close
Saúde

Botulismo em cães: saiba tudo sobre a doença

Atualizado · 18 de maio de 2021 · 10h10

Publicado · 14/05/2021 · 18h16

O botulismo canino é uma doença rara que atinge o sistema nervoso do cachorro
O botulismo canino é uma doença rara que atinge o sistema nervoso do cachorro

O botulismo canino é uma doença neurológica rara que pode comprometer bastante a saúde do cachorro. Os animais são infectados principalmente por meio da ingestão de carcaças em decomposição, comida deteriorada, carne crua ou lixos com restos de alimento. O sistema nervoso periférico é afetado e pode causar paralisia do neurônio motor inferior. O botulismo canino é um tipo muito grave de intoxicação alimentar em cães que, se não for tratada a tempo, pode levar o paciente à óbito. Para entender melhor como essa doença de cachorro se desenvolve e quais os riscos que ela oferece para o cachorro, preparamos uma matéria com tudo que você precisa saber sobre o assunto.

O que é botulismo em cães?

O botulismo em cachorro é causado pela toxina da bactéria Clostridium botulinum. Trata-se de um micro-organismo anaeróbio (não precisa de oxigênio para sobreviver), saprófito (se alimenta de matéria orgânica em decomposição) e que tem como habitat natural o solo, mas também pode ser encontrado em sedimentos marinhos. A bactéria produz sete tipos de toxina botulínica, nomeados de A a G. Nos humanos, os tipos A, B e E são os mais comuns. Já nos cachorros, o botulismo é causado pela toxina do tipo C.

Botulismo: cachorro contrai a doença por meio de alimentação

A toxina responsável pelo botulismo em cães pode estar presente em carcaças de animais em decomposição. Quando o cachorro se alimenta de uma carcaça contaminada, se infecta. Essa é a maneira mais comum de contrair o botulismo canino, mas o contágio também pode acontecer por meio da ingestão de carnes cruas e restos de alimentos contaminados. Essa é uma doença que pode afetar qualquer cachorro, independentemente de idade, raça ou sexo. Porém, é importante ter certa atenção, pois no caso de fêmeas grávidas, o botulismo pode provocar o aborto ou a má formação do feto, embora seja raro.

Botulismo em cães: de que forma a infecção age no corpo?

Para entender todo o processo de desenvolvimento do botulismo em cães, é necessário entender um pouquinho sobre a anatomia canina. Para começar, a toxina é absorvida pelo estômago e pelo intestino delgado. Depois, cai na corrente sanguínea e se distribui pelo corpo. Ela chega até as junções neuromusculares, que é a área de sinapse entre a terminação motora do neurônio e uma fibra muscular. É nessa comunicação entre nervo e músculo que as contrações musculares acontecem e é exatamente nesse local que a toxina do botulismo canino vai atuar.

A toxina se liga na membrana da junção neuromuscular por meio de endocitose e impede a liberação de acetilcolina. A acetilcolina é um neurotransmissor - ou seja, uma substância química produzida por neurônios que envia mensagens ao corpo todo - que está relacionada com a memória dos cachorros, aprendizado e movimento dos músculos.

Quando a substância do botulismo em cães entra em ação, ela impede que a acetilcolina seja liberada na junção entre neurônio e músculo, causando falha de comunicação. Como a acetilcolina não é liberada, o movimento de contração muscular não é feito, resultando em paralisia. Por se tratar de uma paralisia progressiva e ascendente, começa nos membros pélvicos e se expande para os membros torácicos. Pode chegar também aos nervos cranianos e espinhais.

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

É só preencher e começar!

Question Quiz Stamp

Depois do expediente de trabalho na sexta, o que você gosta de fazer?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seria o seu domingo perfeito?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como você fica em um dia de chuva?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como seria a viagem ideal nas férias?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como você costuma encontrar os amigos?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Qual o seu tipo de exercício favorito?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como é a sua rotina matinal?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como é a sua agenda no fim de semana?

