Histórias reais

Transfusão de sangue em cães: como é o procedimento, como doar e em quais casos é recomendado?

A transfusão de sangue em cães é um procedimento que pode salvar vidas
A transfusão de sangue em cães é um procedimento que pode salvar vidas

Você já ouviu falar sobre transfusão de sangue em cães? Nós estamos tão acostumados a ver campanhas de doação de sangue humano, que às vezes esquecemos que os cãezinhos também podem precisar desse recurso vital. Apesar dos bancos de sangue veterinários não serem tão comuns com os de pessoas, eles existem – principalmente nos grandes centros urbanos – e ajudam a salvar muitas vidas.

A transfusão de sangue em cachorro pode ser necessária por uma série de razões. Além de fatalidades que podem levar à hemorragia, como cortes profundos e atropelamentos, algumas doenças (como a anemia severa) tem a doação de sangue animal como uma das principais formas de tratamento.

Para falar sobre esse assunto tão importante, conversamos com a veterinária Marcela Machado, do Serviço de Saúde Pública Animal de Rio das Ostras (RJ). No fim da matéria, conheça a história incrível do João Espiga, um Boxer corajoso que virou doador frequente de sangue após um acontecimento triste da sua vida.

Transfusão de sangue: cachorro pode precisar bolsas sanguíneas em quais situações?

Além dos traumas, há casos em que a transfusão de sangue em cachorro com anemia – entre outras condições médicas – é indispensável para restabelecer a saúde do animal. “Basicamente, a transfusão de sangue em cães é necessária quando o animal apresenta um quadro de anemia grave ou como suporte para alguma cirurgia onde há grande perda de sangue. A anemia em cachorros pode ocorrer por vários fatores, como doenças infecciosas ou hemorragias devido a traumas. Entre os distúrbios que causam anemia em cães estão a doença do carrapato, a insuficiência renal e as verminoses severas”, explica a veterinária Marcela Machado.

Há outras particularidades que envolvem a anemia e a transfusão de sangue em cães?

Em alguns casos, a alimentação de cachorro pode levar um cão a precisar de uma doação de sangue. “A questão nutricional também pode trazer anemia e fazer com que o cão necessite da transfusão de sangue. Se o animal não tem uma alimentação balanceada, ele pode desenvolver a chamada anemia ferropriva, causada pela deficiência de ferro no sangue, que afeta a produção de hemácias”, alerta a veterinária.

“Há algumas doenças autoimunes também, como a anemia hemolítica, que ataca as hemácias do próprio organismo do animal. No caso de anemia mais severa, quando não há tempo para o corpo produzir mais hemácias a tempo de se recuperar fisiologicamente, a transfusão é fundamental para salvar a vida do cão”, completa Marcela.

Há riscos de transfusão de sangue em cães?

Antes da transfusão, são realizados diversos testes e análises no sangue. Mesmo assim, algumas manifestações clínicas podem acontecer, após ou durante o procedimento. O cão pode apresentar, por exemplo, taquicardia. febre, dispneia, hipotensão, tremores, salivação, convulsão e fraqueza.

Há tipos sanguíneos e compatibilidade entre cães como acontece na transfusão de sangue humana?
Assim como o nosso sangue tem tipagens diferentes, o dos cães também, como explica a veterinária: “há diversos tipos sanguíneos, mas são mais complexos. São sete variedades e subvariedades principais que compõe o sistema DEA (sigla em inglês para “Dog Eritrocyte Antigen”, ou “Antígeno Eritrocitário Canino”, em português). São elas: DEA 1 (dividido nos subtipos DEA 1.1, 1.2 e 1.3), DEA 3, DEA 4, DEA 5 e DEA 7”.
Na primeira transfusão, um cão doente ou acidentado pode receber o sangue de qualquer outro cachorro saudável. No entanto, a partir das próximas, algumas reações podem surgir e o pet só poderá receber um sangue compatível com o seu.

Como é realizado o procedimento da doação de sangue?

