Saúde

Displasia coxofemoral em cães: como melhorar a qualidade de vida do animal diagnosticado com o problema?

A displasia coxofemoral em cães causa dor e desconforto. Saiba como aliviar esses incômodos e garantir o bem-estar do seu pet!
A displasia coxofemoral em cães causa dor e desconforto. Saiba como aliviar esses incômodos e garantir o bem-estar do seu pet!

Há uma série de doenças que podem comprometer a mobilidade dos nossos amigos de quatro patas. Entre elas, a displasia coxofemoral em cães. A patologia, que atinge as patas traseiras do animal, exige um tratamento acompanhado de perto por veterinários pelo resto da vida do cãozinho. Por isso, entender o processo de evolução da doença é fundamental para saber quais medidas tomar para garantir o conforto e o bem-estar do seu pet. Para te ajudar, reunimos aqui alguns cuidados que podem melhorar a qualidade de vida do cachorro - desde a cirurgia para displasia coxofemoral em cães até mudanças mais simples na rotina.

O que é displasia coxofemoral em cães e quais os principais sintomas da doença?

A displasia coxofemoral em cães é caracterizada pelo movimento desordenado dos ossos, músculos e tendões das patas traseiras do animal. Ou seja: os ossos da perna não se encaixam perfeitamente em uma área da pelve, que é responsável pela mobilidade do cachorro, resultando em atritos e dores na região. Justamente por isso, dependendo do estágio da doença, um dos primeiros sinais de que o seu cãozinho está com displasia é o desconforto ao fazer atividades rotineiras, como andar, sentar e correr. Além disso, desequilíbrio, calcanhares virados para dentro, limitação nos movimentos e estalos na hora de sentar também podem indicar um quadro de displasia coxofemoral em cães. Por isso, é necessário que o tutor fique atento a qualquer mudança no animal e busque ajuda médica o quanto antes.

Displasia coxofemoral em cães: medicamentos e cirurgia podem ajudar a controlar o quadro

A displasia coxofemoral em cães não deixa o animal extremamente debilitado. Na verdade, com os cuidados e os medicamentos adequados, é possível fornecer mais conforto e qualidade de vida ao cachorro. Depois de diagnosticada, a displasia coxofemoral em cães pode ser tratada de duas maneiras: com a cirurgia, em que a cabeça do fêmur é fixada no coxal do animal; ou de forma clínica, em casos em que os ossos do seu amigo estão mais debilitados e não há a possibilidade do encaixe novamente. No caso do tratamento com medicamentos, é comum que analgésicos e anti-inflamatórios sejam os mais indicados. Ainda assim, é importante ressaltar que a escolha dos remédios deve ser feita e acompanhada por um médico veterinário. Embora alguns tutores tenham o costume de automedicar o seu pet, a atitude é um erro e pode acabar prejudicando a saúde do cachorro. 

Descubra se você é um cachorro ou um gato!

É só preencher e começar! sem cadastros ou formulários.

No fim de semana, você é o amigo que...?

As férias estão chegando! Vai viajar?

Chegou a hora de escolher a comida! Quem é você?

Que música você escolhe para arrasar no karaokê?

E sobre seus cuidados de beleza?

Vai ficar em casa com o mozão? Você prefere:

Ihhh, você recebeu uma crítica no trabalho… Como reage?

Você é um cachorro! Você é um gato! Você é um gatorro!
      Displasia coxofemoral em cães: tratamento com fisioterapia pode ajudar o seu amigo
    Displasia coxofemoral em cães: tratamento com fisioterapia pode ajudar o seu amigo

    Mais Lidas

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    Uma das partes mais difíceis de ter um cachorro em casa é o momento em que eles adoecem — e isso piora quando a doença é das mais sérias, como a cinomose. Causada por um vírus, se não for tratada da forma correta, a cinomose em cães pode ser fatal não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele. Para entender um pouco mais sobre o que é cinomose canina, seus sintomas, causa e o tratamento, o Patas da Casa conversou com a veterinária Kelly Andrade, do Paraná. Dê uma olhada, aqui embaixo, nas instruções da profissional!

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?
    Saúde animal

    Cachorro ofegante: quais problemas o sintoma pode indicar?