Question Header Background

Schnauzer e Shih Tzu são raças mais independentes Golden Retriever e Yorkshire gostam de companhia Border Collie e Jack Russell Terrier são aventureiros
    A paralisia é uma das consequências do botulismo em cães
    A paralisia é uma das consequências do botulismo em cães

    Mais Lidas

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    A cinomose canina é uma das doenças de cachorro mais perigosas e sérias, principalmente porque pode afetar cães de todas as idades e raças e é altamente contagiosa. O que causa cinomose é um vírus da família Paramyxovirus, e quando o animal não é tratado da forma correta, a doença pode até ser fatal (não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele). 

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar
    Saúde animal

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar

    Encontrar sangue nas fezes do cachorro é um sinal de que algo está fora do normal. O cocô com sangue em cachorro é uma questão que deve ser sempre levada a sério. Há diversas razões para isso acontecer, desde um episódio momentâneo - mais simples de resolver - até doenças mais graves - como a gastroenterite hemorrágica ou câncer em cães. 

    Quais são os sintomas do botulismo em cachorro?

    O espaço de tempo entre a infecção e o aparecimento dos primeiros sintomas é de menos de seis dias. Em alguns casos, os sinais clínicos aparecem nas primeiras 24 horas. A gravidade de cada sintoma é variável, dependendo da quantidade de toxina ingerida pelo cão. Os sintomas mais comuns em um cachorro com botulismo são:

    • Paralisia muscular flácida: acontece porque a acetilcolina para de ser liberada, causando a falta de estímulo para o movimento de contração muscular.
    • Fraqueza e perda do tônus muscular: o tônus muscular é a tensão leve e permanente que um músculo tem mesmo parado. No botulismo, cachorro perde a força do tônus. A fraqueza extrema faz o cão ter dificuldade de ficar em pé. Por isso, permanece em decúbito - ou seja, deitado.
    • Megaesôfago: o esôfago é o órgão responsável por conduzir os alimentos ao estômago. O megaesôfago canino acontece quando há uma disfunção neuromotora que causa dilatação, dificultando os movimentos peristálticos. Com isso, o cachorro apresenta regurgitação. No botulismo, o megaesôfago é do tipo secundário. 
    • Fraqueza nos músculos da face, mandíbula e faringe: quando a paralisia afeta os nervos dessas regiões, suas musculaturas também são afetadas, causando salivação excessiva (sialorreia), dificuldade de engolir, dificuldade para comer e diminuição do reflexo da pálpebra.
    • Hiporreflexia: diminuição ou fraqueza dos reflexos.
    • Constipação e retenção de urina
    • Paralisia do diafragma: pode começar com uma paresia (diminuição do movimento) e evoluir para paralisia (ausência total do movimento). Essa é a consequência mais grave da doença. O diafragma é um dos músculos mais importantes no processo de respiração. Se ficar paralisado, acontece uma parada respiratória que pode levar à morte.
    No tratamento do botulismo, cachorro deve ficar em local acolchoado e ter a posição trocada regularmente
    No tratamento do botulismo, cachorro deve ficar em local acolchoado e ter a posição trocada regularmente

    Como é feito o diagnóstico do botulismo canino?

    É muito difícil diagnosticar o botulismo em cães. Como a doença não é transmitida pela bactéria em si, mas pela toxina, é mais complicado encontrá-la em uma amostra. O diagnóstico é feito principalmente por meio da análise dos sintomas e do histórico do animal de ingestão de carcaças, O botulismo canino é confirmado por meio de exames laboratoriais para encontrar a toxina no soro, fezes ou vômito, ou após a confirmação da existência de toxina no alimento ingerido. Caso a doença já tenha causado problemas como o megaesôfago canino e infecções urinárias ou respiratórias, é necessário buscar ajuda o quanto antes para realizar exames mais específicos, como radiografias.

