Saúde

Antibiótico para gatos: quando é necessário?

Antibiótico para gatos: conheça mais sobre esse tipo de medicamento
Antibiótico para gatos: conheça mais sobre esse tipo de medicamento

O antibiótico para gatos é um medicamento que deve ser utilizado apenas com prescrição médica. Assim como acontece com a versão para humanos e cachorros, o efeito dele só é garantido depois que o tratamento é completamente finalizado. Mesmo que essa informação seja de senso comum, muita gente ainda tem dúvidas sobre o funcionamento dos antibióticos para gatos e em quais casos eles são realmente necessários. Para esclarecer algumas dúvidas, sobre esse tipo de remédio, nós conversamos com a Fernanda Pereira Risoli, médica veterinária do Grupo Vet Popular. Dá uma olhada! 

O antibiótico para gatos é receitado em casos específicos

Por ser um medicamento tão restrito e controlado — você não consegue comprar se não apresentar a receita do veterinário —, o antibiótico não costuma ser prescrito com frequência. Outra razão para isso acontecer é que o seu efeito é restrito a situações específicas. Olha só o que a Fernanda explicou: “Os antibióticos são prescritos quase em sua totalidade em processos infecciosos, com objetivo de tratamento para infecções internas e externas de origem bacteriana. Porém, eles também podem ser usados para evitar contaminações secundárias em inflamações/infecções de outra origem (o antibiótico para gato com ferida entra nesse caso, por exemplo). Ele também pode ser receitado após a realização de procedimentos cirúrgicos de tecidos moles e ortopédicos”.

Como o antibiótico para gatos age no corpo do animal?

Para saber por que é tão importante seguir o tratamento com antibiótico para gatos no seu animal tão à risca — mesmo quando os sinais de melhora começam a aparecer —, você precisa entender como o medicamento age no corpo do animal. “Os antibióticos são substâncias químicas produzidas por micro-organismos (fungos, bactérias, actinomicetos)”, conta Fernanda. Ela continua: “Essas substâncias são capazes de destruir ou impedir o crescimento dos micro-organismos causadores das doenças. Eles são divididos em duas classes:

  • Bactericidas, que são capazes de provocar a morte do agente infeccioso, independentemente do estado imunológico do organismo e, por isso, são indicadas com mais frequência; 

  • Bacteriostáticos, que não eliminam o agente que causa a doença, apenas o inibem, não permitindo a evolução do estado infeccioso. A eliminação do microrganismo depende da competência da defesa do organismo doente”.

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

Depois do expediente de trabalho na sexta, o que você gosta de fazer?

Como seria o seu domingo perfeito?

Como você fica em um dia de chuva?

Como seria a viagem ideal nas férias?

Como você costuma encontrar os amigos?

Qual o seu tipo de exercício favorito?

Como é a sua rotina matinal?

Como é a sua agenda no fim de semana?

Schnauzer e Shih Tzu são raças mais independentes Golden Retriever e Yorkshire gostam de companhia Border Collie e Jack Russell Terrier são aventureiros
    O antibiótico para gatos deve ser utilizado depois de prescrição médica
    O antibiótico para gatos deve ser utilizado depois de prescrição médica

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    Prevenir o uso de antibióticos para gatos é possível

    Mesmo que não aconteça em todos os casos, é importante ressaltar que a manutenção da saúde do seu animal por meio de uma carteira de vacinação sempre em dia é uma das formas de evitar o uso de antibióticos com frequência no seu amigo. Uma delas é a cinomose: o tratamento com antibiótico, nesse caso, age nas infecções secundárias causadas pela doença. "Por mais que apresentem alguma forma de manifestação das doenças incluídas na imunização, em pacientes vacinados elas tendem a acontecer de maneira branda, sem necessidade de tratamento prolongado ou invasivo na maioria dos casos*, conta Fernanda. 

    Conheça algumas doenças que costumam ser tratadas com o uso de antibiótico para gato

    Como as infecções causadas por bactérias podem acontecer em qualquer parte do corpo do animal, o mercado farmacêutico conta com uma grande variedade de antibióticos disponíveis. A prescrição, geralmente, leva em consideração os medicamentos que o animal já usou e seu estado de saúde no momento, já que não é comum que o mesmo antibiótico seja usado mais de uma vez. Ainda assim, Fernanda nos contou que existem áreas com uma predisposição maior ao tratamento com antibiótico: “doenças do trato urinário, gastrointestinal, respiratório, cutâneo e anexos tendem a ser tratadas com este tipo de medicamentos”. Além da cinomose, já citada acima, existem outras doenças comuns que costumam necessitar dos antibióticos:

    • Antibiótico para otite felina: assim como acontece com os cachorros, a otite felina é pode ser causada por uma série de razões incluindo a ação de bactérias. Por isso, o tratamento com antibiótico só deve ser iniciado com a indicação do veterinário, depois da confirmação das causas da doença; 

    • Gripe felina: antibiótico serve para combater a bordetella bronchiseptica, a clamydofila felis e a mycoplasma, as três bactérias que podem causar a doença. Assim como a otite, ela pode ter outras causas e o uso de antibióticos deve ser iniciado só depois da confirmação do diagnóstico; 

    • Antibiótico para doença do carrapato: a erliquiose felina é causada por uma bactéria e, assim como acontece com os cachorros, ataca e enfraquece o sistema imunológico do animal. Consequentemente, isso faz com que o gato contraia outras doenças: o antibiótico desacelera a ação da bactéria principal e facilita o processo de controle da doença. 

