Saúde

Clamidiose felina: saiba tudo sobre a doença que pode atingir os gatos

A clamidiose felina é uma doença ocular com sintomas comuns: conheça mais sobre ela aqui
A clamidiose felina é uma doença ocular com sintomas comuns: conheça mais sobre ela aqui

A clamidiose felina é uma doença que pode ser facilmente confundida com a conjuntivite em gatos, mesmo que apenas num primeiro momento. Com o contágio facilmente possibilitado pelo contato do animal infectado com outros gatos e pessoas (a clamidiose é uma zoonose e também pode ser transmitida para humanos), o cuidado com a prevenção da clamidiose é tão importante quanto o tratamento. Para esclarecer algumas dúvidas e falar sobre a doença aqui, nós conversamos com a Dra. Luciana Capirazzo, a veterinária especialista em felinos do Hospital Veterinário Vet Popular. Veja, aqui embaixo, o que ela nos contou. 

Clamidiose felina: a causa e a ação no corpo do animal

Assim como outras doenças infecciosas, a clamidiose é causada por uma bactéria — nesse caso, a Chlamydophila felis. “Essa bactéria causa uma infecção ocular que pode ser transmitida com facilidade de um gato para outro e, por isso, é mais frequente em animais que vivem em grupo”, explica Luciana. A princípio, ela deixa o gato com olho vermelho, mas os sintomas não param por aí. “Os sintomas da clamidiose felina incluem infecção respiratória, olhos vermelhos e inchados, secreção ocular, nasal, espirros e tosse”, completa a profissional. Em casos mais sérios, o gato também pode ter lesões como úlceras na região do globo ocular. 

O que fazer ao identificar os sintomas de clamidiose felina no seu gato

A clamidiose felina é uma doença séria que tem um tratamento específico, mas que pode ser facilmente confundida com outras condições de saúde por causa de seus sintomas comuns. Além da conjuntivite, primeira possibilidade a passar na cabeça dos tutores que encontram o gato com olho vermelho, ela também pode passar por gripe felina por causa da aparente infecção respiratória. O tratamento equivocado, nesse caso, pode piorar a situação do seu amigo, ou seja, você só tem, realmente, uma coisa a fazer: “O ideal é sempre procurar pelo médico veterinário, evitando, assim, receitas caseiras e a administração de medicamentos por conta própria”, aconselha Luciana. 

Durante a consulta, é normal que o profissional examine o seu gato buscando eliminar as outras possibilidades de doenças com o mesmo conjunto de sintomas. A informação sobre a quantidade de gatos que convivem com seu amigo também é muito importante e pode ser determinante na definição do quadro. “Para ter um diagnóstico, o veterinário realizará exame clínico e poderá pedir, também, alguns laboratoriais para confirmação”, explica a profissional. Em muitos casos, a clamidiose é confirmada apenas com a análise da secreção do animal infectado. 

Faça o quiz e descubra se você tem alergia a gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

Como você fica ao chegar na casa de um amigo que tem um gato?

O que acontece quando se aproxima de gatinhos na rua ou em feiras de adoção?

As crises alérgicas costumam acontecer:

O que acontece quando você fica perto de alguém que está com a roupa cheia de pelos de gato?

Como seu corpo reage ao entrar em contato com um filhotinho de gato na rua?

Quais são os seus sintomas mais comuns durante uma crise alérgica?

O que você faz para melhorar um quadro de alergia?

