Saúde

Botulismo em cães: saiba tudo sobre a doença

O botulismo canino é uma doença rara que atinge o sistema nervoso do cachorro
O botulismo canino é uma doença rara que atinge o sistema nervoso do cachorro

O botulismo canino é uma doença neurológica rara que pode comprometer bastante a saúde do cachorro. Os animais são infectados principalmente por meio da ingestão de carcaças em decomposição, comida deteriorada, carne crua ou lixos com restos de alimento. O sistema nervoso periférico é afetado e pode causar paralisia do neurônio motor inferior. O botulismo canino é um tipo muito grave de intoxicação alimentar em cães que, se não for tratada a tempo, pode levar o paciente à óbito. Para entender melhor como essa doença de cachorro se desenvolve e quais os riscos que ela oferece para o cachorro, preparamos uma matéria com tudo que você precisa saber sobre o assunto.

O que é botulismo em cães?

O botulismo em cachorro é causado pela toxina da bactéria Clostridium botulinum. Trata-se de um micro-organismo anaeróbio (não precisa de oxigênio para sobreviver), saprófito (se alimenta de matéria orgânica em decomposição) e que tem como habitat natural o solo, mas também pode ser encontrado em sedimentos marinhos. A bactéria produz sete tipos de toxina botulínica, nomeados de A a G. Nos humanos, os tipos A, B e E são os mais comuns. Já nos cachorros, o botulismo é causado pela toxina do tipo C.

Botulismo: cachorro contrai a doença por meio de alimentação

A toxina responsável pelo botulismo em cães pode estar presente em carcaças de animais em decomposição. Quando o cachorro se alimenta de uma carcaça contaminada, se infecta. Essa é a maneira mais comum de contrair o botulismo canino, mas o contágio também pode acontecer por meio da ingestão de carnes cruas e restos de alimentos contaminados. Essa é uma doença que pode afetar qualquer cachorro, independentemente de idade, raça ou sexo. Porém, é importante ter certa atenção, pois no caso de fêmeas grávidas, o botulismo pode provocar o aborto ou a má formação do feto, embora seja raro.

Botulismo em cães: de que forma a infecção age no corpo?

Para entender todo o processo de desenvolvimento do botulismo em cães, é necessário entender um pouquinho sobre a anatomia canina. Para começar, a toxina é absorvida pelo estômago e pelo intestino delgado. Depois, cai na corrente sanguínea e se distribui pelo corpo. Ela chega até as junções neuromusculares, que é a área de sinapse entre a terminação motora do neurônio e uma fibra muscular. É nessa comunicação entre nervo e músculo que as contrações musculares acontecem e é exatamente nesse local que a toxina do botulismo canino vai atuar.

A toxina se liga na membrana da junção neuromuscular por meio de endocitose e impede a liberação de acetilcolina. A acetilcolina é um neurotransmissor - ou seja, uma substância química produzida por neurônios que envia mensagens ao corpo todo - que está relacionada com a memória dos cachorros, aprendizado e movimento dos músculos.

Quando a substância do botulismo em cães entra em ação, ela impede que a acetilcolina seja liberada na junção entre neurônio e músculo, causando falha de comunicação. Como a acetilcolina não é liberada, o movimento de contração muscular não é feito, resultando em paralisia. Por se tratar de uma paralisia progressiva e ascendente, começa nos membros pélvicos e se expande para os membros torácicos. Pode chegar também aos nervos cranianos e espinhais.

Faça o quiz e descubra se você tem alergia a gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

Como você fica ao chegar na casa de um amigo que tem um gato?

O que acontece quando se aproxima de gatinhos na rua ou em feiras de adoção?

As crises alérgicas costumam acontecer:

O que acontece quando você fica perto de alguém que está com a roupa cheia de pelos de gato?

Como seu corpo reage ao entrar em contato com um filhotinho de gato na rua?

Quais são os seus sintomas mais comuns durante uma crise alérgica?

O que você faz para melhorar um quadro de alergia?

É bem provável que você tenha alergia a gatos e precise consultar um especialista As crises alérgicas fazem parte da sua rotina, mas será que é por causa dos gatos? Passe livre para ter um gatinho: você não tem alergia aos bichanos!
    A paralisia é uma das consequências do botulismo em cães
    A paralisia é uma das consequências do botulismo em cães

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    Quais são os sintomas do botulismo em cachorro?

