Saúde

Gata prenha: quais os principais cuidados que você deve ter durante e depois da gestação?

Gestação de gato: separamos algumas dicas de cuidados para te ajudar a lidar com esse período!
Gestação de gato: separamos algumas dicas de cuidados para te ajudar a lidar com esse período!

Com uma gestação de gato à vista, é fundamental que o tutor tome alguns cuidados para que a gravidez da felina transcorra da melhor maneira possível. Mesmo que os gatos sejam animais autossuficientes na maioria dos casos, há diversas tarefas simples, mas essenciais, que você pode fazer para deixar a gata prenha confortável, feliz e tranquila. Após dar à luz, a mamãe e seus gatinhos recém-nascidos continuam precisando de atenção, especialmente se algo fora da normalidade ocorrer e você precisar ligar para o veterinário. Se sua gata está esperando uma ninhada, não se preocupe! O Patas da Casa reuniu as informações necessárias para que você prepare a futura mamãe para a chegada dos filhotes, além de dicas pós-parto. Confira!

Como preparar a casa para uma gata prenha?

Cerca de duas semanas antes do nascimento dos gatinhos, você deve preparar uma área tranquila, arejada e acolhedora para a gata prenha dar à luz. Quando não há um lugar adequado disponível, as mamães costumam escolher os espaços mais inconvenientes para receber a ninhada. Certifique-se de deixar a sua gatinha longe de outros animais da casa e crianças — com as gatas prenhas, comportamentos agressivos podem aparecer nas últimas semanas de gestação.

No local da casa escolhido, monte um “caixa maternidade” para abrigar a gata e seus filhotes. Opte por um compartimento espaçoso e alto o suficiente para que os gatinhos não caiam para os lados (de 10 a 15 centímetros). Para facilitar a limpeza, forre a base com um saco plástico e jornal. Por cima, coloque um cobertor macio ou uma toalha. Veja algumas sugestões para preparar o refúgio da sua mamãe felina:

  • Caixa de transporte para gatos, com abertura frontal e a porta removida;
  • Caixa de papelão (sempre uma escolha popular entre os gatos!);
  • Cesto de plástico para roupas, não tão alto;
  • Caixote de feira revestido com um cobertor.

Prepare o ninho alguns dias antes do parto e deixe a sua gata encontrá-lo sozinha. Caso ela não ache ou não queira se aproximar, dê mais um tempinho para ela. Como os gatos são imprevisíveis, é possível que a mamãe escolha uma área diferente para receber os filhotes — se esse for o caso, é melhor deixá-la em paz, desde que o local não seja perigoso.

Como lidar com a carência da gatinha grávida?

Durante a gravidez, algumas gatas podem apresentam sinais de carência excessiva. Isso acontece porque o instinto maternal já está aflorando no animal. Se a sua gata começar a buscar carinho, passar por suas pernas e ronronar acima do normal, dê mais atenção a ela. Afinal, uma gatinha grávida merece todos os mimos, certo?

Como é a alimentação de uma gata prenha?

O cuidado com a alimentação do animal deve ser vista com atenção pelo tutor. Durante a gestação, gato têm a tendência de comer mais que o habitual, desde o começo da gravidez até o período de amamentação. A seleção de alimentos deve conter todas as vitaminas e nutrientes necessários para que os gatinhos se desenvolvam com saúde. Vale a pena consultar o veterinário para que ele possa indicar uma dieta especial para a gatinha grávida.

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

Depois do expediente de trabalho na sexta, o que você gosta de fazer?

Como seria o seu domingo perfeito?

Como você fica em um dia de chuva?

Como seria a viagem ideal nas férias?

Como você costuma encontrar os amigos?

Qual o seu tipo de exercício favorito?

Como é a sua rotina matinal?

Como é a sua agenda no fim de semana?

Schnauzer e Shih Tzu são raças mais independentes Golden Retriever e Yorkshire gostam de companhia Border Collie e Jack Russell Terrier são aventureiros
    A gata prenha pode ficar mais carente que o normal durante a gestação
    A gata prenha pode ficar mais carente que o normal durante a gestação

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    Gestação de gato precisa do acompanhamento de um veterinário?

    Antes de tudo, é importante procurar o veterinário para discutir a aptidão da sua gatinha procriar e receber orientações sobre vacinação. Porém, se ela já estiver grávida, converse com o médico sobre cuidados específicos, como o que o gato pode comer nas diferentes fases da gravidez e procedimentos de vermifugação. Em relação à hora do parto, o mais comum é que ocorra naturalmente, sem a intervenção humana. Porém, ligue para a assistência veterinária caso você encontre algum problema.

    Como deve ser o parto em casa?

