O Tumor Venéreo Transmissível, normalmente chamado de TVT canino, é uma doença de cachorro conhecida, mas muitos tutores não sabem que se trata de uma doença sexualmente transmissível (DST). Há pouca informação sobre a contaminação e até formas de prevenir esses quadros, então a maioria dos tutores só descobrem que se trata de uma DST quando o cachorro já está doente.

Quais raças de cachorro mais combinam com você?

Preencha todos os campos para participar.

É só preencher e começar!

Escolha uma opção abaixo

Não tenho pets
Tenho cão
Tenho gato
Tenho cão e gato
Autorizo receber comunicações e publicidade da NESTLÉ®.

Além do TVT canino, a brucelose também é uma doença venérea recorrente, mas o que são essas doenças e como elas se desenvolvem? Brucelose e TVT canina transmitem para humanos? Existe gonorreia canina? Como o cachorro transmite doença venérea e como prevenir que a contraia? O Patas da Casa conversou com a médica veterinária Gabriela Teixeira, que tirou todas as dúvidas sobre DST em cachorro!

O cachorro transmite doença venérea quando tem contato com os órgãos sexuais de outros cães

As DST's são transmitidas quando há contato com o órgão sexual de um cão que tenha a doença. O acasalamento é uma das principais maneiras de se transmitir a DST em cachorro, já que os órgãos sexuais entram em contato direto. Mas você já reparou que cães têm o hábito de cheirar o rabo uns dos outros? Esse comportamento também pode ser uma porta de entrada para essa DST em cachorro. Isso significa que não é necessário um cruzamento para transmitir as doenças venéreas. Ou seja, até mesmo durante um simples passeio é possível que o cão contraia uma DST apenas por cheirar o rabo do outro.

Quais são as DST em cachorro mais comuns?

Existem diferentes tipos de DST em cachorro. A veterinária Gabriela Teixeira ressalta algumas: “As de maior importância são a brucelose e o Tumor de Sticker ou TVT (tumor venéreo transmissível)”. No TVT canino, sintomas são de fácil percepção. Já na brucelose pode passar despercebida pelos sintomas serem mais internos e não visíveis.

Não existe sífilis, AIDS ou gonorreia em cachorro

Apesar de existirem diferentes tipos de DST em cachorro, elas não são as mesmas que os humanos têm. Ao ouvir o termo DST, você pode achar que existe sífilis, AIDS ou gonorreia em cachorro, mas a verdade é que essas doenças não acometem os cães. Muitas pessoas acham, por exemplo, que qualquer secreção no pênis do cachorro significa gonorreia, mas normalmente o problema é em decorrência de uma balanopostite canina.

Brucelose e TVT canino: sintomas se manifestam de formas diferentes

tumor venéreo transmissível é uma das DST em cachorro mais comuns. “É uma doença causada por um vírus transmitido pelo contato com os órgãos sexuais de pets afetados”, explica a especialista. O cachorro transmite doença venérea principalmente através do cruzamento ou após cheirar o rabo de um cão infectado. No TVT canino, sintomas são bem aparentes: “O animal apresenta tumores sanguinolentos (geralmente em aspecto de couve-flor) onde ele foi infectado. Normalmente, em mucosa genital ou oral e em narinas”, esclarece.

A brucelose é uma DST em cachorro causada por uma bactéria que ataca as mucosas do animal. Como não é tão visível externamente, é mais difícil de perceber os sintomas. Uma fêmea grávida com brucelose normalmente sofre aborto, sendo que até mesmo o material expelido é contagioso. Já os machos podem ficar estéreis, além de sofrerem com inflamação no saco escrotal.

 

A contaminação de uma DST canina ocorre por cruzamentos ou no ato do cachorro cheirar o rabo de outro pet com a doençaAlerta de imagens fortes!O TVT canino se manifesta com o crescimento de tumores no formato de couve-flor nas genitais do cachorro

 

O tratamento das DST deve ser iniciado o mais rápido possível

 

No caso da TVT canina, existe um tratamento que, na maioria dos casos, é eficaz. “O animal pode precisar de cirurgia para a retirada dos nódulos e é importante sempre fazer quimioterapia no cachorro. Ela envolve sessões semanais do medicamento e exames de sangue para saber como o animal está reagindo. [A quimioterapia] tem consequências imunológicas. O cão pode apresentar perda de pelo, cansaço, anemia, febre e problemas gastrointestinais”, explica a especialista. 

Já no caso da brucelose, o tratamento costuma ser castração. O problema dessa DST em cachorro é que, mesmo depois de castrado, o animal ainda pode transmitir a bactéria. Como as DST em cachorro são de fácil transmissão, o ideal é evitar que o animal tenha contato com a bactéria. Tanto o TVT canino quanto a brucelose necessita do isolamento do pet para prevenir que ele infecte outros cães.

Como prevenir DST em cachorro?

Com alguns cuidados no dia a dia, as DST em cachorro podem ser prevenidas. As primeiras medidas devem ser na hora de passear com o cachorro: “Não permita que o animal tenha acesso à rua sem supervisão e tome cuidado nos passeios para que ele não tenha contato com a genitália de outro infectado”, explica Gabriela. Ela afirma ainda que, caso o tutor queira cruzar o cão, devem ser feitos exames para ter certeza que os pets estão saudáveis. Por fim, ela lembra que a castração de cachorro é a melhor forma de prevenir as doenças venéreas, além de muitas outras enfermidades. “Durante o cio, não permita que animais desconhecidos se aproximem e certifique-se de que ele está em um local seguro, mas lembre-se sempre que a castração é um ato de amor ao seu animal e previne inúmeras doenças”, complementa. 

Brucelose e TVT canina transmite para humanos? 

Mas afinal, o cachorro transmite doença venérea para humanos de alguma maneira? Apesar de as DST em cachorro serem altamente transmissíveis, isso só acontece entre os próprios cães. Ou seja, o TVT canino e a brucelose não são consideradas zoonoses

Redação: Maria Luísa Pimenta