    Botulismo em cães: tratamento de suporte é o mais adequado

    Depois que o diagnóstico é confirmado, muitos tutores logo se perguntam como tratar o botulismo em cães, mas a verdade é que não existe um tratamento específico para a doença. Geralmente, o mais indicado é realizar um tratamento de suporte para controlar os sintomas, o que ajuda o cachorro a se recuperar mais rapidamente.

    Caso a ingestão de toxina tenha sido recente, podem ser feitas lavagens gástricas como parte do tratamento. Se a doença estiver no início, também é possível administrar laxantes, que vão ajudar na remoção das toxinas que não foram absorvidas. Vale destacar ainda que o uso de antibióticos pode ser prescrito pelo médico veterinário, já que eles servem como remédio para botulismo em cães. Além disso, fazer compressão manual na bexiga é fundamental para ajudar na recuperação do animal.

    Cuidar do cãozinho que sofreu com o botulismo canino também é essencial nesse processo. Para começar, é extremamente importante que o cachorro que fica deitado por muito tempo esteja em um lugar acolchoado. Ele também precisa da troca de decúbito, ou seja, da troca de sua posição enquanto estiver deitado, para evitar uma infecção respiratória. Para ajudar na recuperação dos movimentos, a fisioterapia é muito indicada, e durante esse período o tutor deve auxiliar o paciente na alimentação. Vale lembrar que as terminações dos neurônios precisam se regenerar ao longo do tratamento e isso ocorre lentamente.

    O cão pode levar de uma a três semanas para se recuperar totalmente, se seguir direitinho o tratamento. Botulismo em cães não deixa sequelas, mas o cachorro não está imune. Portanto, evite deixar seu cão passear em locais que possam ter carcaças de animais e comer alimentos crus. 

    Redação: Maria Luísa Pimenta

    Coleira antipulgas também protege o cachorro da leishmaniose? Veja o comparativo!

    Próxima matéria

    Coleira antipulgas também protege o cachorro da leishmaniose? Veja o comparativo!

    Fox Terrier: características físicas, personalidade, cuidados e muito mais... saiba tudo sobre a raça
    Pequenos

    Fox Terrier: características físicas, personalidade, cuidados e muito mais... saiba tudo sobre a raça

    Os cães do grupo Terrier fazem sucesso por onde passam, e com o Fox Terrier não é diferente. Ele representa perfeitamente as raças de cachorro desse grupo: é animado, ativo, cheio de energia, habilidoso e, claro, incrivelmente fofo. Muitas pessoas chegam a confundi-lo com o Fox Paulistinha, uma raça de Terrier originária do Brasil que descende do cruzamento do Fox Terrier com outros cães. No entanto, esses dois doguinhos são bem diferentes entre si, especialmente no que diz respeito à pelagem e traços físicos.

    Saiba tudo sobre o gato Himalaia: origem, características, personalidade, cuidados e muito mais
    Raças

    Saiba tudo sobre o gato Himalaia: origem, características, personalidade, cuidados e muito mais

    O gato Himalaia é, sem dúvidas, uma das raças mais queridinhas e desejadas pelos amantes de felinos. Ele reúne em sua genética a mistura de outras duas raças que são muito populares: o gato Persa e o Siamês. Ou seja, é carisma e fofura em dose dupla! Além disso, esse gatinho tem uma personalidade super dócil e tranquila, sendo a companhia perfeita para quem sempre sonhou em ter um bichinho de estimação. Se esse é o seu caso, ou se você já tem um gato do Himalaia e quer conhecer tudo sobre ele, essa matéria vai te ajudar bastante. 

    Giárdia em cães: transmissão, sintomas, tratamento e prevenção... saiba tudo sobre a doença!
    Diarreia

    Giárdia em cães: transmissão, sintomas, tratamento e prevenção... saiba tudo sobre a doença!