    O espaço de tempo entre a infecção e o aparecimento dos primeiros sintomas é de menos de seis dias. Em alguns casos, os sinais clínicos aparecem nas primeiras 24 horas. A gravidade de cada sintoma é variável, dependendo da quantidade de toxina ingerida pelo cão. Os sintomas mais comuns em um cachorro com botulismo são:

    • Paralisia muscular flácida: acontece porque a acetilcolina para de ser liberada, causando a falta de estímulo para o movimento de contração muscular.
    • Fraqueza e perda do tônus muscular: o tônus muscular é a tensão leve e permanente que um músculo tem mesmo parado. No botulismo, cachorro perde a força do tônus. A fraqueza extrema faz o cão ter dificuldade de ficar em pé. Por isso, permanece em decúbito - ou seja, deitado.
    • Megaesôfago: o esôfago é o órgão responsável por conduzir os alimentos ao estômago. O megaesôfago canino acontece quando há uma disfunção neuromotora que causa dilatação, dificultando os movimentos peristálticos. Com isso, o cachorro apresenta regurgitação. No botulismo, o megaesôfago é do tipo secundário. 
    • Fraqueza nos músculos da face, mandíbula e faringe: quando a paralisia afeta os nervos dessas regiões, suas musculaturas também são afetadas, causando salivação excessiva (sialorreia), dificuldade de engolir, dificuldade para comer e diminuição do reflexo da pálpebra.
    • Hiporreflexia: diminuição ou fraqueza dos reflexos.
    • Constipação e retenção de urina
    • Paralisia do diafragma: pode começar com uma paresia (diminuição do movimento) e evoluir para paralisia (ausência total do movimento). Essa é a consequência mais grave da doença. O diafragma é um dos músculos mais importantes no processo de respiração. Se ficar paralisado, acontece uma parada respiratória que pode levar à morte.
    No tratamento do botulismo, cachorro deve ficar em local acolchoado e ter a posição trocada regularmente
    No tratamento do botulismo, cachorro deve ficar em local acolchoado e ter a posição trocada regularmente

    Como é feito o diagnóstico do botulismo canino?

    É muito difícil diagnosticar o botulismo em cães. Como a doença não é transmitida pela bactéria em si, mas pela toxina, é mais complicado encontrá-la em uma amostra. O diagnóstico é feito principalmente por meio da análise dos sintomas e do histórico do animal de ingestão de carcaças, O botulismo canino é confirmado por meio de exames laboratoriais para encontrar a toxina no soro, fezes ou vômito, ou após a confirmação da existência de toxina no alimento ingerido. Caso a doença já tenha causado problemas como o megaesôfago canino e infecções urinárias ou respiratórias, é necessário buscar ajuda o quanto antes para realizar exames mais específicos, como radiografias.

    Botulismo em cães: tratamento de suporte é o mais adequado

    Depois que o diagnóstico é confirmado, muitos tutores logo se perguntam como tratar o botulismo em cães, mas a verdade é que não existe um tratamento específico para a doença. Geralmente, o mais indicado é realizar um tratamento de suporte para controlar os sintomas, o que ajuda o cachorro a se recuperar mais rapidamente.

    Caso a ingestão de toxina tenha sido recente, podem ser feitas lavagens gástricas como parte do tratamento. Se a doença estiver no início, também é possível administrar laxantes, que vão ajudar na remoção das toxinas que não foram absorvidas. Vale destacar ainda que o uso de antibióticos pode ser prescrito pelo médico veterinário, já que eles servem como remédio para botulismo em cães. Além disso, fazer compressão manual na bexiga é fundamental para ajudar na recuperação do animal.

    Cuidar do cãozinho que sofreu com o botulismo canino também é essencial nesse processo. Para começar, é extremamente importante que o cachorro que fica deitado por muito tempo esteja em um lugar acolchoado. Ele também precisa da troca de decúbito, ou seja, da troca de sua posição enquanto estiver deitado, para evitar uma infecção respiratória. Para ajudar na recuperação dos movimentos, a fisioterapia é muito indicada, e durante esse período o tutor deve auxiliar o paciente na alimentação. Vale lembrar que as terminações dos neurônios precisam se regenerar ao longo do tratamento e isso ocorre lentamente.

    O cão pode levar de uma a três semanas para se recuperar totalmente, se seguir direitinho o tratamento. Botulismo em cães não deixa sequelas, mas o cachorro não está imune. Portanto, evite deixar seu cão passear em locais que possam ter carcaças de animais e comer alimentos crus. 

    Redação: Maria Luísa Pimenta

    Gatos braquicefálicos: como o problema se manifesta, quais os cuidados e raças que têm o focinho achatado

    Próxima matéria

    Gatos braquicefálicos: como o problema se manifesta, quais os cuidados e raças que têm o focinho achatado

    Fox Terrier: características físicas, personalidade, cuidados e muito mais... saiba tudo sobre a raça
    Pequenos

    Fox Terrier: características físicas, personalidade, cuidados e muito mais... saiba tudo sobre a raça

    Os cães do grupo Terrier fazem sucesso por onde passam, e com o Fox Terrier não é diferente. Ele representa perfeitamente as raças de cachorro desse grupo: é animado, ativo, cheio de energia, habilidoso e, claro, incrivelmente fofo. Muitas pessoas chegam a confundi-lo com o Fox Paulistinha, uma raça de Terrier originária do Brasil que descende do cruzamento do Fox Terrier com outros cães. No entanto, esses dois doguinhos são bem diferentes entre si, especialmente no que diz respeito à pelagem e traços físicos.

