A pancreatite em cães é uma doença que atinge o pâncreas, órgão localizado atrás do estômago tanto de humanos, quanto de cachorros. A pancreatite canina é diagnosticada quando há uma inflamação e, consequentemente, o inchaço do pâncreas do animal. A boa notícia é que a pancreatite em cachorro tem tratamento e cura, sem falar nos cuidados simples que podem ser tomados para evitar a enfermidade. Reunimos algumas informações sobre a pancreatite e contamos quais as principais causas desta doença para você prevenir e cuidar melhor do seu pet. Confira!

Sintomas de Pancreatite em cachorro

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

O pâncreas é um órgão diretamente envolvido no processo digestivo canino. Quando ocorre a pancreatite em cães, além de vômitos e diarreias, outros sintomas de pancreatite em cães são fraqueza e emagrecimento, resultados da apatia e falta de apetite comuns nesse quadro, além de febre e fortes dores abdominais. Em casos extremamente graves, o cão pode ter até dificuldades para respirar.

Mas afinal, o que é essa doença? A pancreatite canina é uma grave inflamação no pâncreas do cachorro, órgão responsável pela produção de enzimas, como a amilase e a lipase, que são fundamentais para a digestão. Durante um quadro de pancreatite, a produção dessas enzimas é prejudicada, o que causa um desequilíbrio no processo digestivo e o aparecimento dos sintomas. Agora vamos entender as causas dessa doença.


Pancreatite canina é resultado de má alimentação ou problemas hormonais
Pancreatite canina é resultado de má alimentação ou problemas hormonais

1. Pancreatite: cães com má alimentação têm maiores chances de desenvolver a doença

Uma alimentação desregulada, onde não é servida uma ração de qualidade e falta atenção com a quantidade de consumo diário, pode ser um fator que desencadeia a doença. Comer demais e ainda consumir muita gordura pede que o pâncreas trabalhe mais do que ele consegue, causando a inflamação. Por isso, essa se torna uma das doenças mais comuns que atingem o sistema digestivo do cachorro, ao lado da gastrite e colite canina. E não pense que ela é exclusiva dos cães: ela também afeta os humanos e há muitos casos de pancreatite em gatos, onde os sintomas são parecidos.

2. Diabetes também pode favorecer pancreatite canina

O pâncreas também tem papel fundamental na produção de insulina, fazendo a manutenção da quantidade de glicose que entra no sangue. Com a inflamação, essa produção é desregulada. Por esse motivo, o cão com diabetes é propenso a desenvolver pancreatite. Se o seu pet é diabético, é recomendado redobrar os cuidados. A diabetes em si já causa muito desconforto e somada a pancreatite pode ser muito pior.

3. Distúrbios hormonais são outras causas da pancreatite canina

A insulina e o glucagon são dois hormônios que atuam em conjunto: enquanto a insulina é um hormônio anabólico, o glucagon atua como um contrarregulador da insulina. Ou seja, qualquer mudança hormonal, principalmente nestes dois, leva à pancreatite. As disfunções hormonais são condições sérias e um cachorro que sofre de muita sede ou sofre do “efeito sanfona”, ganhando e perdendo muito peso em um curto período de tempo, pode estar com alguma condição hormonal. A mais comum entre os cães é o Hiperadrenocorticismo - doença que exagera a liberação de um hormônio chamado cortisol.

4. Um cachorro obeso pode ter pancreatite canina

E os motivos são os mesmos de uma má alimentação do cachorro: exigir que o pâncreas trabalhe mais do que o habitual, gerando inflamação. Um cachorro obeso têm inúmeros problemas que vão desde dificuldades para respirar a problemas nas articulações. 

5. Pancreatite canina também está ligada ao hipotireoidismo

O hipotireoidismo é uma doença hormonal que tem como característica a falta de produção dos hormônios chamados tireóideos. Um cachorro com problemas na tireoide ou outra enfermidade relacionada a este hormônio, como o hipotireoidismo, pode ter pancreatite. O motivo é que essa é outra disfunção hormonal canina que afeta o pâncreas do cachorro. 

Como é a recuperação do cachorro com pancreatite?

Não existe remédio caseiro para pancreatite em cachorro e o tratamento é feito exclusivamente com cuidados administrados por um médico veterinário após o diagnóstico. O tratamento é contínuo, pedindo a internação do cachorro: o veterinário vai observar o cão enquanto administra antibióticos e analgésicos feitos para amenizar a inflamação.

O tempo de recuperação do cachorro com pancreatite vai depender da gravidade do caso. Em casos mais leves ou quando a inflamação está apenas começando, é possível que o cão tenha alta em dois dias. Já em um quadro mais grave, a recuperação pode demorar cerca de uma semana. No entanto, também é necessário investigar os motivos da pancreatite, pois isso impacta no tratamento e no tempo de recuperação. Mas o tratamento continua após a alta: os primeiros dias em casa vão pedir muita atenção à alimentação e é possível que esse começo tenha algumas mudanças na dieta do animal.

Como evitar a pancreatite canina?

Ao perceber qualquer mudança de comportamento, desconfie da pancreatite em cães: sintomas vão além do quadro físico e um cachorro mais quieto que o comum pode estar com algo errado na sua saúde. E algumas coisas que você pode fazer para evitar a pancreatite canina é redobrar a atenção e os cuidados do cachorro durante as seguintes situações: obesidade, diabetes, problemas hormonais e uma má alimentação rica em carboidratos e gordura - tudo isso, causa a pancreatite. Visitas periódicas ao veterinário, também ajudam nessa prevenção e ainda garantem um cão com mais saúde.

Redação: Erika Martins

Edição: Mariana Fernandes