A coleira antipulgas para cachorro é uma das opções mais procuradas por tutores para acabar com as infestações de parasitas nos cães. Só quem já teve um bichinho que sofreu com pulgas e carrapatos sabe como é muito importante cuidar para que isso não aconteça e tratar da maneira mais rápida possível. Tem cada vez mais gente apostando na coleira para cachorro antipulgas e carrapatos como forma de prevenção, no entanto, algumas dúvidas acabam surgindo. Por isso, é bom saber como exatamente o acessório funciona e quais cuidados precisam ser tomados para que coleira antipulgas para cachorro cumpra sua função da melhor forma possível.

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

A coleira antipulgas para cachorro libera substâncias na pelagem do animal

A coleira antipulgas e carrapatos para cachorro funciona através do contato com a pele do bichinho. Na parte emborrachada, há algumas substâncias químicas não voláteis - ou seja, que não liberam vapor. Essas substâncias são altamente tóxicas para as pulgas e, dependendo do modelo, para carrapatos e outras pragas também, como as causadoras de sarnas e mosquitos - sendo assim uma forma de evitar outras doenças, como a leishmaniose, transmitida pelo mosquito-palha. Mas não precisa se preocupar porque ela não faz mal ao seu cachorro e nem a quem convive com ele. A coleira libera essas toxinas ao longo da pelagem, se espalhando pelo corpo, protegendo-o. Além disso, ela tem longa duração, de no mínimo dois meses, podendo chegar até oito em certos modelos. É uma grande vantagem, já que outros métodos para acabar com pulgas de cachorro, como comprimidos, possuem uma duração de eficácia muito curta.

Coleira antipulgas para cachorro deve ser adequada para seu cão

Na hora de escolher a coleira para cachorro antipulgas é preciso levar em conta o porte do seu cão, pois cada modelo tem uma quantidade específica de substâncias que vai ser liberada. Para um cachorro grande, deve-se escolher um acessório que libere uma grande quantidade de toxinas; para um pequeno, uma que libere em menor quantidade. A medida deve ser proporcional para que não falte ou tenha excesso de toxina na pelagem.

Além disso, como a coleira libera a substância pelo corpo do cachorro é importante que fique em contato com seu pelo. Porém, ela não pode ficar muito apertada para não machucar o bichinho. O ideal é um espaço de dois dedos entre a coleira e o cachorro.

 

dono colocando coleira antipulgas para cachorro

Alguns cuidados são necessários na hora de usar a coleira para cachorro antipulgas

 

A coleira para cachorro antipulgas e carrapatos é um ótimo investimento no combate às pragas, mas algumas precauções são fundamentais. A coleira não pode ser usada em filhotes em período de aleitamento materno e nem nas mães que estão amamentando. O ideal é que o acessório seja utilizado apenas em cachorrinhos a partir de seis semanas de vida. Outro cuidado muito importante é não deixar a coleira antipulgas para cachorro muito próximo à boca do animal. Se o cachorro conseguir alcançá-la com a boca pode acabar mordendo ou ingerindo a toxina presente. Por isso, se a coleira estiver com alguma parte da tira sobrando, corte o excedente.

Vale lembrar também que certos cachorros podem ter algum tipo de reação à coleira, como vermelhidão ou coceira no local. Nesses casos, é importante consultar o veterinário para saber qual o melhor tipo de coleira e como tratar a alergia.

Por fim, lembre-se que a coleira antipulgas para cachorro atua no combate aos parasitas que estão no corpo do animal. Se ainda estiverem presentes no ambiente, não será de muita ajuda. A limpeza da casa é essencial para acabar com as pragas e seus ovos. Só com essa combinação seu pet ficará totalmente livre do problema. 

Redação: Maria Luísa Pimenta