Para que um cão receba a transfusão de sangue, é preciso que outros cachorros e seus tutores solidários se disponibilizem para doar. Da mesma maneira que acontece com os humanos, o procedimento é simples, rápido e indolor. “A transfusão é feita de maneira muito parecida com a medicina humana. Um cão doador saudável tem o seu sangue coletado e armazenado em uma bolsa de sangue que, depois, é transfundida no cão receptor. O procedimento, tanto o de coleta como o de transfusão, deve ser sempre realizado por um profissional de saúde animal”, conta a médica veterinária.

Como um cachorro pode se tornar um doador de sangue? Quais são os critérios?

  • Ter entre um e oito anos de idade;
  • Pesar mais de 25 quilos;
  • Estar protegido contra ectoparasitas;
  • Ser saudável, com o estado de saúde comprovado por exames;
  • Estar com a vacinação e vermifugação para cachorro em dia;
  • Não estar prenha ou no cio, no caso das fêmeas;
  • Respeitar o intervalo entre as doações de três meses;
  • Não ter realizado transfusão prévia ou cirurgias nos 30 dias antes da doação;
  • Ter temperamento dócil para que o procedimento possa ser feito com tranquilidade pelo veterinário e não cause estresse ao animal.

Há bancos de sangue pet disponíveis para levar um cãozinho para ser um doador?

Os bancos de sangue animal, especificamente os de cães existem, mas são muito escassos se compararmos com os bancos de sangue humano. Porém, as transfusões podem ser realizadas em hospitais e clínicas veterinárias equipadas para realizar o procedimento.

Descubra se você é um cachorro ou um gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

No fim de semana, você é o amigo que...?

As férias estão chegando! Vai viajar?

Chegou a hora de escolher a comida! Quem é você?

Que música você escolhe para arrasar no karaokê?

E sobre seus cuidados de beleza?

Vai ficar em casa com o mozão? Você prefere:

Ihhh, você recebeu uma crítica no trabalho… Como reage?

Você é um cachorro! Você é um gato! Você é um gatorro!
    O João Espiga é doador de sangue frequente e até já se acostumou
    O João Espiga é doador de sangue frequente e até já se acostumou

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?
    Saúde animal

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?

    Encontrar o cachorro ofegante não é uma questão incomum na vida dos tutores. Normalmente, os peludos ficam mais cansados depois de um longo passeio ou brincadeiras, mas quando não houve nenhum estímulo é preciso ficar atento. Observe alguns sinais do cachorro ofegante: língua pra fora pode indicar calor ou cansaço, agora se o sintoma estiver acompanhado de tremores ou cachorro com dificuldade de respirar, o ideal é levá-lo imediatamente ao veterinário. Para saber como diferenciar e se há necessidade de buscar ajuda médica, nós conversamos com Ricardo Duarte, que é docente do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário FMU, de São Paulo.

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    Doação de sangue: cachorro João Espiga é um doador frequente

    João Espiga, um Boxer muito espirituoso de seis anos de idade, tem como tutor o jornalista Paulo Nader. Ao enfrentar a dificuldade de conseguir sangue quando uma de suas cadelas adoeceu, Paulo tornou o seu cachorro um doador de sangue frequente. Mas quem vai nos contar essa história em primeira pessoa, ou melhor, em “primeiro cachorro” é o próprio João Espiga – com a ajuda de seu pai humano para digitar, claro!

    "SOU HERÓI PORQUE DOU O MEU SANGUE PARA OS AUMIGOS"

    Eu me chamo João Espiga. Acho que meu tutor escolheu esse nome porque ele amava o seu primeiro cão Boxer, o saudoso Sabugo que viveu 13 anos, um mês e um dia. Nasci na Fazenda Bela Vista, um cantinho em Nova Friburgo (RJ), onde moro até hoje. Adoro esse lugar.

    Tenho seis anos e brinco o dia todo. Claro, durmo dentro de casa e, de preferência, na cama do meu dono. Não abro mão de receber três refeições diárias e alguns petiscos. Por isso, sou forte igual ao meu pai! Sou neto do Barão e da Maria Sol e filho do João Bolota e da Maria Pipoca, e ainda tenho um irmão chamado Don Conan.

    Mas acho que você quer saber é porque me chamam de "herói". Essa é uma longa história, que vou tentar resumir em poucas palavras: tudo começou numa virada de ano quando descobrimos que a minha mãe, a Maria Pipoca, tinha uma doença grave nos rins.