    Independentemente se você já presenciou o nascimento de gatos ou não, lembre-se de manter a calma e não entrar em pânico quando a hora chegar. O segredo para ser um acompanhante de parto perfeito é respeitar o tempo do animal e ter o espírito de espectador. Prefira observar a sua gata em silêncio, à distância, sempre com cuidado para não deixá-la ansiosa ou provocar algum tipo de estresse. Limite também o número de pessoas no ambiente para que tudo flua sem nenhuma distração à mãe. Veja abaixo algumas etapas do trabalho de parto, do início das contrações à chegada dos gatinhos:

    • As contrações começam, mas não são necessariamente visíveis. A gatinha geralmente fica inquieta e à procura de um lugar para dar à luz, mesmo que isso já tenha sido escolhido;
    • A futura mamãe pode vocalizar intensamente, ou seja, ronronar e miar muito alto. Ela também costuma ficar ofegante e arranhar o local do ninho;
    • É possível que a gata comece a se lamber constantemente, principalmente após o surgimento de um líquido branco ou amarelado e a liberação do tampão mucoso. A partir daí, não demora muito até que os primeiros filhotes comecem a nascer;
    • A duração do parto varia de animal para animal, mas geralmente ocorre entre 6 e 12 horas, podendo chegar a 24 horas em alguns casos. Cada gato filhote surge em um intervalo de 30 a 45 minutos;
    • Os gatinhos sairão conectados ao cordão umbilical e dentro da bolsa amniótica (membrana fina que envolve o filhote), que a mamãe deverá romper com a boca. Na sequência, ela vai lamber a cria para limpar e encorajá-la a começar a respirar;
    • Após o nascimento de cada um, haverá a expulsão das placentas. A gata poderá comer algumas delas, mas isso é completamente normal no mundo felino — não se preocupe!

    Quais complicações podem ocorrer e quando é preciso intervir?

    Dar à luz é um processo natural e, normalmente, a gatinha já sabe exatamente o que fazer. Dê espaço a ela e interfira apenas em caso de complicações. Se a futura mamãe estiver com alguma dificuldade, você poderá ajudá-la cuidadosamente. Para problemas mais sérios, entre em contato com o médico veterinário. Assim que o parto começar, é importante deixar o telefone do profissional de emergência em mãos e o meio de transporte preparado.

    Caso a mãe não consiga romper a membrana, você deverá fazer esse procedimento, sempre mantendo a higiene do espaço e utilizando luvas. Rompa cuidadosamente a bolsa amniótica e coloque o recém-nascido em cima de uma toalha. Limpe suavemente as secreções do nariz e boca do gatinho para que ele consiga respirar. Se quiser, passe gentilmente um pano morno nele para criar uma sensação de aconchego.

    Veja algumas situações em que o veterinário deverá ser chamado:

    • Se após aproximadamente duas horas a partir do início do parto não surgir um gatinho;
    • Se o parto durar mais tempo que o normal;
    • Se a gata estiver com contrações fortes e não conseguir expelir o gatinho. Isso pode indicar alguma obstrução ou um filhote com tamanho acima da média;
    • Se um gato ficar preso no meio do caminho;
    • Se houver perda de sangue excessiva ou secreção esverdeada;
    • Se o primeiro gatinho chegou e nenhum outro apareceu depois de uma hora;


    Verifique se há menos placentas em relação à quantidade de gatinhos. Embora a gata possa ter comido algumas — ou todas — para esconder a evidência do nascimento ou dois filhotes terem compartilhado a mesma, isso pode ser um sinal de placenta retida. Na dúvida, ligue para o veterinário.

    Gato filhote: como são os momentos logo após o parto?

    Quando o nascimento estiver concluído, a nova mamãe irá se limpar e permitir que a sua prole se alimente. Se algum filhote de gato não conseguir mamar, consulte o seu veterinário para que ele possa fornecer orientações e, talvez, recomendar um substituto do leite. Lembre-se: gatinhos recém-nascidos não podem passar mais do que algumas horas sem leite.

    O calor é muito importante para os pequenos felinos. Normalmente, a gata usa a própria temperatura do corpo para manter os recém-nascidos aquecidos, mas ela pode ignorar essa tarefa se estiver muito cansada e perturbada. Nesse caso, use recursos artificiais para fornecer calor aos bichinhos, como uma bolsa de água quente coberta com uma toalha por perto. Certifique-se ainda que a roupa de cama esteja limpa e seca.

    Garanta também que a mamãe gata tenha acesso à água, comida e caixa de areia limpa. Mas atenção: escolha um lugar fora do alcance dos gatinhos para que eles não fiquem presos ou se afoguem.

    Com quanto tempo os filhotes de gato podem ser separados da mãe e qual a importância de respeitar isso?

    Nos primeiros dias de vida, os gatinhos são totalmente dependentes da mãe. Se possível, não os separe até pelo menos oito semanas de idade, exceto sob orientação veterinária. Durante esse período, os filhotes têm acesso ao leite materno, uma fonte de nutrientes fundamental para o desenvolvimento saudável. Separá-los precocemente da mãe pode gerar deficiências nutricionais, além de problemas comportamentais. Peça o conselho do veterinário sobre o melhor momento para realocar os gatinhos.

    Redação: Guilherme Segal

    Cachorro estressado: 8 sinais de que o estresse está afetando a saúde do pet

    Próxima matéria

    Cachorro estressado: 8 sinais de que o estresse está afetando a saúde do pet

    Castração de gato: quais os cuidados que você deve ter no pós-operatório?
    Castração

    Castração de gato: quais os cuidados que você deve ter no pós-operatório?

