close
Saúde

Displasia coxofemoral em cães: como melhorar a qualidade de vida do animal diagnosticado com o problema?

Atualizado · 04 de setembro de 2020 · 18h01

Publicado · 04/09/2020 · 18h01

A displasia coxofemoral em cães causa dor e desconforto. Saiba como aliviar esses incômodos e garantir o bem-estar do seu pet!
A displasia coxofemoral em cães causa dor e desconforto. Saiba como aliviar esses incômodos e garantir o bem-estar do seu pet!

Há uma série de doenças que podem comprometer a mobilidade dos nossos amigos de quatro patas. Entre elas, a displasia coxofemoral em cães. A patologia, que atinge as patas traseiras do animal, exige um tratamento acompanhado de perto por veterinários pelo resto da vida do cãozinho. Por isso, entender o processo de evolução da doença é fundamental para saber quais medidas tomar para garantir o conforto e o bem-estar do seu pet. Para te ajudar, reunimos aqui alguns cuidados que podem melhorar a qualidade de vida do cachorro - desde a cirurgia para displasia coxofemoral em cães até mudanças mais simples na rotina.

O que é displasia coxofemoral em cães e quais os principais sintomas da doença?

A displasia coxofemoral em cães é caracterizada pelo movimento desordenado dos ossos, músculos e tendões das patas traseiras do animal. Ou seja: os ossos da perna não se encaixam perfeitamente em uma área da pelve, que é responsável pela mobilidade do cachorro, resultando em atritos e dores na região. Justamente por isso, dependendo do estágio da doença, um dos primeiros sinais de que o seu cãozinho está com displasia é o desconforto ao fazer atividades rotineiras, como andar, sentar e correr. Além disso, desequilíbrio, calcanhares virados para dentro, limitação nos movimentos e estalos na hora de sentar também podem indicar um quadro de displasia coxofemoral em cães. Por isso, é necessário que o tutor fique atento a qualquer mudança no animal e busque ajuda médica o quanto antes.

Displasia coxofemoral em cães: medicamentos e cirurgia podem ajudar a controlar o quadro

A displasia coxofemoral em cães não deixa o animal extremamente debilitado. Na verdade, com os cuidados e os medicamentos adequados, é possível fornecer mais conforto e qualidade de vida ao cachorro. Depois de diagnosticada, a displasia coxofemoral em cães pode ser tratada de duas maneiras: com a cirurgia, em que a cabeça do fêmur é fixada no coxal do animal; ou de forma clínica, em casos em que os ossos do seu amigo estão mais debilitados e não há a possibilidade do encaixe novamente. No caso do tratamento com medicamentos, é comum que analgésicos e anti-inflamatórios sejam os mais indicados. Ainda assim, é importante ressaltar que a escolha dos remédios deve ser feita e acompanhada por um médico veterinário. Embora alguns tutores tenham o costume de automedicar o seu pet, a atitude é um erro e pode acabar prejudicando a saúde do cachorro. 

Qual raça de gato você é?

É só preencher e começar!

Question Quiz Stamp

O que você mais gosta de fazer nos momentos de lazer?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Se você pudesse se descrever com uma palavra, quais das opções a seguir escolheria?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Alguém te chamou para sair para um lugar inusitado, o que você pensa?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como você fica depois de dormir pouco na noite anterior?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Você viajou e se perdeu em uma cidade que não conhece muito: o que passa pela sua cabeça?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Quais dessas características você procuraria em um pet?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

O que seus amigos próximos pensam sobre você?

Question Header Background
Question Quiz Stamp

Como você gosta de curtir as férias?

Question Header Background

Sua personalidade aventureira combina com o Bobtail Japonês! Você é divertido assim como o gato Siamês! Sua personalidade ranzinza combina com o gato Maine Coon! Você é preguiçoso como um gatinho Persa!
      Displasia coxofemoral em cães: tratamento com fisioterapia pode ajudar o seu amigo
    Displasia coxofemoral em cães: tratamento com fisioterapia pode ajudar o seu amigo

    Mais Lidas

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!
    Saúde animal

    Cinomose: tem cura, o que é, quais os sintomas, quanto tempo dura... Tudo sobre a doença de cachorro!

    A cinomose canina é uma das doenças de cachorro mais perigosas e sérias, principalmente porque pode afetar cães de todas as idades e raças e é altamente contagiosa. O que causa cinomose é um vírus da família Paramyxovirus, e quando o animal não é tratado da forma correta, a doença pode até ser fatal (não apenas para o que foi infectado primeiramente, mas para todos os que estiverem em contato com ele). 