    Saiba tudo sobre o gato Himalaia: origem, características, personalidade, cuidados e muito mais
    Raças

    Saiba tudo sobre o gato Himalaia: origem, características, personalidade, cuidados e muito mais

    O gato Himalaia é, sem dúvidas, uma das raças mais queridinhas e desejadas pelos amantes de felinos. Ele reúne em sua genética a mistura de outras duas raças que são muito populares: o gato Persa e o Siamês. Ou seja, é carisma e fofura em dose dupla! Além disso, esse gatinho tem uma personalidade super dócil e tranquila, sendo a companhia perfeita para quem sempre sonhou em ter um bichinho de estimação. Se esse é o seu caso, ou se você já tem um gato do Himalaia e quer conhecer tudo sobre ele, essa matéria vai te ajudar bastante. 

    Giárdia em cães: transmissão, sintomas, tratamento e prevenção... saiba tudo sobre a doença!
    Diarreia

    Giárdia em cães: transmissão, sintomas, tratamento e prevenção... saiba tudo sobre a doença!

    A giárdia em cães ou giardíase, como é conhecida a doença, é uma zoonose — ou seja: também pode ser transmitida para humanos — causada por um protozoário que age na corrente sanguínea do cachorro contaminado. A partir do contágio, a giárdia causa uma série de alterações gástricas no animal. Mesmo que tenha cura, a giárdia canina pode matar se não for devidamente tratada. Para esclarecer diferentes dúvidas, como contágio, tratamento e as diferentes formas de prevenção da doença, conversamos com o veterinário Thiago Félix, de Brasília. Dá uma olhada!

    Saiba tudo sobre a raça Devon Rex: origem, personalidade, cuidados e muito mais
    Raças

    Saiba tudo sobre a raça Devon Rex: origem, personalidade, cuidados e muito mais

    Pensa em um gatinho brincalhão e cheio de energia: esse é o Devon Rex. Embora essa não seja uma das raças de gato mais populares entre os brasileiros, é praticamente impossível conhecer um Devon Rex e não se apaixonar por ele. Além de ser um grande companheiro, o comportamento do gato desta raça é bastante peculiar e muitas pessoas até chegam a comparar o bichano com um cachorro. Para conhecer mais a fundo este peludinho, é só dar uma olhada no guia que preparamos com tudo que você precisa saber sobre o Devon Rex Cat.

    Ver Todas >

    Cio de cadela: quanto tempo dura, quais as fases, quando começa e quando termina? Saiba tudo!
    Saúde animal

    Cio de cadela: quanto tempo dura, quais as fases, quando começa e quando termina? Saiba tudo!

    O cio de cachorro costuma ser um momento delicado tanto para o tutor quanto para a cadela. Com os hormônios aflorados, o comportamento da cadela no cio passa por mudanças - o que pode demandar alguns cuidados mais específicos para garantir o bem-estar do animal. Além disso, caso o tutor não tenha interesse na procriação, a atenção deve ser redobrada para evitar o cruzamento durante o cio da cadela.

    Coleira contra leishmaniose: como funciona?
    Saúde animal

    Coleira contra leishmaniose: como funciona?

    Você provavelmente já conhece a coleira antiparasitária, mas sabia que alguns modelos têm ação contra a leishmaniose? O acessório indicado para doença é usado para afastar parasitas e insetos como o mosquito-palha, que é o vetor da leishmaniose canina. A doença está entre uma das maiores preocupações dos pais de pet, uma vez que se trata de um quadro capaz de debilitar bastante o organismo do cãozinho, podendo até mesmo levar à morte. 

    5 formas de prevenir a infecção urinária em gatos
    Saúde animal

    5 formas de prevenir a infecção urinária em gatos

    A infecção urinária em gatos é uma das doenças mais comuns que podem atingir os felinos. Geralmente, a doença se desenvolve devido à baixa ingestão de água. Ela causa dor, desconforto e afeta órgãos fundamentais para o bom funcionamento do corpo do animal. A infecção urinária, apesar de atingir muitos bichanos, pode ser prevenida com cuidados especiais e muito simples.

    Acupuntura veterinária: entenda como a terapia é utilizada para melhorar a saúde e bem-estar dos cães
    Saúde animal

    Acupuntura veterinária: entenda como a terapia é utilizada para melhorar a saúde e bem-estar dos cães

    A acupuntura é uma especialidade médica muito conhecida no mundo dos humanos, mas você sabia que ela também pode ser muito benéfica para a saúde do cachorro? É isso mesmo: a acupuntura em cães pode ajudar os bichinhos de diversas formas, desde que seja aplicada por um profissional qualificado. Para entender um pouco melhor sobre a acupuntura veterinária, os benefícios e quando a terapia é indicada, o Patas da Casa conversou com a médica veterinária Ana Carolina Villela.

    Ver Todas >