É bem provável que você tenha alergia a gatos e precise consultar um especialista As crises alérgicas fazem parte da sua rotina, mas será que é por causa dos gatos? Passe livre para ter um gatinho: você não tem alergia aos bichanos!
    A secreção ocular é um dos principais sintomas da clamidiose felina
    A secreção ocular é um dos principais sintomas da clamidiose felina

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    Como funciona o tratamento da clamidiose felina 

    Depois do diagnóstico confirmado, chega a hora de tratar a clamidiose felina: “O tratamento só deve ser feito mediante receita do veterinário. Ele pode contar com antibióticos para impedir a reprodução da bactéria e pomadas oftálmicas. Além da medicação, é importante que o dono faça a higiene do animal, limpando os olhos dele com gaze limpa e umedecida com água ou soro”, explica Luciana. O tratamento com antibióticos deve ser feito por todo o período indicado pelo veterinário, mesmo que seu gato aparente melhora, já que só assim as bactérias podem ser realmente combatidas. Não se esqueça: enquanto o animal estiver tomando os medicamentos, vai precisar ficar isolado para garantir a eficácia do tratamento. 

    As diferentes formas de transmissão da clamidiose felina

    Como já falamos acima, a clamidiose felina é transmitida apenas através do contato direto de um animal saudável com a secreção de um que esteja infectado, mas essa não é a única forma de contaminação: “Gatas prenhas podem transmitir a doença para os filhotes durante e depois do parto”, afirma a veterinária. Por isso, na hora de adotar um gatinho, tente saber do histórico de saúde da mãe dele. Caso não seja possível, informe isso ao veterinário para que ele possa ser examinado e tratado caso tenha sido contaminado.

    A clamidiose felina pode ser prevenida: fique atento

    Mesmo que possa ser encontrada em muitos ambientes, a bactéria responsável pela clamidiose só se reproduz no corpo de um hospedeiro. Por isso, uma boa forma de evitar a contaminação é limitando o contato do seu gato a ambientes conhecidos, com outros animais que têm os mesmos cuidados. Além disso, manter o ambiente em que muitos gatos convivem sempre limpos e higienizados com hipoclorito de sódio também ajuda a matar as bactérias. 

    Uma das vacinas para gatos também tem seu papel na hora de evitar a clamidiose: é o caso da vacina quádrupla felina, que conta com o antígeno para a doença. Ela é uma das vacinas obrigatórias para o filhote de gato e também protege contra a panleucopenia (também conhecida como "cinomose felina"), a rinotraqueíte e a calicivirose. A V4 tem a primeira dose aplicada a partir dos 42 dias de vida do gato e mais doses que devem ser aplicadas com intervalos de 21 dias cada. 

    Redação: Ariel Cristina Borges

    Como funciona a coleira antipulgas para cachorro?

    Próxima matéria

    Como funciona a coleira antipulgas para cachorro?

    Saiba tudo sobre o gato Himalaia: origem, características, personalidade, cuidados e muito mais
    Raças

    Saiba tudo sobre o gato Himalaia: origem, características, personalidade, cuidados e muito mais

    O gato Himalaia é, sem dúvidas, uma das raças mais queridinhas e desejadas pelos amantes de felinos. Ele reúne em sua genética a mistura de outras duas raças que são muito populares: o gato Persa e o Siamês. Ou seja, é carisma e fofura em dose dupla! Além disso, esse gatinho tem uma personalidade super dócil e tranquila, sendo a companhia perfeita para quem sempre sonhou em ter um bichinho de estimação. Se esse é o seu caso, ou se você já tem um gato do Himalaia e quer conhecer tudo sobre ele, essa matéria vai te ajudar bastante. 

    Gato Azul Russo: saiba tudo sobre a raça
    Raças

    Gato Azul Russo: saiba tudo sobre a raça

    Com uma pelagem cinza, o gato Azul Russo - também conhecido como Russian Blue - é dono de uma beleza inconfundível e capaz de conquistar facilmente o coração de qualquer pessoa com sua personalidade doce e calma. A raça é originária da Rússia e considerada bastante rara, mas ainda assim muitas pessoas ao redor do mundo se fascinam pelo Azul Russo e não hesitam em procurar um bichano para chamar de seu. 

