre os degraus, ele pode acabar caindo.

3) Tapetes

A recomendação é que os tapetes de casa sejam todos antiderrapantes. Caso contrário, o gato cego pode escorregar e sofrer algum acidente (por menor que seja). Esse tipo de situação deixa o animal inseguro de transitar pelo espaço e com medo de cair, fazendo com que eles fiquem mais reclusos.

4) Janelas

Gatos são gatos e amam altura, mesmo quando se trata de um animal deficiente. Por isso, a instalação de telas de proteção nas janelas é fundamental para criar os bichanos em um ambiente seguro! Além das chances de quedas, que são maiores para quem vive em prédios, deixar as janelas abertas e desprotegidas podem facilitar fugas e comprometer o bem-estar do animal, que não vai conseguir se defender nas ruas.

5) Acessórios

O ideal é deixar a casa bem confortável e acessível para o gato cego. Por isso, uma sugestão é espalhar algumas caixas de areia, comedouros, bebedouros e brinquedos por vários cantinhos. Dessa forma, ele sempre vai ter tudo que precisa por perto, sem a necessidade de se locomover sem necessidade. Vale destacar que, assim como os móveis da casa, também é importante não mexer muito na posição dos acessórios do gato

O gato cego precisa de brincadeiras, carinho e atenção (assim como qualquer outro!)

Não pense que só porque você tem um gato cego, ele não tem condições de brincar e se divertir só porque não enxerga. Na verdade, brincadeiras que estimulam os outros sentidos do animal são super recomendadas! Uma dica é apostar em brinquedos para gatos que emitam sons, como varinhas, bolinhas (aquelas com guizo são ótimas!) e outros itens interativos. 

O enriquecimento ambiental para gatos horizontais também é outra ótima alternativa. Você pode deixar a sua casa mais gatificada e adequada para o animal com redes, camas suspensas e até mesmo circuitos terrestres. O gato cego costuma ser um pouco mais medroso, então nichos e prateleiras não surtem tanto efeito e podem acabar ocasionando quedas e acidentes desnecessários, então é bom evitar.

Por fim, não esqueça de interagir e tirar um tempinho para brincadeiras com gato sempre que possível! Esses pequenos detalhes fazem toda a diferença para o bichano se sentir mais confortável e seguro em qualquer lugar. Além do mais, é uma estratégia que ajuda a estreitar os laços com o pet!

Redação: Juliana Melo

Comportamento

Gato miando: 8 segredos que não te contaram sobre a principal forma de comunicação dos felinos

Qualquer pai de pet está acostumado a ouvir o gato miando em casa pelos mais diversos motivos. Às vezes é fome, vontade de receber c...

Comportamento

Como saber se o gato te escolheu como dono: 6 coisas para observar e descobrir se você é o humano favorito do seu pet

O sonho de todo gateiro é ser a pessoa favorita dos bichanos. Mas como saber se o gato te escolheu como dono? Será que existem indíc...

Comportamento

Sonhar com gato é bom ou ruim? Veja o que os especialistas têm a dizer sobre o significado desses sonhos

Existem diferentes formas de se interpretar um sonho, principalmente quando envolvem animais de estimação. Sonhar com gato, por exem...

Adoção

Gato frajola dá trabalho? Veja como é a convivência com um gato preto e branco dentro de casa

Com manchas brancas e pretas espalhadas pelo corpo, o gato frajola tem um charme que não passa despercebido. Donos de uma personalid...

Cachorro

Dogo Argentino: 10 curiosidades para conhecer o cachorro parecido com Pitbull

O Dogo Argentino é um cachorro grande e imponente. Em um primeiro momento, ele pode até assustar quem não conhece, principalmente po...

Cachorro

Pancreatite em cachorro: aprenda a reconhecer 6 sinais da doença que vão ajudar no diagnóstico mais rápido

A pancreatite em cachorro é uma doença que merece a atenção dos tutores. A patologia afeta o pâncreas, órgão essencial para a produç...

Adote um animal

Cachorro pequeno: essas são as 10 menores raças de cachorro do mundo todo

Ter um cachorro pequeno em casa é sinônimo de fofura e alegria. Como são menores, esses doguinhos se adaptam mais facilmente ao espa...

Comportamento

Gato miando: 8 segredos que não te contaram sobre a principal forma de comunicação dos felinos

Qualquer pai de pet está acostumado a ouvir o gato miando em casa pelos mais diversos motivos. Às vezes é fome, vontade de receber c...

Ver todas