    Foi uma luta de nove meses para tentar salvá-la. Ela frequentou as melhores veterinárias de Friburgo e do Rio de Janeiro e teve a assistência dos melhores especialistas. Ela lutou, todos lutamos, mas não teve jeito. Ela foi embora muito nova, com apenas quatro anos e meio.

    Foi nessa luta dramática que descobrimos a importância de doar sangue, assim como fazem os humanos de bom coração. Vocês não imaginam quantas vezes minha mãe, muito debilitada, precisou de sangue. Muitas vezes. Durante as emergências, compramos várias sacolas de sangue (sempre muito caras) e assim, eu, meu pai e meu irmão acabamos nos tornando doadores. Todo cão saudável pode ser (consulte seu veterinário). Ali descobri como é importante ajudar o próximo – e isso virou hábito desde então; faço questão de doar sangue duas vezes por ano para os “aumigos”.

    Não dói nada e ainda dou um passeio de carro até a veterinária. Sou sempre recompensado com um petisco e ganho elogios pela minha coragem. Sou igual ao meu pai, um bom cachorro. Nas redes sociais nossas doações fazem muito sucesso. É importante dizer que não cobro nada e faço por prazer.

    Além de ter aprendido muito com o drama da minha mãe, fiz questão de fazer uma pesquisa na internet sobre a importância da doação: sangue salva vidas! E já salvamos várias vidas de “aumigos”! Sem falsa modéstia, adoro a minha fama de cão herói!

    Como tornar o seu cão um doador de sangue

    Para o cachorro doar sangue, é necessário que ele cumpra todos os critérios de doação, como idade, peso e boas condições de saúde. Procure saber se a sua cidade tem um hemocentro veterinário ou outro local especializado para coletar e armazenar bolsas de sangue. Caso não encontre, fale com um profissional de saúde animal sobre a sua disponibilidade para cadastrar o seu pet como doador em potencial.

    Além de ajudar a salvar a vida de três ou quatro cães, o animal que doa sangue recebe um check-up período gratuito, incluindo hemograma completo, teste de função renal, exames de leishmaniose canina, dirofilariose, Lyme, ehrlichia canina (doença do carrapato) e brucelose.

    Redação: Guilherme Segal

    Quais doenças os filhotes de gato têm mais chances de contrair?

    Próxima matéria

    Quais doenças os filhotes de gato têm mais chances de contrair?

    Ração light para cães: em quais casos ela é recomendada? Qual a diferença da ração tradicional?
    Ração

    Ração light para cães: em quais casos ela é recomendada? Qual a diferença da ração tradicional?

    A Alimentação do cachorro requer um cuidado muito especial na rotina do seu pet. Dentre os diferentes tipos de ração de cachorro que existem, a ração light para cães se destaca como uma alternativa para animais que estão na faixa do peso ideal ou com um leve sobrepeso. No entanto, é importante ter em mente que ela é um tipo de ração diferente da ração diet para cães. Entenda!

    Vitamina para cachorro: veterinária explica em quais situações os suplementos são recomendados!
    Alimentação

    Vitamina para cachorro: veterinária explica em quais situações os suplementos são recomendados!

    Quando falamos da alimentação dos nossos peludos, sempre surge aquela preocupação em relação aos nutrientes. A ração é suficiente para que se mantenham fortes e saudáveis ou é necessário inserir uma vitamina para cachorro nessa rotina? A verdade é que depende de muitos fatores e um deles é o estado geral da saúde e a idade do animal. A escolha de uma ração de qualidade é determinante para oferecer todos os nutrientes que ele precisa. Cães filhotes, idosos e cadelas prenhas, por outro lado, podem acabar precisando de um suplemento vitamínico. Para entender melhor em quais situações a vitamina para cachorro é recomendada, conversamos com a Caroline Mouco Moretti, médica veterinária e diretora clínica do Grupo Vet Popular. Veja o que a especialista falou!

    Dois cães em casa: o cachorro mais novo aprende alguns comportamentos com o cão mais velho?
    Adoção

    Dois cães em casa: o cachorro mais novo aprende alguns comportamentos com o cão mais velho?

