O nome pode até parecer difícil, mas o verme Ancylostoma caninum é, na verdade, uma das principais causas da verminose em cães. Esses pequenos vermes costumam atingir filhotes de cachorro que ainda não foram vermifugados, mas também podem acometer cães adultos e até mesmo nós, humanos. A ancilostomíase (verminose provocada pelo Ancylostoma caninum) requer muita atenção, desde a sua transmissão até o tratamento da doença. Por isso, separamos as principais informações sobre este tipo de verminose em cachorro e tudo que você precisa saber sobre o assunto. Chega mais!

Ancylostoma caninum: transmissão ocorre por contato direto com as larvas

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

Os cães portadores do Ancylostoma caninum eliminam vários ovos desse mesmo parasita pelas fezes. No entanto, o perigo está no ciclo de vida do verme, já que o Ancylostoma caninum, depois de expelido, pode viver por vários meses em gramados e terras úmidas como pequenas larvas. Desta forma, cães que tenham contato com as fezes infectadas ou com essas áreas onde as larvas vivem podem acabar se infectando também.

Em alguns casos, também é possível que os filhotes de cachorro já nasçam infectados pelo Ancylostoma caninum. Esse tipo de transmissão geralmente acontece da mãe (que está infectada) para o seu filhote por meio da placenta ou até mesmo da amamentação.


Ancylostoma caninum : transmissão ocorre, geralmente, pelo contato do animal com gramas e terras úmidas infectadas
Ancylostoma caninum : transmissão ocorre, geralmente, pelo contato do animal com gramas e terras úmidas infectadas

Verminose em cachorro: 5 sinais para identificar o problema causado pelo Ancylostoma Caninum

A ancilostomose é uma doença que atinge principalmente o trato digestório do animal. Antes do verme chegar ao intestino, porém, os sintomas podem acabar passando despercebidos, causando apenas pequenas reações inflamatórias e, em alguns casos, tosse seca nos cães. Além disso, também é comum que os cachorros adultos apresentem um quadro de anemia causado por essa verminose canina.

Mas quando observamos que se trata de um problema agudo, o cachorro com verme pode desenvolver os seguintes sintomas:

- Cansaço;

- Vômito;

- Alterações no apetite;

- Diarreia;

- Queda de pelos;

Ancylostoma caninum: tratamento requer acompanhamento de veterinário

Se você suspeitar que seu cãozinho pode ter sido contaminado pelo verme Ancylostoma caninum, não deixe de consultar um médico veterinário. Ele provavelmente vai realizar uma série de exames para confirmar o diagnóstico e, então, indicará o melhor tratamento para o seu amigo de quatro patas. A forma mais comum de tratamento da doença é com medicamentos anti-helmínticos, mas ainda assim a automedicação nunca deve ser uma opção. É preciso seguir a risca as orientações médicas e as doses do remédio precisam ser prescritas pelo profissional para evitar qualquer transtorno, já que esse tipo de verminose canina pode levar o cãozinho a óbito se não for tratada corretamente. Além dessas medicações, o vermífugo para cachorro também é uma opção que deve ser considerada não apenas para auxiliar no tratamento da doença, como também como medida preventiva para que o pet não tenha mais problemas com esse tipo de verminose em cachorro.

Vermifugar seu cãozinho é a melhor forma de prevenir a verminose canina!

É muito difícil impedir que o seu cachorro tenha contato com o Ancylostoma caninum, já que esse verme é capaz de viver por meses alojado nos gramados e em terras úmidas. Portanto, a melhor forma de evitar que o animal seja contaminado é vermifugando o seu cãozinho regularmente e respeitando o intervalo entre as doses. Geralmente, o mais recomendado é que sejam oferecidas três doses de vermífugo para o cachorro por ano. Em caso de dúvidas e outras orientações, sempre procure um médico veterinário.

Redação: Juliana Melo