Vacina

Vacina para cachorro: imunizações não obrigatórias que podem prevenir doenças graves

A vacina para cachorro sempre vai ser a melhor forma de proteger e cuidar do seu amigo
A vacina para cachorro sempre vai ser a melhor forma de proteger e cuidar do seu amigo

Manter a carteira de vacinação do seu cãozinho em dia é uma das principais formas de evitar que ele pegue doenças sérias. Conversando com o veterinário, você vai descobrir que existem vários tipos de vacina para cachorro e que algumas delas, como a V8, a V10 e a vacina contra raiva são obrigatórias. Ainda assim, elas não são suficientes para proteger o seu animal de todas as condições de saúde graves que ele pode adquirir ao longo da vida. Por isso, é sempre bom saber quais são as outras opções de proteção para o seu amigo: dá uma olhada aqui embaixo e descubra quais são as vacinas não obrigatórias que podem garantir a qualidade de vida do animal! 

Vacina leishmaniose canina: previna a zoonose e garanta bem-estar para você e seu animal

Causada por um protozoário, a leishmaniose canina é uma zoonose, ou seja: pode ser transmitida para humanos e é tão perigosa no nosso organismo quanto é para os animais. A vacina é recomendada nas áreas de foco de proliferação do parasita e do mosquito palha, vetor da doença. Mesmo que você não more nessas regiões, pode conversar com o seu veterinário para analisar a possibilidade de imunizar o seu cachorro. Quando ele é filhote, a vacina pode ser aplicada a partir dos quatro meses de idade. Ela tem três doses e o intervalo entre cada uma delas deve ser de 21 dias. Em animais adultos, a vacina contra leishmaniose também pode ser aplicada, mas ele deve passar por exames para saber se não tem a doença antes disso.  

Descubra se você é um cachorro ou um gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

No fim de semana, você é o amigo que...?

As férias estão chegando! Vai viajar?

Chegou a hora de escolher a comida! Quem é você?

Que música você escolhe para arrasar no karaokê?

E sobre seus cuidados de beleza?

Vai ficar em casa com o mozão? Você prefere:

Ihhh, você recebeu uma crítica no trabalho… Como reage?

Você é um cachorro! Você é um gato! Você é um gatorro!
    Vacinas: cachorro fora do grupo de recomendação também pode receber as não obrigatórias
    Vacinas: cachorro fora do grupo de recomendação também pode receber as não obrigatórias

    Mais Lidas

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?
    Saúde animal

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?

    Encontrar o cachorro ofegante não é uma questão incomum na vida dos tutores. Normalmente, os peludos ficam mais cansados depois de um longo passeio ou brincadeiras, mas quando não houve nenhum estímulo é preciso ficar atento. Observe alguns sinais do cachorro ofegante: língua pra fora pode indicar calor ou cansaço, agora se o sintoma estiver acompanhado de tremores ou cachorro com dificuldade de respirar, o ideal é levá-lo imediatamente ao veterinário. Para saber como diferenciar e se há necessidade de buscar ajuda médica, nós conversamos com Ricardo Duarte, que é docente do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário FMU, de São Paulo.

    Vermífugo para cachorro: veterinária tira todas as dúvidas sobre o intervalo de uso do remédio
    Saúde animal

    Vermífugo para cachorro: veterinária tira todas as dúvidas sobre o intervalo de uso do remédio

    Você certamente já ouviu falar em vermífugo para cães. Mas sabe, exatamente, para que ele serve? Quem tem animal de estimação precisa estar atento a uma série de cuidados para manter a saúde do bichinho em dia - e usar esse remédio no período certo é uma dessas medidas indispensáveis para a proteção do pet. Como o nome já indica, o medicamento previne doenças causadas por vermes, como a Dirofilaria immitis, Toxocara canis e Giárdia sp.

    Vacina giárdia canina: com ela, você evita uma doença que pode ser bem desconfortável para o animal

    Um dos principais sintomas da giardíase, doença causada pela giárdia, é a diarreia com sangue. Mesmo que seja um sintoma simples de tratar, ela pode ser a porta de entrada para outras complicações. A giardíase é comum em locais com saneamento básico precário, já que a infecção acontece quando o animal ingere alguma coisa infectada pelo parasita. A vacina da giárdia canina não impede que ele pegue a doença, mas diminui a intensidade dos sintomas e a possibilidade de transmissão para o ambiente e outros animais. Deve ser aplicada em animais a partir de oito semanas de idade, com intervalo de 21 a 28 dias entre as duas primeiras doses e reforço anual.

    Vacina gripe canina: sintomas parecidos com o dos humanos podem ser evitados com a imunização

    Gripe canina, tosse dos canis ou traqueobronquite canina: nomes diferentes para a mesma doença infecciosa que pode ser prevenida com a vacinação. Causada pela bactéria Bordetella bronchiseptica, a gripe canina tem sintomas parecidos com a dos humanos, como febre, letargia, coriza, falta de apetite etc. Esses mesmos sintomas também podem ser sinais da parainfluenza canina, doença parecida, mas transmitida por vírus (como o nosso resfriado). O ponto positivo disso tudo é que a vacina da gripe canina atenua a intensidade de todas essas doenças. Mesmo que o animal seja infectado, não vai sofrer tanto e vai ter o tratamento mais simples. Recomendada para animais que convivem regularmente com uma grande quantidade de outros cachorros, ela deve ser aplicada a partir das oito semanas de idade, com intervalo de duas a quatro semanas entre as duas primeiras doses e reforço anual. 