    A chegada de um novo cachorro é motivo de muita alegria e, ao mesmo tempo, de observar o comportamento dos animais que já moram na casa. Adotar cachorro filhote é sempre uma experiência inusitada, pois os pequenos não têm vícios de comportamento e são quase uma “caixinha de surpresas”: nunca sabemos qual postura ele vai assumir conforme for crescendo. É comum, porém, que o recém-chegado comece a imitar o cão que já mora no local. Afinal, esse novo membro precisa entender que ali, naquela família, existem regras. O veterano da casa já sabe disso e pode auxiliar o novo filhote a se comportar do jeito que a família deseja.

    Lacinho para cachorro: como colocar, como usar em cães de pelo curto e um passo a passo para fazer em casa
    Cuidados

    Lacinho para cachorro: como colocar, como usar em cães de pelo curto e um passo a passo para fazer em casa

    Atire a primeira pedra quem nunca se apaixonou ao ver um cachorro com lacinho! O acessório que é bastante utilizado em cães com pelo curto, como Shih tzu, Maltês e Yorkshire, é sucesso nos pet-shops e pode deixar o seu amigo ainda mais fofo. Em diferentes tamanhos e modelos, o item também pode ajudar a manter os pelos longe dos olhos do seu amigo, evitando irritações e coceiras. Mas, independente da finalidade do lacinho de cachorro, é importante tomar alguns cuidados ao utilizá-lo para que o enfeite não se torne um problema para o seu pet. Pensando nisso, o Patas da Casa reuniu tudo o que você precisa saber sobre o acessório. Dá uma olhada!

    Ver Todas >

    10 mitos e verdades sobre a Leishmaniose canina!
    Saúde animal

    10 mitos e verdades sobre a Leishmaniose canina!

    A leishmaniose canina pode trazer sérios problemas para a saúde do animal. A doença é classificada como uma zoonose (ou seja, seres humanos também podem contraí-la) e os cães domésticos são os principais hospedeiros. A transmissão ocorre pela picada do mosquito-palha infectado com o protozoário Leishmania infantum chagasi. A prevenção é muito importante, já que a doença pode levar humanos e cachorros à morte ou causar sérias sequelas. 

    Como identificar um gato desidratado?
    Saúde animal

    Como identificar um gato desidratado?

    Embora não apreciem muito esse hábito, beber água é fundamental para a saúde do gato. Os tutores devem ter bastante atenção na rotina dos bichanos: eles precisam de uma quantidade adequada de líquidos para não desenvolverem complicações no sistema urinário que podem levar à falência dos rins. A curto prazo, um gato desidratado, normalmente em decorrência de algum outro problema de saúde, precisa receber bastante atenção para não chegar a um estado mais grave. 

    Pente para pulga de cachorro funciona? Conheça o acessório!
    Saúde animal

    Pente para pulga de cachorro funciona? Conheça o acessório!

    Manter o seu cachorrinho livre de pulgas pode não ser uma tarefa muito fácil, mas é essencial para saúde e bem-estar dele. As pulgas em cachorro podem não só causar coceira no animal, como também transmitir bactérias e verminoses, além de provocar dermatites. O pente para pulga é um acessório de uso prático para o tutor , confortável para os animais e até mais sustentável

    5 fatos sobre a diabetes em cães que precisam da sua atenção
    Saúde animal

    5 fatos sobre a diabetes em cães que precisam da sua atenção

    A diabetes em cachorro é um quadro delicado e que precisa de atenção e muito cuidado. A doença se desenvolve a partir de alterações nos níveis de produção de insulina pelo corpo do animal, com apresentações diferentes de acordo com o tipo de diabetes. Apesar de ser muito parecida com a ação em humanos, a diabetes em cães causa muitas dúvidas nos tutores, que podem acabar caindo em alguns mitos sobre a doença. Quanto antes o tratamento for iniciado, porém, mais chances o cachorro tem de conseguir viver com a doença, sem afetar tanto a sua qualidade de vida. Para te ajudar com isso, reunimos 5 fatos sobre a diabetes canina para sanar todas as suas incertezas sobre a doença. Confira abaixo!

    Ver Todas >