    A castração de gato é um procedimento cirúrgico que vai muito além de evitar a gravidez indesejada e o possível abandono de animais: ela também é uma forma de cuidar da saúde do seu amigo de quatro patas. No entanto, é comum que muitos tutores se sintam inseguros com a cirurgia, principalmente porque é necessário ter alguns cuidados antes e depois de castrar gato. 

    Parque para cachorros: quais as vantagens e cuidados que você deve ter?
    Passeio

    Parque para cachorros: quais as vantagens e cuidados que você deve ter?

    Não é difícil encontrar um parque para cachorros nos grandes centros urbanos, o que só prova o quanto esses animais se tornaram essenciais na nossa vida. Felizmente, nos últimos anos, esses companheiros passaram a ter mais espaço ainda na sociedade: é cada vez mais comum encontrar restaurantes, shoppings e outros espaços públicos que são “pet friendly”, isto é, que não restringem o acesso dos animais. O parcão, que é um lugar destinado a eles, é o local ideal para o seu cão socializar, brincar bastante, gastar energia e fazer novos amigos de quatro patas.

    Khao Manee: tudo o que você precisa saber sobre essa raça de gato tailandesa (e muito rara!)
    Raças

    Khao Manee: tudo o que você precisa saber sobre essa raça de gato tailandesa (e muito rara!)

    O Khao Manee tem um grande potencial para ser um dos grandes queridinhos entre os apaixonados por gatos. Com olhos de cores marcantes e pelo branquinho, o felino desta raça possui uma aparência rara que chama atenção e é uma ótima companhia para qualquer família. De origem tailandesa, esse gatinho é super amigável e ama estar ao lado dos seus humanos - e até mesmo de outros animais. Para conhecer mais a fundo o gato Khao Manee, o Patas da Casa separou as principais informações sobre esse bichano incrível. Dá uma olhada!

    Ragamuffin: características, temperamento, cuidados... conheça essa raça de gato que tem a pelagem longa
    Raças

    Ragamuffin: características, temperamento, cuidados... conheça essa raça de gato que tem a pelagem longa

    O Ragamuffin é uma raça de gato muito amável e carinhosa. Não muito conhecido no Brasil, o gato ragamuffin se originou a partir do cruzamento com felinos da raça Ragdoll. É considerado um gato gigante e pode chegar até os 9kg. O "Ragamuffin cat" pode ter a pelagem e olhos de diferentes cores. Uma característica marcante é o jeito brincalhão e o fato de amar colo. O Ragamuffin é ideal para famílias com crianças e outros animais.

    Ver Todas >

    Quais são os cuidados com gatos renais crônicos?
    Saúde animal

    Quais são os cuidados com gatos renais crônicos?

    Se você é um gateiro, com certeza já ouviu falar sobre o perigo das doenças renais nos felinos. Se os cuidados são importantes em qualquer fase de vida do pet, no caso de um gato com insuficiência renal a preocupação é maior ainda. A insuficiência renal em gatos é uma doença que acomete principalmente os felinos idosos, mas também pode ser comum em outras idades e também na raça de gato Persa, que possui predisposição genética para esse tipo de problema. 

    Icterícia em cães: entenda o que é o problema e os sinais mais comuns
    Saúde animal

    Icterícia em cães: entenda o que é o problema e os sinais mais comuns

    Se você nunca ouviu falar na icterícia em cães, chegou a hora de entender um pouco mais sobre o problema que, embora não seja uma doença, é um sinal clínico que pode indicar que a saúde do cachorro não vai muito bem. Mas então, como identificar a icterícia canina e quais são as principais causas associadas a esse sintoma?

    Quais são as doenças de cachorro mais comuns no verão e como evitá-las?
    Saúde animal

    Quais são as doenças de cachorro mais comuns no verão e como evitá-las?

    Com a chegada do verão, é necessário redobrar os cuidados com o cachorro e também com a sua saúde. Os peludos costumam aproveitar bastante essa época, já que os passeios e banhos de mar ou piscina são mais frequentes. No entanto, a mudança de rotina vem acompanhada de uma grande preocupação, que é a proliferação de certas doenças de cachorro que ocorrem nessa época. Otite canina, desidratação e até mesmo infestação de pulgas e carrapatos são problemas bastante comuns no verão. 

    Verme em cachorro filhote: veja os sinais mais comuns de que o cãozinho está sofrendo com verminoses
    Saúde animal

    Verme em cachorro filhote: veja os sinais mais comuns de que o cãozinho está sofrendo com verminoses

    Os filhotes de cachorro são muito mais propensos a sofrerem com verme. Além da contaminação facilmente ocorrer pela amamentação, os filhotes ainda estão desenvolvendo o sistema imunológico e diversas funções do organismo. É por isso que a primeira dose do vermífugo para cachorro filhote deve ser feita aos 30 dias de vida, com reforço mensal até os seis meses, para garantir a saúde do pet. 

    Ver Todas >