    Redação: Ariel Cristina Borges

    Conheça algumas vacinas para gatos não obrigatórias

    Próxima matéria

    Conheça algumas vacinas para gatos não obrigatórias

    As 5 doenças de gato mais graves que podem atingir os felinos
    Saúde

    As 5 doenças de gato mais graves que podem atingir os felinos

    Ter um bichinho em casa vai muito além dos momentos de diversão e das trocas de carinho com o seu amigo de quatro patas. Por isso, cuidar de um gatinho também significa saber identificar quando há algo de errado com a saúde dos felinos. Dentre as doenças mais comuns - e graves - que podem afetar o bichano, estão a FIV, FeLV e a PIF felina. Além delas, a clamidiose e a insuficiência renal em gatos também precisam de atenção, já que podem trazer graves consequências se não forem tratadas ou devidamente controladas. Mas não precisa se desesperar: o Patas da Casa reuniu as principais informações sobre cada uma dessas doenças de gatos domésticos para que os tutores fiquem bem atentos. Chega mais!

    Dogo Argentino: tudo o que você precisa saber sobre essa raça de cachorro grande
    Grandes

    Dogo Argentino: tudo o que você precisa saber sobre essa raça de cachorro grande

    Você já ouviu falar no Dogo Argentino? Essa é uma raça de cachorro que teve origem em um país vizinho ao nosso, a Argentina. Embora pareçam sérios, os cães desta raça são uns amores e têm tudo para te conquistar, principalmente se o que você procura é um amigo de quatro patas bem leal e parceiro. Mas antes de comprar ou adotar um cachorro desta raça, que tal conhecê-lo um pouco mais a fundo? 

    Esporotricose em gatos: conheça mais sobre essa doença grave que pode atingir os felinos
    Saúde

    Esporotricose em gatos: conheça mais sobre essa doença grave que pode atingir os felinos

    A esporotricose em gatos é uma das doenças mais graves que pode atingir os felinos. Isso porque ela evolui muito rápido para a fase disseminada, causando sérios riscos à vida do gatinho. Provocada por um fungo presente em vegetações, a “micose” apresenta feridas bem características na pele do felino, sendo esse um dos principais sintomas da doença. Apesar da complexidade da infecção, o tratamento correto é capaz de curar essa doença de gato. Esporotricose também pode ser prevenida com alguns cuidados específicos no dia a dia do seu felino. Para saber mais sobre a doença, nós conversamos com o médico veterinário Frederico Lima, do Rio de Janeiro.

    Leishmaniose canina: o que é, sintomas, tratamento, vacina e formas de prevenção da doença
    Saúde

    Leishmaniose canina: o que é, sintomas, tratamento, vacina e formas de prevenção da doença

    A leishmaniose canina é uma doença causada por um protozoário chamado Leishmania. Mesmo que seja comum em animais, a leishmaniose também pode ser transmitida para humanos e, nos dois casos, pode debilitar o organismo o suficiente para ser fatal. Para falar mais sobre a doença e esclarecer dúvidas sobre o contágio, remédios, prevenção e tratamento para leishmaniose canina, nós conversamos com Priscila Larrussa, veterinária do grupo Vet Popular.

    Ver Todas >

    Secreção no pênis do cachorro é normal? Quando deve ser motivo de preocupação?
    Saúde animal

    Secreção no pênis do cachorro é normal? Quando deve ser motivo de preocupação?

    Não é muito difícil perceber quando algo está errado com a saúde do cachorro. Geralmente, o próprio cão dá indícios disso, ainda mais se for na região genital: ele tende a lamber essa área de forma exagerada, mostrando que tem alguma coisa o está incomodando. Mas além disso, também é possível perceber que, em alguns casos, o cachorro libera uma secreção pelo pênis, o que costuma preocupar bastante os tutores. Será que essa é uma situação normal ou pode ser indicativo de doença? 

    A cor do xixi de cachorro pode indicar alguma doença no trato urinário? Entenda!
    Saúde animal

    A cor do xixi de cachorro pode indicar alguma doença no trato urinário? Entenda!

    Quando o assunto é um cachorro fazendo xixi, é normal que uma das maiores preocupações do tutor seja com o animal fazendo suas necessidades no lugar certo. Mas outro fator que também merece a atenção dos humanos é quanto ao aspecto da urina dos cães. A cor do xixi do cachorro é capaz de indicar vários problemas de saúde no seu amigo de quatro patas e, por isso, é importante conseguir identificar quando o líquido está saudável ou não. 

    Compensa contratar um plano de saúde para cachorro sem internação?
    Saúde animal

    Compensa contratar um plano de saúde para cachorro sem internação?

    Cuidar da saúde do cachorro é dever de todo tutor. Mas, é comum alguns gastos inesperados com veterinário podem surgirem no meio do caminho. Justamente por isso, algumas empresas passaram a ofertar plano de saúde para cachorro com um preço fixo e mensal. Com o serviço, é possível garantir que o seu cãozinho terá acesso a uma série de benefícios veterinários dentro da rede credenciada. 

    PIF felina: 5 efeitos da doença nos gatos infectados
    Saúde animal

    PIF felina: 5 efeitos da doença nos gatos infectados

    Uma das doenças mais graves que pode atingir os gatos é a Peritonite Infecciosa Felina (PIF). Embora não tenha cura e nem um tratamento específico, o diagnóstico precoce é fundamental para controlar os sinais clínicos do problema e, consequentemente, melhorar a qualidade de vida do gatinho doente. Por isso, é importante ficar atento quanto aos efeitos da PIF felina para buscar o auxílio de um médico veterinário caso haja qualquer suspeita da doença.

    Ver Todas >