    Encontrar o cachorro ofegante não é uma questão incomum na vida dos tutores. Normalmente, os peludos ficam mais cansados depois de um longo passeio ou brincadeiras, mas quando não houve nenhum estímulo é preciso ficar atento. Observe alguns sinais do cachorro ofegante: língua pra fora pode indicar calor ou cansaço, agora se o sintoma estiver acompanhado de tremores ou cachorro com dificuldade de respirar, o ideal é levá-lo imediatamente ao veterinário. Para saber como diferenciar e se há necessidade de buscar ajuda médica, nós conversamos com Ricardo Duarte, que é docente do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário FMU, de São Paulo.

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!
    Saúde animal

    Doença do carrapato: sintomas, tratamento, tem cura... Tudo sobre o parasita em cachorros!

    A doença do carrapato é uma das mais conhecidas entre os pais de pet e também uma das mais perigosas para os cachorros. Transmitida pelo carrapato marrom, bactérias e protozoários invadem a corrente sanguínea e os sintomas variam de acordo com o grau da doença e podem causar coloração amarela na pele e mucosas, distúrbios de coagulação, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, sangramento nasal e, em casos mais raros, problemas neurológicos e até mesmo a morte do cachorro. Para ajudar a esclarecer dúvidas sobre a doença do carrapato, o Patas da Casa entrevistou a veterinária Paula Ciszewsi, de São Paulo. Confira abaixo!

    Displasia coxofemoral em cães: tratamento pode envolver fisioterapia e laserterapia

    Embora os medicamentos e a cirurgia para displasia coxofemoral em cães sejam os métodos mais comuns, existem outros tratamentos que também podem contribuir para o bem-estar do seu amigo. A fisioterapia canina, por exemplo, é um deles. Atuando no ganho de massa muscular do animal, ela contribui para estabilização das articulações coxofemorais, o que ameniza as dores e melhora a mobilidade do pet. Além disso, os exercícios de baixo impacto estimulam a perda de peso e o aumento da produção de líquido sinovial, que é responsável pela lubrificação das articulações. Outro tratamento que pode ser uma das soluções para o animal depois do diagnóstico de displasia coxofemoral é a laserterapia. Nesse caso, a técnica, que usa feixe eletromagnético para fins terapêuticos, ajuda a aliviar a dor, diminuindo a dependência do animal aos analgésicos e anti-inflamatórios.

    A displasia coxofemoral em cães exige mudanças na alimentação do animal

    Assim como outras doenças caninas, a displasia coxofemoral também requer novos hábitos alimentares para o seu cãozinho. Isso porque o sobrepeso pode prejudicar o tratamento da doença e até mesmo contribuir para as dores nas patas traseiras. É importante oferecer uma dieta balanceada e equilibrada para o seu pet. A ração light para cães, por exemplo, pode ser uma grande aliada para manutenção do peso saudável do seu amigo. Além disso, é importante lembrar que os exercícios físicos, como caminhadas leves e curtas, podem (e devem!) ser mantidos. Mas, nesse caso, é necessário que eles sejam feitos com supervisão e sem exageros para não sobrecarregar o seu cachorro. 

    Redação: Úrsula Gomes

     

    Displasia coxofemoral em cães, osteoartrite e outras: descubra as doenças articulares mais comuns nos caninos

    Próxima matéria

    Displasia coxofemoral em cães, osteoartrite e outras: descubra as doenças articulares mais comuns nos caninos

    Coleira com identificação para cães: qual a importância e como escolher a melhor para o seu animal?
    Cuidados

    Coleira com identificação para cães: qual a importância e como escolher a melhor para o seu animal?

    Se você já perdeu um animal de estimação alguma vez na vida, provavelmente sabe da importância de manter uma coleira com identificação no seu cachorro. Com o número de contato e outras informações relevantes presas ao pescoço do bichinho, as chances de você recuperá-lo aumentam consideravelmente, caso ele se solte da guia ou decida sair por aí em busca de novas aventuras. Ainda assim, muitos tutores adiam ou resistem à ideia de identificar seus animais. Abaixo, mostraremos por que uma coleira de identificação para cães é importante e os principais modelos disponíveis no mercado. Confira!