    A giárdia em cães ou giardíase, como é conhecida a doença, é uma zoonose — ou seja: também pode ser transmitida para humanos — causada por um protozoário que age na corrente sanguínea do cachorro contaminado. A partir do contágio, a giárdia causa uma série de alterações gástricas no animal. Mesmo que tenha cura, a giárdia canina pode matar se não for devidamente tratada. Para esclarecer diferentes dúvidas, como contágio, tratamento e as diferentes formas de prevenção da doença, conversamos com o veterinário Thiago Félix, de Brasília. Dá uma olhada!

    Kelpie Australiano: saiba tudo sobre a raça de cachorro
    Raças

    Kelpie Australiano: saiba tudo sobre a raça de cachorro

    O que não faltam são raças de cachorro para a gente se apaixonar, e o Kelpie Australiano é só mais um doguinho dessa lista! De origem australiana, esse é um dos poucos cães que foram desenvolvidos no país - mas isso não foi um impedimento para logo depois conquistarem muitos fãs ao redor do mundo. Com um jeitinho bem amigável, brincalhão e inteligente, o Kelpie Australiano - também chamado de Australian Kelpie - tem tudo para ser uma companhia incrível para o seu dia a dia. 

    Ver Todas >

    Gato pega cinomose? Descubra a resposta!
    Saúde animal

    Gato pega cinomose? Descubra a resposta!

    Você já ouviu falar de cinomose em gatos? Muito se sabe sobre a cinomose em cães, doença altamente contagiosa e que traz diversas complicações à saúde do cachorro. Essa condição é temida por muitos tutores de cães, mas também tutores de gatinhos. Existe uma doença conhecida por “cinomose em gatos”, que parece ser exatamente igual à que atinge os cães. Porém, existem muitas dúvidas se esse termo é realmente o mais adequado para se referir a essa condição. Afinal, a cinomose pega em gato ou a doença acontece unicamente com cães? O Patas da Casa te explica tudo sobre a “cinomose em gatos”!

    Verme do coração: veterinário tira todas as dúvidas sobre a dirofilariose canina
    Saúde animal

    Verme do coração: veterinário tira todas as dúvidas sobre a dirofilariose canina

    Você já ouviu falar em doença do verme do coração? Se você é tutor de cachorro, é bom se preocupar com ela. A dirofilariose é uma doença muito perigosa, que pode afetar órgãos vitais dos cãezinhos e levá-los à morte. Diferente de outras doenças causadas por verminoses, o verme do coração é transmitido pela picada de mosquitos e, por isso, acaba sendo mais incidente no verão. Mas como identificar o verme no coração do cachorro? Dirofilariose tem cura? Como é feito o tratamento? E o mais importante: como manter o pet longe da doença? Descubra tudo sobre verme do coração em cães a seguir.

    Coleira antipulgas e carrapatos: tudo sobre o acessório de gato
    Saúde animal

    Coleira antipulgas e carrapatos: tudo sobre o acessório de gato

    Se você tem um bichinho de estimação, provavelmente já ouviu falar da coleira antipulgas para gatos. Essa é uma forma bem eficaz de proteger os pets contra pulgas, carrapatos e outros parasitas indesejados - e sim, é isso mesmo: quando se trata da coleira antipulgas, cachorro não é o único animal que pode se beneficiar. Embora a maioria dos felinos domésticos tenha menos chances de sofrer com infestações de parasitas, a coleira antipulga também pode ser usada pelos bichanos.

    Doença do carrapato é contagiosa?
    Saúde animal

    Doença do carrapato é contagiosa?

    A doença do carrapato é capaz de atacar todo o organismo do animal, o deixando frágil e debilitado. Por isso, é considerada uma das doenças mais graves que podem afetar um cão. Além da doença do carrapato em cachorro, existe a doença do carrapato em humanos, que causa sintomas parecidos e também é bastante grave. Entender a causa do problema é sempre a melhor maneira de evitar que ele apareça. Como o próprio nome sugere, a doença do carrapato é contagiosa por conta do aracnídeo. 

    Ver Todas >