    Redação: Ariel Cristina Borges

    Quais são os cuidados com gatos renais crônicos?

    Próxima matéria

    Quais são os cuidados com gatos renais crônicos?

    Gato com heterocromia: entenda o fenômeno e os cuidados necessários com a saúde
    Saúde

    Gato com heterocromia: entenda o fenômeno e os cuidados necessários com a saúde

    Você já deve ter visto por aí gatinhos com um olho de cada cor, não é?! Essa característica, chamada de heterocromia, é uma condição genética que pode ocorrer tanto em gatinhos, quanto em cães e humanos. Mas você sabia, que em alguns casos, esse charminho no olhar dos felinos pode ocasionar alguns problemas de saúde? Conversamos com a veterinária Andrea Barbosa, que é docente do curso de Medicina Veterinária da Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo. Ela explicou tudo sobre gato com heterocromia!

    Gato Azul Russo: saiba tudo sobre a raça
    Raças

    Gato Azul Russo: saiba tudo sobre a raça

    Com uma pelagem cinza, o gato Azul Russo - também conhecido como Russian Blue - é dono de uma beleza inconfundível e capaz de conquistar facilmente o coração de qualquer pessoa com sua personalidade doce e calma. A raça é originária da Rússia e considerada bastante rara, mas ainda assim muitas pessoas ao redor do mundo se fascinam pelo Azul Russo e não hesitam em procurar um bichano para chamar de seu. 

    Reiki veterinário: como essa terapia holística pode ajudar os cães e gatos?
    Saúde

    Reiki veterinário: como essa terapia holística pode ajudar os cães e gatos?

    O reiki é uma terapia holística muito comum entre os humanos, mas você sabia que o seu pet também pode aproveitar os benefícios desse tratamento? O reiki veterinário é uma técnica de cura pelas mãos que busca alinhar os centros de energia do corpo - chamados de chakras -, promovendo o equilíbrio energético do corpo e melhorando a saúde física, mental e espiritual do animal. Que tal entender como o reiki pode ajudar na hora de cuidar de cachorro e até a melhorar o comportamento do gato? Vem que a gente te explica tudo que você precisa saber sobre o assunto!

    Cachorro e gato juntos: 8 truques para melhorar a convivência e 30 fotos para você se apaixonar!
    Adestramento

    Cachorro e gato juntos: 8 truques para melhorar a convivência e 30 fotos para você se apaixonar!

    Durante muito tempo, cachorro e gato foram declarados inimigos. Algumas pessoas acreditavam que onde havia um cão não poderia ter um gato e vice-versa. Se antes eles não tinham o hábito de conviver, hoje moram juntos e alguns até são inseparáveis. Mas atenção! Nem sempre os animais se entendem de primeira e o processo de adaptação requer tempo e paciência do tutor para que aprendam a respeitar a presença um do outro. Para você que tem um cãozinho e um gatinho e precisa de ajuda para adaptá-los, separamos oito truques para melhorar a convivência. O adestrador Max Pablo, do Rio de Janeiro, deu algumas dicas e também conversamos com a cat-sitter Nathane Ribeiro, que tem três gatos e já precisou adaptá-los com um cão. Veja o que eles disseram!

    Ver Todas >

    Icterícia em cães: entenda o que é o problema e os sinais mais comuns
    Saúde animal

    Icterícia em cães: entenda o que é o problema e os sinais mais comuns

    Se você nunca ouviu falar na icterícia em cães, chegou a hora de entender um pouco mais sobre o problema que, embora não seja uma doença, é um sinal clínico que pode indicar que a saúde do cachorro não vai muito bem. Mas então, como identificar a icterícia canina e quais são as principais causas associadas a esse sintoma?

    Quais são as doenças de cachorro mais comuns no verão e como evitá-las?
    Saúde animal

    Quais são as doenças de cachorro mais comuns no verão e como evitá-las?

    Com a chegada do verão, é necessário redobrar os cuidados com o cachorro e também com a sua saúde. Os peludos costumam aproveitar bastante essa época, já que os passeios e banhos de mar ou piscina são mais frequentes. No entanto, a mudança de rotina vem acompanhada de uma grande preocupação, que é a proliferação de certas doenças de cachorro que ocorrem nessa época. Otite canina, desidratação e até mesmo infestação de pulgas e carrapatos são problemas bastante comuns no verão. 

    Verme em cachorro filhote: veja os sinais mais comuns de que o cãozinho está sofrendo com verminoses
    Saúde animal

    Verme em cachorro filhote: veja os sinais mais comuns de que o cãozinho está sofrendo com verminoses

    Os filhotes de cachorro são muito mais propensos a sofrerem com verme. Além da contaminação facilmente ocorrer pela amamentação, os filhotes ainda estão desenvolvendo o sistema imunológico e diversas funções do organismo. É por isso que a primeira dose do vermífugo para cachorro filhote deve ser feita aos 30 dias de vida, com reforço mensal até os seis meses, para garantir a saúde do pet. 

    Otite canina: qual a diferença entre a inflamação interna, média e externa?
    Saúde animal

    Otite canina: qual a diferença entre a inflamação interna, média e externa?

    Ter um cãozinho é tudo de bom, mas além da parte divertida e do companheirismo que o animal nos oferece, é preciso ficar atento a alguns detalhes a respeito da saúde do cachorro. A otite canina é um problema bastante comum que pode afetar o ouvido dos cães e que costuma vir acompanhada de muita coceira e incômodo na região. Existem três tipos de inflamação, e cada um deles é associado a um diferente grau de gravidade. 

    Ver Todas >