    Cachorro idoso: como melhorar a qualidade de vida do animal?
    Sênior

    Cachorro idoso: como melhorar a qualidade de vida do animal?

    Para muitos tutores, os cães são seus eternos bebês. Porém, a idade chega para todos e com o seu pet não poderia ser diferente. Os cachorros vivem em média entre 12 a 14 anos e começam a apresentar sinais de velhice por volta dos nove anos de idade, podendo variar de acordo com o porte e a raça. Esse é um momento muito importante na vida dos animaizinhos e, é claro, demanda cuidados especiais por parte do dono.

    Displasia coxofemoral em cães: descubra mais sobre os sintomas e as formas de prevenção da doença
    Saúde

    Displasia coxofemoral em cães: descubra mais sobre os sintomas e as formas de prevenção da doença

    A displasia coxofemoral ou displasia de quadril canina é uma doença que atrapalha a mobilidade de cachorros de diferentes raças. Ela atinge as patas traseiras do cachorro e, entre outros sintomas, pode causar dor e rigidez nos membros do animal. Ou seja: o incômodo é certo para o cachorro displásico.

    Cadeira de rodas para cachorro: como o acessório promove mais qualidade de vida para cães com deficiência?
    Histórias reais

    Cadeira de rodas para cachorro: como o acessório promove mais qualidade de vida para cães com deficiência?

    Sobrevivente da cinomose, o Migalha é um vira-lata cheio de energia para viver. Pequeno, fofo e com uma particularidade especial: por causa da doença, ele perdeu o movimento das patas traseiras e hoje usa uma cadeira de rodas para cachorro. Morador de São Paulo, o Migalha só ganhou qualidade de vida com o objeto e hoje pode passear normalmente na rua. É justamente por causa da cadeira de rodas para cachorro que ele leva uma vida normal e feliz, como qualquer outro animal. Conheça mais sobre essa história e saiba o que o veterinário fisioterapeuta Max Freire, do Rio de Janeiro, contou sobre o uso do acessório para devolver a mobilidade a cães com deficiência.

    Ver Todas >

    10 perguntas e respostas sobre a castração de cachorro
    Saúde animal

    10 perguntas e respostas sobre a castração de cachorro

    Quando se trata da castração de cachorro, algumas dúvidas podem surgir no meio do caminho e muitos tutores se sentem inseguros com isso. Será que realmente vale a pena passar por esse procedimento cirúrgico? Como ele é feito e como é a recuperação do cãozinho operado? Custa muito caro castrar cachorro? Todas essas questões são levantadas antes de tomar a decisão. 

    Qual a explicação para as
    Saúde animal

    Qual a explicação para as "sardas" nos gatos laranjas? Em quais casos oferecem perigo à saúde?

    Já reparou que alguns felinos podem apresentar pintinhas pretas perto do nariz, parecidas com sardas, e também na boca? Essa é uma situação mais comum do que se pensa, principalmente quando se trata de um gato amarelo. No entanto, a maioria dos tutores costuma estranhar a presença dessas pintas e passa a se questionar se isso poderia ser um problema de saúde, como algum tipo de câncer de pele. 

    Outubro rosa pet: tumores de mama também podem afetar cães e gatos
    Saúde animal

    Outubro rosa pet: tumores de mama também podem afetar cães e gatos

    Vamos falar do Outubro Rosa Pet? No mês da conscientização do câncer de mama, é importante ter em mente que, assim como os humanos, cachorro e gato também podem desenvolver tumores no tecido mamário. Na verdade, o número de casos em animais é tão preocupante quanto nas mulheres, já que poucos tutores têm conhecimento a respeito desse assunto. 

    Cachorro tem dor de dente?
    Saúde animal

    Cachorro tem dor de dente?

    Quando se trata da saúde do cachorro, todo cuidado é pouco. Os cães são tão frágeis quanto os humanos e podem desenvolver uma série de problemas parecidos com os nossos, inclusive na parte da saúde bucal. Então, sim: o cachorro tem dor de dente, e isso pode incomodá-los bastante. Afinal, só quem já passou por essa situação sabe como pode ser doloroso, né? Só que, diferente dos humanos, os cachorros não conseguem comunicar de forma direta quando estão passando por algum problema e nem sempre é fácil identificar um quadro desses. 

    Ver Todas >