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser
    Saúde animal

    Feridas em cachorro: veja as mais comuns que atingem a pele do animal e o que pode ser

    As feridas em cachorro podem ter muitas causas e é preciso avaliar a gravidade da situação. Se o seu cão surgiu algum arranhão ou machucados de leve depois de brincar muito com outros animais, o melhor é observar, mas se as feridas na pele do cachorro apareceram do nada você precisa ficar atento e buscar ajuda veterinária. Pode ser um caso de dermatite, alergia de contato ou até picada de algum parasita. O Patas da Casa preparou um guia com as feridas de cachorro mais comuns. Vamos conferir?

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?
    Saúde animal

    Gato no cio: de quanto em quanto tempo acontece e quanto tempo dura?

    Gatos são animais conhecidos pelas suas frequentes fugas quando estão no cio, mas você sabe por quê? Sabe a partir de qual idade a fêmea pode ter o primeiro cio? Esse período pode ser bastante estressante para o felino - e também para o dono -, pois o comportamento do animal muda bruscamente. Está preparado e já está ciente de quanto tempo dura o cio do gato? Nessa matéria vamos tirar essas e outras dúvidas sobre o assunto. Vem com a gente!

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar
    Saúde animal

    Encontrou sangue nas fezes do cachorro? Veja os problemas que o sintoma pode indicar

    Encontrar sangue nas fezes do cachorro é um sinal de que algo está fora do normal. O cocô com sangue em cachorro é uma questão que deve ser sempre levada a sério. Há diversas razões para isso acontecer, desde um episódio momentâneo - mais simples de resolver - até doenças mais graves - como a gastroenterite hemorrágica ou câncer em cães. 

    Displasia coxofemoral em cães: tratamento pode envolver fisioterapia e laserterapia

    Embora os medicamentos e a cirurgia para displasia coxofemoral em cães sejam os métodos mais comuns, existem outros tratamentos que também podem contribuir para o bem-estar do seu amigo. A fisioterapia canina, por exemplo, é um deles. Atuando no ganho de massa muscular do animal, ela contribui para estabilização das articulações coxofemorais, o que ameniza as dores e melhora a mobilidade do pet. Além disso, os exercícios de baixo impacto estimulam a perda de peso e o aumento da produção de líquido sinovial, que é responsável pela lubrificação das articulações. Outro tratamento que pode ser uma das soluções para o animal depois do diagnóstico de displasia coxofemoral é a laserterapia. Nesse caso, a técnica, que usa feixe eletromagnético para fins terapêuticos, ajuda a aliviar a dor, diminuindo a dependência do animal aos analgésicos e anti-inflamatórios.

    A displasia coxofemoral em cães exige mudanças na alimentação do animal

    Assim como outras doenças caninas, a displasia coxofemoral também requer novos hábitos alimentares para o seu cãozinho. Isso porque o sobrepeso pode prejudicar o tratamento da doença e até mesmo contribuir para as dores nas patas traseiras. É importante oferecer uma dieta balanceada e equilibrada para o seu pet. A ração light para cães, por exemplo, pode ser uma grande aliada para manutenção do peso saudável do seu amigo. Além disso, é importante lembrar que os exercícios físicos, como caminhadas leves e curtas, podem (e devem!) ser mantidos. Mas, nesse caso, é necessário que eles sejam feitos com supervisão e sem exageros para não sobrecarregar o seu cachorro. 

    Redação: Úrsula Gomes

     

    Pancreatite canina: como é a recuperação da doença?

    Próxima matéria

    Pancreatite canina: como é a recuperação da doença?

    Coleira com identificação para cães: qual a importância e como escolher a melhor para o seu animal?
    Cuidados

    Coleira com identificação para cães: qual a importância e como escolher a melhor para o seu animal?

    Se você já perdeu um animal de estimação alguma vez na vida, provavelmente sabe da importância de manter uma coleira com identificação no seu cachorro. Com o número de contato e outras informações relevantes presas ao pescoço do bichinho, as chances de você recuperá-lo aumentam consideravelmente, caso ele se solte da guia ou decida sair por aí em busca de novas aventuras. Ainda assim, muitos tutores adiam ou resistem à ideia de identificar seus animais. Abaixo, mostraremos por que uma coleira de identificação para cães é importante e os principais modelos disponíveis no mercado. Confira!