    Esporotricose em gatos: conheça mais sobre essa doença grave que pode atingir os felinos
    Saúde

    Esporotricose em gatos: conheça mais sobre essa doença grave que pode atingir os felinos

    A esporotricose em gatos é uma das doenças mais graves que pode atingir os felinos. Isso porque ela evolui muito rápido para a fase disseminada, causando sérios riscos à vida do gatinho. Provocada por um fungo presente em vegetações, a “micose” apresenta feridas bem características na pele do felino, sendo esse um dos principais sintomas da doença. Apesar da complexidade da infecção, o tratamento correto é capaz de curar essa doença de gato. Esporotricose também pode ser prevenida com alguns cuidados específicos no dia a dia do seu felino. Para saber mais sobre a doença, nós conversamos com o médico veterinário Frederico Lima, do Rio de Janeiro.

    Rinotraqueíte felina: saiba tudo sobre a doença respiratória que acomete os gatinhos!
    Saúde

    Rinotraqueíte felina: saiba tudo sobre a doença respiratória que acomete os gatinhos!

    Os períodos de chuva e frio demandam mais atenção ainda com a saúde dos felinos. Mesmo vivendo dentro de casa e sem acesso às ruas, os gatinhos não estão imunes a algumas doenças que podem surgir com as mudança do tempo. Uma delas é a rinotraqueíte felina: se você tem um gato, já ouviu falar sobre ela por ser bem comum entre os bichanos. Mas, se você ainda não sabe muito sobre a doença, não se preocupe, pois o Patas da Casa vai te esclarecer as principais dúvidas sobre a doença. Para isso, conversamos com a veterinária Vivian Valério, do Rio de Janeiro!

    Ver Todas >

    Quais doenças de cachorro são mais comuns no inverno?
    Saúde animal

    Quais doenças de cachorro são mais comuns no inverno?

    Não são só os humanos que ficam mais propensos a ficar doentes no inverno. Algumas doenças de cachorro também são mais frequentes e intensas durante a época mais fria do ano. Isso acontece porque as defesas do organismo tendem a cair com as temperaturas mais baixas. Portanto, é importante manter seu cãozinho agasalhado e sempre com as vacinas em dia. Os problemas mais comuns são aquelas que acometem o sistema respiratório, mas cachorros com problemas nas articulações também sofrem.

    Pneumonia felina: entenda como a doença se manifesta nos gatos
    Saúde animal

    Pneumonia felina: entenda como a doença se manifesta nos gatos

    Assim como nos humanos, a pneumonia em gatos é uma doença bastante comum e pode surgir como uma consequência de gripes comuns. O problema ocorre quando há uma infecção no pulmão, e pode ter causas associadas a fatores externos ou internos. O tratamento precisa ser imediato, pois é uma doença que evolui rapidamente e pode até levar a óbito. O Patas da Casa reuniu informações essenciais para entender como a pneumonia felina se manifesta.

    Quais as doenças de gato mais perigosas?
    Saúde animal

    Quais as doenças de gato mais perigosas?

    É inevitável se preocupar com a saúde do gato, até porque nenhum tutor gosta de ver o próprio bichinho doente. E, às vezes, mesmo com todos os cuidados necessários, ainda corre o risco dos bichanos adoecerem inesperadamente. Mas quais são as doenças de gato consideradas mais graves e que precisam de maior atenção? A FIV e FeLV são bons exemplos disso, pois o diagnóstico positivo requer mudanças na rotina do pet. 

    Cachorro não quer comer? Veja os problemas de saúde mais relacionados com o sintoma
    Saúde animal

    Cachorro não quer comer? Veja os problemas de saúde mais relacionados com o sintoma

    A falta de apetite é um sintoma comum a muitas doenças que acometem os cães. É normal um tutor relatar "meu cachorro não quer comer", mas algumas vezes o cão apenas tem apetite seletivo ou o dia está muito quente. Porém, se a situação se estender e vier acompanhada de outros sintomas, pode significar uma infecção viral ou bacteriana, contaminação por parasita, problemas digestivos ou renais e até mesmo questões psicológicas. 

    Ver Todas >