    Cachorro idoso: como melhorar a qualidade de vida do animal?
    Sênior

    Cachorro idoso: como melhorar a qualidade de vida do animal?

    Para muitos tutores, os cães são seus eternos bebês. Porém, a idade chega para todos e com o seu pet não poderia ser diferente. Os cachorros vivem em média entre 12 a 14 anos e começam a apresentar sinais de velhice por volta dos nove anos de idade, podendo variar de acordo com o porte e a raça. Esse é um momento muito importante na vida dos animaizinhos e, é claro, demanda cuidados especiais por parte do dono.

    Displasia coxofemoral em cães: descubra mais sobre os sintomas e as formas de prevenção da doença
    Saúde

    Displasia coxofemoral em cães: descubra mais sobre os sintomas e as formas de prevenção da doença

    A displasia coxofemoral ou displasia de quadril canina é uma doença que atrapalha a mobilidade de cachorros de diferentes raças. Ela atinge as patas traseiras do cachorro e, entre outros sintomas, pode causar dor e rigidez nos membros do animal. Ou seja: o incômodo é certo para o cachorro displásico.

    Cadeira de rodas para cachorro: como o acessório promove mais qualidade de vida para cães com deficiência?
    Histórias reais

    Cadeira de rodas para cachorro: como o acessório promove mais qualidade de vida para cães com deficiência?

    Sobrevivente da cinomose, o Migalha é um vira-lata cheio de energia para viver. Pequeno, fofo e com uma particularidade especial: por causa da doença, ele perdeu o movimento das patas traseiras e hoje usa uma cadeira de rodas para cachorro. Morador de São Paulo, o Migalha só ganhou qualidade de vida com o objeto e hoje pode passear normalmente na rua. É justamente por causa da cadeira de rodas para cachorro que ele leva uma vida normal e feliz, como qualquer outro animal. Conheça mais sobre essa história e saiba o que o veterinário fisioterapeuta Max Freire, do Rio de Janeiro, contou sobre o uso do acessório para devolver a mobilidade a cães com deficiência.

    Ver Todas >

    Dente de gato: como preservar a saúde bucal do seu felino?
    Saúde animal

    Dente de gato: como preservar a saúde bucal do seu felino?

    A pasta e a escova de dente para gatos são os principais aliados para a boa higiene bucal dos felinos. Escovar os dentes do gato evita doenças, previne o mau hálito e preserva os dentinhos. Seja quando o gato troca de dente ou quando já é um bichano idoso, a dentição felina requer cuidados especiais em todas as fases da vida. Saber como escovar os dentes do gato corretamente é o primeiro passo para garantir a higiene bucal, além de uma alimentação balanceada. 

    Giárdia canina: como funciona a vacina contra a doença?
    Saúde animal

    Giárdia canina: como funciona a vacina contra a doença?

    A giárdia canina é uma doença infecciosa causada por um protozoário que pode acometer cães, gatos e seres humanos. Essa zoonose ocorre quando o cachorro ingere cistos do protozoário, que podem estar presentes na água e alimentos. Além disso, como os cachorrinhos são animais que usam a boca para diversas funcionalidades, é possível que o pet colete o parasita lambendo um brinquedo, bebendo água de uma poça ou mastigando algum objeto. Ficar de olho em como prevenir a doença é muito importante, visto que a giárdia em cães é transmitida para outros animais com facilidade. 

    Sarna em gatos: o que é e o que fazer?
    Saúde animal

    Sarna em gatos: o que é e o que fazer?

    A sarna em gatos é um dos problemas de pele mais comuns que podem afetar o bichano. Causada por ácaros que ficam na pelagem dos felinos, a doença também pode acometer cachorros e até mesmo humanos. O gato com sarna sofre bastante com coceiras e problemas na pele. Felizmente, existe tratamento de sarna em gatos capaz de eliminar os parasitas e garantir conforto ao peludo. 

    Tosse de cachorro: o que pode ser?
    Saúde animal

    Tosse de cachorro: o que pode ser?

    O cachorro com tosse é algo que pode assustar muitos tutores, principalmente quando acontece de forma recorrente e não tem um motivo aparente. O sintoma indica algum incômodo no sistema respiratório canino e pode estar associado a diferentes causas que variam desde problemas mais simples, como um engasgo na hora de comer, até algo mais sério, como doenças cardíacas e vermes pulmonares.

    Ver Todas >